musica

Show no 3 Cruzeiro Católico

Galera no dia 18 de janeiro fiz um Show no 3º cruzeiro Católico foi muito bom , quero agradecer a todos que estiveram conosco nesta empreitada de evangelizar em águas mais profunda.


Show pela Paz!!

No dia 16/10 estive na cidade de Sertãozinho interior de São Paulo , foram momentos lindos afinal o show foi em prol da Paz!!!!  Jesus o Senhor é demais…

fotos destes momentos….By  Dany Fiori





A MAGIA DOS FESTIVAIS DE MÚSICA...

  FESTIVAL CANÇÃO NOVA DA MUSICA CATÓLICA.

Ao começar escrever este artigo, me veio na lembrança os grandes festivais em que estive presente, e olha que foram muitos. De alguns, participei como músico, outros na equipe organizadora ou ainda simplesmente como mero e privilegiado espectador. Há! Que saudade.

Festival: grande  festa ou espetáculo, diz o dicionário.

O dicionário está certo, mas particularmente acho tem algo a mais. É um privilegio ou uma graça para quem participa de um FESTIVAL DA CANÇÃO, poder ver e sentir o nascimento para o sucesso, poder ver a consagração de uma canção no gosto popular, mesmo quando esta não foi o gosto principal do júri.

Mais que uma grande festa ou espetáculo, um FESTIVAL DA CANÇÃO é um encontro do autor com a sua obra ou do criador com a criatura.  Principalmente quando estamos falando de um festival Cristão.

Se fazer um espetáculo é bom, então porque não fazê-lo totalmente para DEUS. Expressar totalmente e sem reservas nossa arte a DEUS.

Este foi e será o nosso maior alvo, nossa intenção e missão o motivo de trazermos de vota o FESTIVAL CANÇÃO NOVA DA MÚSICA CATÓLICA.

“Por isso, quanto mais consciente está o artista do dom que possui, tanto mais se sente impelido a olhar para si mesmo e para a criação inteira com olhos capazes de contemplar e agradecer, elevando a Deus o seu hino de louvor. Só assim é que ele pode compreender-se profundamente a si mesmo e à sua vocação e missão”.

“Quem tiver notado em si mesmo esta espécie de centelha divina que é a vocação artística de poeta, escritor, pintor, escultor, arquiteto, músico, ator… , adverte ao mesmo tempo a obrigação de não desperdiçar este talento, mas de o desenvolver para colocá-lo ao serviço do próximo e de toda a humanidade.” (carta do papa João Paulo II aos artistas. )

 CANTAI ao SENHOR um cântico novo, cantai ao SENHOR toda a terra. Sm 96,1

A sua chance de manifestar e expor a sua arte de compor, tocar e cantar  está de volta na canção nova.  7° FESTIVAL CANÇÃO NOVA DA MÚSICA CATÓLICA.

Não perca tempo, inscreva a sua canção ( www.cancaonova.com ), nós vamos nos encontrar lá.

Brais Oss

Ministério de música C. Nova     (faça um comentário, )

brais.oss@hotmail.com                         


Assim nasceram as notas da escala diatônica.

Giddo d’Arezzo, um monge italiano que viveu entre os anos 990 a 1050, quem deu origem e criou este sistema de nomear as notas musicais.

Em outras palavras, o nome das notas  Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó  tiveram a sua origem na música coral medieval. Estas notas foram tiradas das primeiras seis frases do texto de um hino de louvor a São João Baptista em que cada frase era cantada um grau à cima na escala.

Ut queant laxis – Resonare fibris – Mira gestorum – Famuli tuorum – Solve polluti -Labii reatum – Sancte Iohannes.“Para que teus servos possam cantar a plenos pulmões as maravilhas dos teus milagres perdoa a falta do lábio impuro Ó São João”.Mais tarde Ut foi substituído por Do, por ser uma sílaba mais cantável, e foi adicionada a sílaba Si. 

A sílaba Sol chegou a ser mais tarde encurtada para So, para uniformizar todas as sílabas de modo que as mesmas terminassem todas em uma vogal. Para mim o que mais fica de interessante na história da música, é que além de ter nascida no céu pelo primeiro coral regido por são Miguel Arcanjo, aqui na terra as primeiras notas musicais também nasceram de uma inspiração divina e cabe a nós músicos cristãos, buscarmos o disernimento e a sabedoria divina para entendermos a quem e para quem estamos entoando nossa música.  

Brais Oss.  brais.oss@hotmail.com     Texto retirado do livro tocar gaita (Brais Oss – laçt° 2007)


DOS BARZINHOS PARA A CANÇÃO NOVA.

Brais Oss, saxofonista do Ministério de Música Canção Nova, fala sobre seu encontro com Deus e de seu primeiro CD instrumental “Som do céu”, que será lançado neste mês.

Ouça na íntegra

“Sou músico profissional desde meados dos anos 80. Toquei durante 14 anos em barzinhos, bailes, trios elétricos e fui produtor de shows.

A minha ‘trombada’ com Jesus aconteceu, aqui, na Canção Nova, no final de 1998. Contudo, eu nunca tinha ouvido falar do Padre Jonas, Dunga ou Nelsinho Corrêa. E assim que cheguei participei de um encontro, em que estava presente Dom Alberto Taveira (que hoje é meu diretor espiritual). A partir daquele dia, minha vida mudou. Um dia, como na Bíblia, eu era Saulo e no outro, Paulo.

Após o encontro com Deus era como se eu escutasse aquela voz dentro de mim: ‘Brais, Brais, por que me persegues?’ Porque a minha música proporcionava o cenário para as baladas, nas quais vi muitos jovens começarem na bebida, no cigarro, na prostituição. Então disse ao Senhor: ‘Se Tu queres, capacita-me e muda a minha vida’.

Depois, conheci o Dunga, que viu a minha história e o meu potencial na música e me convidou para trabalhar com ele. Agora, começamos a escrever mais um capítulo nessa caminhada, com o CD ‘Som do céu’. Portanto, esta obra é fruto de meu encontro pessoal com Deus na Canção Nova.”

Brais Oss
Comunidade Canção Nova

braisoss@braisoss.com.br