flor de misericordia

Certo dia, deparei-me com essa imagem do Santuário do Pai das Misericórdias, e as flores à sua frente. E logo veio ao meu coração, são as “Flores da Misericórdia”.  E o resultado foi essa bela foto.

Me dei conta, que, com certeza, muitas pessoas passaram pelo mesmo lugar e não perceberam isso. E o Senhor falou comigo; que precisamos estar atentas, para perceber “as flores de Misericórdia”, que Ele mesmo nos dá, na luta e na correria do dia a dia. Ou seja; os momentos de refrigério, de descanso, momentos da sua visita, em meio à tudo que vivemos.

Ao mesmo, tempo, precisamos ter essa mesma percepção, em oferecer “flores de Misericórdia” quando nossos cônjuges mais necessitam; nas horas de dor, cansaço, desânimo.

Podemos nós, mães, ser “flor de Misericórdia” na vida dos nossos filhos; trazer a beleza de Deus, ao coração deles.

Assim, a nossa vida se transforma em oração concreta; quando oferecemos a Misericórdia, o amor, a beleza, a bondade de Deus àqueles que amamos e à todos que estão ao nosso redor.

“Vai para tua casa, para junto dos teus, e conta-lhes tudo o que o Senhor fez por ti e como teve misericórdia de ti.”(Mc 5,19)

Perceber as ‘flores de Misericórdia” que estão no nosso caminho; encontrá-las no nosso dia a dia, testemunhar e também oferecê-las aos outros. São os carinhos, as visitas de Deus, que nos descansam em meio às lutas e levam os outros a experimentar o amor e Misericórdia de Deus.

Gilmara Lira

Sem o Céu, a beleza da alma se apaga.

Nós, mães, somos as primeiras em nosso lar, chamadas a contemplar o céu; a fazer da nossa casa, Nossa Família, um “Santuário da Vida”.

O nosso olhar precisa estar fixo em Deus, nas coisas do alto; a ponto daqueles que mais amamos, nosso cônjuge, nossos filhos, desejarem olhar na mesma direção.

Andando pela Chácara de Santa Cruz, aqui na Canção Nova, em Cachoeira Paulista, me deparo muitas vezes com o horizonte, diferenciado a cada novo dia e a cada novo horário. Mas, no meu coração, só vem a frase: “O meu horizonte é o Céu!”

E é essa verdade que mantém a chama do amor de Deus, acesa em meu coração, que vai afetando toda a minha vida, e o meu Lar.

Faça do seu coração, e, do seu Lar; um reservatório do amor de Deus! O Céu é a resposta à todas as suas perguntas.

O nosso horizonte, e dos nossos filhos, da nossa família; precisa ser o Céu. É lá o nosso lugar. Construamos a nossa vida em Deus.

Gilmara Lira

amanhecer

Qual A Luz dos Teus Olhos?

Barcos e o farolOlhando esta foto, resolvi compartilhar com vocês, a inspiração dessa criação.

Meu marido retornava de uma Missão, em Parintins-Manaus; onde, pela primeira vez andou de barco, e foi tomado de grande emoção nessa experiência.

Deus colocou em meu coração a inspiração de fazer os barquinhos de papel, com a ajuda dos meus 4 filhos, para recepcionar o “Papai”. Foi uma festa! Colocamos os chocolates em azul, representando a água do mar. E no final, o catavento, feito pelo meu filho mais velho, representando o Farol.

E o que Deus colocou em meu coração, foi o seguinte: A luz que ilumina os barquinhos, que indica a direção que devem seguir, vem do Farol. Nós somos os barquinhos, e o Farol é Deus; é Ele Quem ilumina a nossa vida, indicando-nos o caminho a seguir.

Quero dizer para você que caminha com Deus: quando parece que tudo está escuro, e nada vês; não falta luz; há excesso dela. A luz está dentro de você há muito tempo! Deus está dentro de você, não tenha medo de deixar-se conduzir pelo Farol da Fé, que é a presença do próprio Deus dentro de si, indicando por onde deves seguir!

Há uma luz a te guiar!

Deus é a luz dos seus olhos; a luz que ilumina e conduz a sua família!

Gilmara Lira

João Paulo II Intercede pelas Famílias

No último dia primeiro de Maio, foi beatificado, o nosso querido Papa João Paulo II. Peçamos à ele, que sempre manifestou imenso carinho pelas crianças e pelas famílias, que interceda por nós mães, nossos filhos, nossa família.

Beato João Paulo II; rogai por nós!

Beato João Paulo II

“A família está convocada a ser templo, ou seja, casa de oração:

uma oração singela, cheia de esforço e ternura. Uma oração que se faz vida,

para que toda a vida se converta em oração.

( Papa João Paulo II )

Esperança: Temos a Quem Recorrer

Quero partilhar com você, que, após o nascimento da nossa filha Giovanna Maria, descobrimos a devoção à Nossa Senhora da Esperança; uma devoção tão antiga, mas, totalmente nova para nós.

A Gabriela, que carinhosamente chamo de Gabi, que, juntamente com o seu namorado Leandro, são padrinhos de consagração da Giovanna; ela sentiu em seu coração, que deveria consagrar a Giovanna Maria, à Nossa Senhora da Esperança. Mas, ela não sabia se existia esse título de Nossa Senhora, e, quando foi pesquisar, encontrou. Para nós, seus pais, sua família, foi uma visita de Nossa Senhora, pois, mal sabíamos o quanto Nossa Senhora da Esperança, se faria presente, no parto; e, a partir da enfermidade que foi constatada em nossa pequena,  desde os primeiros dias de vida, ou seja, uma alergia às proteínas do leite de vaca.

Nossa Senhora da Esperança tem olhado pela Giovanna, pela sua saúde, e, tem intercedido por nós.

Queremos dividir com você, o histórico desta bela devoção, e a oração, que, para nós, foi uma maravilhosa descoberta.

Nas suas necessidades, preocupações, medos e angústias; recorra à Nossa Senhora da Esperança! Ela vela por você e por aqueles que você ama, para que a chama da Esperança não se apague e o desespero não venha a tomar conta do seu coração.

Nossa Senhora da Esperança; rogai por nós!

1ª Capela de Nossa Senhora da Esperança

( Primeira Capela de Nossa Senhora da Esperança )

NOSSA SENHORA DA ESPERANÇA

Festa: Terceiro Domingo de Setembro

Os fiéis sempre invocavam o nome de Maria com

a esperança de que Ela os ajudasse a resolver seus

problemas pessoais. Assim este título não é novo, pois

a Mãe de Deus na liturgia romana tem sido denominada

“esperança dos desesperados”. O mais antigo santuário

de Nossa Senhora da Esperança de que se tem notícia

é o da cidade de Mezières, na França, construído no

ano de 930; depois dele, vários outros foram erigidos.

Em Portugal, este culto desenvolveu-se muito na

época das grandes descobertas marítimas, figurando

dentre os seus devotos o comandante Pedro Álvares

Cabral, que possuía uma bela imagem da padroeira em

sua residência, trazendo-a consigo em sua viagem às Índias.

A imagem da Santa foi trazida ao país e foi exibida nas duas missas do

descobrimento, celebradas pelo frei Henrique de Coimbra. Em documentos

preservados, Cabral revelou o desejo de manter um círio (vela) para iluminar

sempre a imagem de Nossa Senhora da Esperança, de sua propriedade,

carregada na viagem por ele capitaneada e que zarpou do Tejo aos 9 de março de

1500, regressando aos 23 de junho de 1501. Comprova-se, portanto, que o Brasil

foi descoberto sob o olhar terno e protetor da Mãe da Esperança.

A imagem de Nossa Senhora da Esperança do navegador foi colocada em

uma capela construída especialmente por Cabral para abrigá-la. Até o século XVIII

a capela, deixada sob a guarda dos frades franciscanos, seria mantida por

descendentes do descobridor oficial do Brasil. Atualmente, a imagem da Santa se

encontra no altar de São Tiago, na vila de Belmonte, em Portugal. Foi trazida

novamente ao nosso país durante o Congresso Eucarístico Internacional do Rio

de Janeiro, em 1955.

A imagem clássica portuguesa da Senhora da Esperança foi esculpida em

pedra, pesa 90 quilos e representa a Virgem Maria de pé com o menino Jesus

sentado em seu braço esquerdo, segurando com a mão direita o pezinho dele. O

Divino Infante aponta com a mãozinha direita para uma pomba (símbolo do

Espírito Santo), que repousa sobre o braço direito de sua Mãe.

Nos tempos modernos a devoção a Nossa Senhora da Esperança foi

revivida após a aparição da Virgem Maria em Pontmain, nos dias terríveis da

invasão prussiana (1870-1871), quando o inverno, a fome e a guerra se uniram

para castigar o povo francês. Foram inúmeras as graças alcançadas no lugar da

aparição e pouco depois se ergueu ali uma bela basílica, que foi entregue aos

cuidados dos padres Oblatos de Maria Imaculada.

Nossa Senhora da Esperança

Gilmara Lira