Constituição Conciliar Sacrosanctum concilium

concíliumA Constituição Conciliar Sacrosanctum concilium, foi promulgada durante o Concílio Ecumênico Vaticano II, pelo Papa Paulo VI. É a renovação da Liturgia.
A Sacrosanctum concilium estrutura-se em sete capítulos, precedidos de um proêmio de caráter geral e concluídos por um apêndice. O documento conciliar contém não apenas alguns princípios doutrinais de grande importância e as linhas fundamentais da renovação litúrgica, mas sim indicações concretas relativas ao desenvolvimento ritual.

Na Sacrosanctum concilium, a Sagrada Escritura foi assumida como norma e juízo: “Para promover a reforma, o progresso e a adaptação da Sagrada Liturgia é necessário, por conseguinte, desenvolver aquele amor suave e vivo da Sagrada Escritura” (Sacrosanctum concilium, 24). Portanto, existe um vínculo íntimo entre o aprofundamento da Sagrada Escritura e a reforma litúrgica. A relação entre Sagrada Escritura e Liturgia foi claramente expresso pela referida Constituição conciliar:  “As ações e os sinais litúrgicos haurem o seu sentido da Sagrada Escritura” (cf. ibidem).


Mudanças significativas aconteceram na liturgia depois desse concílio. A participação ativa do leigo nas missas foi uma das grandes mudanças que deu mais vida e participação nas missas.

Caso queria saber mais sobre esse concílium você pode acompanhar o programa Além da Notícia, segue os links.

http://youtu.be/PW5D-PWzW1c

http://youtu.be/tghI7iCrLKc

http://youtu.be/VUT1vx-XxhQ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *