set
01

Por que dedicar um mês à Bíblia?

saojeronimoNo Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos estabeleceu setembro como o “mês da Bíblia” por várias razões importantes. Este mês foi escolhido, porque o grande São Jerônimo, que traduziu a Bíblia do hebraico e grego para o latim, tem sua memória litúrgica celebrada no dia 30 de setembro. Ele foi secretário do grande Papa São Dâmaso (366-384), que o incumbiu dessa grande obra chamada “Vulgata”, por ser usada em toda a parte.

São Jerônimo levou cerca de trinta e cinco anos fazendo essa tradução nas grutas de Belém, vivendo a oração e a penitência ao lado da gruta onde Jesus nasceu. O santo disse que “desconhecer as Escrituras é desconhecer o próprio Cristo”. Ele nos deixou um legado de grande amor às Sagradas Escrituras. E possuía grande cultura literária e bíblica, sabia grego, latim e hebraico.

A Sagrada Escritura é alimento para a nossa alma e fonte de vida. Jesus conhecia profundamente a Bíblia. Mais do que isso: Ele a amava e se guiava por suas palavras. Isso é o suficiente para que todos nós façamos o mesmo. Na tentação do deserto, quando o demônio investiu contra o Senhor, Ele o rebateu com as palavras da Escritura. Quando o tentador pediu que Ele transformasse as pedras em pães para provar Sua filiação divina, Jesus lhe disse: “O homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor” (Dt 8,3c).

Quando o tentador exigiu que Ele se jogasse do alto do templo, Jesus lhe respondeu: “Não provocareis o Senhor vosso Deus” (Dt 6,16a). E quando satanás tentou fazer com que Cristo o adorasse, ouviu mais uma vez a Palavra de Deus: “Temerás o Senhor, teu Deus, prestar-lhe-ás o teu culto e só jurarás pelo seu nome” (Dt 6,13). O demônio foi vencido e se afastou, porque não tem poder diante da Palavra de Deus.

Não é sem razão que São Pedro disse: “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus” (2 Pd 1,20-21).

A importância do mês da Bíblia é que o povo brasileiro a conheça melhor e seja motivado a estudá-la com mais profundidade, uma vez que não é fácil compreendê-la, especialmente o Antigo Testamento. A Bíblia não é um livro de ciência, mas sim de fé. Utilizando os mais diversos gêneros literários, ela narra acontecimentos da vida de um povo guiado por Deus, quatro mil anos atrás, atravessando os mais variados contextos sociais, políticos, culturais, econômicos, entre outros. Por isso, a Palavra de Deus não pode sempre ser tomada ao “pé da letra”, literalmente, embora muitas vezes o deva ser. “Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica” (2 Cor 3,6c), disse São Paulo.

Portanto, para ler a Bíblia de maneira adequada, exige-se, antes de tudo, o pré-requisito da fé e da inspiração do Espírito Santo na mente, sem o que a interpretação da Escritura pode ser comprometida. Mas é preciso também estudá-la, fazer um curso bíblico, entre outros.

A Carta aos Hebreus diz que “a Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma A carta aos hebreus diz que “a Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes, e atinge até à divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4,12).

“Vossos preceitos são minhas delícias.
Meus conselheiros são as vossas leis.” (v. 24)
“O único consolo em minha aflição
É que vossa palavra me dá vida.” (v. 50)
“Quão saborosas são para mim vossas palavras,
mais doces que o mel à minha boca.” (v. 103)
“Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos. E uma luz em meu caminho.” (v. 105)
“Encontro minha alegria na vossa palavra,
Como a de quem encontra um imenso tesouro.” (v.162)espada de dois gumes, e atinge até à divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4,12).

Para que a Palavra de Deus seja eficaz em nossa vida, precisamos, pela fé, acreditar nela e colocá-la em prática objetivamente. Em outras palavras, precisamos obedecê-la, pois, ao fazer isso, estaremos obedecendo ao próprio Senhor.

Mas nem sempre a Bíblia é fácil de ser interpretada pelas razões já expostas. É por isso que Jesus confiou a interpretação dela à Igreja Católica, que o faz por meio do Sagrado Magistério, dirigido pela cátedra de Pedro (o Papa) e da Sagrada Tradição Apostólica, que constitui o acervo sagrado de todo o passado da Igreja e de tudo quanto o Espírito Santo lhe revelou e continua a fazê-lo no presente. (cf. Jo 14, 15.25; 16, 12-13).

A alma da Igreja é o Espírito Santo dado em Pentecostes; por isso a Igreja não erra na interpretação da Bíblia, e isso é dogma de fé. Jesus mesmo lhe garantiu isso: “Quando vier o Paráclito, o Espírito da verdade, ensinar-vos-á toda a verdade” (Jo 16,13a).

Embora seja feita de homens, santos e também pecadores, a Igreja Católica tem a garantia de não errar na interpretação dos assuntos da fé. Entretanto, ela não despreza a ciência; muito pelo contrário, a valoriza tremendamente para iluminar a fé e entender a revelação.

O Vaticano possui a “Pontifícia Academia de Ciências”; em Jerusalém está a Escola Bíblica que se dedica a estudar exegese, hermenêutica, línguas antigas, geologia, história antiga, paleontologia, arqueologia e tantas outras ciências, a fim de que cada palavra, cada versículo e cada texto da Bíblia sejam interpretados corretamente. É a fé caminhando junto com a ciência.

 :: Leia mais atigos na categoria Bíblia

Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.


:: E aqui em Brasília você pode se aprofundar mais nas Sagradas Escrituras participando conosco do Curso Bíblico de 21 a 23 de setembro ::

Curso Bíblico

Curso Bíblico

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/09/01/por-que-dedicar-um-mes-a-biblia/

ago
31

Como lidar com as brigas e os desentendimentos no namoro?

Brigas e desentendimentos no namoro não podem virar a 3ª Guerra Mundial. Quantas vezes você se desentende com si mesmo ao acordar? Às vezes, irrita-se com algo que acontece de imprevisto ou que poderia ter feito e não fez? Quantas são as situações que o chateiam quando pensa: “Nossa, como pude fazer isso? Meu Deus! Sério que fiz isso?”.

shutterstock_141473485-625x340De fato, desentendemo-nos com nós mesmos, e, nessa hora, precisamos nos reconciliar. Essa é a aventura humana! Agora, alargue um pouco sua visão e pense: tudo isso em um relacionamento a dois! O nome já diz: trata-se de duas pessoas, de dois mundos, duas histórias, duas visões e dois sentimentos. Por isso, é inevitável o desentendimento e o conflito.

Quanto se trata de namoro, noivado ou casamento, então, meu Deus! Um simples ato de apertar a pasta de dente ao meio pode ser um “campo minado” para estourar uma discussão acalorada com sua digníssima, a qual, simplesmente, não suporta o fato de você não apertar o creme dental no início do tubo.

Desentendimentos surgirão, mas a pergunta é: Como lidar com eles? Como não fazer do relacionamento uma 3ª Guerra Mundial? Ah, e se você acha que o fato de rezar ou ter uma vida sem estresse o blindará desses momentos de tensão, fique tranquilo e permita-se ser humano. Até o Papa disse: “É habitual os casais se zangarem… Às vezes, [até] voa um prato. Contudo, por favor, lembrem-se disso: não acabem o dia sem fazer as pazes. Nunca, nunca! Esse é um segredo para conservar o amor”.

Se posso também dar uma dica, darei três para quando surgirem as desavenças, tá legal?

Buscar uma solução: Quando há um ponto de divergência, é interessante parar e pensar: Há uma solução para isso? Podemos solucionar o problema que surgiu? O diálogo será o meio mais eficaz de descobrir as soluções!

Achar o meio termo: Nem sempre o problema terá uma solução. Nessa hora, não se trata de um ou o outro vencer, com uma saída plausível. É interessante achar o ponto de equilíbrio que fique bom minimamente para ambas as partes. O meio termo é: “Nem para o seu lado nem para o meu, mas o melhor para o nós!”.

Deixar passar: Há coisas e situações para as quais, de fato, não adianta gastar fosfato nem massa cinzenta. Só o tempo poderá resolver! Há situações que precisam de um dia, dois ou mais para serem resolvidas; nesse tempo, com os ânimos mais calmos, as coisas podem se assentar ou, literalmente, você vai precisar deixar passar!

Como dialogar e ter sucesso no falar?

Pergunta boa! Às vezes, no diálogo, falamos A, mas o outro entende B; e saímos com um R de “raiva”!

Uma simples equação na fala pode ajudar! Vamos lá:
“Quando você faz isso____________, eu sinto isso _______________. Acho que poderia ser assim _______________.”

Nessa hora, a pessoa poderá dizer o que pensa na mesma equação; dessa forma, as coisas vão ficando mais claras! Muitas vezes, por não sabermos identificar com nitidez nossos sentimentos e falar deles, entramos em enrascadas.

Muitos se perdem e perdem lindos relacionamentos por não saberem sobreviver a esses momentos de incompatibilidade de gênio! Gosto do pensamento de Chesterton sobre isso, quando ele analisa a causa de muitos divórcios: “Já que os americanos admitem o divórcio por “incompatibilidade de gênio”, não consigo compreender como não se divorciaram todos, pois tenho visto muitos casamentos felizes, mas nunca um casamento compatível. O casamento é justamente feito para a luta e para transpor o instante em que a incompatibilidade triunfa, porque o homem e a mulher são, por definição, incompatíveis”. Chesterton (What’s wrong with the world)

Sempre seremos incompatíveis pelo simples fato de sermos homens e mulheres(corpo, mente e até o jeito de rezar são diferentes!). Isso é ótimo, pois é a medida certa para que possamos viver a santidade, que é busca por uma inteireza enquanto pessoa humana.

Então, podemos até quebrar uns pratos, mas nada de dormirmos brigados, tá legal?

Tamu junto!

Adriano Gonçalves

Mineiro de Contagem (MG), Adriano Gonçalves dos Santos é membro da Comunidade Canção Nova. Cursou Filosofia no Instituto da Comunidade e é acadêmico de Psicologia na Unisal (Lorena). Atua na TV Canção Nova como apresentador do programa Revolução Jesus. Mais que um programa, o Revolução Jesus é uma missão que desafia o jovem a ser santo sem deixar de ser jovem. Dessa forma, propõe uma nova geração: a geração dos Santos de Calça Jeans. É autor dos seguintes livros: “Santos de Calça Jeans”, “Nasci pra Dar Certo!” e “Quero um Amor Maior”

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/31/como-lidar-com-as-brigas-e-os-desentendimentos-no-namoro/

ago
28

Clip da semana "Decidido estou" de Olívia Ferreira

Decidido estou

CD Ele é o Senhor – Olívia Ferreira

Decidido estou a buscar-Te mais e mais
Eis me aqui, Senhor, usa-me
Não me cansarei, nada me impedirá
Eis me aqui, Senhor, usa-me

Sei que os Teus olhos estão sobre mim
Sou alvo de Tuas bênçãos, Senhor!
A Tua luz ilumina meu ser
Tua destra é o que me sustenta

Eu me rendo a Ti Senhor,
Prevaleça a Tua vontade
A Tua graça me basta pra viver,
Quero transbordar do Teu Espírito

Quando penso que entendi o Teu agir,
Mais eu vejo o quanto sou limitado
Eu preciso que me ensines a ser mais de Ti,
Fala Senhor ao meu coração

Vem, vem, vem, vem Espírito

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/28/clip-da-semana-decidido-estou-de-olivia-ferreira/

ago
26

Viramos escravos da própria carreira?!

formacao_voce-se-critica-muitoCom tantos sonhos e ambições, tornamo-nos escravos da própria carreira!

“Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas”. No texto ‘Felicidade Realista’, de Martha Medeiros, encontra-se a frase citada acima, que traz um questionamento referente ao estilo de vida que adotamos e as metas que buscamos alcançar ao longo da carreira profissional.

O trabalho, o cotidiano rotineiro têm tirado os prazeres básicos que tanto almejamos, como ganhar o suficiente para pagar as despesas, poder se divertir aos fins de semana e desfrutar de momentos felizes com a família. O simples passou a ser pouco, buscamos o extraordinário e, por mais que o alcancemos, não nos damos conta e continuemos a buscar, buscar, buscar…

Trata-se de um vazio infinito, fruto de uma saga que nunca vai se completar, já que nada nos satisfaz, e queremos sempre mais e mais. Para isso trabalhamos mais, estressamo-nos mais, adoecemos mais e por aí vai. Dados mostram: cresce o número de pessoas que querem se curar dos efeitos drásticos causados pelo trabalho na mente e no corpo.

As empresas estabelecem estilos de vida ilusórios que cegam seus colaboradores; assim, esses indivíduos esgotam as horas extras, perdem o lazer, deixam de lado os relacionamentos em troca de destaque, dinheiro e prestígio. Mas será que tudo isso vale a pena? O que é essencial para nossa vida?

Tenho a impressão de termos esquecido que para sermos completos nos basta cultivar as coisas simples, como um almoço com pessoas queridas, um reencontro inesperado, a lembrança que uma boa música nos traz. Deixamos de lado tudo isso para enfrentar, competir, lucrar e vencer. Uma vitória sem ganhadores, ou como se alguém vencesse um campeonato, mas não fosse buscar o prêmio, porque não percebeu que era o campeão.

Volte-se para dentro de si e descubra o que realmente o eleva de forma consciente. A paz interior precisa ser contemplada. O tempo perdido não volta, porém ainda é possível escrever uma nova história, mais feliz, com quem amamos!

 

Ioná Piva

Atualmente é professora dos cursos de Comunicação Social da Faculdade Canção Nova (Jornalismo e Rádio e Televisão). Mestranda do programa de pós graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista, cuja linha de pesquisa é: Inovações Tecnológicas na Comunicação Contemporânea.

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/26/viramos-escravos-da-propria-carreira/

ago
25

Talvez você seja Canção Nova!

padrejonas_sorrisoHá certos momentos em que perguntas surgem e respostas precisam ser dadas: “O que fazer da minha vida? O que Deus pensou para mim quando me criou? Para onde ir e colocar todos estes anseios em prática?”

Parece que nesta hora um “chamado” surge e é como se nos sentíssemos impelidos a dar passos na descoberta do nosso lugar neste mundo. É grande a possibilidade de você entrar neste processo de cabeça e quem sabe descobrir sua vocação!

Já vou direto ao assunto porque, talvez, você seja Canção Nova!

( ) Quando você olha para sua vida, você encontra uma história de sede de Deus, momentos de intensa proximidade com a Palavra, adoração, missa, intimidade com Nossa Senhora. Estas são realidades que te mantém de pé. De fato, Deus é o centro de toda sua vida, agir e ser! Existe uma constância em se abandonar ao “Deus proverá”, pois a Divina providência tem conduzido a sua vida há tempos.

(  )  Ao rastrear suas intuições você se depara com um anseio de ser um homem novo, uma mulher nova para um mundo novo. Há vontade de ser formado, curado. Você busca, em pessoas mais experimentadas na vida, conselhos, direção. Não para na conversão de três anos atrás, mas vive cada dia em profundo desejo de santidade! Porém, como não quer guardar para si a “pérola preciosa” você quer ajudar a outros, quer que eles possam ser felizes, acredita no processo de cada pessoa, impulsiona. Olha com olhos positivos para o outro, sempre na expectativa de que ele pode ser melhor.

(  ) Viver sozinho te causa certa angústia, gosta de estar com as pessoas, partilhar sonhos projetos, vida. Lidar com as diferenças entre as pessoas é para você um desafio gostoso, onde o que conta é o “bom” a ser partilhado, e o “mau” pode ser trabalhado com olhos de misericórdia! Neste mundo tão “erotizado” você acredita e deseja viver a pureza de relacionamentos entre o masculino e feminino em uma profunda sadia convivência.

(  ) E quanto mais a fundo você vai, mais encontra um ardente desejo em fazer a diferença neste mundo. Por isso, não mede esforços em trabalhar, dar duro para que as pessoas se encontrem com Deus! Tem disposição de, literalmente, “suar a camisa” para que Jesus seja anunciado a todos sem distinção. Trabalhar, ser ativo é uma marca que você deixa por onde passa! E. porque sabe viver bem a autoridade e submissão onde está, também é apto ao trabalho em equipe.

É meu caro (a), se ao ler os parágrafos acima, você disse: “Cara, eu sou isso, é bem assim!”, quero te dizer: “Talvez você seja Canção Nova”

Mons. Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova, diz: “Se o Pai criou alguém para ser Canção Nova, esta pessoa possui, pelo menos em embrião, tudo o que acabo de enumerar”.

Eu tentei enumerar um pouco do que é ser Canção Nova. Quem sabe você tenha marcado um “X” nos parágrafos acima! Então, não perca tempo em entrar neste caminho de descoberta! Mande seu e-mail para: vocacionalbrasilia@cancaonova.com

Pode ser que você seja Canção Nova e falte-lhe apenas a coragem para fazer parte dela. Uma boa descoberta a você!

:: Visite o site da Comunidade Canção Nova ::

Tamu junto,

Adriano Gonçalves
Comunidade Canção Nova

AtalFVATbI3nB4YW96eIUEE_smXjW0m3VfNwbO_DetWX

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/25/talvez-voce-seja-cancao-nova/

ago
21

Agenda Canção Nova Brasília

Ser Canção Nova é bom demais!!! Anote aí as atividades da Missão Canção Nova em Brasília e participe conosco! Sempre uma oportunidade de se encontrar com Jesus!

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/21/agenda-cancao-nova-brasilia/

ago
20

Ana Lúcia, cantora católica, lança CD na Canção Nova

Consagrada da Canção Nova grava o seu primeiro CD solo com 11 canções inéditas

ana_lucia_lanca_cd_na_cancaonova

No dia 22 de agosto, durante o“Acampamento no Combate da Oração”, a consagrada da Comunidade Canção Nova Ana Lúcia Rocha Biajoni lança o seu primeiro álbum solo. A missionária já participou de outros trabalhos musicais como o CD do Ministério Amor e Adoração, Feito Tudo para TodosQuem me segurou foi Deus, Cantando Salmos e Amor é decisão.

O show de lançamento do trabalho musical será realizado no sábado, 22, às 21h, no Centro de Evangelização. O CD intitulado “Jesus, nome sobre todo nome” contém canções baseadas na Palavra de Deus, no louvor, na libertação e nos devocionais.

:: Baixe as cifras das músicas do novo CD de Ana Lúcia

O álbum contém 11 canções inéditas e duas regravações, com destaque para as músicas “Acima de todo nome” e “O Senhor é minha luz”. “’O Senhor é minha luz’ é baseada na passagem de Miqueias 7, 7-8 e no testemunho de um casal de consagrados Canção Nova que lutam contra o câncer; e ‘Acima de todo nome’ traz a Palavra de inspiração de todo o CD descrita em Filipenses 2”, contou Ana Lúcia.

A cantora católica diz esperar que os peregrinos vivam uma noite de exaltação ao nome de Jesus durante o show, porque o lançamento do CD acontecerá em um acampamento que reunirá pessoas com “sede” de Deus e oração.

“Cantar essas músicas é proclamar a Palavra de Deus sobre a vida, porque elas são repletas de trechos bíblicos e da doutrina católica, que eu tanto amo. Mais do que apresentar músicas, o Senhor colocou no meu coração que cada canção deve ser ministrada para a exaltação da Sua glória e da fé de Seu povo”, explicou.

O show terá a participação especial de Eliana Ribeiro, Ministério Amor e Adoração e uma terceira participação, a qual, segundo Ana Lúcia, será uma surpresa para os peregrinos.

“Vamos dar um show de fé para o mundo, vamos exaltar a nossa fé e louvar ao nosso Deus. Na noite de sábado, vamos tomar posse da vitória da Ressurreição de Cristo Jesus. Venha proclamar a vitória em sua vida e exaltar o Rei dos reis”, convidou Ana Lúcia.

O CD está disponível na loja.cancaonova.com, na Loja do DAVI e com os arrecadadores Porta a Porta, clique aqui e adquira.

 

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/20/ana-lucia-cantora-catolica-lanca-cd-na-cancao-nova/

ago
19

Nobel da Paz: Papa concorre ao prêmio pela terceira vez!

Desde que foi eleito Papa, Francisco é indicado ao Nobel da Paz; Papa concorre com mais 273 candidatos

Da Redação do CN Notícias, com Rádio Vaticano

O prêmio Nobel da Paz 2015 pode ir para o Papa Francisco. Pela terceira vez, o Santo Padre concorre ao prêmio junto com mais 273 candidatos que foram indicados por organizações internacionais. O vencedor será anunciado no próximo dia 9 de outubro.

Francisco se tornou uma das figuras mais fortes por sua mediação e pacificação de conflitos. Um dos episódios recentes e marcantes foi seu diálogo com Estados Unidos e Cuba, levando ao restabelecimento de relações diplomáticas após mais de 50 anos de ruptura.

O comitê organizador do prêmio informou que recebeu 273 candidaturas ao Nobel deste ano, das quais 68 são organizações e 205 personalidades. Desde que foi eleito Bispo de Roma, Francisco foi indicado à premiação.

A entrega do prêmio está prevista para dois meses após o anúncio, em cerimônia realizada em Oslo. O prêmio é atribuído à pessoa que “mais ou melhor tenha trabalhado em favor da fraternidade entre as nações, a abolição ou redução dos exércitos existentes e a celebração e promoção dos processos de paz”. Desde que foi instituído por Alfred Nobel, em 1895, nenhum Papa recebeu a distinção.

Em 2014, os vencedores do Nobel da Paz foram o indiano Kailash Satyarthi, por sua luta contra a supressão das crianças e jovens, e a paquistanesa Malala Yousafzay, pela luta em prol do direito de todos à educação.

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/19/nobel-da-paz-papa-concorre-ao-premio-pela-terceira-vez/

ago
18

Por que não posso acreditar em superstição?

Uma das formas grave de superstição é um certo fanatismo religioso 

A palavra “superstição” vem do latim superstitionem, vocábulo cuja origem até hoje é controvertida, embora seja consenso de que o prefixo super (acima) refira-se aos poderes que estão acima dos homens. Superstição poderia ser então acreditar em forças que estão acima da natureza e, nesse conceito, a religião seria uma forma de superstição. No entanto, superstição significa acreditar em forças e realidades mágicas, sem qualquer fundamento racional. Dessa forma, fé e superstição, embora sejam realidades aparentemente próximas, são bem distintas. A confusão é grande, por isso o Catecismo da Igreja Católica coloca a superstição como um pecado contra a fé, “um excesso perverso contra a religião” (CIC 2110).

Crer significa acreditar em algo que minha razão mesmo não observou, mas, que pela palavra de alguém fidedigno, eu acredito. Crer não significa dar razão a algo irracional, mas a algo que, embora minha razão não tenha alcançado por si mesma, é coerente com a razão.

A fé sobrenatural, dom de Deus, capacita-nos a acreditar e viver as realidades sobrenaturais, que por serem espirituais, não deixam de ser reais. O cristão tem fé, porque “crê em Deus, em tudo o que Ele disse e nos revelou” (CIC 1814).

Na superstição, ao contrário, a pessoa acredita em objetos, gestos e rituais mágicos.Não é adesão a uma autoridade superior (Deus) e Sua revelação, mas a “crendices” surgidas no meio povo, como sair de casa com pé direito para ter sorte, nunca passar debaixo de uma escada, não ter espelho quebrado em casa, porque dá azar etc. Geralmente, essas crendices supersticiosas expressam medos e inseguranças corriqueiras, mas, às vezes, tomam forma de ocultismo como na magia, adivinhação e feitiçaria, proibidos pela Sagrada Escritura (cf. 2Rs 21,6; Is 2,6), e de astrologia, prática também abominada por Deus (cf. Dt 4,19).

Uma forma grave de superstição é um certo fanatismo religioso; e nós, católicos, tantas vezes caímos nessa tentação. Os sacramentos e sacramentais, por usarem de sinais sensíveis como gestos, objetos (água, óleo, imagens, medalhas etc) e ritos, são muitas vezes confundidos e explorados de forma supersticiosa. O Catecismo, no parágrafo 2111, explica que atribuir eficácia sobrenatural aos materiais e sinais, independentemente da disposição do fiel, é superstição. Ou seja, se o fiel atribui um poder mágico a imagem ou a medalha, por exemplo, como se ela fosse fonte de graça e poder, independente de Deus e da fé da pessoa, isso configura uma superstição.

E por que a superstição é tão ruim? Primeiro, porque “é um desvio do sentimento religioso e das práticas que se lhe impõem” (CIC 2111). Ou seja, a superstição gera na pessoa uma religiosidade deformada. Outro problema é que muitas vezes leva a uma nociva dependência psicológica e social de coisas efêmeras, firmando na pessoa fragilidades psicológicas como o medo e a insegurança.

O mais grave é que a superstição é uma forma de idolatria, conforme nos indica o Catecismo no parágrafo 2138. Idolatria consiste em divinizar o que não é Deus. É quando o homem presta honra e veneração a uma criatura no lugar de Deus (cf. CIC 2113). A idolatria é uma pecado que fere gravemente o primeiro mandamento, que é “ Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento”. A idolatria é fortemente combatida em vários textos da Escritura como ICor 6,9; ICor 10,7; Ef 5,5; Ap 21,8. Sem dúvida, a idolatria é uma porta aberta para a ação do maligno na vida de uma pessoa, sendo muitas vezes causa de opressões, obsessões e até possessões do demônio.

A verdade é que o cristão não precisa de amuletos, astros e mágicas. “Quem nos condenará?” – provoca o Apóstolo, “ Cristo Jesus, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à direita de Deus, é quem intercede por nós” (Rm 8, 34). Quem verdadeiramente crê em Cristo tem tudo de que necessita para ser feliz.

Saiba mais:
:: Superstição: quanto ela influencia sua vida?
:: Um cristão deve consultar horóscopo?

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/18/por-que-nao-posso-acreditar-em-supersticao/

ago
17

Vocação Canção Nova!

Neste mês das vocações, queremos despertar em você a vontade de buscar qual é o desígnio do Senhor para a sua vida. Você já pensou em se entregar totalmente a Deus através do carisma Canção Nova? Confira algumas dicas e mãos à obra!

 vocacionalbrasilia@cancaonova.com

 

Lavrinhas – Berço de Vocações

Ao longo dos últimos 100 anos, crianças e jovens puderam ter suas vidas completamente transformadas por uma verdadeira escola de santos. Estamos falando do colégio São Manoel (Lavrinhas/ SP) que, no ano passado, celebrou 100 anos dedicados às vocações semeadas pelo carisma de Dom Bosco. Agora em 2015, no ano do Bicentenário do nascimento de Dom Bosco, façamos memória da chegada da família salesiana no Brasil!

 

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2015/08/17/vocacao-cancao-nova/

Posts mais antigos «

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com