A cabelereira Cláudia Haiashida falou nesta sexta-feira dia 5, sobre corte de cabelo e estilo e ainda mostrou ao vivo como um corte simples pode transformar o visual.

Veja as fotos de antes e depois das modelos que passaram pela transformação.

Um corte chanel super moderno criou o novo visual de Valdete

Ana Alice recebeu um novo visual com franja e repicado

Agora é sua vez, quem sabe você está precisando de apenas um corte de cabelo para mudar o visual, aumentar a auto-estima e começar uma nova etapa em sua vida. Aproveite a dica do Manha Viva!

Ingredientes:

5 xícaras de arroz cozido

1 xícara de queijo parmesão

5 colheres de farinha de trigo

2 ovos

1 coolher de salsinha

100g de queijo mussarela

farinha de trigo para empanar

Modo de preparo

Junte ao arroz, o queijo a salsinha, o trigo , os ovos e misture bem com as mãos. Depois faça os bolinhos e recheie de mussarela. Passe no trigo e frite. Sirva a vontade.

Hoje no Manhã Viva o culinarista Guto ensinou uma deliciosa receita de bolo de fubá. Hummm!!! quem não goste! Experimente essa receita!

Ingredientes:

1 lata de milho verde

3 ovos

1/2 copo de óleo

6 colheres de fubá

2 copos de leite

1e 1/2  copo  de açucar

1 pitada de sal

1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de preparo

Bata no liquidificador  o milho, os ovos e o óleo. Acrescente o resto dos ingredientes e bata novovamente. Despeje a massa em uma forma untada com margarina e farinha. Leve ao forno pre-aquecido por mais ou menos 30 minutos. retire do forno e sirva a vontade.

Culinarista: Guto Ferreira

Contato: (12) 3111-1481

Aí gente, a deliciosa torta de frango de liquidificador que a Mari fez ao vivo no programa está aqui. Não perca tempo e experimente essa gostosura.

Ingredientes:

3 ovos

500ml de leite

200ml de óleo

3 colheres de queijo parmesão ralado

1 copo de farinha de trigo

1 copo de amido de milho

1 peito de frango cozido e desfiado

1 tomate grande picado

400g de creme de leite

cheiro verde a gosto

2 colheres de fermento em pó

Modo de preparo

Coloque no liquidificador os 3 ovos, o oleo o queijo, o leite, a farinha de trigo e o amido de milho e uma colher de fermento em pó. Bata por alguns minutos.

Para o recheio, misture o creme de leite com o frango, acrescente tomate, o cheiro verde e tempere de qacordo com seu gosto. Acrescente a outra colher de fermento em pó e mexa bem.

Em um refratário untado despeje a massa e espalhe sobre ela o recheio e leve ao forno.

Depois de assada, sirva a vontade!

Culinarista: Mari de Fátima

Contato: (12) 3103-3218

São Martinho de Porres

Martinho de Lima, ou melhor, Marinho de Porres, conviveu com a injustiça social desde que nasceu, em 9 de dezembro de 1579, em Lima, no Peru. Filho de Juan de Porres, um cavaleiro espanhol, e de uma ex-escrava negra do Panamá, foi rejeitado pelo pai e pelos parentes por ser negro. Tanto que na sua certidão de batismo constou “pai ignorado”.

Aos oito anos de idade, Martinho tornou-se aprendiz de barbeiro-cirurgião, duas profissões de respeito na época, aprendendo numa farmácia algumas noções de medicina. Assim, estava garantido o seu futuro e dando a volta por cima na vida.

Mas não demorou muito e a vocação religiosa falou-lhe mais alto. E ele, novamente por ser negro, só a muito custo conseguiu entrar como oblato num convento dos dominicanos. Tanto se esforçou que professou como irmão leigo e, finalmente, vestiu o hábito dominicano. Encarregava-se dos mais humildes trabalhos do convento e era barbeiro e enfermeiro dos seus irmãos de hábito. Conhecedor profundo de ervas e remédios, devido à aprendizagem que tivera, socorria todos os doentes pobres da região, principalmente os negros como ele.

A santidade estava impregnada nele, que além do talento especial para a medicina foi agraciado com dons místicos. Possuía muitos dons, como da profecia, da inteligência infusa, da cura, do poder sobre os animais e de estar em vários lugares ao mesmo tempo. Segundo a tradição, embora nunca tenha saído de Lima, há relatos de ter sido visto aconselhando e ajudando missionários na África, no Japão e até na China. Como são Francisco de Assis, dominava, influenciava e comandava os animais de todas as espécies, mesmo os ratos, que o seguiam a um simples chamado.


A fama de sua santidade ganhou tanta força que as pessoas passaram a interferir na calma do convento, por isso o superior teve de proibi-lo de patrocinar os prodígios. Mas logo voltou atrás, pois uma peste epidêmica atingiu a comunidade e muitos padres caíram doentes. Então, Martinho associou às ervas a fé, e com o toque das mãos curou cada um deles.

Morreu aos sessenta anos, no dia 3 de novembro de 1639, após contrair uma grave febre. Porém o padre negro dos milagres, como era chamado pelo povo pobre, deixou sua marca e semente, além da vida inteira dedicada aos desamparados. Com as esmolas recebidas, fundou, em Lima, um colégio só para o ensino das crianças pobres, o primeiro do Novo Mundo.

O papa Gregório XVI beatificou-o em 1837, tendo sido canonizado em 1962, por João XXIII, que confirmou sua festa no dia 3 de novembro. Em 1966, Paulo VI proclamou são Martinho de Porres padroeiro dos barbeiros. Mas os devotos também invocam sua intercessão nas causas que envolvem justiça social.