abr
24

O tesouro que o mundo procura

“Quem não luta não tem muitos problemas nem dificuldades, mas também não alcança a vitória”.
A juventude é a fase em que mais sofremos as investidas do inimigo de Deus, quando enfrentamos as maiores batalhas e temos sentimentos à flor da pele. É uma guerra na qual nos machucamos e ficamos, muitas vezes, mutilados. É difícil ir para a guerra, mas não ir significa não conhecer o sabor da vitória. 

escalada_620x310Quem não luta não tem muitos problemas nem dificuldades, mas também não alcança a vitória. É assim que acontece com alguém que está em pecado: como um porco, lambuza-se todo e se mistura tanto à lama que não quer mais sair dela. Mesmo sendo lavado, o porco retorna à lama. Quem não luta contra o pecado torna-se semelhante a esse animal, acostumado à vida do chiqueiro. Muitas vezes, permanecemos no pecado e nas consequências dele, porque não lutamos.

Há uma história sobre um homem e seu baú cheio de tesouros, os quais ele colecionava e comercializava. Além do baú, possuía tecidos, tapetes, terras, gado, cavalos, casas… Enfim, era muito rico. Ele viajava bastante e sempre comprava algo que não possuía. Assim foi ajuntando tesouros, até que, um dia, numa das viagens, deparou-se com uma pérola negra e se encantou por ela. Era a única no mundo!

Em nenhum dos lugares pelos quais já havia passado havia aquele tesouro. Quis possuí-la e foi até o dono da pérola. Pelo fato de não haver nada parecido no mundo inteiro, o proprietário tinha todo o direito de pedir o valor que quisesse, e foi o que aconteceu. Ele pediu um preço tão alto, que era quase impossível alguém possuir todo aquele dinheiro. O comerciante achou o preço exorbitante, mas, como um bom negociante, fez o cálculo de todos os seus bens, incluindo a roupa do corpo, e percebeu que teria o dinheiro suficiente para comprá-la. Voltou para casa, juntou tudo, vendeu, comprou a pérola e saiu vestido com o mínimo necessário para não estar nu. Olhava o bem recém-adquirido sem ter para onde ir, pois tinha vendido a casa e tudo o que possuía. Achou, então, uma árvore e sentou-se à sombra, contemplando o seu tesouro. Ninguém era mais rico do que aquele homem, mas também ninguém era mais pobre do que ele. Nada custava mais do que a sua pérola e ele era feliz. Havia encontrado o que sempre buscara. Aquele homem acumulou riquezas por toda a vida, achando que nelas seria feliz, até encontrar a pérola. E, quando a encontrou, teve de se desfazer de tudo para comprá-la. 

Nossa situação é parecida: não temos carneiros, tesouros, contas bancárias “gordas” nem cheque especial; muitos não têm carro nem cartão de crédito. Mas, ao longo da vida, adquirimos falsos tesouros como o pecado, por exemplo. Ele nos impossibilitou de buscar o tesouro da felicidade e da paz, que é o próprio Deus. Jesus é a paz na agitação da vida, a alegria verdadeira e plena.

????????????????Muitas pessoas procuram esse Tesouro em lugares impróprios e não O encontram. Sabemos que Cristo está em todas as pessoas, mas não em todas as situações. Existem situações em que somente o diabo está. E é justamente aí que, ao longo da vida, fomos buscar a felicidade: numa zona de prostituição, na boca de fumo, numa butique gastando além do que podíamos e ficando endividados. Buscamos a felicidade na violência, na loucura, na moda, na novela, na traição, em situações em que Deus não está, e acumulamos misérias dentro de nós.

Hoje, alegremo-nos, pois nossa busca acabou! Até mesmo o que temos de material, adquirido com muito custo e trabalho, passa a ter mais valor, mais sentido e mais gosto, porque encontramos o grande Tesouro, que é o próprio Deus.  

 Dunga, missionário da Canção Nova ( trecho do livro: “Sementes de uma nova geração”)

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/24/o-tesouro-que-o-mundo-procura/

abr
23

Veja como será semana da canonização de JPII e João XXIII

papas

Beatos João Paulo II e João XXIII

Uma série de atividades para os fiéis e coletivas com a imprensa estão previstas para semana que antecede a canonização 

Da Redação de Jornalismo da CN,  com Rádio Vaticano

Roma receberá milhares de peregrinos para uma semana especial. Estão previstas várias atividades em preparação a Canonização dos dois beatos João XXIII e João Paulo II no dia 27 em Roma.

Dos dias 22 a 26, foram preparadas coletivas de imprensa que terão como tema: a vida dos dois beatos, como por exemplo: Por que eles são santos?; a vida e o ministério petrino de João XXIII e João Paulo II; a intercessão dos dois Beatos e seus milagres; “dois Papas Santos por quem esteve perto deles”; “Os dois Papas e o Concílio Vaticano II”. Todos serão ministradas na sala de imprensa Vaticana e na sala Paulo VI.

Dia 25, às 15h, na Capela São Tomás de Aquino, da Universidade de Tor Vergata (Via Salamanca), é previsto o encontro «Novo humanismo em João Paulo II». Seguido de uma vigília presidida pelo bispo auxiliar de Roma, Lorenzo Leuzzi.

Acontecerão também ao longo da semana, diversos encontros, celebrações, missas e vigílias. Entre elas uma missa dia 26 às 18h na Basílica São João de Latrão, onde João XXIII iniciou sua vida religiosa como seminarista do Pontifício Seminário Romano e depois foi sua catedral como Bispo de Roma.

E no mesmo dia a partir das 21h, acontecerá a Noite Branca de oração. As igrejas do centro de Roma estarão abertas onde será possível rezar e se confessar. É proposto um esquema, elaborado pelo Ofício Litúrgico do Vicariato de Roma, para a vigília com passagens bíblicas e textos extraídos das escrituras dos dois Papas que oferecem sugestões para as meditações e orações.

Para melhor participação de todos os peregrinos, as igrejas do centro de Roma, estarão organizadas por idiomas. E para acolher os peregrinos de língua portuguesa, esse momento de oração será na Igreja Santa Anastásia na Piazza di Sant’Anastasia.

dia 27, domingo, às 10h na Praça de São Pedro, será presidida pelo Papa Francisco a Santa missa de Canonização dos Beatos João XXIII e João Paulo II. E logo, em seguida, às 12h a oração Regina Coeli.

Finalizando as atividades da semana e a festa das canonizações, dia 28 segunda-feira, às 10h será celebrada uma Missa de Ação de graças presidida pelo Cardeal Ângelo Comastri, Vigário do Papa Francisco, na Cidade do Vaticano.

:: Acompanhe tudo sobre a canonização pelo site especial da Canonização ::

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/23/veja-como-sera-semana-da-canonizacao-de-jpii-e-joao-xxiii/

abr
22

Dia 24/04, Missa para as Famílias!

Cuidar da família é tarefa de todos nós! Por isso, venha rezar conosco por sua família!

E-Flyer_Famílias

Celebrante Pe. Crysthian Shankar.

 

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/22/dia-2404-missa-para-as-familias/

abr
20

Ressuscitou! Ele vive para sempre!!!!

“Ó morte onde está tua vitória?!”  Jesus Cristo morrendo venceu a morte para nos dar vida, e vida em abundância!

ok

Feliz Ressurreição!

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/20/ressuscitou-ele-vive-para-sempre/

abr
17

13 anos da Canção Nova em Brasília!

Estamos em festa, este ano completamos 13 anos da Missão Canção Nova em Brasília e você é nosso convidado.

Venha celebrar conosco! Celebrar tudo de bom que o Senhor tem feito por todos nós!

“Somos feitos para amar, louvar, adorar e reconhecer tudo o que o Senhor faz por nós. Por isso, é preciso viver todas essas graças em plenitude. E para vivê-las bem é preciso ter fé, confiança e gratidão por tudo o que o Senhor nos dá!”
(Monsenhor Jonas Abib)

cnbsb13

Ajude-nos a divulgar esta grande festa!

Informações:  (61) 3252-7050

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/17/13-anos-da-cancao-nova-em-brasilia/

abr
14

Viva bem a Semana Santa!

A semana é santa porque nela celebramos os momentos mais importantes da nossa salvação. “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo ao Pai, como amasse os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou” (Jo 13,1).

Com sua entrega por nós, Jesus santificou essa semana, e nós a santificamos com nosso compromisso cristão.

Saiba mais no infográfico produzido pela Canção Nova, explicando as principais celebrações desta Semana Maior!

ss

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/14/viva-bem-a-semana-santa/

abr
14

Tempo de retirar os excessos da vida!

mh_interna_78742715Muitos de nós já nos pegamos fazendo algo por excesso: comer, beber, jogar, limpar, comprar, amar, depender afetivamente de alguém, mentir, ter ciúme… É um impulso quase incontrolável, no qual as pessoas se precipitam e, muitas vezes, têm dificuldade para planejar qualquer tipo de tarefa ou mesmo planejar a parada dessa compulsão.

Quantas vezes vemos pessoas, cujo “hábito” é comprar para ter cada vez mais, pois nunca se satisfazem com o que possuem? Tal “hábito” passa a movimentar nosso sentido de felicidade: tendo isso ou tendo aquilo, jogando determinado jogo, comendo isso ou aquilo, seremos mais felizes e preencheremos o “vazio” que há em nós.

As causas do comportamento compulsivo podem ser as mais variadas: predisposição, hábitos aprendidos, histórico familiar (que também é aprendido), razões biológicas. Ao percebermos que algo “é demais”, por passar dos limites do normal e saudável, deveremos decidir parar de fazê-lo. O ato de parar pode acontecer naturalmente para muitas pessoas, mas para outras isso não acontece. Ou seja, o comportamento, chamado de compulsivo ou aditivo, continua acontecendo paralelo à ansiedade que a pessoa vivencia.

Geralmente, são hábitos pouco saudáveis ou inadequados, repetidos muitas vezes, por isso levam às consequências negativas como o uso de álcool, de drogas em geral, ao hábito de comer exageradamente, gastar fora do controle, fugir do contato social, praticar esportes excessivamente, lavar as mãos de forma exagerada (até mesmo chegando a se ferir), participar de jogos de azar. Há também os que se viciam nas relações virtuais, no excesso do uso de remédios ou em idas a médicos em busca de uma doença. Tais atitudes são feitas quase que automaticamente, e quem as pratica não percebe nem nota prejuízos num primeiro momento.

O comportamento compulsivo surge como resposta inconsciente a determinados desejos, por diversas razões, como hábitos aprendidos e seguidos de alguma gratificação emocional, e como alívio da angústia e da ansiedade; ou seja, a pessoa que sofre desse distúrbio faz alguma coisa para receber outra em troca. Com os prejuízos que essa pessoa pode ter em seus relacionamentos, no trabalho, na saúde ou mesmo quando os demais indicam que ela tem esse distúrbio, ela passa a se observar mais detalhadamente. Aquilo que, num primeiro momento, era fonte de prazer e gratificação, posteriormente passa a dar uma sensação negativa, pois a pessoa cede em fazer aquilo.

Se por trás dessa compulsão existe um descompasso, um desequilíbrio, é importante canalizar essa energia, que antes ia para os excessos em outras atividades, e buscar “retirar” o foco do comportamento que acarreta prejuízo para a pessoa.

Vale lembrar que todos nós temos rotinas e hábitos, e isso é muito saudável; fica apenas a atenção para aquilo que é excessivo! Como dizem, de forma popular, “tudo o que é demais faz mal”. Então, se você identifica alguns excessos em sua vida, procure analisar os afetos que lhe faltam e como você tem canalizado suas forças, se tem buscado o ter ou o fazer em troca do ser.

Deixe seus comentários!

Abraço fraterno!

 Foto Elaine Ribeiro
elaine.ribeiro@cancaonova.com

Elaine Ribeiro, Psicóloga Clínica e Organizacional, colaboradora da Comunidade Canção Nova.
Blog: temasempsicologia.wordpress.com
Twitter: @elaineribeirosp

 

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/14/tempo-de-retirar-os-excessos-da-vida/

abr
10

Como faço para aprender a rezar?

tumblr_lnxf3xpDb51qkoag1o1_500Vou contar um segredo para quem quer crescer na vida de oração. O segredo, talvez um dos mais simples e eficazes, é este: rezar quando não tenho vontade, quando, pelos sentimentos e estado físico, a vontade é de fazer muitas outras coisas, menos rezar.

Quem reza assim sabe que o homem interior é resultado de sacrifícios e constantes renúncias. Não existe outro caminho!

Com carinho e orações!

Seu irmão, Ricardo Sá

 

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/10/como-faco-para-aprender-a-rezar/

abr
09

Papa inicia ciclo de catequeses sobre dons do Espírito Santo

Papa inicia ciclo de catequeses sobre dons do Espírito Santo

Na catequese de hoje, Pontífice falou do dom da sabedoria / Foto: Reprodução CTV

Cerca de 50 mil pessoas compareceram à Praça São Pedro, nesta quarta-feira, 9, para a Audiência Geral com o Papa Francisco. Hoje, o Pontífice iniciou um novo ciclo de catequeses: trata-se dos dons do Espírito Santo: sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor a Deus.

Acesse
.: Íntegra da catequese

Falando sobre o primeiro desses dons, a sabedoria, Francisco citou o Rei Salomão, que, no momento da sua coroação, pediu “um coração que escuta, que saiba discernir entre o bem e o mal”. A sabedoria é justamente isso, explicou o Papa: “É a graça de poder ver cada coisa com os olhos de Deus. Às vezes, vemos as coisas de acordo com a conveniência ou de acordo com o nosso coração, com amor, com ódio ou inveja. Este não é o olhar de Deus”.

A sabedoria, portanto, não nasce da inteligência ou do conhecimento que se adquire, mas da intimidade com Deus, “de filhos com o Pai”.

“Quando estamos em comunhão com o Senhor, de certo modo, o Espírito Santo transfigura o nosso coração e nos faz sentir todo o Seu calor e a Sua predileção; então, tudo nos fala de Deus e torna-se sinal da Sua misericórdia e do Seu amor. Isso torna sábio o nosso coração, não no sentido de saber tudo ou de ter uma resposta para tudo, mas no sentido de que saboreia o Senhor. O nosso coração e a nossa vida têm o gosto, o sabor de Deus”.

O Santo Padre destacou ainda que é importante ter cristãos assim nas comunidades, tornando-se um sinal vivo da presença divina. Mas esse também é um dom que Deus concede àqueles que se tornam dóceis ao Seu Espírito, lembrou o Papa. “Todos temos dentro de nós o Espírito Santo, ao qual podemos ou não escutar. Se nós O ouvirmos, teremos a sabedoria do Senhor”.

Francisco deu dois exemplos práticos de “aplicação” da sabedoria de Deus: uma mãe com seus filhos e um casal de esposos. A mãe não deve repreender os filhos com nervosismo ou agitação, mas com doçura e paciência; já no matrimônio, quando brigam, os esposos não devem se olhar com “cara fechada”, mas fazer as pazes depois da tempestade.

“Isso [sabedoria] não se aprende, é um presente do Espírito Santo. Por isso, peçamos ao Senhor que nos dê a sabedoria de olhar com os olhos Deus, de sentir com Seu coração, de falar com as palavras d’Ele. Com essa sabedoria, devemos ir avante, construindo a família, a Igreja. Peçamos a Maria, sede da sabedoria, que nos conceda essa graça”.

fonte: papa.cancaonova.com

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/09/papa-inicia-ciclo-de-catequeses-sobre-dons-do-espirito-santo/

abr
08

Fique atento: O Noé do filme não é o Noé da Bíblia!

21057568_20131113212032841Estreou, há poucos dias, nas telas do cinema do Brasil, o filme ‘Noé’. A película gerou muita expectativa pela divulgação e pelos atores que atuaram na produção. Eu não sou crítico de cinema nem especialista no assunto, mas, como se trata de um filme com temática bíblica, sinto-me na obrigação de manifestar minha opinião sobre o que observei quando assisti a ele.

Do ponto de vista teológico, bíblico e doutrinário, o filme é uma frustração do começo ao fim. Ele não se preocupa, em nenhum momento, em ser fiel à narração bíblica ou se aproximar dela. Pelo contrário, procura distorcer e apontar uma visão de fé totalmente contrária à visão judaico-cristã. Uma mistura de concepções filosóficas anticristãs, tentando levar as pessoas a uma concepção de Deus e da revelação divina totalmente deturpada. Por isso, é importante afirmar que o Noé do filme não é o Noé da Bíblia nem o Criador, apresentado pelo filme, corresponde ao Deus da revelação bíblica.

O texto sagrado nos apresenta Deus como aquele que sempre toma a iniciativa de salvar ou purificar a criação como obra de Suas mãos. A missão de construir uma arca não é fruto de um delírio, de sonhos ou de alucinações de Noé. Deus foi ao seu encontro e lhe confiou esta missão. Noé personifica os homens tementes ao Senhor desde a criação do mundo. Ele não é um alucinado, muito menos um fanático religioso sem consciência e sem maturidade, como deseja apresentar o filme. A arca, diferente da Torre de Babel, não nasce de nenhuma pretensão humana, mas é uma iniciativa divina para renovar a humanidade.

Um dos ingredientes de mau gosto do filme é querer apresentar a figura de anjos decaídos como grandes bonecos de pedra, feitos com alta tecnologia digital, como os defensores de Noé, guardiões da arca e combatentes contra os pretensos invasores dela. Essas criaturas, na concepção do filme, ajudam Noé na construção da arca. Os elementos são sem fundamentos e distorcem o sentido da revelação bíblica. Nenhum anjo decaído ajudou Noé nem pode ajudar nenhum de nós. Ele não teve o auxílio desses fantasiosos guardiões. A luz, a força e o auxílio que conduzem Noé é a mão de Deus, Criador de todas as coisas.

A visão hedonista do filme apresenta um dos filhos de Noé como um jovem impelido a possuir a mulher de qualquer um a qualquer custo. Noé, como um obcecado religioso, opõe-se ao fato de seu filho ter uma esposa. Ainda pior: quando sua nora engravida, dentro da arca, Noé, em nome de Deus, fica irado com a gravidez dela e se propõe matar a criança se ela for uma menina. O texto bíblico é muito claro ao dizer que Noé entrou na arca com sua mulher, seus três filhos e a esposa de cada um deles. E eles, depois, iriam povoar a terra.

O filme tem muitas outras coisas de mau gosto e interpretações sem nenhum fundamento religioso ou bíblico. Penso que o autor da obra poderia ter respeitado, pelo menos, o essencial da narração do texto bíblico e criado muitas coisas belas a partir daquilo que foi inspiração bíblica para criar o filme.

A verdade é que o longa-metragem é uma afronta e uma distorção da beleza da revelação divina. Ele não merece ser visto nem apreciado por quem tem a Bíblia como um Livro Sagrado, fonte da revelação divina e inspiração primeira de fé. Existem filmes mais sérios e de roteiros mais qualificados.

Padre Roger Araújo
Missionário da Comunidade Canção Nova

Link permanente para este artigo: http://blog.cancaonova.com/radiodf/2014/04/08/fique-atento-o-noe-do-filme-nao-e-o-noe-da-biblia/

Posts mais antigos «