Nesse dia 08 de Setembro, em que celebramos a Natividade de Maria, recorro à ela, como a Mãe do Amor Formoso.

“Eu sou a Mãe do amor formoso, do temor, da ciência e da santa esperança ” (Eclo 24, 24).

Um amor formoso, que começa e termina em Jesus, o Santo dos Santos; fonte de formosura, bondade e grandeza.

Ela, a Mãe do Amor Formoso, nos ensina a amar como Jesus amou, amando ao próprio Deus em primeiro lugar.

O que deve mover os nossos atos para com os nossos filhos, nosso esposo, e todos que estão próximos a nós; deve ser unicamente o amor.

Que a nossa motivação diária seja o amor; amor que vem de Deus, passa por nós,  se derrama sobre aqueles que amamos; e, volta para Deus.

Que Maria, nos eduque nessa escola, ela que é a Mãe do Amor Formoso, a Mãe do Puro Amor: Jesus.

Rezemos com São José Maria Escrivá: “Mãe Imaculada, faz que só me mova o amor.”

Gilmara Lira

Irmãos e Nossa Senhora

 

Para nós, mães, ver um filho cheio de iniciativa e criatividade, para brincar com os irmãos e amigos, faz o coração vibrar de alegria!

Foi essa a experiência, um dia desses; ver o meu primogênito promover a convivência, preparando uma massinha caseira, para a brincadeira divertida com a galerinha.

Podemos ensinar os nossos filhos a colocarem as “mãos na massa”; ou seja, estar prontos para agir, para servir, para promover o bem.

Os bons exemplos motivam mais que as palavras. Tenhamos nossas mãos na massa; e eles repetirão o gesto.

Sejamos promotoras do bem, do amor, e; da alegria da convivência. Tudo isso é uma forma de fazer da nossa vida, uma oração.

Mães e filhos aprendem uns com os outros. Aprendamos juntos, essa bela maneira de rezar: ” Mãos na massa!”

Gilmara Lira

elias massinha caseira

flor de misericordia

Certo dia, deparei-me com essa imagem do Santuário do Pai das Misericórdias, e as flores à sua frente. E logo veio ao meu coração, são as “Flores da Misericórdia”.  E o resultado foi essa bela foto.

Me dei conta, que, com certeza, muitas pessoas passaram pelo mesmo lugar e não perceberam isso. E o Senhor falou comigo; que precisamos estar atentas, para perceber “as flores de Misericórdia”, que Ele mesmo nos dá, na luta e na correria do dia a dia. Ou seja; os momentos de refrigério, de descanso, momentos da sua visita, em meio à tudo que vivemos.

Ao mesmo, tempo, precisamos ter essa mesma percepção, em oferecer “flores de Misericórdia” quando nossos cônjuges mais necessitam; nas horas de dor, cansaço, desânimo.

Podemos nós, mães, ser “flor de Misericórdia” na vida dos nossos filhos; trazer a beleza de Deus, ao coração deles.

Assim, a nossa vida se transforma em oração concreta; quando oferecemos a Misericórdia, o amor, a beleza, a bondade de Deus àqueles que amamos e à todos que estão ao nosso redor.

“Vai para tua casa, para junto dos teus, e conta-lhes tudo o que o Senhor fez por ti e como teve misericórdia de ti.”(Mc 5,19)

Perceber as ‘flores de Misericórdia” que estão no nosso caminho; encontrá-las no nosso dia a dia, testemunhar e também oferecê-las aos outros. São os carinhos, as visitas de Deus, que nos descansam em meio às lutas e levam os outros a experimentar o amor e Misericórdia de Deus.

Gilmara Lira

Sem o Céu, a beleza da alma se apaga.

Nós, mães, somos as primeiras em nosso lar, chamadas a contemplar o céu; a fazer da nossa casa, Nossa Família, um “Santuário da Vida”.

O nosso olhar precisa estar fixo em Deus, nas coisas do alto; a ponto daqueles que mais amamos, nosso cônjuge, nossos filhos, desejarem olhar na mesma direção.

Andando pela Chácara de Santa Cruz, aqui na Canção Nova, em Cachoeira Paulista, me deparo muitas vezes com o horizonte, diferenciado a cada novo dia e a cada novo horário. Mas, no meu coração, só vem a frase: “O meu horizonte é o Céu!”

E é essa verdade que mantém a chama do amor de Deus, acesa em meu coração, que vai afetando toda a minha vida, e o meu Lar.

Faça do seu coração, e, do seu Lar; um reservatório do amor de Deus! O Céu é a resposta à todas as suas perguntas.

O nosso horizonte, e dos nossos filhos, da nossa família; precisa ser o Céu. É lá o nosso lugar. Construamos a nossa vida em Deus.

Gilmara Lira

amanhecer

Qual A Luz dos Teus Olhos?

Barcos e o farolOlhando esta foto, resolvi compartilhar com vocês, a inspiração dessa criação.

Meu marido retornava de uma Missão, em Parintins-Manaus; onde, pela primeira vez andou de barco, e foi tomado de grande emoção nessa experiência.

Deus colocou em meu coração a inspiração de fazer os barquinhos de papel, com a ajuda dos meus 4 filhos, para recepcionar o “Papai”. Foi uma festa! Colocamos os chocolates em azul, representando a água do mar. E no final, o catavento, feito pelo meu filho mais velho, representando o Farol.

E o que Deus colocou em meu coração, foi o seguinte: A luz que ilumina os barquinhos, que indica a direção que devem seguir, vem do Farol. Nós somos os barquinhos, e o Farol é Deus; é Ele Quem ilumina a nossa vida, indicando-nos o caminho a seguir.

Quero dizer para você que caminha com Deus: quando parece que tudo está escuro, e nada vês; não falta luz; há excesso dela. A luz está dentro de você há muito tempo! Deus está dentro de você, não tenha medo de deixar-se conduzir pelo Farol da Fé, que é a presença do próprio Deus dentro de si, indicando por onde deves seguir!

Há uma luz a te guiar!

Deus é a luz dos seus olhos; a luz que ilumina e conduz a sua família!

Gilmara Lira