Ele não está aqui, mas ressuscitou! Lc 24,6 

 

José tomou o corpo, envolve-o num lençol branco e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha.

Interior do Santo Sepulcro, foto da primeira câmara. Este local é chamado de Capela do Anjo.

Interior do Santo Sepulcro, foto da primeira câmara. Este local é chamado de Capela do Anjo.

Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora. Mt 27,59-60

O Santo Sepulcro é o local onde Jesus foi depositado após ser preparado na Pedra da Unção para a sepultura.

Contemplamos a 14ª estação da Via Sacra.

A edícula do Santo Sepulcro mede 8,30m de comprimento e 5,90 m de altura e largura. Ela pertence a três principais comunidades religiosas, os cristãos, gregos e armênios.

A estrutura do túmulo foi construída com duas câmaras. A primeira é chamada de capela do Anjo, um local maior onde a família se reunia para o luto. Sua entrada mede 1,30 m de altura.

Este nome foi dado em memória do anjo que ficou sentado na pedra diante do sepulcro no dia da ressurreição de Jesus.

E a segunda câmara, é o cerne do Santo Sepulcro um local menor. Após ter sido enrolado em lençóis brancos, o corpo de Jesus foi depositado em uma prateleira de pedra ou caixão, conforme o costume da época.

Entrada para o Santo Sepulcro

Esta é a entrada para o Santo Sepulcro, local onde Jesus foi sepultado após a sua morte de cruz.

Suas medidas são de 2,02 m de comprimento e 0,93 cm de largura.

Abaixo deste revestimento de mármore encontramos a rocha primitiva.

Depois rolaram uma pedra grande e arredondada para fechar o túmulo.

Um jazigo onde Jesus ficou de sexta-feira até o pôr do sol de domingo.

 

No post Celebre a Epifania falamos sobre a manifestação de Deus para os Reis Magos.

A estrela se manifestou para os representantes do paganismo que mudam o seu caminho ao ver o menino Jesus.
O local da manifestação é visitado em Belém, chamado de Campo dos Pastores.
Alguns pastores vigiavam o rebanho nos campos quando um anjo apareceu e disse: “Não temais, eis que vos anuncio uma boa nova que será alegria de todo o povo. Hoje vos nasceu na Cidade de Davi um Salvador, que é Cristo Senhor.” Os anjos se juntaram com uma multidão do exército celeste que louvava a Deus: “Gloria a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens.” Lc 2, 10-14
Os pastores foram ao encontro do menino que estava envolvido em faixas e deitado numa manjedoura. Tiveram o privilégio de serem os primeiros para contemplar a glória de Deus, pois eram sempre os últimos, os marginalizados.

A manifestação aconteceu para os que seguiam a lei de Deus e para aqueles que eram pagãos, para os simples e para os diplomatas. O que importa é que o Senhor se manifesta a todos, e nós precisamos corresponder.

Que o nosso coração possa estar aquecido com o nascimento de Jesus, que a sua simplicidade toque em nós.

Que o nosso coração possa estar aquecido com o nascimento de Jesus, que a sua simplicidade toque em nós.

Os pastores foram glorificando e louvando a Deus, pois aguardavam a vinda do Messias durante gerações.
O Campo dos Pastores fica na cidade de Beit Shahour.
Neste local foi construído um Santuário “Gloria in Excelsis”, no ano de 1953 por Antonio Barluzzi e hoje os peregrinos se reúnem para celebrar a véspera do Natal.
Encontramos várias grutas, onde eram guardados os rebanhos que aqueciam os pastores.
Aquele que existia antes de nossos antepassados nasceu, e é filho do Altíssimo.
O menino Deus foi adorado numa manjedoura, na simplicidade de um estábulo.
O Rei Herodes recebeu a manifestação de Deus, mas estava com outra intenção (MT 2,4).
Uma pergunta, em que situação colocamos o nosso coração, na simplicidade do lar de Nazaré ou no fausto Palácio de Herodes?
Que o nosso coração possa estar aquecido com o nascimento de Jesus, que a sua simplicidade toque em nós.

“Vinde todos, com alegres cantos”

José era da descendência de Davi e por causa do recenseamento foi a Belém, para registrar-se com Maria, sua esposa que estava grávida.

Enquanto estavam ali, chegou o tempo do parto. Ela deu a luz o seu filho primogênito, envolveu-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. Lc 2,4-7

José e Maria estavam diante do menino Deus, o enviado do Pai. Naquele estábulo onde encontraram abrigo para o seu nascimento.

No local do nascimento de Jesus foi construída a Igreja da Natividade. Nela encontramos o altar da Natividade e em baixo está a Estrela de Prata que marca o lugar do nascimento de Jesus.

Nós podemos tocar na simplicidade do nascimento do menino Jesus e dizer: “Entra Jesus, em meu coração e transforma-o em um coração simples e humilde”.

A Estrela de Prata marca o local do nascimento de Jesus. Sobre ela está escrito e latim, “Neste ponto, Jesus Cristo nasceu da Virgem Maria”.

Ao observarem a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele e o adoraram. Mt 2,10-11a

Próxima a Estrela de Prata está a Capela do Berço, onde Jesus recém nascido ficou deitado na manjedoura.

Naquele tempo, o significado de manjedoura era o local onde se guardavam as rações para o gado e muitas vezes onde ficavam os utensílios domésticos. Uma cave (pavimento inferior de uma casa, destinado a arrumações) que são mais quentes no intenso inverno ou mais frescas no calor sufocante.

Esta cave teria sido a escolha perfeita para aquecer o menino Deus.

Capela do Berço local onde foi colocado o menino Jesus. Uma cave que está sob a Igreja da Natividade.

Maria e José adoravam o menino Jesus na manjedoura, enquanto meditavam as palavras do Anjo Gabriel: Conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande: será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai. Ele reinará para sempre sobre a descendência de Jacó, e o seu reino não terá fim. Lc 1,31-33

Em Belém todos os dias é Natal! Alegramo-nos com o nascimento do menino Jesus.

Um milagre em nossas vidas

Jesus foi convidado para ir em um casamento com sua mãe e os discípulos.

Faltando o vinho, Maria sua mãe intercedeu, pedindo para que Jesus realizasse um milagre.

Ela acreditava que Jesus poderia ajudar os noivos, como de costume os casamentos duravam dias e diante da tradição era uma vergonha se ele viesse a faltar.

Nossa Senhora se colocou no lugar da “noiva” ou até mesmo da própria “sogra” e por isso fez o pedido a seu Filho.

Mas porque Maria percebeu, antes mesmo do chefe dos serventes, que estava naquele lugar para experimentar os vinhos e servi-los?

Pode existir situações em nossas vidas em que nunca teremos conhecimento, pois ela é intercessora e passa na frente de todas as nossas dificuldades. Agindo desta forma para nos ajudar.

Foto da Igreja de Caná da Galileia

Foto da Igreja de Caná da Galileia

Por isso que o nosso papel é fazer como aqueles noivos, convida-la para estar em nosso meio em todos os momentos. Em nossas casas, pedindo para que ela caminhe nos cômodos, e de forma ativa que nos abençoe. Dê licença para que ela possa agir em sua vida de forma concreta. Jo 2,7-11

Segundo a Palavra, Jesus mandou que os serventes enchessem as talhas de água até em cima, elas são grandes e de pedra, encontradas até hoje em Caná da Galiléia, lugar onde é visitado em peregrinação.

Assim que Jesus realizou este milagre, mandou que levassem ao chefe dos serventes para que ele experimentasse. O vinho era diferente, com certeza muitos notaram, por ser mais saboroso e por isso ele foi diretamente falar com o noivo. Jo 2,7-11

Perceba que os serventes não experimentaram o vinho do milagre, quem testemunhou o seu sabor foi uma pessoa que não se envolveu no precedimento das talhas.

Podemos definir que estes serventes são anjos em nossas vidas e que sem perceber, o milagre age no dia a dia.

É por isso que precisamos louvar e agradecer a Deus por suas maravilhas, rezar quando entramos em um carro,ônibus, metrô porque não sabemos o que pode nos acontecer, rezar quando estamos em casa, em nossa cama onde podemos passar por uma noite tranquila e descansar no Senhor.

Sabe quando uma avalanche cai sobre as cabeças das pessoas e você diz poderia ser comigo!!

Devemos nos impulsionar e nos lançar a oração, não sabemos o que está acontecendo como os noivos, mas que de alguma forma com uma visão espiritual perceberemos o milagre.

Talvez seja este o caminho, talvez seja esta a iniciativa de Deus para que você possa ver em sinais o que Nossa Senhora está fazendo com sua intercessão.

Isso é lindo!

Jesus tem aqueles que administram os milagres.

Aqueles que experimentam o milagre.

E por último, o noivo que nem se quer soube do milagre.

Seja este administrador de milagres, tendo uma vida de oração, daquele que serve a Deus e que ouve a mãe dizer “fazei tudo quanto Ele vos disser”. Jo 2,5b

Somos chamado a ver coisas maiores que estas, estando na presença do Senhor e em sua intimidade, pois somente quem está nesta intimidade em servir a Deus que pode manusear as talhas e experimentar o milagre, mais saboroso que o vinho.

Este sabor não é encontrado em lugar nenhum.

A Canção Nova hoje quer lhe convidar a fazer a experiencia daquele que experimenta o milagre, a ser o chefe dos serventes.

Por isso, reze conosco!

Enquanto estivermos trabalhando e enchendo as talhas de água, venha beber o vinho novo!

Reserve um momento para estar com Deus, sintonize a nossa TV. Enquanto estamos trabalhando pela peregrinação, venha viajar conosco e realize um encontro pessoal com Deus na Terra Santa.

Rumine esta palavra de Deus em sua vida e faça dela um recomeçar.

Até a próxima, Deus abençoe!

Canção Nova na Sky – Canal 163

 

Bethânia era uma aldeia da antiga Judeia que fica a 3 km do Monte das Oliveiras.
O significado de Bethânia no Grego é “Casa de figos verdes” ou “Casa dos pobres”.
Esta era a casa de Maria, de Marta e Lázaro.
Segundo os costumes antigos de Israel, o homem tinha a sua renda, a sua casa e ele cuidava das mulheres, sejam elas, esposa, irmãs, filhas.
No caso de Lázaro ele tinha Marta e Maria como dependentes, e se ele viesse a falecer ou ficassem solteiras, as mesmas não teriam direito aos bens. Este era o costume daquele povo, por este motivo as mulheres precisavam se casar.
O sofrimento de Marta e Maria foi intenso, pelo motivo de ter perdido o seu irmão, Lázaro estava morto e cheirava mal. Mas podemos imaginar a angustia destas mulheres ao pensar que poderiam passar por alguma necessidade material, de perderem o lugar onde moravam.
Como iriam ser sustentadas?
É muito interessante, ir a Terra Santa e entrar nestas particularidades dos costumes dos israelitas, descobrir os detalhes que cada passagem bíblica nos apresenta.
Marta foi ao encontro de Jesus, porque acreditava que Ele faria algo.

“Marta disse a Jesus: Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido!
Mas sei também, agora, que tudo o que pedires a Deus, Deus to concederá.
Disse-lhe Jesus: Teu irmão ressurgirá. Respondeu-lhe Marta: Sei que há de ressurgir na ressurreição no último dia.
Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá.
E todo aquele que vive em mim, jamais morrerá.” Jo 11,21-26

Aprendemos que tudo tem um motivo e assim que Jesus chegou, rapidamente Lázaro foi ressuscitado.
Lázaro era amado por Jesus, eles eram amigos. Aquela casa acolhia Jesus todas as vezes que ele ia a Jerusalém.
Ali deveria ser a casa da partilha, da acolhida, da alegria, pois todos “se alegram no Senhor” – Filipenses 4.
Este foi o maior milagre que Jesus realizou, ressuscitando Lázaro.

A Igreja de Bethânia, lembra uma tumba e faz todo o sentido, pois Lázaro morreu.

Uma Igreja belíssima que nos leva a refletir sobre a morte e as amizades, a acolhida das pessoas em nosso lar.

Encontramos vários significados da nossa fé e da Palavra de Deus na Terra Santa.
Deixe aqui o seu comentário.
Até a próxima, Deus abençoe!

O sítio do Batismo é chamado de Yardenit.

A água que desce do degelo do Monte Hermon alimenta o Mar Morto e o Rio Jordão.

O Rio Jordão é um dos rios mais conhecidos do mundo, pois é o rio que Jesus foi batizado.

Em uma peregrinação à Terra Santa, temos o privilégio de realizar a renovação do batismo no Rio Jordão.

João também batizava neste rio onde pregava “Eu vos batizo na água, mas eis que vem outro mais poderoso do que eu, a quem não sou digno de lhe desatar a correi das sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo” Lc 3,16 .

Neste sítio muitas denominações se encontram, são cristãos de diversas partes do mundo que celebram o batismo.

Uma das principais visitas realizadas na Terra Santa é ao Rio Jordão. Não tem como ir em peregrinação e não passar por esta passagem bíblica e fazer parte das águas que Jesus foi batizado.

Neste local em que o Jordão deixa o Mar da Galiléia, Yardenit foi construído e em nossa geração. Este local é novo e espera atrair muitos peregrinos.

Venha fazer a experiência de peregrinar e realizar a renovação do batismo no Jordão.

Realizamos peregrinações à Terra Santa durante todos os meses doa ano.

Deus abençoe e até a próxima!

Em Cafarnaum Jesus realizou muitos milagres. Ele começou a censurar as cidades, onde tinha feito grande número de seus milagres, por terem recusado arrepender-se. Mt 11,20

Encontramos no Evangelho de São Marcos, Jesus ensinando na sinagoga quando um homem possesso de um espírito imundo gritou, mas Ele intimou-o dizendo “Cala-te, sei deste homem!” Mc 1,21-23

Ao saírem da sinagoga, a sogra de Pedro estava com febre. Jesus aproximando, tomou-a pela mão e levantou-a. Imediatamente a febre deixou-a. Mc 1,29-30

Aproximou-se dele um leproso e Jesus compadeceu-se dele, estendeu a mão tocou-o e disse “Eu quero, sê curado”. Mc 1,40

O povo experimentou muito destes milagres que Jesus realizou.

Infelizmente, as pessoas não acreditaram em Jesus, e por isso Jesus amaldiçoa esta cidade.

Nesta cidade não existe mais nada, somente pedras. Tudo foi destruído.

Cidade de Cafarnaum

Cidade de Cafarnaum

Cafarnaum - exterior da Igreja

Imagem de Nossa Senhora de Loudes

Nossa Senhora começou a aparecer em Lourdes – França em1274 a Bernadette Soubirous, camponesa de 14 anos.

Ela dizia a sua mãe que teria visto uma “dama” na gruta de Messabielle.

Esta “dama” continuou aparecendo até os 16 anos a Bernadette.

Em 11 de fevereiro de 1858, Bernadette foi recolher um pouco de lenha com sua irmã, pois precisavam vender para comprar pão.

Tirando os seus sapatos e meias para atravessar a água junto a gruta, Bernadete ouviu um barulho de duas rajadas de vento, mas as árvores não se mexiam. Viu então uma luz na gruta de Massabielle e uma menina pequena como ela, vestida de branco e com uma faixa azul na cintura. Segurava em uma das suas mãos o rosário em oração. Em cada um dos pés, tinha rosas de ouro amarela.

Em 18 de fevereiro, Bernadete foi informada pela senhora para retornar à gruta. A senhora disse: “Eu prometo fazer você feliz não neste mundo, mas no próximo”.

Bernadette foi proibida de ir à gruta por seus pais e autoridades policiais, mas ela não deixou de ir a gruta.

Na aparição do dia 24 de fevereiro, a senhora pediu oração e penitência pela conversão dos pecadores.

Nossa Senhora convidou Bernadete a cavar o chão e beber a água da nascente. A partir dali, a notícia se espalhou e essa água foi dada a pacientes de todos os tipos e muitas curas milagrosas aconteceram.

Foram confirmadas sete curas, que para a medicina não tem explicação.

O primeiro milagre certificado foi para uma mulher, a sua mão direita era deformada devido um acidente.

O governo emitiu sanções para que as pessoas não entrassem na gruta. Napoleão III precisou intervir no processo das aparições de Lourdes e ordenou que abrissem a gruta em 4 de outubro de 1858.

Mesmo com a gruta fechada, Bernadette conseguia visitá-la a noite e em 25 de março, a aparição falou “Eu sou a Imaculada Conceição”.

No dia 16 de julho, Bernadette foi pela última vez à Gruta e relatou que “Eu nunca a tinha visto tão bonita antes”.

Em 18 de janeiro, o bispo local declarou que “a Virgem Maria apareceu de fato a Bernadette”, a partir de então foi estabelecido neste local a devoção mariana.

Igreja Nossa Senhora de Lourdes - França

Igreja Nossa Senhora de Lourdes – França

A partir do momento que Pedro confessa, “Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo”, Jesus mostra aos discípulos a sua glória divina por meio da Transfiguração.

Quando Jesus começa a falar de sofrimento, de morte e ressurreição, Pedro recua ao anuncio, e os discípulos não compreendem.

É neste contexto que situa o episódio da Transfiguração, com Pedro, Tiago e João. Na Transfiguração, Jesus mostra a sua glória, confirmando a confissão de Pedro e mostra que para entrar no céu precisa passar pela Cruz de Jerusalém.

Primeiro Pedro confessa e acredita que Jesus é o Messias e logo depois Jesus revela seu plano de amor, de sofrimento e salvação para conosco. É por meio da Cruz que vem a ressurreição, e todos nós fazemos parte deste plano.

Basílica da Transfiguração - Terra Santa

Basílica da Transfiguração – Terra Santa

Exterior da Basílica

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo acontece como vontade do Pai e o Filho age como servo de Deus.

Seis dias depois, Jesus levou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os fez subir a um lugar retirado, numa alta montanha. E foi transfigurado diante deles: seu rosto brilhou como o sol e suas roupas ficaram brancas como a luz. Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. Pedro, então, tomou a palavra e lhe disse: “Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias”. (Mt 17, 1-4)

Pedro gostaria muito de fazer tendas para permanecer com Jesus, mas ele não havia compreendido que tudo isso
era reservado após a morte com Jesus: “Ele reservou
te isto Pedro, para depois da morte. Mas agora Ele mesmo diz: Desce para sofrer na terra, para servir na terra, para ser desprezado, crucificado na terra. A Vida desce para fazer-
se matar; o Pão desce para ter fome; o Caminho desce para cansar-se da caminhada; a Fonte desce para ter sede; e tu recusas Sofrer?”

Assim como Pedro, gostaríamos muito de permanecer no Monte Tabor mas nos colocamos nos planos de Jesus para fazer
a sua vontade.

Entendemos a experiência de Pedro na Transfiguração, quando ele nos diz:
“Caríssimos, não estranheis o fogo da provação que lavra entre vós, como se alguma coisa de estranho vos estivesse acontecendo.
Pelo contrário, alegrai-vos por participar dos sofrimentos de
Cristo, para que possais exultar de alegria quando se revelar a sua glória.
Se sofreis injúrias por causa do nome de Cristo, sois felizes, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vós”. (I São Pedro 4,12-13).

Depois de terdes sofrido um pouco, o Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna, no Cristo Jesus,
vos restabelecerá e vos tornará firmes, fortes e seguros. (I São Pedro 5,10)

Aqui ele diz sobre um pouco de sofrimento, repito, um pouco, logo ele nos restalecerá, pois no céu gozaremos da alegria de estarmos na presença de Jesus.

A transfiguração dá-nos um antegozo da vinda gloriosa do Cristo “que transfigura nosso corpo humilhado, conformando-o ao seu corpo glorioso” Fl 3,21. “Mas ela nos lembra também que é preciso passarmos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus” At 14,22.

Neste texto fomos enriquecidos com trechos do Catecismo da Igreja Católica § 555 e 556.

“A foto a cima foi tirada do alto do Monte da Transfiguração”.

Igreja da Transfiguração - Monte Tabor

Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Um dia em que conduzira o rebanho para além do deserto, chegou até a montanha de Deus, Horeb.
O anjo do Senhor apareceu-lhe numa chama (que saía) do meio a uma sarça. Moisés olhava: a sarça ardia, mas não se consumia.
“Vou me aproximar, disse ele consigo, para contemplar esse extraordinário espetáculo, e saber porque a sarça não se consome.”
Vendo o Senhor que ele se aproximou para ver, chamou-o do meio da sarça: “Moisés, Moisés!” “Eis-me aqui!” respondeu ele.
E Deus: “Não te aproximes daqui. Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar em que te encontras é uma terra santa.
Eu sou, ajuntou ele, o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”. Moisés escondeu o rosto, e não ousava olhar para Deus.
O Senhor disse: “Eu vi, eu vi a aflição de meu povo que está no Egito, e ouvi os seus clamores por causa de seus opressores. Sim, eu conheço seus sofrimentos. (Ex 3,1-7)

O Senhor se manifesta a todos, Ele fala ao nosso coração e quando vivemos em comum, seja na família, na paróquia, na comunidade, enfim quando nos reunimos, Ele também se manifesta.
Ele não escolhe ou um ou outro, ele fala com todos, simplesmente por causa da nossa liberdade, nós é que correspondemos ou não o seu chamado. Eu escolho ou não ouvi-lo, aceitá-lo, fazer o que ele me pede.
Assim como aconteceu com Moisés, o Senhor o-chamou e ele respondeu “Eis-me aqui Senhor”. Ele que apascentava um rebanho, foi dócil a manifestaçao de Deus.
Aonde é que o Senhor está te chamando? Você está escutando a sua voz?
Todos os dias Ele se manifesta, numa folha que cai, no dia que nasce, na pessoa que está ao seu lado, numa frase que você lê. Ele está falando com você.
Moisés foi chamado por Deus para fazer parte de seu plano, para libertar o povo que estava no Egito, que estava sofrendo. Quando estamos em Deus saímos dos nossos planos pessoais, dos nossos desejos e vamos em direçao ao plano de Deus.
Não colocamos Deus em nosso plano, e sim nos colocamos nos planos de Deus. Ele precisa de nós e há um povo que precisa ser salvo, que precisa de Deus.
O Senhor quer te dizer hoje para você, eu ouvi os seus clamores, eu ouvi as suas aflições, sim eu conheço os seus sofrimentos.
Caminhamos para um foco em nossas vidas, seja por algo material, algo passageiro, mas Deus deve ser o nosso foco, não podemos tirar os olhos dele, só se encontra pessoas com o mesmo foco. Aqueles que são e estão em Deus se encontrarão para assim fazer a sua vontatde.
Irmãos, correspondamos aquilo que Deus está nos dizendo, faça a sua experiência!