jan
06

Uma novidade para você!

clubeO Clube da Evangelização tem um presente para você Sócio Evangelizador

Neste mês de janeiro, o Clube da Evangelização enviou, junto com a Revista Canção Nova, a carteirinha de Sócio Evangelizador que dá aos sócios benefícios exclusivos como descontos nas lojas físicas da Canção Nova e alimentação.

Se você já recebeu em casa a Revista Canção Nova de janeiro, observe em seu boleto que ele traz sua carteirinha. Recorte-a, guarde-a e use sempre que estiver na Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP) ou em uma de nossas lojas físicas.

A carteirinha de Sócio Evangelizador não tem prazo de validade e é importante lembrar que para usufruir deste benefício é imprescindível a apresentação de um documento com foto. Essa carteirinha é gratuita, ou seja, isenta de mensalidades. É mais uma forma de agradecermos ao sócio evangelizador por sua fidelidade todos os meses.

Caso você ainda não tenha recebido sua Revista Canção Nova de janeiro, entre em contato conosco pelo telefone (12) 3186-2600 ou pelo e-mail clube@cancaonova.com.

Clube da Evangelização
Sua fé transformando vidas!

Fonte: clube.cancaonova.com

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/uma-novidade-para-voce/

jan
04

Qual deve ser a meta para 2016?

2016Traçamos muitos projetos, mas uma meta deve ser a principal

 

Combater o bom combate, guardar a fé, testemunhar Jesus com nosso amor, eis nossa meta!
Não podemos atribuir valor algum à nossa vida a não ser ao Senhor Jesus. O que nos importa é levar até o fim a carreira que nos é proposta.

A carreira de todo cristão – pai , mãe, irmão, funcionário, patrão, rico, pobre – é ser um prisioneiro do Espírito Santo e de mais ninguém.

Testemunhemos sem medo a graça de Deus.
Esse é o combate, a sua meta!
Vinde, Espírito Santo!

Feliz Ano Novo!

Luzia Santiago

Fonte: cancaonova.com/mensagem

 

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/qual-deve-ser-a-meta-para-2016/

dez
28

Vigília de Ano Novo Canção Nova MT

vggggInicie o novo ano de 2016 com o coração repleto de esperança e fé

A Canção Nova MT convida você e a sua família a participarem da Vigília de Ano Novo no Rincão do Meu Senhor com o tema: “Celebrai as vitórias porque eterna é a sua misericórdia”, com as participações de Juliana de Paula, Pe. Bruno Costa, Pe. Fábio Camargos e toda a Comunidade Canção Nova MT.

No dia 31 de Dezembro, começando às 21h, com uma programação super especial com louvor, adoração ao Santíssimo Sacramento, queima de fogos e santa Missa.

Teremos também a tradicional Ceia de Ano Novo após a Missa da Virada com o seguinte cardápio:

– Pernil assado ao molho de abacaxi
– Frango ao molho de requeijão
– Farofa crocante
– Arroz e salpicão

O ticket para a Ceia é individual e seu valor é de R$ 15,00 (Quinze Reais) cada.

Venha participar com sua família deste momento de ação de graças e louvor. Mais informações ligue (65)3685-3900.

Esperamos por você!

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/vigilia-de-ano-novo-cancao-nova-mt/

dez
23

Natal, a festa da luz!

imagesExiste um motivo que nos faz celebrar o Natal

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Isaías 9,1). Este fato narrado pela Palavra de Deus aconteceu há mais de dois mil anos; no entanto, atualiza-se todos os dias. É ele o motivo que nos faz celebrar o Natal, pois uma Luz brilhou em meio às trevas!

Há um clima diferente no ar, votos de felicidade, mãos estendidas, confraternizações e brilhos estão por todos os lados! Nas ruas, casas e lojas, por onde quer que andemos, as luzes piscam entre cores e formas, convidando-nos à celebração. Elas iluminam e encantam, trazem um colorido especial às realidades que, durante o ano, foram se tornando comuns e opacas pela rotina do dia a dia. As roupas e os adereços também ganham destaque nesta época; afinal, a moda no Natal é brilhar!

O que celebramos no Natal

Somos envolvidos pela correria do comércio. Os presentes, as viagens e tantas outras realidades próprias do fim de ano fazem-nos viver um tempo diferente. Mas será que estamos mesmo celebrando o Natal? Ou seja, será que estamos celebrando o nascimento de Jesus, o Deus que se fez Menino, nascido da Virgem Maria, que veio habitar em meio a nós?

Ele é a verdadeira Luz que brilhou para o povo que andava nas trevas. Ele veio para nos salvar e nos fazer participantes da Sua vida divina. Trouxe-nos a grande e esperada libertação; por isso celebramos Seu nascimento! Mas será que em nossos dias, tão agitados e interativos, temos tido tempo para tomarmos consciência desta verdade?

Existe um motivo que nos faz celebrar o Natal

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Isaías 9,1). Este fato narrado pela Palavra de Deus aconteceu há mais de dois mil anos; no entanto, atualiza-se todos os dias. É ele o motivo que nos faz celebrar o Natal, pois uma Luz brilhou em meio às trevas!

 

Há um clima diferente no ar, votos de felicidade, mãos estendidas, confraternizações e brilhos estão por todos os lados! Nas ruas, casas e lojas, por onde quer que andemos, as luzes piscam entre cores e formas, convidando-nos à celebração. Elas iluminam e encantam, trazem um colorido especial às realidades que, durante o ano, foram se tornando comuns e opacas pela rotina do dia a dia. As roupas e os adereços também ganham destaque nesta época; afinal, a moda no Natal é brilhar!

O que celebramos no Natal

Somos envolvidos pela correria do comércio. Os presentes, as viagens e tantas outras realidades próprias do fim de ano fazem-nos viver um tempo diferente. Mas será que estamos mesmo celebrando o Natal? Ou seja, será que estamos celebrando o nascimento de Jesus, o Deus que se fez Menino, nascido da Virgem Maria, que veio habitar em meio a nós?

Ele é a verdadeira Luz que brilhou para o povo que andava nas trevas. Ele veio para nos salvar e nos fazer participantes da Sua vida divina. Trouxe-nos a grande e esperada libertação; por isso celebramos Seu nascimento! Mas será que em nossos dias, tão agitados e interativos, temos tido tempo para tomarmos consciência desta verdade?

 

É preciso abrir o coração para Cristo iluminar

Sem abertura de coração, a luz de Cristo não pode iluminar nossa vida! Ou seja: sem nos decidirmos a amar, perdoar, a sermos justos e dedicados, bondosos, alegres e pacíficos não há como celebrarmos o nascimento de Deus em nós. Sendo assim, o Natal passa a ser mais uma festa sem sentido. Não basta presépios, Missa do galo, troca de presentes e ceias fartas para o Natal acontecer, é preciso tomar a decisão de uma vida nova, pautada nos ensinamentos de Cristo, que nos conduzem às atitudes concretas e coerentes, à vivencia da fé durante todos os dias do ano.

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Isaías 9,1). Ainda hoje existem muitos que caminham nas trevas do pecado, e Jesus deseja iluminá-los por meio de nós. Tenhamos a coragem de testemunhar o amor de Deus a partir dos pequenos acontecimentos e das escolhas do nosso dia a dia. É este o tempo favorável para uma vida nova! A luz brilhou em meio às trevas, veio reacender a esperança e nos dar a certeza de que já não estamos sozinhos, Deus está conosco, Ele é o Emanuel! Sua luz nos contagia e aquece, por isso, abramos nosso coração e tenhamos a coragem de ser faróis no mundo, levando, com a nossa vida, a luz que é Cristo aos corações sedentos de amor e paz.

Assim, celebraremos o Natal, a festa verdadeira da Luz!

Penso que celebrar o Natal sem nos deixar envolver pela ternura do amor de Deus, expresso no nascimento de Cristo, é como participar de uma festa sem conhecer os anfitriões nem o motivo da comemoração. Você está presente, come, bebe, admira a decoração, observa os convidados, mas não tem porque se alegrar, vive tudo de maneira superficial, indiferente. E tenho certeza que não é isso que Deus espera de nós justo na festa do Seu nascimento.

Lugar que Deus escolheu para nascer

Precisamos recordar com urgência o motivo da celebração do Natal e nos prepararmos com dignidade para esta festa sem nos deixarmos levar pelo clima externo do consumismo. Mesmo que isso seja um grande desafio em nossos dias, é preciso fazermos nossa parte como cristãos! Aquela Luz que brilhou na Terra, há mais dois mil anos, é Jesus, a mesma Luz que deseja, hoje, iluminar nossa vida, dissipando toda espécie de trevas que o pecado nos incutiu.

Lembremo-nos de que nosso coração é o lugar que Deus escolheu para nascer, pois somos únicos diante d’Ele. No entanto, como Pai amoroso que é, o Senhor continua a respeitar nossa liberdade e espera darmos o primeiro passo na direção certa, para que Sua luz entre em nossa vida.

Djanira Silva – Missionária da Comunidade Canção Nova

Fonte: formacao.cancaonova.com

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/natal-a-festa-da-luz/

dez
22

Madre Teresa de Calcutá e o brasileiro com hidrocefalia e oito abscessos no cérebro foi o alvo do milagre

madA cura inexplicável de um homem em 2008

A Madre Teresa de Calcutá será canonizada em setembro de 2016 depois do reconhecimento de um milagre atribuído à sua intercessão e ocorrido no Brasil em 2008. O caso da cura milagrosa chegou ao Vaticano no início de 2015 e logo foi considerado válido por apresentar elementos contundentes para a instauração de um processo.

O Promotor de Justiça no processo local, padre Caetano Rizzi, afirmou que tudo aconteceu muito rapidamente porque os fatos são evidentes.

“Ouvimos diversas testemunhas, ouvimos o possível miraculado. Foi um processo longo, intenso, com muitas audiências e muito trabalho. Mas a graça de Deus nos faz chegar à conclusão de que não temos aqui uma palavra para explicar o que aconteceu. Está sendo um processo muito rápido porque os fatos são evidentes”, explicou.

O milagre

  • O homem a quem aconteceu o milagre tinha na época 35 anos de idade e estava em lua-de-mel quando teve de ser hospitalizado às pressas. No hospital, em Santos, ele foi diagnosticado com hidrocefalia e oito abscessos espalhados pelo cérebro.
  • Durante a internação, sua esposa foi buscar ajuda espiritual com o padre Elmiran Ferreira, da paróquia de Nossa Senhora Aparecida, na cidade vizinha de São Vicente.
  • O padre lhe deu a medalhinha da Madre Teresa de Calcutá, que a mulher colocou no travesseiro do marido no hospital, além de rezar pedindo a sua intercessão pela cura.
  • Com o esposo inconsciente no Centro Cirúrgico, um dos médicos saiu para buscar um dreno. Nesse ínterim, o homem acordou, recuperou plenamente os sentidos e tomou café sozinho. A cirurgia, marcada para o dia seguinte, foi cancelada.

A confirmação

  • A Congregação para as Causas dos Santos recorre à assessoria de uma equipe de 70 médicos e vários outros especialistas que avaliam todos os estudos clínicos aos quais o indivíduo curado foi submetido. Para que a cura seja considerada milagrosa, ela deve ter acontecido de forma instantânea, completa, duradoura e cientificamente inexplicável.
  • No caso do milagre atribuído à Madre Teresa, o exame por parte da Ordem dos Médicos, realizado meses depois do fato, levou ao reconhecimento unânime por parte de um colegiado de sete médicos de que a cura não tinha nenhuma explicação científica.
  • O Tribunal Diocesano, em seguida, ouviu 15 testemunhas e reuniu toda a documentação de comprovação do milagre, com cerca de 400 páginas remetidas depois ao Vaticano.
  • Depois de examinar todo o processo, o Vaticano confirmou hoje (18 de dezembro) que vai canonizar a Madre Teresa de Calcutá em setembro de 2016.

A Madre Teresa

  • A Madre Teresa de Calcutá nasceu na Macedônia em 1910, filha de pais albaneses.
  • Fundou em 1950 as Missionárias da Caridade e dedicou mais de 40 anos aos pobres e doentes, em especial na cidade indiana de Calcutá.
  • Recebeu o Prêmio Nobel da Paz de 1979.
  • Faleceu em 1997 e seu funeral em Calcutá mobilizou toda a Índia, com a presença de chefes de Estado e governantes do mundo inteiro e milhões de pessoas acompanhando o cortejo pelas ruas da megalópole.
  • João Paulo II a beatificou em 19 de outubro de 2003, em cerimônia com presença de 300 mil fiéis no Vaticano.
  • As Missionárias da Caridade são hoje uma rede com mais de 4.500 religiosas que trabalham em 700 casas de mais de 130 países para servir “aos mais pobres dos pobres”.

Fonte: pt.aleteia.org

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/madre-teresa-de-calcuta-e-o-brasileiro-com-hidrocefalia-e-oito-abscessos-no-cerebro-foi-o-alvo-do-milagre/

dez
14

Acampamento de Oração "Na Cruz de Cristo somos curados"

1.1O último Acampamento de Oração do ano de 2015 na Canção Nova MT

Acontece no próximo final de semana, 19 e 20 de dezembro o Acampamento de Oração com o tema “Na Cruz de Cristo somos curados”. Começando no dia 19 (sábado), às 13h30 e encerramento às 18h com a oração do santo Terço na Gruta de Nossa Senhora de Lourdes. E no dia 20 (domingo), iniciando às 8h e encerrando ás 17h com a santa Missa, no Rincão do Meu Senhor (ao lado da Univag – VG).

Será um final de semana de muita oração, adoração ao Santíssimo Sacramento, pregação da Palavra de Deus e santa Missa, contando com as participações de Ironi Spuldaro, Irmã Zélia, Padre Bruno Costa e toda a Comunidade Canção Nova do MT.

Esse acampamento é um convite aberto para você acreditar que Deus está conosco e nunca nos abandona. Mesmo nas horas de sofrimento, precisamos exercitar nossa perseverança, pois na cruz de Cristo está o poder de Deus. Nela somos verdadeiramente curados. Pois, quando depositamos na Cruz de Cristo toda a nossa vida, somos libertos, somos curados, encontramos forças para todas as batalhas, sem temer a nenhum mortal, por mais poderoso que seja, venha o que vier, nada pode nos parar, nada pode nos derrubar, a vitória de Cristo é também a nossa vitória.

Organize sua família, sua pastoral e venha participar desse final de semana mais que especial com a Canção Nova MT.

Outras informações ligue (65) 3685-3900.

Esperamos por você!

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/acampamento-de-oracao-na-cruz-de-cristo-somos-curados/

dez
09

Papa Francisco explica o significado do Ano da Misericórdia

papa_misericordiaNa catequese dessa quarta-feira, dia 9, o Papa Francisco nos ensinou sobre o Ano Santo

Queridos irmãos e irmãs, bom dia.

Ontem abri aqui, na Basílica de São Pedro, a Porta Santa do Jubileu da Misericórdia, depois de tê-la aberto já na Catedral de Bangui, na República Centro-Africana. Hoje gostaria de refletir junto com vocês sobre o significado desse Ano Santo, respondendo à pergunta: por que um Jubileu da Misericórdia? O que significa isso?

A Igreja precisa desse momento extraordinário. Não digo: é bom para a Igreja este momento extraordinário. Digo: a Igreja precisa deste momento extraordinário. Na nossa época de profundas mudanças, a Igreja é chamada a oferecer a sua contribuição peculiar, tornando visíveis os sinais da presença e da proximidade de Deus. E o Jubileu é um tempo favorável para todos nós, para que contemplando a Divina Misericórdia, que supera todo limite humano e resplandece sobre a obscuridade do pecado, possamos nos tornar testemunhas mais confiantes e eficazes.

Dirigir o olhar a Deus, Pai misericordioso, e aos irmãos necessitados de misericórdia, significa concentrar a atenção sobre o conteúdo essencial do Evangelho: Jesus, a Misericórdia feita carne, que torna visível aos nossos olhos o grande mistério do Amor trinitário de Deus. Celebrar um Jubileu da Misericórdia equivale a colocar de novo no centro da nossa vida pessoal e das nossas comunidades o específico da fé cristã, isso é, Jesus Cristo, o Deus misericordioso.

Um Ano Santo, portanto, para viver a misericórdia. Sim, queridos irmãos e irmãs, este Ano Santo nos é oferecido para experimentarmos na nossa vida o toque doce e suave do perdão de Deus, a sua presença próximo a nós e a sua proximidade sobretudo nos momentos de maior necessidade.

Este Jubileu, em suma, é um momento privilegiado para que a Igreja aprenda a escolher unicamente “aquilo que a Deus mais agrada”. E o que é aquilo que “a Deus mais agrada”? Perdoar os seus filhos, ter misericórdia deles, a fim de que esses possam, por sua vez, perdoar os irmãos, brilhando como tochas da misericórdia de Deus no mundo. Isso é o que agrada mais a Deus. Sant’Ambrogio em um livro de teologia que tinha escrito sobre Adão, toma a história da criação do mundo e diz que Deus, todos os dias, depois de ter feito uma coisa – a lua, o sol ou os animais – diz: “E Deus viu que isso era bom”. Mas quando fez o homem e a mulher, a Bíblia diz: “Viu que isso era muito bom”. Sant’Ambrogio se pergunta: “Mas por que diz ‘muito bom’? Por que Deus ficou tão contente depois da criação do homem e da mulher?”. Porque no fim tinha alguém para perdoar. É belo isso: a alegria de Deus é perdoar, o ser de Deus é misericórdia. Por isso neste ano devemos abrir os corações, para que este amor, esta alegria de Deus nos preencha desta misericórdia. O Jubileu será um “tempo favorável” para a Igreja se aprendermos a escolher “aquilo que a Deus agrada mais”, sem cair na tentação de pensar que haja algo mais importante ou prioritário. Nada é mais importante que escolher “aquilo que a Deus agrada mais”, isso é, a sua misericórdia, o seu amor, a sua ternura, o seu abraço, as suas carícias!

Também a necessária obra de renovação das instituições e das estruturas da Igreja é um meio que deve nos conduzir a fazer a experiência viva e vivificante da misericórdia de Deus que, sozinha, pode garantir à Igreja ser aquela cidade colocada sobre um monte que não pode permanecer escondida (cfr Mt 5, 14). Brilha somente uma Igreja misericordiosa! Se esquecêssemos, mesmo que por um só momento, que a misericórdia é “aquilo que mais agrada Deus”, todo esforço nosso seria em vão, porque nos tornaríamos escravos das nossas instituições e das nossas estruturas, por mais renovadas que possam ser. Mas seríamos sempre escravos.

“Sentir forte em nós a alegria de termos sido renovados por Jesus, que como Bom Pastor veio nos buscar porque estávamos perdidos” (Homilia nas Primeiras Vésperas do Domingo da Divina Misericórdia, 11 de abril de 2015): este é o objetivo que a Igreja se coloca neste Ano Santo. Assim reforçaremos em nós a certeza de que a misericórdia pode contribuir realmente para a edificação de um mundo mais humano. Especialmente nestes nossos tempos, em que o perdão é um convidado raro nos âmbitos da vida humana, o chamado à misericórdia se faz mais urgente e isso em todo lugar: na sociedade, nas instituições, no trabalho e também na família.

Certo, alguém poderia fazer essa objeção: “Mas, Padre, a Igreja, nesse Ano, não deveria fazer algo a mais? É certo contemplar a misericórdia de Deus, mas há muitas necessidades urgentes!”. É verdade, há muito a fazer, e eu primeiro não me canso de recordar isso. Mas é necessário considerar que, na raiz da falta de misericórdia, há sempre o amor próprio. No mundo, isso toma a forma da busca exclusiva dos próprios interesses, dos prazeres e honras unidos à vontade de acumular riquezas, enquanto na vida dos cristãos se reveste muitas vezes de hipocrisia e de mundanidade. Todas essas coisas são contrárias à misericórdia. As investidas do amor próprio, que tornam a misericórdia estrangeira no mundo, são tantas e numerosas que muitas vezes nem somos capazes de reconhecê-las como limites e como pecado. Eis porque é necessário reconhecer ser pecador, para reforçar em nós a certeza da misericórdia divina. “Senhor, eu sou um pecador; Senhor, eu sou uma pecadora: venha com a tua misericórdia”. Essa é uma oração belíssima. É uma oração fácil de dizer todos os dias: “Senhor, eu sou um pecador; Senhor, eu sou uma pecadora: venha com a tua misericórdia”.

Queridos irmãos e irmãs, desejo que, neste Ano Santo, cada um de nós faça experiência da misericórdia de Deus, para ser testemunhas daquilo “que agrada mais a Ele”. É ingênuo acreditar que isso possa mudar o mundo? Sim, humanamente falando é tolice, mas “aquilo que é loucura de Deus é mais sábio que os homens e aquilo que é fraqueza de Deus é mais forte que os homens” (1 Cor 1, 25).

Fonte: papa.cancaonova.com

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/papa-francisco-explica-o-significado-do-ano-da-misericordia/

dez
08

Festa da Imaculada Conceição

inmaculada

“Nem se deve tocar na palavra “pecado” em se tratando de Maria; e isso por respeito Àquele de quem mereceu ser a Mãe, que a preservou de todo pecado por sua graça.” (GM, p. 215)

O Dogma da Imaculada Conceição estabelece que Maria foi concebida sem mancha de pecado original, foi proclamado pelo Papa Pio IX, no dia 8 de dezembro de 1854, na Bula Ineffabilis Deus:

“Declaramos, pronunciamos e definimos que a doutrina que sustenta que a Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua concepção, foi por singular graça e privilégio de Deus onipotente em previsão dos méritos de Cristo Jesus, Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original, foi revelada por Deus, portanto, deve ser firme e constantemente crida por todos os fiéis.”

A doutrina da Imaculada Conceição, cuja memória litúrgica celebra-se neste segundo domingo do Advento, sempre foi uma realidade muito constante nos escritos dos santos. Desde os primeiros séculos, a cristandade já recordava a Virgem Maria como aquela que fora preservada de toda mancha do pecado – a Tota Pulchra, como canta a antífona própria desta festa. Ao contrário de Eva, a também virgem imaculada que respondeu à visita do anjo decaído com seu não a Deus, Maria é a virgem imaculada que, recebendo em sua casa a presença de São Gabriel, respondeu com o seu sim: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua Palavra”.

E foi nesta firme convicção, “depois de na humildade e no jejum, dirigirmos sem interrupção as Nossas preces particulares, e as públicas da Igreja, a Deus Pai”, que o Papa Pio IX, num dos atos mais solenes de seu pontificado, declarou “a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante da sua Conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente (…) foi preservada imune de toda mancha de pecado original”. Não por acaso, pouco tempo depois desta proclamação, em 1858, Nossa Senhora apareceria a uma jovem camponesa de Lourdes, na França, dizendo ser a “Imaculada Conceição”.

Antes da definição de Pio IX, no entanto, existiam algumas controvérsias teológicas quanto a esse ensinamento. Embora fosse de grande consenso a doutrina segundo a qual Maria nascera sem pecado algum – estando essa verdade presente não só na fé popular como também nos textos litúrgicos -, muitos teólogos viam com dificuldade a proposição, sobretudo porque não conseguiam entender de que modo isso poderia se relacionar com a redenção operada por Cristo no mistério da paixão. Afinal, sendo Maria imaculada, teria ela necessitado da salvação?

A dificuldade, infelizmente, acabou suscitando algumas heresias já na época de Santo Tomás de Aquino. Para certos teólogos, Maria não teria sido redimida por Cristo. O imbróglio, com efeito, fez com que o Doutor Angélico reagisse na Suma Teológica, negando a doutrina da imaculada conceição. Foi somente no final de sua vida, no seu comentário da saudação angélica (ou seja, da Ave-Maria), que Santo Tomás voltou atrás e aceitou essa verdade de fé.

A confusão teológica, contudo, ainda perdurou por algum tempo até que um frade franciscano, o bem-aventurado Duns Scoto, finalmente apresentasse uma explicação consistente. Scoto defendia que Maria havia sido salva já no ventre de Sant’Anna, tendo em vista o sangue de Cristo derramado na cruz. Uma vez que Deus não está preso ao tempo e ao espaço, Ele bem poderia utilizar os méritos da Paixão de Jesus antecipadamente, preservando Nossa Senhora das insídias diabólicas. Foi baseado nesta argumentação que o também bem-aventurado Papa Pio IX publicou a Bula Innefabillis Deus, pondo termo à controvérsia e definindo como dogma de fé a “Imaculada Conceição de Maria”.

Na Bula Innefabillis Deus, Pio IX usa duas passagens bíblicas para atestar a veracidade do dogma: Gênesis, capítulo 3 – o chamado Proto-Evangelho em que se narra a “inimizade” entre a serpente e a Mulher -, e Lucas, capítulo 1, no qual o evangelista relata a saudação angélica de São Gabriel: “Ave, Cheia de Graça, o Senhor é convosco”. Com esses dois textos, o Papa revela as evidências da santidade de Maria. Por ter sido agraciada desde o ventre de sua mãe, Maria é a inimiga por excelência do demônio; e sendo a “Cheia de Graça”, à qual “grandes coisas fez Aquele que é poderoso”, possui a mais perfeita amizade com Deus.

Nós, brasileiros, temos a grande graça de ter herdado de Portugal a devoção pela Imaculada Conceição de Maria. Embora muitas pessoas não saibam, é a Imaculada Conceição a Padroeira de Portugal. Isso porque foram naquelas terras que aconteceram as maiores batalhas em defesa da fé cristã e, sobretudo, em defesa da imaculada conceição. Numa época em que a península ibérica via-se ameaçada pelas investidas dos mouros, os cavaleiros cristãos fizeram um pacto de sangue, a fim de preservar a fé católica da região. E venceram com a ajuda e intercessão da Imaculada.

No Brasil, temos também como padroeira Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Ela, como “um exército em ordem de batalha”, convida-nos também a empreender um combate contra a serpente maligna que assalta nossa dignidade, nossos filhos e nossa fé.

Rezemos a Ela, a Auxilium Christianorum, para que neste momento, em que duas leis perniciosas tramitam em nosso parlamento com o intuito de destruir a família brasileira, a cabeça da serpente seja esmagada e precipitada ao inferno junto com seus demônios.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós!

Fonte: padrepauloricardo.org

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/festa-da-imaculada-conceicao/

dez
07

O Ano da Misericórdia, entenda como será a abertura

Banner-Ano_da_Misericordia

Saiba como acontecerá a abertura do Ano da Misericórdia no dia 8 de Dezembro

Em coletiva nesta sexta-feira, 4, o Vaticano deu detalhes sobre a abertura do Ano da Misericórdia na próxima terça-feira, 8. Segundo o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, será uma experiência de misericórdia que permitirá a todos sentir o amor de Deus.

O Ano Santo começa com a abertura da Porta Santa na Basília de São Pedro. Segundo Dom Rino, será uma celebração muito simples na Praça São Pedro. A data – 8 de dezembro – coincide com o 50º aniversário da conclusão do Concílio Vaticano II.

Nesse contexto, serão lidos alguns trechos das quatro constituições conciliares: Dei Verbum, sobre a Palavra de Deus, Lumen Gentium, sobre a Igreja, Sacrosantum Concilium, sobre liturgia, e Gaudium et Spes, sobre a Igreja no mundo contemporâneo. Também serão lidos trechos do decreto sobre ecumenismo, Unitatis Redintegratio, e sobre liberdade religiosa, Dignitatis Humanae.

Evangeliário do Jubileu

Na celebração eucarística haverá a procissão do Evangeliário criado para este evento. Trata-se do livro com os Evangelhos dominicais e festivos do Jubileu da Misericórdia, ilustrados por mosaicos do sacerdote jesuíta, padre Marko Ivan Rupnik.

“O Evangeliário será colocado no mesmo trono que, durante as sessões do Concílio, era colocado no altar da Basílica de São Pedro para tornar evidente a todos o primado da Palavra de Deus. Então, também com este pequeno sinal queremos recordar os 50 anos do Concílio”, informou Dom Rino.

Abertura da Porta Santa

Para a abertura da Porta Santa, a recitação das palavras do Salmo, que permanecem sempre as mesmas: “Aperite mihi Porta Iustitiæ”, “Abra-me a Porta da Justiça”. Depois do Papa, atravessam a Porta os cardeais, bispos, sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos. A procissão chegará ao túmulo do apóstolo Pedro onde haverá o rito conclusivo da Santa Eucaristia.

Depois, o Papa recitará, como de costume, o Angelus da janela do Palácio Apostólico. Todos os fiéis presentes poderão atravessar a Porta Santa. E a partir do dia 8 de dezembro, todos os dias será rezado o Rosário na estátua de São Pedro.

A projeção de fotos

Às 19h (hora local) do dia 8 de dezembro, haverá um evento que Dom Rino classificou como “único” e “sugestivo”: a projeção de fotos na fachada da Basílica e na cúpula.

“Tal evento é inspirado na última encíclica do Papa Francisco, ‘Laudato sì’. Quer propor a beleza da Criação, também em ocasião da 21ª Conferência sobre o Clima das Nações Unidas iniciada em Paris no último dia 30 de novembro e que terminará em 11 de dezembro”.

Gestos do Papa às sextas-feiras

No dia 18 de dezembro, o Papa Francisco fará um gesto simbólico abrindo a “Porta da Misericórdia” no albergue da Caritas romana Don Luigi di Liegro, na via Marsala.

“Esse gesto será o primeiro com o qual o Papa dará início aos sinais que uma sexta-feira por mês pretende oferecer como expressão das obras de misericórdia”. Dom Fisichella observou que cada encontro terá o caráter de uma visita privada para exprimir proximidade e solidariedade.

Ecumenismo e catequeses do Papa

Sobre a importância do significado do Jubileu para as outras religiões e o ecumenismo, Dom Rino recordou que no dia 25 de janeiro o Papa estará na Basílica de São Paulo Fora dos Muros para uma celebração jubilar em nível ecumênico. Também foi confirmada a presença do Papa, um sábado ao mês, para a audiência geral, a tradicional catequese.

Fonte: noticias.cancaonova.com

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/o-ano-da-misericordia-entenda-como-sera-a-abertura/

dez
03

Cinco maneiras de reativar sua vida de oração

altarA oração é a respiração da alma

Você conhece a importância da oração, mas talvez ache que Deus não quer ouvi-lo porque você se afastou durante algum tempo. Você provavelmente sabia que a oração madura é algo além de simples petições a Deus, mas talvez não esteja seguro de como proceder.

Talvez você esteja realmente ocupado, e tema que buscar a “prática da oração” exija um compromisso que você não pode assumir. Ou pode ser que você tenha medo de “fracassar” em sua tentativa de orar em profundidade.

Seja como for, fique tranquilo. A única maneira de fracassar na oração é deixar de orar. Não há nada que Deus não queria ouvir de você. Ele o ama, não se esqueça disso!

Anote aí as 5 dicas para voltar a orar intensamente:

1. Faça o sinal da cruz

Esta é uma maneira rápida e eficaz de se conectar com Deus e recordar, num só gesto, toda a entrega de Jesus por nós. Esta é uma oração rápida e um bom ponto de partida.

2. Inclua gotinhas de oração ao longo do seu dia

As jaculatórias ajudam a manter-nos na presença de Deus. São orações breves, em forma de frases simples, que dirigimos a Deus em meio às atividades cotidianas, colocando nelas toda a força da nossa fé e todo o carinho do nosso coração ao pronunciá-las. Alguns exemplos: “Senhor, tu sabes tudo, sabes que te amo”, “O Senhor é meu pastor, nada me faltará”, “Estou em tuas mãos, faça-se a tua vontade”, “Maria, sou todo teu”, “Espírito Santo, ilumina-me”, “Sagrado Coração de Jesus, confio em ti” etc.

3. Observe algo belo

A beleza das coisas ao nosso redor nos remete a Deus. Você pode observar uma flor, uma folha caída no chão, a alegria de uma criança, um amanhecer… O ser humano é o único animal capaz de admirar a beleza, Deus nos deu este dom – talvez precisamente para que nos encontremos com Ele.

4. Escute

Você não precisa estar com o fone de ouvido o tempo todo, pode desligar o celular e a televisão de vez em quando. Programe-se para desligar os estímulos externos em alguns momentos da semana e curta o silêncio. Nesses momentos, pode dizer para Deus: “Tu me chamaste, Senhor, aqui estou”. E permanecer em paz e silêncio, para ir aprendendo a identificar a voz de Deus em seu interior.

5. Cante

Santo Agostinho dizia que quem canta ora duas vezes. Você certamente conhece algumas canções espirituais ou pode explorar mais este universo. Monte sua seleção e curta momentos de intimidade com Deus por meio da música. Cante a Maria também, porque isso conforta nosso coração de filhos e a deixa alegre como Mãe. Você também pode cantar partes da missa, se isso o ajudar a se conectar com Deus.

Está disposto a recomeçar? Deus com certeza já recomeçou, já está esperando você. Apenas dê o primeiro passo, e o resto será mais fácil. Confie.

(Adaptação do texto original de Elizabeth Scalia)
Fonte: pt.aleteia.org

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/cinco-maneiras-de-reativar-sua-vida-de-oracao/

dez
01

Agenda de Eventos Canção Nova MT - Dezembro 2015

ag_Nossa missão é evangelizar

Começamos o último mês do ano de 2015 e a Canção Nova MT traz uma super programação de evangelização para encerrarmos o ano 2015 e começarmos o novo ano de 2016 com as benção do Senhor!

Toda essa evangelização planejada com muito carinho no Rincão do Meu Senhor (Rua C, nº 600 – Cohab Dom Orlando Chaves – VG), ao lado da Univag, pensando em  você e sua família.

Confira abaixo a agenda de eventos em dezembro:

-9/12: Feirão da Providência
Horário: a partir das 8h

-15 á 17/12: Aprofundamento Na Cruz de Cristo somos curados
Presença: Ironi Spuldaro
Horário: 19h (Vagas limitadas – inscrições antecipadas)

-18/12: Missa em Ação de Graças pelo Ano de 2015 e Aniversário de Ordenação Sacerdotal do Pe Bruno Costa
Horário: 19h30

-19 e 20/12: 6º Avivados para Avivar
Presenças: Ironi Spuldaro, Irmã Zélia e Pe. Bruno Costa
Horários – Dia 19 (sábado) a partir das 13h30
Dia 20 (domingo) a partir das 8h

-24/12: Missa de Natal
Horário: 20h

-31/12: Vigília de Ano Novo “Celebrai as vitórias porque eterna é a sua misericórdia”
Presenças: Juliana de Paula, Padre Bruno Costa e Padre Fábio Camargos
Horário: 21h

 

Para outras informações você  também pode ligar (65) 3685-3900.

Deus lhe abençoe!

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/agenda-de-eventos-cancao-nova-mt-dezembro-2015/

nov
23

Black Friday na Canção Nova MT

9451Produtos Canção Nova, presentes que transformam vidas!

A Black Friday é sinônimo de preços baixos e a Livraria  Canção Nova aproveita esse tempo de promoções para é distribuir todo o conteúdo evangelizador que a Canção Nova possui e, por esse motivo, também estamos em promoção nesses dias especiais  #BlackFridayCN

São milhares de Livros, CDs, DVDs, Camisetas, Baby looks, Acessórios de todos os tipos, Livro para ouvir e muito mais com super descontos mais que especiais!

Venha até a Livraria Canção Nova, localizada no Rincão do Meu Senhor (ao lado da Univag – VG) conferir essa mega promoção e já adiante suas compras de Natal. Pagamento facilitado em até 6 vezes sem juros nos cartões de crédito .

Aproveite!

 

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/black-friday-na-cancao-nova-mt/

nov
18

Natal Solidário 2015

natal_solidarioFaça o Natal de outras pessoas mais feliz!

Muito mais que enfeites, árvores coloridas e festas. No tempo do Natal somo convidados a rever nossa vida a luz do Menino Deus que nasce na manjedoura do nosso coração.

É impossível chegar nesse período do ano sem olhar ao nosso redor e refletir sobre o nosso irmão. É impossível fechar os nossos olhos para a dor de tantos, que nem sequer sabe que o Natal existe e qual é o seu sentido.

Quando somos solidários, os primeiros beneficiários somos nós, que assumimos nosso papel de cristãos, deixamos de ser as “vítimas” de uma cultura consumista, egoísta e desesperançados. A caridade e a solidariedade resgata para nós a grandeza e a dignidade com que o criador nos fez, plenos de sentido existencial e imensamente ricos de possibilidades.

Por isso a Canção Nova MT e o Jovens Sarados estão promovendo o Natal Solidário e você é convidado a participar conosco dessa grande ação de solidariedade doando produtos como: refrigerantes, brinquedos, produtos de higiene pessoal, fraldas descartáveis, calçados, etc. Com a sua ajuda solidária milhares de famílias serão visitas e presenteadas no dia 24 de dezembro.

Você que participa da programação semanal da Canção Nova MT pode entregar sua doação no Rincão do Meu Senhor. para outras informações ligue (65) 3685-3900.

Desde já agradecemos sua solidariedade. Deus lhe abençoe!

 

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/natal-solidario-2015/

nov
16

Justificar a violência em nome de Deus é blasfêmia ensina Papa Francisco

angelusFrancisco falou sobre perigos como a mundanidade e o pensamento único que destroem a identidade cristã. O caminho do ódio e da violência não resolvem os problemas cristãos

Após a oração mariana da Angelus deste domingo, dia 15, o Papa Francisco voltou a manifestar seu pesar pelos atentados terroristas na França, ocorridos na última sexta-feira, 13.

Francisco expressou suas condolências fraternas ao presidente, Francois Hollande, aos cidadãos franceses e a todas as famílias das vítimas do atentado.

O Papa disse que tanta “barbárie” deixa a todos chocados e questionados sobre como é possível o coração humano conceber tanto horror, que abalou não somente a França, mas, o mundo inteiro.

“Diante de tais atos, não se pode deixar de condenar a inqualificável afronta à dignidade da pessoa humana. Quero reafirmar com veemência que o caminho da violência e do ódio não resolve os problemas da humanidade e que utilizar o nome de Deus para justificar esse caminho é uma blasfêmia!”

Francisco convidou todos os presentes na Praça São Pedro a unirem-se a ele em oração confiando todas as vítimas desta tragédia à misericórdia de Deus.

Por fim, o Papa pediu a Virgem Maria, que inspire nos corações de todos pensamentos de sabedoria e paz, rezou uns instantes em silêncio com os peregrinos e, depois, uma ave-maria.

Fonte: papa.cancaonova.com

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/justificar-a-violencia-em-nome-de-deus-e-blasfemia-ensina-papa-francisco/

nov
12

O que nosso anjo da guarda faz depois da nossa morte?

anjoA missão do seu anjo da guarda não termina quando você morre e é maravilhoso descobrir o que ele ainda vai fazer por você depois disso

O Catecismo da Igreja Católica, referindo-se aos santos anjos, ensina no número 336 que, “desde o início até a morte, a vida humana está cercada de sua custódia e intercessão”.

A partir disso, conclui-se que a pessoa conta com a proteção e guarda do seu anjo mesmo no momento da sua morte. Ou seja, os anjos não nos acompanham somente nesta vida, mas sua ação se prolonga até nossa morte, nossa passagem para a vida eterna.

Para entender a relação que une os anjos às pessoas no momento de sua passagem à outra ida, é preciso compreender que os anjos foram “enviados para todos aqueles que hão de herdar a salvação” (cf. Hb 1, 14).

Ou seja, a principal missão do anjo da guarda é a salvação do ser humano, é fazer que a pessoa entre na vida de união com Deus. E, nesta missão, encontra-se a assistência que o anjo dá às almas no momento em que se apresentam diante de Deus.

Os Padres da Igreja destacam a especial missão dos anjos de assistir as almas na hora da morte e protegê-las dos últimos ataques dos demônios.

São Luís Gonzaga (1568-1591) ensina que, no momento em que a alma abandona o corpo, esta é acompanhada e consolada pelo seu anjo da guarda para que se apresente com confiança diante do tribunal de Deus.

Segundo o santo, o anjo apresenta os méritos de Cristo, para que neles se apoie a alma no momento do seu juízo particular; e, uma vez pronunciada a sentença pelo Divino Juiz, se a alma é enviada ao purgatório, esta recebe a visita frequente do seu anjo da guarda, que a conforta e consola, levando-lhe as orações que foram feitas por ela e garantindo-lhe sua futura libertação.

A missão dos anjos da guarda continua até levar a alma à união dom Deus.

No entanto, é necessário levar em consideração que, depois da morte, nos espera um juízo particular, no qual a alma, diante de Deus, pode escolher entre abrir-se ao amor de Deus ou rejeitar definitivamente seu amor e seu perdão, renunciando assim, para sempre, à comunhão alegre com ele (cf. João Paulo II, audiência geral de 4 de agosto de 1999).

Se a alma decide entrar em comunhão com Deus, seu anjo se unirá a ela para louvar eternamente o Deus Uno e Trino.

Se a alma precisa passar pelo purgatório, seu anjo intercederá por ela diante do trono de Deus e buscar ajuda entre os homens na terra para levar orações ao seu protegido, ajudando-o a sair do purgatório o quanto antes.

As almas que decidem rejeitar definitivamente o amor e o perdão de Deus, também rejeitam a amizade eterna do seu anjo da guarda. Neste terrível evento, o anjo louva a justiça e santidade divinas.

Em qualquer um dos três possíveis cenários (céu, purgatório ou inferno), o santo anjo sempre se alegrará com o juízo de Deus, pois ele se une de maneira perfeita e total à vontade divina.

Nunca nos esqueçamos de que nós podemos nos unir aos anjos dos nossos entes queridos já falecidos, para que eles levem nossas orações diante do trono de Deus, para que o Senhor manifeste sua misericórdia.

Fonte: aleteia.com

Print Friendly

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/cuiaba/o-que-nosso-anjo-da-guarda-faz-depois-da-nossa-morte/

Posts mais antigos «

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com

Network-wide options by YD - Freelance Wordpress Developer