Placa da Catedral de Nossa Senhora del Pilar

Miguel Juan Pellicer Blasco morava em Calanda. Um município que produzia azeitonas e pêssegos.

Ele morava com seus pais e ao atingir a idade foi trabalhar na casa de um tio, em Castellón de La Plana.

Uma vez andando de carroça puxada por duas mulas, escorregou e caiu. A carroça passou por cima de sua perna e fraturou a tíbia.

Catedral de Nossa Senhora del Pilar - Imagem da aparição de Nossa Senhora ao apóstolo São Tiago

Catedral de Nossa Senhora del Pilar – Imagem da aparição de Nossa Senhora ao apóstolo São Tiago

Ele precisou ir ao hospital de Zaragoza para cuidar de sua perna, mas antes foi a Catedral de Nossa Senhora Del Pilar e rezou aos seus pés.

Ao chegar ao hospital os médicos decidiram amputar a sua perna, e o membro foi enterrado no hospital.

Diante daquela situação, Miguel que estava aleijado não podia trabalhar passando a viver na porta da Catedral de Nossa Senhora Del Pilar pedindo esmolas. Era um grande devoto de Nossa Senhora que participava das missas diariamente.

Ele era conhecido por todos os freqüentadores da Catedral e todo o dia untava com o azeite da lamparina do altar a sua perna amputada.

Após dois anos, Miguel despediu de Nossa Senhora e retornou a sua cidade com a ajuda dos tropeiros.

Chegando a sua cidade, os seus pais o acolheram com muito carinho, mas sem poder trabalhar continuou a pedir esmolas e a ajudar os vizinhos nas tarefas domésticas.

Em uma noite, sua família acolheu dois soldados que ficaram hospedados em seu quarto. O jovem querendo ser hospitaleiro se dispôs a ficar em uma esteira no quarto de seus pais.

Ao entrar no quarto, sua mãe sentiu um suave perfume e viu debaixo das cobertas dois pés cruzados.

Altar da Catedral de Nossa Senhora del Pilar

Altar da Catedral de Nossa Senhora del Pilar

Miguel dormia em um sono profundo e foi acordado por seus pais pois, estavam admirados ao perceber que sua perna amputada estava milagrosamente restaurada.

Naquele momento ele contou que “sonhava estar na Catedral de Nossa Senhora del Pilar untando a sua perna com o azeite da lamparina, conforme fazia em Zaragoza” ele tinha certeza que era Nossa Senhora quem havia realizado este grande milagre.

Os vizinhos constataram o milagre e o membro que havia sido enterrado já não estava no cemitério do hospital.

Todos que o conheciam em Zaragoza também ficaram surpresos, pois viam Miguel aleijado na porta da Igreja com freqüência.

O milagre se propagou em toda a região!