A tragédia dos filhos órfãos de pais ainda vivos

É tão importante a pessoa do pai na vida do filho, que o próprio Filho de Deus encarnado quis ter um pai (adotivo) na Terra. Jesus não pôde ter um pai natural neste mundo porque não havia homem capaz de gerar o Verbo encarnado; então, o Espírito Santo o gerou no sei puríssimo e virginal de Maria Santíssima.

Mas Jesus quis ter um pai adotivo, nutrício, neste mundo; e escolheu São José, o glorioso patrono da Igreja, como proclamou o Papa Pio IX, solenemente, em 1870.

Quando José quis deixar a Virgem Maria, no silêncio da discrição de sua santidade, Jesus mandou que imediatamente o Arcanjo da Anunciação, São Gabriel, logo lhe dissesse em sonho: “José, filho de Davi, não temas receber Maria por tua esposa, porque o que nela foi gerado é obra do Espírito Santo” (Mt 1, 20). E a José coube a honra de dar-lhe o nome de Jesus, no dia de sua circuncisão (Mt 1, 21).

Jesus viveu à sombra protetora do grande São José na vila de Nazaré e carpintaria do grande santo. O povo o chamava de “o filho do carpinteiro”. José o protegeu da fúria de Herodes; o levou seguro para o Egito, o manteve no exílio e o trouxe de volta seguro para Nazaré. Depois partiu deste mundo nos braços de Jesus quando terminou a sua missão terrena. A Igreja o declarou “protetor da boa morte”.

Ora, se até Jesus quis e precisou de um pai neste mundo, o que dizer de cada um de nós. Só quem não teve um pai, ouum bom pai, deixa de saber o seu valor. Ainda hoje, com 57 anos de idade, me lembro com saudade e carinho do meu pai. Quanta sabedoria! Quanta bondade! Quanta pureza! Quanto amor à minha mãe e aos nove filhos!… Ainda hoje com saudade é alegria me lembro de seus conselhos sábios.

O pai é a primeira imagem que o filho tem de Deus; por isso Ele nos deu a honra de sermos chamados pais; pois toda paternidade vem do próprio Deus. Muitos homens e mulheres não têm uma visão correta e amorosa de Deus porque não puderam experimentar o amor de seus pais; muitos foram abandonados e outros ficaram órfãos.

Mas o pior de tudo, é a ausência dos pais na vida dos chamados “órfãos de pais vivos”; e são muitíssimos. Muitos e muitos rapazes têm gerado seus filhos, sem o menor amor, compromisso e responsabilidade, buscando apenas o prazer sexual de suas relações com uma moça; que depois é abandonada, vergonhosamente, deixando que ela “se vire” para criar o seu filho como puder. Quase sempre essas crianças são criadas com grandes dificuldades; o peso de sua manutenção e educação é dividido quase sempre com a mãe solteira que se mata de trabalhar e com os avós que quando existem, fazem o possível para ajudar.

Mas a criança é criada sem o pai; a metade de sua educação podemos dizer que está comprometida; pois ela nunca experimentará o colo e os braços de um verdadeiro pai que a embale. Isto tem sérias consequências na vida dos jovens e adultos. Muitos deles, os mais carentes, acabam nas ruas e na marginalidade do crime, assaltos, roubos, drogas… cadeia.

Não é à toa que mais de 90% dos presidiários são jovens entre 18 e 25 anos. É verdade que muitos desses jovens tiveram um pai a seu lado, mas também é verdade que muitos deles não conheceram este homem, que os deveria ter criado.

Normalmente um filho que tem um bom pai, amoroso, trabalhador, dedicado aos filhos e à esposa, não se perde nos maus caminhos deste mundo.

Por isso tudo é lamentável o constatou o Papa João Paulo II em sua última viagem ao Brasil em 1997. Falando aos jovens no Maracanã, ele disse que por causa do “amor livre”, “no Brasil há milhares de filhos órfãos de pais vivos”. Que vergonha e que dor para todos nós! Quantas crianças com o seus futuros comprometidos por que foram gerados sem amor e abandonadas tristemente.

Sem um pai que eduque o seu filho, a criança não pode crescer com sabedoria, fé, respeito aos outros, amor ao trabalho e a virtude… Deixar uma criança sem pai, estando este vivo, é das maiores covardias que se pode perpetrar contra o ser humano inocente que é a criança.

Hoje, infelizmente, com o advento da inseminação artificial e clinicas de fertilização, há uma geração de jovens que não conhecem os seus pais, pois muitos foram gerados por um óvulo que foi inseminado artificialmente pelo sêmen de um homem anônimo. Esses jovens não conhecem a metade de sua história e não têm uma verdadeira família. Como será o futuro desta geração de jovens? Não é à toa que a Igreja católica é contra a inseminação “in vitro”.

Prof. Felipe Aquino

Artigo relacionado: A restauração da família em Cristo

38 Comentários

  1. Bom dia Professor Felipe é com imensa satisfação q leio sempre os artigos escritos pelo senhor, inclusive já li vários livros de sua autoria e como são belos…e sempre que posso assisto o programa “Trocando Idéias”, no qual aprendi muito com os temas apresentados.
    E este é um assunto de suma importância nos dias de hoje,onde muitos perderam o verdadeiro sentido da Vida.
    Parabéns pela matéria apresentada.
    Carinhosamente
    Sueli

  2. Maria neuma

    É verdade que um pai faz a diferença na vida dos filhos,eu como orfão de pai vivo,sinta essa ausencia em minha vida,porque fui abandonada aos 6 anos de idade.Até hoje eu sinto falta do meu pai,do amor que não é preenchido pela ausencia paterna. E com certesa fica o espaço vazio.

  3. Lúcia Souza

    Prof. Aquino, este artigo muito bem redigido me traz a memória a criação de meu filho que foi rejeitado já na gravidez mas que pela graça de Deus hoje com 20 anos é um filho maravilhoso que trabalha e estuda, diferente daquilo que acontece com muitas crianças que são rejeitadas e abandonadas mas a partir desta leitura tenho certeza que muitos corações serão tocados.
    Paz e bem!

  4. Alessandra

    Me senti muitíssimo culpada ao terminar de ler a sua mensagem. Meu casamento de dez anos acabou há duas semanas e o motivo foi traição. Sabe professor, neste caso é mais difícil torerar tamanha falta de responsabilidade de um pai.A minha filha de 7 anos está órfã de pai a partir de agora e deixá-la contemplar cenas de contínua irresponsabilidade do pai dela, é pra mim, uma injustiça maior ainda.
    É lamentável a minha situação, mas acredito que a minha decisão de preservar a sua dignidade e a sua infância, ainda assim foi a melhor coisa que eu já fiz por ela.
    Um forte abraço
    Alessandra de Manaus/Am

  5. IARA SANTOS

    Olá professor Felipe Aquino, a paz de Cristo esteja em seu coração.Bom é lamentável que há no Brasil, muitas crianças abandonadas pelos pais, é triste saber que há tantos homens com o dom de S.José,dom da paternidade, mas por falta de Deus no coração, não sabem usar o dom que tem. É terrível saber que o fututo de um jovem depende de uma compainha paterna, um auxílio nos momentos da vida,uma seta que aponte Jesus; creio que se muitos desses homens que abandonam seus filhos, tivessem a preocupação de cuidar de seus fihos, muitos, mas muitos mesmo chegariam rapidamente ao céu. Professor,obrigada por usar a sua sabedoria para nos fazer refletirmos, fica na paz do Bom Jesus e na compainha de S.José.

  6. Muito triste mesmo, no artigo, o que mais me chamou atenção foi a frase no final ” eles não conhecem metade da sua história”, parei para refletir, pois nunca tinha visto por esse lado, eu tive uma mãe e um pai, vindos de duas familias distintas, com isso tenho tios e tias maravilhosos de ambos os lados, pensar que uma pessoa possa ter muitos familiares andando por perto dele e ele nunca ter o direito de conhecer, compartilhar sonhos e conquistas, é realmente muito triste.

    E depois chamam nossa querida e amada Igreja de retrógrada, Fim de semana passada, eu e mais umm bando de loucos fomas para um retiro , dos crismandos de minha paróquia, quase cem jóvens , incluindo eu com meus 37 anos, chamado por Deus uns 2 anos atrás, sedento por recuperar o tempo perdido, fiquei muito feliz, por ver aqueles jovens, gastando 3 dias de um feriadão, cantando , orando, louvando, aprendendo sobre nosso Deus , foi lindo.

    Nâo sei o que podemos fazer para mudar isso, mas tenho me empenhado, sempre que posso, a falar com amor a estes jovens, pois só o amor e o testemunho podem convencê-los que é possível resistir a colocar os carros nas frentes dos bois…

    Fiquem com Deus, irmãos…

    Marcos.

  7. Camila M.G. Reifonas

    Bom dia, Prof. Felipe.
    Fiquei muito comovida com este texto, primeiro, porque sou mãe, e minha filha, graças à Deus, vive num lar sadio,como carinho do pai e da mãe. Mas trabalho numa escola pública, na qual temos matriculados vários alunos, entre seis e doze anos de idade, que provêm de uma instituição para menores abandonados. E o caso destas crianças é triste demais: a maioria foi para o abrigo devido aos maus tratos praticados pelos pais (violência de todos os tipos imagináveis, desde estupros, queimaduras, lesões, negligência de todo tipo). A maioria dessas crianças têm graves distúrbios de aprendizagem, de fala, deficiência de raciocínio, dificuldade em socialização, apresentam agressividade exagerada quanto aos colegas e funcionários, sem falar na carência afetiva (quando estão tristes, se agarram a qualquer funcionário, nos beijam e abraçam, sentam no colo da gente, pedindo um pouco de carinho, atenção e conforto).A escola faz o que pode, e acolhe com o coração aberto a todas essas crianças, mas nada pode substituir o convívio familiar. Tem crianças que choram de saudades dos familiares, mas não podem voltar pra família porque os pais estão ainda envolvidos com drogas, ou são alcoólatras, ou estão presos. E por mais que a Instituição cuide dessas crianças,a carência afetiva permanece, pois nada substitui pai e mãe. E como conseqüência, não tendo contato com a família, também ficam desprovidos do contato com Deus, pois na escola não tem mais aula de religião, e no “Lar” também não se fala de Deus, não levam as crianças ao catecismo, nem à missa, e aí, as conseqüências desta situação serão “colhidas” daqui há poucos anos…

  8. Vicente Vaz de Souza

    Poi é, Prof. Felipe Aquino. Hoje é o que maais vemos em muitos lares de avós já sem forças para contribuir com uma educação de colo, criar netos na condição comenntada.
    Veja bem, uma criaça criada sem a figura do Pai, além dos problemas de enveredar para os caminhos do crime, tabém se tornam pais ausentes, tanto pela falta de compromisso com sociedade e para com as mulheres que se torna mães, como pelo caminho do crime que os tira deste mundo ainda jovens.
    Este é o retrato de nossa sociedade, considerada “liberal”.
    Que a Paz de Deus esteja com todos.

  9. Profº., com certeza a família estruturada, unida e alicerçada pela palavra de Deus, será a base para toda a criança crescer em sabedoria e dignidade. Infelizmente, hoje, em muitos lares não é o que acontece! Como bem abordado na matéria, há muitas crianças orfãs de pai, bem como de mãe, que geralmente ficam com a “guarda” das crianças, mas as vezes, se preocupam mais com seu próprio bem estar, do que com a devida educação da criança. A casos e casos, caríssimo professor, e resumidamente, relatarei um, quer seja o meu: Antes de voltar para o seio da sã doutrina católica e, principalmente para Deus, tinha uma vida completamente desregrada em todos os sentidos; usava drogas e tinha uma vida sexual ativa e sem compromisso. Durante este período da minha vida, tive duas namoradas, com quem namorei por 5 anos sucessivamente. Com a primeira tenho um filho de 14 anos, o Lucas, e com a segunda dois filhos, o João (10) e o Paulo (8). Não me casei com nenhuma delas, aliás, a segunda casou-se a dois anos. Apesar de toda dificuldade, procurei sempre dar a melhor atenção e educação para os três. O Lucas convive comigo quase diariamente, o acompanho na escola, nos esportes e ele vai comigo todos os domingos na missa, já fez primeira comunhão e está se preparando para ser crismado. O João e o Paulo, conviviam comigo também, quase diariamente, eu participava das reunões na escola e na creche (enquanto o Paulo ainda estava), cuidava deles até a mãe sair do trabalho e pegá-los em casa, quando eram bebês, trocava fraldas, dava banho, mamadeira, colocava-os para dormir, conquanto, até hoje, o João sempre requisita o colo do pai. Hoje, eles moram em outro distrito, e eu, trabalho em São Paulo e faço faculdade a noite (saio as 6:00 de casa e volto somente depois das 22:00), por isso não temos mais este contato diário, somente por telefone. Agora, procuro quando estou com eles, geralmente nos finais de semana, dar o melhor de mim, passar os momentos com qualidade, afim de amenizar um pouco a situação. É difícil professor, mas estou fazendo o possível para ajudar na educação dos meus rebentos. Voltei para Deus há 4,7 anos, quando senti seu amor aí na CN, num acampamento com o saudoso Pe. Léo. A palavra pregada foi Isaias 44, parece que foi escrita para mim. Desde então, deixei as drogas, comecei o curso de Direito e luto para viver a castidade com minha a namorada que Deus me deu com quem estou a 1,2 anos (fiquei 3,5 anos sozinho). Somos servos na RCC e agentes da Pasroral da Sobriedade.
    Enfim, Deus mudou a minha vida e me deu a graça de poder participar da vida dos meus filhos, apesar de toda a adversidade.
    Profº, que Deus o abençõe e que o Sr. continue sempre escrevendo essas matérias que são verdadeiros alimentos para a nossa razão e, também, por que não, para a nossa fé.
    PAX ET BONUM!!!

  10. Olá, Professor Felipe Aquino, é uma pena que os Pais que abandoram seus filhos e ainda vivem, não tenham e não querem ter acesso ao seu Blog, nem Canção Nova, nem nada que fale de Deus… para poder ver que matéria maravilhosa essa q o Sr. escreveu. Pois vivo essa situação, exatamente essa, tenho 01 filho de 11 anos (iperativo)- o Pai saiu de casa a mais de 4 anos, voltou a ser solteiro e acha q o nosso filho é problema só meu. Esta criança professor, dorme e acorda falando neste Pai que não fica nem 01 hora de relógio c/ ele por semana, e como o Sr. disse estou quase morrendo de trabalhar p/ cria-lo, sendo que ele ajuda como quer, só que é o seguinte…não sei até quando vou aguentar…a todo instante peço a Deus q me dê forças p/ não desistir, mais tá dificil…muito dificil…

  11. antonio de pádua silva bazzo

    Olá Profº Felipe Aquino!

    Tudo que tenho a dizer é PARABÉNS, por esta colocação. Que DEUS o abençoe e te encha de muita paz em seu coração.Um forte abraço.

  12. É a pura verdade. O meu esposo que está há mais de 12 anos separados de nós, está voltando agora para a família, decepcionado com duas mulheres com quem ele tem 3 filhos, em outra cidade. E vai deixá-los. Mas fui eu que tomei a iniciativa de que ele fizesse o DNA, registrasse e os batizassem. Paga a UNIMED, os medicamentos que necessitam, os estudos em colégios particulares e um salário mínimo para cada um. As mães são de pouco estudo. Ficaremos eu e ele atentos quanto à criação dos mesmos, por telefone e visitando-os uma vez por mês. É o que eu posso fazer para ajudá-lo, já que essa situação me causou um transtorno mental bipolar sem cura.

  13. Silvana Maria

    Caro professor, paz e bem!
    Como é triste ver hoje em dia todos tão preoupados consigo mesmos e se esquecendo da “infância” dos seus filhos, da responsabilidade de sermos “pais” ,pai e mãe. Vemos que as crianças exigem coisas tão simples, assim como o Reino dos Céus é, simples, como a criança é, simples e verdadeira, na sua essência. E esta essência está sendo tão ferida, tão magoada, tão cheias de cicatrizes, dos desamores do nosso mundo atual, mundo moderno, cheio de tantas falsas ilusões!
    Cheio de exigências escolares e curriculares que está matando o ser humano, feito a imagem e semelhança de Deus que cada um é.
    Uma miséria afetiva que vem crescendo e se mostrando cada vez mais cedo, um vazio que no final estão sendo preenchidos pelas drogas e outras ilusóes passageiras.
    A nós pais cabe a responsabilidade do Amor, de transmitirmos o Verdadeiro Amor, não só em palavras mas em atitudes concretas do dia-a-dia, na solidariedade, na caridade da partilha real e sincera, que mexe sim, no nosso bolso, que mostra que o ser humano tem mais valor que qualquer bem material ou posição social e que aí os nossos filhos possam, quando ouvirem falar do Amor de Deus por eles, acreditar que é possível.
    Pois o que vemos é que alguns adultos muitas vezes duvidam do Amor de Deus, porque nós “verdadeiros cristãos” não somos capazes da partilha fraterna, do amor sincero, da benevolência e acabam fugindo do Amor de Deus.
    E ser pai requer: ser caridoso, amigo, aquele que sabe ouvir e sentir as dores dos filhos e não condenar mas: amparar, acolher, dividir dores e amor, ser humano, ser realmente um ser humano, filho de Deus, com o Amor de Deus, para dividir, partilhar. Ser pai é estar em diária sintonia com o Amor de Deus e partilhar com quem Deus colocou em seu caminho, seu filho e aí começar o céu na terra!
    Um forte abraço!
    Que Deus nos permaneça na fé e em boas obras.

  14. nilson melo

    sempre que posso vejo tudo sobre esse assunto, sou separado, nao porque quis, mas contribui com minha má conduta, minha mulher resolveu e assim aconteceu, sou apaixonado por minhas filhas, procuro dar todo amor possivel, mas elas moram longe de mim, vejo uma vez por mes, mas sei o estrago que estamos causando nelas, noto que minha menor de 6 anos, gostaria muito de ter o pai perto, corta meu coração ficar longe delas, minha maior é apaixonada em mim e eu nela tbm, e vejo reações de todo tipo, minha menor sabe que eu era jogador de futebol profissional, e resolver jogar bola tbm, dizendo que queria ter nascido homem, acho que pra me agradar, e só pensava nisso , bola o dia todo , quando via me ver, só falava em bola, e fiquei muito preocupado, agora consegui que mudasse de esporte, passou pro basquete, mas é tudo complicado, faz muito tempo que nao diz que me ama, e sei que ela é apaixonada em mim, mas nao me lembro a ultima vez que disse que me ama, isso dói muito em mim, a maior tenta suprir isso me beijando e vendo a irmã seu dura comigo, mas sei que ela sofre tbm, nas orações dela , a maior, me disse que o que mais pede é pra que eu e a mãe voltemos , é o sonho dela, imagino aquelas crianças que nao tem nem isso, eu ligo sempre só pra dizer que as amo,procuro suprir s distancia com ligações, mas sei que é pouco, só DEus pra mudar essa historia, e naõ vou desistir de minhas filhas e de minha familia com facilidade, o demonio nao vai me vencer, com a graça de Deus, obrigado por esses temas , pra nós é muito importante , pais vivos com filhos orfãos. fiquem na paz.

  15. Ana Lucia

    Bom Dia,Prof.Aquino! Estou passando por essa situação estou separada a 5 meses com os meus três filhos.E estou sentindo isso na pele,meus filhos orfãs de pai vivo.Tudo isso é muito triste,pois era um pai catolico,amoroso e tbém um otimo marido.Mas de repente se encantou com uma ex-namorada e decidiu deixar tudo no meio do caminho,era socio da canção nova,rezava semrpe vivia com o terço na mão.Peço que se for a vontade de Deus que restaure o meu casamento e manda seu Espirito Santo para que ele enxerga oque esta fazendo com nossos filhos.Que Deus nos de força as nós mãe separadas.

  16. A matéria é interessantye, eu particularmente vivo uma situação bastante delicada e que exige de mim muito amor e compreensão para aceitar um filho do meu marido com outra mulhere, como resultado de uma traição. E agora rezo e entrgo esta situação nas mãos do Senhor Jesus, que na sua Divina providência, providenciará a melhor forma possível para que esta criança não venha sofrer as consequências do pecado destes pais. Que o Senhor me faça compreender esta situação e me libertar das mágoas e sobretudo perdoá-los

  17. paulo amorim

    eu gosto muitoda materia do senhor professor gostaria q falasse mais para nossos irmaos de fe separada pr q eles ainda nao sabem muito o valor da familia imfelismente usao muitos metodos q sao contra a lei de Deus como evita r gravides eles defendem a lei dos remedios contra gravides

  18. Boa tarde professor!

    Gosto muito e aprendo também com os seus artigos.
    Hoje em especial, fiquei analisando a minha vida com os meus dois filhos adolescentes. São orfãos verdadeiramente, meu marido faleceu quando o Vinicius tinha 2 anos 11 meses e o Filipe 1 ano e 2 meses.Me sinto muito triste pois vejo nas atitudes deles a ausência do equilibrio,do amor e outros, apesar de não serem usuarios de drogas, alcool ou homosexuais graças a Deus, mas percebo um grande buraco, uma grande tristesa em suas vidas. Pergunto muito para Deus, porque deixar crianças criando-se sem pais? E se ele permite esta ausência, por que, ele que é o pai maior, não preenche estes espaços? Meu filho mais velho é muito revoltado comigo,pois eu sempre precisei trabalhar fora para sustenta-los e ele não aceita a solidâo que sentiu na minha ausência.Hoje me sinto muito culpada mas na época eu não sabia o que fazer. Muito obrigada, isto foi mais um desabafo. Obrigada.

  19. Andrea Velloso

    Bom dia professor!

    Sua matéria me comoveu muito.Tenho um filho de 7 anos de um segundo relacionamento e dois do primeiro que hoje estão com 24anos e 19anos.Sinto que os mais velhos foram muito prejudicados com a separação e agora o pequeno também ficou sem o pai pois o mesmo se foi porque é usuário de crack e após 1 ano internado , quando retornou para casa voltou para as drogas e se envolveu com outra mulher, tenho sofrido muito pelo meu filho mas estou forte ,rezo todos os dias o terço da divina misericórdia e tenho muita fé de que JESUS com seu infinito amor há de curar todas as feridas efazer o melhor por mim , pelos meus filhos e também pelo pai.Mais uma vez parabéns pelo artigo , paz ., felicidade e muita inspiração.Um abraço

  20. Prof. Felipe suas palavras semnpre são como um bálsamo para mim, me dão muita luz para viver meu dia a dia e entender as coisas conforme os ensinamentos cristãos, isto é, de Deus. Continue informando e formando boas pessoas. Abraços, Fatima

  21. Maristela

    está materia mim ajundou muito, estou separada aha 7 meses, meu marido mim deixou e está vivendo no mundo das ilusões apandonou seus filhos a menina de 9 anos e menino faz 4 agora em janeiro, meu deus sei que meus filhos estão sofrendo muito com tudo isto. agora no final do ano ele teve a capacidade de trazer a mulher aqui na minha cidade na casa da mãe dele, isto acabou comigo pois moro perto da casa da mae dele , minha filha ficou muito revoltada bateu na mulher. isto é mas um desabafo desculpa professor mas precissava fazer isto. professor ore por mim pelo meus filhos que Jesus tenha misericordia de nós e restaure nossa familia o nome dele é Antonio Reginaldo dos meus filhos Nádia e ótavio amém……

  22. Rosa Rodrigues

    Professor o meu filho foi rejeitado pelo o pai que me deixou ainda quando ele estava na minha barriga. Tentei ser amigadele mais mesmo assim não quis saber de nós. Hoje meu filho tem sete anos e tem certas atitudes que ele herdou do pai. Nessa fase dos sete ele está agindo
    de maneira bastante rebelde, moro com a minha família e as vezes ele não respeita ninguém. Peço que Deus mude seu jeito de ser pois nossa casa sempre houve paz e harmonia e ele é uma criança amada por todos.E por isso não entendo porque ele está agindo assim.

  23. O que escrevo não é um comentário,e sim perguntas para se refletir:Será que um pai ou uma mãe que abandona seus
    filhos pode ser chamado(a) de pai ou mãe?Será que famílias com vários filhos de pais diferentes,ou famílias compostas por casais homossexuais podem se
    chamar de famílias?Minha resposta é a mesma para todas
    essas perguntas:NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!

  24. Professor Felipe , busco sempre estar ligada nas coisas de Deus para que ele sempre me dê sabedoria para acabar de criar 03 filhas que Deus confiou a mim e a meu esposo ,neste vale de lagrimas e que atualmente conduzo esta familia sozinha guiada por Jesus , pois meu esposo me traiu uma e eu o perdoei e voltou para casa sempre arrogante , depois de desencaminhar minhas filhas da cminhada junto a Jesus criticando a igreja católica embora casados nela saiu pelo mundo a fora dizendo que esta em missão evangelizando jovens e sem nenhum compromisso com as filhas , e para comigo esposa.Mas agradeço a Jesus de ter me deixado aqui neste lar cuidando e zelando por 3 vidas ,uma vez ele disse que era a cauda e não a cabeça desta família , e ai eu disse a ele Jesus sempre esteve aqui e humanamente e espiritualmente vc não enxerga esta graça ,JESUS CRISTO assumiu a ausência dele e me ajuda a cuidar desse lar. Oro por ele e ofereço a Eucarístia pela sua Vida e tenho fé que a misericordia de Deus o alcançara e que seje feita a vontadde de Jesus neste lar.Obrigado professor por todas as suas matérias .Fique com Deus

  25. Professor, sou mãe de 4 filhos e tanto eu quanto meu marido trabalhamos muito…falta tempo pra nos dedicarmos mais aos meninos, sei que eles sentem nossa falta pois sentimos muito a falta deles…mas, a vida é dura, e, para dar conta do sustento tem que trabalhar muito e chegar em casa cansados…Meu Deus…Misericórdia.

  26. Nadjane Conceição

    Prof. Felipe foi de grande importância para mim ler este tema pois tenho um filho de sete anos.O pai só se preocupa em dar o dinheiro mas o principal ele não dá que é carinho,amor e isso me faz sofrer muito.Eu tento fazer o possível as vezes tento preencher esse espaço com agrados ,sei que não resolve e fico sem saber como agir.O que faço pois já chamei o pai do meu filho para conversar mais não adianta.Me parece que ele também não teve amor na infância ,mais acho que não justifica.

  27. Marcus Henrique

    Concerteza este tema me chamou muito a atenção por eu ser um jovem de apenas 17 anos de idade.

    “Aos meus sete anos de idade eu TINHA o amor de Pai, mais, há partir dai meus pais se separaram.
    E apartir dai Eu e o meu Pai só nos viamos uma vez no mês, porque quando se separam um dos dois são obrigados a pagar a pensão.
    Só era este o motivo de ver o PAPAI caso contrario de jeito nenhum.
    E nisso fui entrando no mundo de uma forma onde tudo eu podia, como assim, festas, bebidas e etc..

    e nissoa minha felicidade só era satisfeita apenas em meninas em festas

    e foi ai quando aos 15 anos eu tive um encotro como DEUS e soube que amor de PAI é excencial na vida de um Jovem que nao tem DEUS no seu interior…

    um grande abraço professo

  28. É MUITO INTERESSANTE PODER DISFRUTAR DESSA LEITURA QUE TEM UM SIGNIFICADO IMENSO NA MINHA TRAGETORIA DE VIDA.AOS 18 ANOS DE IDADE NÃO CONHEÇO MEU PAI E NÃO SEI NADA SOBRE A VIDA DELE.SEMPRE CUPEI MUITO A MINHA MÃE POR ESCONDER A MINHA ORIGEM,E SEMPRE FOI MOTIVO DE MUITA BRIGA NA MINHA CASA,AOS 5 ANOS DE IDADE DECIDI IR MORAR COM OS MEUS AVÓS QUE NÃO SÓ FIZERAM PAPEL DE PAI,COMO TAMBEM SOUBERAM ME ACOLHER DE UMA FORMA INESPLICAVEL,TANTO NA FÉ,COMO NA SIMPLICIDADE,NO CARISMA, NA UNIAO.SEMPRE FIZERAM DE TUDO PARA QUE EU NAO ME DESANIMASSE OU PARA QUE EU NAO LEMBRASSE DESSE ASSUNTO QUE TANTO ME ENTRESTESSE.HOJE TENHO 18 ANOS,TRABALHO,ESTUDO,TENHO UMA VIDA ESTAVEL E SINTO SAUDADES SIM DE UMA PESSOA NA QUAL NAO SEI NEM COMO É,ONDE VIVE,COMO SE CHAMA….É MUITO DIFICIL,MAS AO MEU REDOR ENCONTRO MUITAS PESSOAS QUE PROCURAM SEMPRE ME DAR UM POUQUINHO DESSE AMOR DE PAI QUE PELO DECORRER DOS ANOS SE AUSENTA DA MINHA VIDA.A UNICA COISA QUE EU LEVO DE EXEMPLO DESSA MINHA HISTORIA É QUE EU JAMAIS VOU FAZER ISSO COM MEUS FILHOS,NAO QUERO JAMAIS DEIXAR ELES SEREM ORFAOS DE PAIS VIVOS…..

    OBRIGADA POR ESSE MOMENTO DE DESABAFO SENHOR…….

  29. Helena Luna

    Prof. Felipe, confesso ter ficado emocionada após a leitura deste escrito. Tenho duas netas que desfrutam a ausência de seus pais. Ambas são crianças e sempre percebo nas falas e atitudes o quanto essa ausência incomoda e as fazem sofrer. Vou tirar uma cópia e dar aos seus pais. Quem sabe com a leitura eles não mudam de atitudes e assumem enquanto é tempo tal responsabilidade. Parabéns! Continue escrevendo para aliviar corações de crianças, jovens e adultos. Saudações, Prof. Helena Luna

  30. orfãos de pais vivos

  31. bom dia professor,nossa como o senhor é realmete quiado por DEUS entrei emseu swait pela primeira vez e fiquei muito emocionado com estas paalvras de DEUS,através do senhor estou a´te agora emocionado,me separei a 50 dias é tem um filho de 9 anos maravilhoso,que está sendo criado na igreja evangelica,graças a DEUS.estas palavras abriu meu caminho para que eu realmente sigo o caminho de DEUS,sou católico e estou sempre na igreja aos domingos.. um forte abraço ao senhor….

  32. olá,prof.Felipe.

    É infelizmente existe pessoas assim,sem amor,sem um pouquinho de compreesao.Tive sempre meu pai por perto,calado e que nunca sentou e conversou sobre o que nao pode e o que pode.Nunca guanhei um abraço dado com carinho da parte dele.Mas agradeço muito a DEUS POR ele está presente em minha vida,apesar de tudo.Hoje estou com 28 anos ,mae de um filho lindo,sadio e que infelizmente nao tem o pai por perto,assim que engravidei o pai sumiu.Hoje ele já esta com 1 ano e 4 meses e nem apareceu pra ver o rostinho dele.O que mais me preocupa é as consequencias que vai ser na cabecinha dele sem o pai por perto e como vai ser o desempenho.Peço a Deus todos os dias para que o pai apareça e que Deus derrame todo teu amor sobre ele,para que ele nao se esqueça que tem UM filho que no futuro vai sentir sua falta.

    QUE DEUS TE ABENÇOE

  33. MARIA DAS GRAÇAS

    DR. FELIPE AQUINO: DEUS ABENÇOE E ILUMINE SEU TRABALHO PELAS FAMÍLIAS: A IMPORTÂNCIA DO PAI NAS FAMÍLIAS, A FALTA DOS PAIS NA VIDA DOS FILHOS.
    AS LEIS FORTALECEM AS UNIÕES ESTÁVEIS. EXISTE UM ESTÍMULO NO NOVO CÓDIGO CIVIL AO ADULTÉRIO E A DESTRUIÇÃO DAS FAMÍLIAS. AS LEIS ACOMPANHAM A SOCIEDADE ATUAL, MAS A FAMÍLIA PERDE DIREITOS ENQUANTO A UNIÃO ESTÁVEL GANHA DIREITOS. ANTES OS HOMENS RESPEITAVAM SUAS FAMÍLIAS (EMBORA COM ADULTÉRIO CLANDESTINO) MAS AGORA DESTRUIR FAMÍLIAS É MODA, EXISTE UMA PROFISSÃO DAS GOLPISTAS PROCURANDO HOMENS CASADOS, ADULTOS DE MEIA IDADE COM ESTABILIDADE FINANCEIRA PARA UNIÃO ESTÁVEL. AS FAMÍLIAS SOFREM PERDEM O ESPOSO, PAI, PROVEDOR DOS LARES PARA JOVENS BELAS, GOLPISTAS, QUE NÃO TEM O MENOR ESCRÚPULO MORAL E COLOCAM A FAMÍLIA NA HUMILHAÇÃO. OS PAIS MAIS IDOSOS ESTÃO PERDENDO A CABEÇA POR MULHERES JOVENS PROFISSIONAIS DO SEXO, TREINADAS NO SEXO, CONSEGUINDO DIREITOS DE UNIÃO ESTÁVEL…DR. FELIPE AQUINO: A MINHA FAMÍLIA FOI ATINGIDA POR ESTE MAL, EU ESTOU CRIANDO 3 FILHOS COM MUITAS DIFICULDADES, PAI AUSENTE, ADÚLTERO, INJUSTO. SEUS TRABALHOS PRECISAM ATINGIR TODOS OS NÍVEIS PARA PRESERVAÇÃO DOS VALORES MORAIS E ESPIRITUAIS DAS FAMÍLIAS…QUE DEUS ABENÇOE E ILUMINE O SEU TRABALHO PELAS FAMÍLIAS PARA CRISTO…

  34. MARIA DAS GRAÇAS

    DR. FELIPE AQUINO: QUE DEUS ABENÇOE E ILUMINE SEU BRILHANTE TRABALHO EM BENEFÍCIO DAS FAMÍLIAS PARA CRISTO: MINHA FAMÍLIA ESTÁ VIVENDO A TRAGÉDIA DOS FILHOS ÓRFÃOS DOS PAIS VIVOS. O AMOR ESTÁ SENDO CORROMPIDO E DESTRUÍDO. OS LARES PERDEM SEGURANÇA, CONFIANÇA E AMIZADE. O VIAGRA GANHA O MERCADO. O NOVO CÓDIGO CIVIL FORTALECE AS UNIÕES ESTÁVEIS. A SOCIEDADE DESESTRUTURADA, CAPITALISTA, ESTIMULA A DESTRUIÇÃO DOS VALORES SAUDÁVEIS. AS FAMÍLIAS SÃO ATINGIDAS CRUELMENTE. EXISTE UM ESTÍMULO NO NOVO CÓDIGO CIVIL AO ADULTÉRIO E A DESTRUIÇÃO DAS FAMÍLIAS. AS LEIS ACOMPANHAM A SOCIEDADE ATUAL, MAS A FAMÍLIA PERDE DIREITOS, ENQUANTO A UNIÃO ESTÁVEL GANHA DIREITOS. EXISTE UMA PROFISSÃO SEDUZIR HOMENS CASADOS, ADULTOS DE MEIA IDADE COM ESTABILIDADE FINANCEIRA PARA UNIÃO ESTÁVEL. AS FAMÍLIAS SOFREM, PERDEM ESPOSO, PAI, COMPANHEIRO DOS FILHOS, DOS LARES PARA JOVENS NUAS, GOLPISTAS, QUE NÃO TEM O MENOR ESCRÚPULO MORAL DEIXANDO A FAMÍLIA NA HUMILHAÇÃO. OS PAIS MAIS IDOSOS SEM MORAL, ESTÃO PERDENDO A CABEÇA POR MULHERES JOVENS PROFISSIONAIS DO SEXO, TREINADAS NO SEXO, CONSEGUINDO DIREITOS DE UNIÃO ESTÁVEL…MEUS 3 FILHOS SENTEM FALTA DO PAI, SÃO ÓRFÃOS DE PAI VIVO QUE RESOLVEU APROVEITAR A VIDA. QUE DEUS ABENÇOE A SUA FAMÍLIA, SEUS TRABALHOS PRECISAM ATINGIR TODOS OS NÍVEIS PARA PRESERVAÇÃO DOS VALORES MORAIS E ESPIRITUAIS DAS FAMÍLIAS…QUE DEUS ABENÇOE E ILUMINE O SEU TRABALHO EM BENEFÍCIO DAS FAMÍLIAS CRISTÃS…

  35. mariah andrade

    minha filha tem só onze anos e a Tres anos o pai a rejeita ,ele tem a coragem de ligar para os vizinhos para perguntar se ela é educada com as pessoas mas não lembra de ligar para ela e dizer que a ama. ela está sempre com febre e eu sei que é só saudades do pai. me pergunto um homem deste tem coração? e pode se chamar de homem? sou mulher com H MAIÚSCULO pois não ambandono minha filha nem quando eu mesma estou doente eu a amo muito e espero que este amor valha por dois.

  36. fernanda lima

    a pior categoria de “ófãos de pais vivos” não é formado por aqueles que não tem o pai presente,
    uma vez que o amor e a misericórdia de Deus atinge a todos, em sua totalidades, e sucita dentro
    de cada um a busca pelo amor verdadeiro, que provem do Pai; mas aqueles que tem fisicamente
    um pai, incapaz de amá-los, que pune mais do que orienta, que humilha mais do que perdoa,
    que usa dos filhos em pormoção de si mesmo, esses podem tirar o coração jovem e inseguro o
    desejo, a vontade de buscar consolo e fortaleza em um Pai que tenha lhes permitido tais
    sofrimentos.

  37. Renata Zigler

    olá Professor, gostaria de dizer o quanto admiro sua sabedoria. O senhor está certíssimo, ter uma família é um dom maravilhoso de Deus…é muito triste ver uma criança órfã de pais vivos.
    Parabéns, que Deus te abençoe sempre…o senhor é muito importante para nós!

  38. Aparecida Lina Diniz

    fiquei impressionada ao ver que este artigo foi postado em 2007, e ele recebe comentários há cinco anos, servindo de ensino, consolo, edificação. Quantos comentários, cada um retratando realidades diferentes. Pais, mães, filhos… Professor, seus ensinamentos tocam o fundo das almas! Deus o abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>