Parece que foi ontem. Ainda assisti com ele a fatídica posse do Presidente Colllor. Estava com câncer na boca. No início de dezembro, quando cheguei do seminário ele me revelou o fato e disse que estava com uma “maldita doença”. Três meses depois, quando o vi com muito dificuldade para se alimentar deabafei:  “Pai, que maldita doença!” Ele me corrigiu: “-Bendita doença, João, que me garante o céu!” Parecia heresia aos meus ouvidos de teólogo aprendiz. Ele já vivia em um plano superior aonde até as heresias já não significam muito. Disse mais… falou que eu deveria voltar para o seminário em Taubaté, pois ele sabia morrer sozinho. Foi assim. Voltei e no dia seguinte ele faleceu. Pe. Léo, então Frater Léo,  me levou às pressas para o aeroporto. Foi minha primeira viagem de avião. Hoje fazem 19 anos que fui acordado de madrugada pelo reitor para dizer que meu pai tinha falecido. Coisas da vida. Minha irmã levará flores para o túmulo de meu tímido pai, Samuel Sidnei Almeida. Profissão: contador. Defeitos: muitos. Virtude: sabedoria.

Neste dia é impossível não sentir uma alegria misturada com saudade e até uma pontinha de tristeza. Meu pai, Samuel, já está há tantos anos junto de Deus. Cantei a canção que Deus me inspirou em homenagem ao meu tímido heroi:

Pai, que saudade! / De perguntar porquê / Pergunta de criança que apenas o pai sabe responder / Que vontade de te olhar e dizer: Pai, por que?

Por que tem pai que chora sem emprego? / Por que tem pai que bebe e não tem paz?

Por que tanta criança sente medo e não tem pai? / Por que tem pai que nunca reza junto? / Por que tem pai que esquece de voltar? / Por que tanta criança sem brinquedo? / Por que, Pai!

Pai, lembro o dia / Teu convite pra pescar / Aquela pescaria na beira de um rio em qualquer lugar / marcou a minha vida porque meu pai tem tempo pra brincar.

O carro de brinquedo que me deu / Aquela bicicleta de que eu caí / O teu sorriso quieto meio sem jeito, me faz sorrir / O dia em que não teve nenhum brinquedo / Eu lembro muito bem a explicação / Melhor na vida é estar presente de coração!

Pai, eu te escuto /  Lá do céu a responder / Perguntas de criança que cresce, mas ainda quer saber “por que”… / Por que Deus leva o pai da gente, pai por que?

Porque há um só pai que está no céu / A solução do mundo é ser irmão / Só existe uma resposta ao seu por quê…

PORQUE DEUS É PAI!

16 Comentários

  1. Oi João…
    Me fizesse chorar… E olha que isto não é algo fácil.. Porque me pareço muito com o pai…
    Realmente não é fácil pensar que faz 19 anos que não temos o pai presente por causa de uma maldita doença… Porém fica fácil quando pensamos na bendita doença que lhe garantio o céu…
    Hoje irei lhe levar flores… Faço isto por mim, por ti e pela Sandra que são os frutos dele.
    Ana Carolina

  2. Simone Teixeira

    Pe. Joãozinho, é bom ter coisas boas pra lembrar e sentir saudades… Meu pai se foi em 2001 e, mesmo sem ter respostas para meus porquês, deixou saudades porque seu coração era maior que o descontrole de certos momentos! Era um homem bom e também ganhou o céu passando pelo câncer!!! Minha mãe não soube ficar viúva muito tempo e partiu em 2003… Na realidade ela me confessou que tinha suportado ver seu marido partir, mas que a filha, que também estava com câncer, ela não iria conseguir suportar… Minha irmã foi 10 meses depois de minha mãe! Você pôde acompanhar esse período da minha vida e sabe que a morte de meu pai e de minha irmã me permitiram descobrir que estava com câncer antes que a doença fosse capaz de me matar… Entendo a sua saudade, quando olho para minha sobrinha que perdeu a mãe aos 10 e meu sobrinho aos 7… Entendo sua dor, quando penso que parece que foi ontem para mim também e que não tive tempo de viver uma coisa de cada vez! Do céu, na comunhão dos Santos, nossos entes queridos estão juntos de nós! Pe. Léo também…
    Meu carinho e obrigada pela beleza de sua poesia e pelo carinho que você demonstra por seu pai até hoje… Penso que ser “órfão” de pai vivo como meus filhos se sentem hoje, deve ser bem mais difícil…

  3. ola,padre tenha um santo dia .

  4. Elen Janaina Bocardi Padovani

    19 anos se passaram…parece que o tempo está sempre com muita pressa… a saudade toma conta de muitas brechinhas no nosso coração….22 anos que tive o prazer de conhecer sua família…como estão todos? Dona Glória, Sandra e Ana…um grande abraço da sua irmã Janaina

  5. Maria Célia Mendes

    Padre Joaozinho,
    Vc me fez lembrar do meu pai. Ele também já se foi, tinha 7 filhos, passou muitas dificuldades, mas eu nunca o vi reclamar alguma coisa da vida. (Eles eram feitos de outro material?).
    Eu sei como vc se sente hoje: saudade, mas não doída como antes. O tempo vai cicatrizando aquela dor dolorosa do primeiro ano, mas tem dia que a saudade aperta muito, não é mesmo?
    Que Deus lhe dê conforto nesse dia.
    Abraços,
    maria célia – Ribeirão Preto

  6. Pe. Joãozinhi, já dizia o poeta “só se tem saudades do que é bom, se chorei de saudade não foi por fraqueza, foi porque amem…”
    meus sinceros sentimentos.
    Meu Pai faleceu no dia 23/11/2001 deitado em uma cama de hospital, em coma epatico, bebeu muito, o vício o venceu, mas Jesus o ressucitará por todas as coisas boas daquele coração sincero e sereno, um homem inteligentissimo que nunca me deixou por um gole daquilo que ele não conseguia deixar…

    Deus tem seus propositos em nossa caminhada!

    exitem dores que são necessárias para aprender a voar, assim como águia.

    fica na Paz!
    PAI (padre)

  7. Paulo Roberto Girão Lessa

    SÃO JOSÉ: PAI AMIGO

    Maria precisou muito de seu esposo

    José para dar continuidade à tarefa

    de criar e auxiliar Jesus em sua

    missão redentora.

    São José assumiu compromisso com

    sua amada Maria e respeitou-a sendo

    amoroso e terno ao extremo.

    Nos dias de insegurança da jovem

    Maria, José foi companheiro e amigo

    e dedicou àquela família todas as

    forças e energias.

    Mesmo sem entender os mistérios do

    Menino adorado por reis magos e

    pastores, o carpinteiro José soube

    não se abalar com as loucuras de

    Herodes e a dureza das Legiões

    Romanas.

    Na hora certa, tomou a decisão de

    ir para o Egito e de voltar depois da

    morte de Herodes.

    A criança cresceu tendo como

    exemplo, aqui na Terra, de um pai

    amigo, trabalhador e seguro.

    Jesus certamente tem para com José

    uma gratidão imensa. Ele foi modelo

    para o jovem pregador.

    José nunca pensou em separar-se de

    Maria. Um completava o outro.

    O amor e o respeito era lição de vida

    no casal.

    As crises que abalam os casamentos

    hoje, principalmente no primeiro

    ano de união, não abalaram um casal

    que colocou o Amor e a renúncia

    diante da missão como a fonte maior

    de felicidade para a família.

    Paulo Roberto Girão Lessa

  8. Maria Inês

    Pe. Joãozinho,

    Como é belo a família!!!!!!!
    é o que mais na Terra se parece com a vida da Santíssima Trindade….
    Pai/Mãe/ Filhos!!!!!!!!!!!

    Obrigada por partilhar experiências da partida ao céu de seu amado Pai!

    Maria Inês

  9. ANA VALESKA

    Pe. Bom dia e sua bênção!
    ” A saudade eterniza a presença de quem se foi”

    Pe. acho muito linda e saudosa a letra dessa música, alguns acham triste, eu ñ acho uma homenagem ao seu pai, se achar coveniente e ético pode postar.
    Um abraço fraterno
    ANA VALESKA – FORTALEZA

    Meu Velho by Altemar Dutra
    Composição: (José / Piero – Vs. Nazareno de brito)

    É um bom tipo meu velho
    Que anda só e carregando
    Sua tristeza infinita
    De tanto seguir andando
    Eu o estudo desde longe
    Porque somos diferentes
    Ele cresceu com os tempos
    Do respeito e dos mais crentes
    Velho, meu querido velho
    Agora caminha lento
    Como perdoando o vento
    Eu sou teu sangue meu velho
    Teu silêncio e teu tempo
    Seus olhos são tão serenos
    Sua figura é cansada
    Pela (maldita doença) foi vencido
    Mas caminha sua estrada
    Eu vivo os dias de hoje
    Em ti o passado lembra
    Só a dor e o sofrimento
    Tem sua história sem tempo
    Velho, meu querido velho
    Agora caminha lento
    Como perdoando o vento
    Eu sou te sangue me velho
    Teu silêncio e teu tempo

  10. Bom dia, Pe. palavras não tenho, mas resolvi escrever que li seu belo relato e que compartilho seu sentir.
    Sua benção.

  11. oi joao

    ainda me lembro de tantas andanças de moto,tantas flores escondidas para dar a mae… tao timido.. tao romantico e diria que chorao…talvez dos tres, eu fui que mais estive com ele, inclusive na hora de decidir vai para o hospital… hoje ainda choro e sinto muitas saudades, ja o perdoei, assim como me ensinate. agradeço a ana por ter levado as flores, pois ele era um romantico, um paizao…
    beijos da irma
    Sandra

  12. Maria Rosa

    Boa noite, Padre.
    Neste tempo em que só se fala de estupro, aborto, excomunhão… tempo este em que todo mundo, conhecedor da lei ou não, católico ou não, resolveu se manifestar, julgando não só a Igreja Católica, mas todos os envolvidos no caso de Alagoinha, nada melhor do que lembrar do pai.
    O meu já se foi há 33 anos atrás, quando eu tinha apenas nove anos de idade. São poucas as lembranças que eu tenho dele, mas todas elas muito boas e marcantes para eu me tornar a pessoa que sou hoje. Uma das lembranças mais fortes é de passear pelas praças de mãos dadas com ele. Com certeza, naqueles momentos, embora não soubesse, eu era a criança mais feliz do mundo, pois tinha um pai, tinha uma referência, um porto seguro.
    Daí, eu volto a me lembrar da pobre menina de Alagoinha, que com os mesmos nove anos, suponho, não pode ter esta lembrança de pai.
    Sejamos menos julgadores e mais cristãos.
    Sua benção.

  13. Maria Eugenia/Paraiba

    Ontem eu não li seu blog, hoje me supreendi com essa fala da perda de seu pai; também perdi o meu há 25 anos, ele morreu só num hospital… como é triste Padre pensar assim, que quem tanto amamos se foi sozinho, sem uma mão a segurar. Meu pai morreu triste comigo, erros da juvcntude, eu não tive tempo de escutar seu perdão e essa sua música me deu uma esperança nessa frase:
    ..Pai eu te escuto no ceu a responder… Talvez a minha resposta seja esse perdão e ao Senhor: Como me orgulho de você filho!

    Sempre e sempre a Paz de Jesus !!!

  14. Caro Pe. Joãozinho,

    Hoje, excepcionalmente, não pedirei sua benção.
    Passei aqui para deixar um abraço.
    Momentos como esse, de lembranças marcantes em nossa alma, são momentos onde não pensamos. Apenas somos e sentimos. Não tem por que pergunta, porque resposta! E nem precisa. Deixamos aflorar recortes íntimos de nosso ser…
    Que linda sua homenagem ao seu pai, padre!

    um grande abraço, estendido às suas irmãs Ana e Sandra

    Heloisa

  15. Patricia-SP

    Ops…não era este recado!!!!! Desculpe Pe. Joãozinho. entrou aqui o recado sobre o aborto escrevido por mim na outra postagem…

    Aqui eu inha escrito uma dedicatória mas não entrou… Delete por favor o escrito acima e vai novamente a postagem certa:

    Pe. Joãozinho.

    Que alegria ver descrito aqui a imensidão do amor dedicado por seu pai. Ele até pode não estar mais presente ao seu lado mas é evidente a sua presença viva quando vc escreve sobre ele. Eis a beleza da paternidade. Deixar expresso na alma dos filhos a presença rica em amor, valores e ensinamentos. Isso é divino!

    Agradeço a Deus por hoje vc ser pai de muitos. Que Deus o continue abençõando e que a alegria continue permanecendo ao teu lado

    Abraço fraterno

    Patricia-SP

  16. Oi Padre,

    Bom. Sei bem como é ter algum familiar querido vitimado pelo câncer. Doença realmente que aproxima o infinito diante da finitude da vida.

    Minha avó morreu de câncer. Alias, uma não. As duas.
    Mas uma eu pude acompanhar de perto todo sofrimento causado.

    O câncer vai minando a pessoa, pouco-a-pouco.
    Primeiro, a vitalidade. Em seguida, a memória.
    Por fim, a consciência.

    Feliz daqueles que, diante de tal situação, conseguem viver os ultimos dias de forma digna, e fazer de seu sofrimento, uma forma de elevação pessoal.

    Mas, permita-me somente um aparte?

    Por que “a fatídica posse do Presidente Colllor”? Creio que os livros de História são um tanto ingratos e injustos com a biografia desse presidente.

    Ele cometeu erros? Sim, muitos. E foi punido – aliás, é o único presidente na recente democracia brasileira que foi realmente punido.

    Porém, graças à Collor, muitas coisas no Brasil melhoraram.

    Só em acabar com a fatídica “reserva de mercado”, ele tirou a indústria brasileira de 30 décadas de defasagem tecnológica, obrigando os empresários a reequiparem o maquinário, melhorando consideravalmente os produtos manufaturados no Brasil.

    No governo Collor, importantes leis – como o Codigo de Defesa do Comsumidor e o Estatuto da Crianca e do Adolescente – foram votados e sancionados.

    Ainda no governo Collor, foram lancada as bases das privatizacoes – em especial, das telecomunicacoes – que permitiram que uma boa porcentagem de brasileiros tivessem acesso a um telefone (fixo, celular e hoje, à internet!).

    Por fim, ele extingiu verdadeiros “ralos” por onde o dinheiro público era exvaído: a Embrafilmes e o INPS.

    Com a extincao do INPS, ele reeformulou – pela primeira vez – o regime de aposentadoria no país, corrigindo distorções históricas.

    Enfim,

    Desculpa-me o aparte num texto onde a tônica do comentário deveria ser o acontecimento de sua vida e de seu pai.

    Abracos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>