Segurança alimentar envolve ter acesso regular e permanente ao alimento, tê-lo em quantidade e qualidade adequada respeitando a cultura, ao ambiente entre outros. Esse alimento não deve apresentar riscos à saúde desse indivíduo, para isso a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS) criou cinco chaves para inocuidade nos alimentos, ou seja, cinco regrinhas para garantir ou diminuir o risco da contaminação do que você consome.

Nessa primeira parte, vocês terão os itens 1 e 2:

  1. 1. Mantenha a Limpeza
  • FUNDAMENTAL: Sempre que entrar na cozinha, LAVE AS MÃOS!!! Depois de tossir, tocar em alimentos diferentes, mexer nos cabelos, espirrar, após ir ao banheiro etc.
  • ÁGUA E SABÃO: isso é básico para higienização de todo utensílio e equipamento que você utiliza na cozinha, para sua maior segurança você pode desinfetá-los.
  • DESINFETANDO:

±  Panos e esponjas: ferva-os em água entre 1 a 5 minutos;

±  Utensílios (talheres, tábuas): deixe-os em solução clorada por 15 minutos e enxágue. SOLUÇÃO: 1 colher de sopa de água sanitária para cada litro de água.

±  Pias: Não se esqueça de limpar a parede e as bordas no qual espirra água e a sujidade do que é lavado, para desinfetar, use a solução clorada. Uma dica é colocar a água em um borrifador e espalhar em toda área a ser limpa, troque essa solução a cada 4 horas.

  • LIXO: Não deixe o lixo na pia e mantenha a lixeira fechada.
  • ÁGUA ABUNDANTE NÃO É SINÔNIMO DE HIGIENE: descongelar alimentos em água, bacias transbordando, água espirrando no chão e muitas outras situações como essas significam que água só está transportando sujeira de um lugar a outro. Exemplo: Descongelar frango em água corrente em bacia transbordando = Salmonela sendo espalhada por toda a região, podendo contaminar outros alimentos, principalmente os que serão consumidos crus.

IMPORTANTE: Tenha panos diferentes para cada coisa, exemplo: um para louça, um para mãos, um para chão e outro para a pia.

  1. Separe alimentos crus dos cozidos
  • Separe os alimentos crus dos cozidos e prontos para o consumo.
  • Tenha e use utensílios diferentes para os alimentos prontos dos crus, assim como um para vegetais e os de origem animal. Uma dica é diferenciá-los por cor. Exemplo: Tábua branca para vegetais crus, vermelha pra carnes cruas, verde para vegetais prontos para o consumo e azul para carnes cozidas.
  • Guarde os alimentos crus em recipientes separados dos cozidos.

Até o próximo post com os três últimos itens. não menos importantes que esses, continuem lendo e comentando. Contamos com sua participação. Lancem suas dúvidas!

Na última semana, recebemos o Dr. Eneo que deu dicas de todas as etapas para o consumo de pescados.

COMPRA

- Comprar peixes e frutos do mar de preferência nacionais de boa procedência (de preferência em supermercados e peixarias);

- Evitar os produtos estrangeiros, principalmente os pescados em países latino-americanos com incidência de cólera; ou que sofreram vazamento de radiação (como, recentemente no Japão);

- Utilizar porções pequenas, de preferência, filés com, no máximo, 1 cm de espessura;

- Utilizar, de preferência, filés de pescados congelados;

- Não comprar peixes no qual os olhos estão embaçados, se possuírem cheiro estranho e se musculatura estiver mole.

IMPORTANTE: Não utilizar peixes e frutos do mar crus. Lembre-se, após os brasileiros criarem o hábito de consumirem peixes crus, os casos de verminose, conhecida como difilobotríase vem aumentado, tendo como causador o verme Diphyllobotrium latum.

ANTENÇÃO: Se utilizar peixe inteiro “in natura” deverá, de preferência, ser manipulado, temperado e consumido no mesmo dia. Cuidado com a contaminação cruzada entre o manipulador, os utensílios, a bancada e outros alimentos.

ARMAZENAMENTO: Comprei, e agora?

Vou preparar o peixe hoje:

- Mantenha-o em refrigeração e apenas retire-o um pouco antes de levá-lo ao fogo.

RECORDANDO: Consuma peixes frescos no mesmo dia da compra!

Vou preparar o peixe amanhã ou depois:

— PEIXE FRESCO: Limpe e tempere os peixes, congelando-os em seguida. não há necessidade de descongelá-los completamente  para levá-los ao fogo. no dia que fizer a preparação, retire o peixe do freezer e coloque na geladeira algumas horas antes para “tirar” o frio mais intenso.

— PEIXE CONGELADO: Retire do congelador e coloque na geladeira no máximo a 4ºC (parte de cima da geladeira). Após o início do descongelamento, tempere retirando pequenas porções da geladeira, para que não permaneçam na temperatura ambiente. Retorne à geladeira, para continuar descongelando sob refrigeração e no tempero.

Quanto tempo é seguro conservar meu peixe?

A temperatura de armazenamento deve ser de -15ºC ou menos (no freezer), porém, para estocagem curta, até 72 horas, poderá ficar entre – 5º e 0ºC;

- Armazenar peixes frescos na refrigeração até 4ºC no máximo por 48 horas (parte de cima da geladeira);

- Armazenar os peixes no congelador entre – 8ºC e – 10ºC no máximo por 30 dias.

ATENÇÃO: Consumir, no máximo em 48 horas, após o início do descongelamento!

Posso guardar meu pescado cozido?

Sim. Em potes de vidro devidamente vedados, ainda mornos. Podem ser guardados em geladeira até 5ºC por 24 horas ou sob congelamento abaixo de – 10ºC por 10 dias, para posterior reaquecimento.

Cozimento

- Retire o peixe da geladeira em pequenas porções, empanado ou não, e leve-o rapidamente ao cozimento (fritura, grelhado ou assado), sendo importante que o centro do produto fique a 74ºC (cozido por igual, tanto no centro quanto nas bordas).

À MESA

- Após a ficar pronto, esse peixe deve ser servido no máximo em 2 horas.

Dica: Retire todos os alimentos, assim que cada etapa do almoço acabar. Não espere o chegar a sobremesa, para guardar o a refeição principal!

Nesta última terça feira recebemos a nutricionista renomada Lenita Salgado.

A Dra. Lenita Salgado é docente do curso de Pós-Graduação e Extensão em Nutrição Clinica Funcional pela VP Consultoria Nutricional/ Divisão de Ensino e Pesquisa, e membro do Instituto de Pesquisa de Medicina Funcional (EUA).

Ela faz atendimento Clinico Funcional em consultório particular e fornecer o serviço de Personal Diet nas cidades de São Paulo, Itapecerica da Serra, Alphaville, São Lourenço da Serra, Piracicaba e Urupes.

Contatos dos consultórios:

São Paulo, Itapecerica da Serra, Alphaville, São Lourenço da Serra

Tel: (11) 4666-4118

Piracicaba

Tel: (19) 3411-7590

Urupês

Tel: (17) 3552-1491

Ela também atende no Espaço Ativa, localizado na Chácara Santo Antonio em São Paulo.

Site: www.espacoativa.com.br

Tel: (11) 5181-4916

Agende sua consulta!

No dia 24 de março de 2011, ocorreu no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o lançamento do livro “Um Coração de Mulher” do Dr. Roque Savioli.

Foi num encontro de mulheres no ano de 2010 que o doutor notou o quanto as mulheres estão desinformadas sobre os cuidados com o coração, sendo que, atualmente, 30% das mortes entre mulheres são causadas por problemas cardíacos.

Além dos sintomas de enfarto serem diferentes entre homens e mulheres, em países desenvolvidos, os médicos levam quase três vezes mais tempo para reconhecê-lo nesses corações femininos.

Acredita-se que a mulher tenha que ter o mesmo cuidado com o coração que ela tem com a parte ginecológica.

E é de maneira simples e rápida, o Doutor Savioli leva a sua casa informações importantes para você, mulher, e seu coração.



Você pode encontrar o livro em todas as livrarias da Rede Canção Nova ou procure no site da Canção Nova por Davi para ter mais informações de como obtê-lo.

Entrevistada: Dra. Denise Carreiro – Nutricionista especializada em nutrição clinica funcional

As doenças auto-imunes são causadas pela produção de auto-anticorpos no organismo, que atacam algumas células do nosso corpo como se fosse um invasor, podendo desencadear doenças, como a Artrite Reumatóide, Diabetes Mellitus tipo 1, entre outras.

Fatores ambientais, como o estresse, podem favorecê-las, desde que haja pré-disposição genética.

O nosso organismo tem defesas naturais provenientes de uma boa alimentação, que combatem agentes agressores que o nosso corpo desenvolve. Alguns alimentos considerados alergênicos agravam os sintomas de doenças, são eles:

- leite e seus derivados (queijo, iogurte, coalhada e receitas que os contenham),

- soja,

- trigo e centeio,

- laranja, limão, lima,

- oleaginosas (amendoim, castanhas, nozes, etc).

O recomendado é que substitua o consumo desses alimentos alergênicos, pelo consumo diário de:

- arroz, feijão, carne, legumes e verduras.

- buscar alimentar-se a cada 2h30  (máximo 3 horas) e manter uma boa hidratação,

- evitar a ingestão de líquidos quando estiver almoçando ou jantando e só fazê-lo uma hora após a refeição.

A Doutora Denise recomenda sempre a busca de profissional competente e que vá em busca da causa de seu problema e que não o trate de maneira generalizada.

Network-wide options by YD - Freelance Wordpress Developer