out
07

Como surgiu o rosário?

Papa João Paulo II rezando a sua oração preferida.O Papa João Paulo II dizia assim sobre o Santo Rosário: “O Rosário é minha oração preferida. Oração maravilhosa em sua simplicidade e em sua profundidade. Nesta oração repetimos muitas vezes as palavras que a Virgem Maria escutou da boca do anjo e de sua prima Isabel. A estas palavras toda a Igreja se associa.

Podemos dizer que o Rosário é, de certo modo, uma oração-comentário do último capítulo da Constituição “Lumen Gentium” do Vaticano II, capítulo que trata da admirável presença da Mãe de Deus no mistério de Cristo e da Igreja. No fundo das palavras “Ave Maria”, passam diante dos olhos do que reza os principais episódios da vida de Cristo, com seus mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos, que nos fazem entrar em comunhão com Cristo, poderíamos dizer, através do coração de sua Mãe.

Nosso coração pode encerrar nestas dezenas do Rosário todos os atos que compõem a vida de cada indivíduo, de cada família, de cada nação, da Igreja e da humanidade: os acontecimentos pessoais e os do próximo e, de modo particular, daqueles que mais gostamos. Assim, a simples oração do Rosário pulsa no ritmo da vida humana”.

Trecho extraido: http://www.acidigital.com/rosario/papa.htm

Como surgiu o Rosário?

A oração do Santo Rosário surge aproximadamente no ano 800 à sombra dos mosteiros, como Saltério dos leigos. Dado que os monges rezavam os salmos (150), os leigos, que em sua maioria não sabiam ler, aprenderam a rezar 150 Pai nossos. Com o passar do tempo, se formaram outros três saltérios com 150 Ave Marias, 150 louvores em honra a Jesus e 150 louvores em honra a Maria.

No ano 1365 fez-se uma combinação dos quatro saltérios, dividindo as 150 Ave Marias em 15 dezenas e colocando um Pai nosso no início de cada uma delas. Em 1500 ficou estabelecido, para cada dezena a meditação de um episódio da vida de Jesus ou Maria, e assim surgiu o Rosário de quinze mistérios.

A palavra Rosário significa ‘Coroa de Rosas’. A Virgem Maria revelou a muitas pessoas que cada vez que rezam uma Ave Maria lhe é entregue uma rosa e por cada Rosário completo lhe é entregue uma coroa de rosas. A rosa é a rainha das flores, sendo assim o Rosário a rosa de todas as devoções e, portanto, a mais importante.

Santo Terço

O Santo Rosário é considerado a oração perfeita porque junto com ele está a majestosa história de nossa salvação. Com o rosário, meditamos os mistérios de gozo, de dor e de glória de Jesus e Maria. É uma oração simples, humilde como Maria. É uma oração que podemos fazer com ela, a Mãe de Deus. Com o Ave Maria a convidamos a rezar por nós. A Virgem sempre nos dá o que pedimos. Ela une sua oração à nossa. Portanto, esta é mais poderosa, porque Maria recebe o que ela pede, Jesus nunca diz não ao que sua mãe lhe pede. Em cada uma de suas aparições, nos convida a rezar o Rosário como uma arma poderosa contra o maligno, para nos trazer a verdadeira paz.

O Rosário é composto de dois elementos: oração mental e oração verbal.

No Santo Rosário a oração mental é a meditação sobre os principais mistérios ou episódios da vida, morte e glória de Jesus Cristo e de sua Santíssima Mãe.

A oração verbal consiste em recitar quinze dezenas (Rosário completo) ou cinco dezenas do Ave Maria, cada dezena iniciada por um Pai Nosso, enquanto meditamos sobre os mistério do Rosário.

A Santa Igreja recebeu o Rosário em sua forma atual em 1214 de uma forma milagrosa: quando a Virgem apareceu a Santo Domingo e o entregou como uma arma poderosa para a conversão dos hereges e outros pecadores daquele tempo. Desde então sua devoção se propagou rapidamente em todo o mundo com incríveis e milagrosos resultados.

Fonte: http://www.acidigital.com/rosario/surgio.htm

 

Print Friendly

out
06

Como posso ter vitórias na vida?

A vitória está no amor!

Como podemos vencer na vida? Atitudes de amor.Deus nos criou para o amor, jamais para a inimizade ou para o desamor. Logo, a única raiva que nos é permitida sentir é contra o demônio, grande causador da inimizade. Fora isso, o Senhor não permite alimentar o ódio contra ninguém.

” E o Senhor Deus disse à serpente: Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e entre todos os animais selvagens. Rastejarás sobre teu ventre e comerás pó todos os dias de tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gn 3,14-15)

Para não cumprirmos o mandamento por excelência – amar um ao outro como o Senhor nos amou-, o demônio deseja que cultivemos o desamor entre nós. Assim, daremos brecha para que ele entre em nossa vida. Entenda esta realidade> seu inimigo não é seu marido, não é o seu pai – o seu inimigo é o demônio. Ele é quem aponta os erros e os defeitos do seu marido e da sua família para tentar cultivar ódio e solidão em seu lar. Não se deixe enganar pelas armadilhas do diabo. O mal, a morte, a doença não vêm de Deus, e mesmo disso tudo o Senhor pode tirar um grande benefício para nossa vida (…)

(…)Se fizer o bem ao seu irmão, mais cedo ou mais tarde ele pedirá que você perdoe. Tenha paciência, espere! Perdoar não é fácil, mas também não é impossível: é questão de amor a Deus e empenho pessoal. O resto é o Espírito Santo quem faz. Resolva suas situações, não fique protelando! É tempo de perdoar. Espere a poeira baixar após uma discussão e tome uma atitude.  Dê o passo para a reconciliação e ignore a mágoa. O único sentimento que Deus quer dentro do nosso coração é o amor (….)

(…) É preciso reagir somente para amar, nunca para odiar; deixar o Espírito de Deus nos possuir para que não permitamos que a fúria do Inimigo de Deus tome conta de nós. Necessitamos amar ao extremo. Ao se lembrar de situações dolorosas, proclame o perdão, o amor. A cura interior começa assim.  Quer evitar o infarto? Perdoe! Quer ter boa saúde? Ame! Não podemos dar ouvido ao Inimigo. É preciso amar. Leia o que diz São Paulo: ” Não pagueis o mal com o mal, nem ofensa com ofensa. Ao contrário, abençoai, porque para isto fomos chamados: para serdes herdeiros da bênção” (1Pd 3,9). Seremos herdeiros da benção se pagarmos o mal com o bem, a injúria com o amor.

Texto extraído do livro O meu lugar é o céu (Padre José Augusto)

Adquira este livro, clique aqui

Ou na loja Canção Nova em Cuiabá – Loja que fica na Rua Antônio Maria Coelho (65)3054-4918

Print Friendly

out
01

A Canção Nova está em festa!

Reconhecimento Pontifício da Comunidade Canção Nova!

Celebremos o Reconhecimento Pontificio da Comunidade Canção NovaNeste mês de outubro, partilho com você, nosso sócio evangelizador, uma bela notícia, para que estejamos em sintonia e juntos exaltemos o nome do Senhor!

A Comunidade Canção Nova recebeu do Pontifício Conselho para os Leigos a aprovação definitiva dos seus Estatutos. Para nós, família Canção Nova, é motivo de grande alegria e festa. Por isso, a uma só voz, cantemos: “Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador” (Lc 1,46b-47).

Segue, na íntegra abaixo, o decreto da aprovação. Obrigado pela sua fidelidade, amor e zelo para com esta obra de Deus! 

Deus o abençoe,

Monsenhor Jonas Abib

Celebremos com a Canção Nova a alegria do Reconhecimento Pontificio

Decreto

 

Visto o pedido enviado em data de 12 de outubro de 2011 por monsenhor Jonas Abib, Fundador e Presidente da Associação Internacional de Fiéis, Comunidade Canção Nova, no qual vem solicitando ao Pontifício Conselho para os Leigos a aprovação definitiva dos Estatutos da Associação, já aprovados por um período ad experimentum de cinco anos, com decreto deste Dicastério de 12 de outubro de 2008;

Considerando o grande empenho da comunidade para a nova evangelização e previstos os bons frutos de santidade dos seus membros, os quais desejam ser como um cântico novo para o Senhor, através da santificação do trabalho, da oração continua, da procura dos tempos fortes de comunhão com Deus e uma vida sacramental e comunitária intensa, deixando-se guiar pelo Espírito Santo no comunicar o Evangelho e apreçar a vinda do Senhor (cf. Estatutos, artigos 1,3-7);

Constatada a difusão da Comunidade Canção Nova em diversos países do mundo e o consolidamento de atividades apostólicas nos campos da educação, da saúde, das artes, da cultura e da promoção social, como contribuição para a transformação do homem e da sociedade; e apurada a vontade de colocar o seu carisma a serviço da edificação da Igreja (cf. Estatutos, artigos 4 e 5);

O Concílio Vaticano II prestou especial atenção ao apostolado dos leigos e das agregações de fiéis dedicados a este fim (cf. Decreto sobre o apostolado dos leigos Apostolicam actuositatem, 18, 19, 21). Também o magistério pós-conciliar recoloca uma grande confiança em relação a estas novas realidades para a renovação da vida eclesial (cf. São Joao Paulo II, Exortação Apostólica Pós-sinodal Christifideles laici, 29) e “para despertar a fé nos corações de tantos cristãos e fazê-los redescobrir a vocação recebida com o batismo” (Bento XVI, Homilia, Praça São Pedro, Vigília de Pentecostes, em 3 de junho de 2006);

Do mesmo modo, Sua Santidade Francisco reforça a importância da comunidade de evangelizadores que se lançam sem medo à ação do Espírito Santo para anunciar o Evangelho com fervor, alegria e audácia em todo tempo e lugar, também andando contra a correnteza (cf. Exortação Apostólica Evangelii gaudium, 259 e 261).

Portanto:

Aproveita a oportunidade de aprovar definitivamente os Estatutos da Comunidade Canção Nova;

Acolhidas favoravelmente as mudanças colocadas nos Estatutos, aprovados em 12 de outubro de 2008;

Vistos os artigos 134 da Constituição Apostólica Pastor bonus, sobre a Cúria Romana, e o cânon 322 do Código de Direito Canônico, o Pontifício Conselho para os Leigos decreta:

1°) A confirmação do reconhecimento da associação Comunidade Canção Nova como associação privada internacional de fiéis, com personalidade jurídica, segundo os cânones 298-311 e 321-329 do Código de Direito Canônico;

2°) A aprovação definitiva dos Estatutos na sua redação que em data de hoje é devidamente autenticado pelo Dicastério e depositado nos seus arquivos.

Vaticano, 29 de junho de 2014, Solenidade de São Pedro e Paulo Apóstolos

Dom Jose Clemens  

                          Secretário do Pontifício Conselho para os Leigos                      

    Stanislaw Card. Rylko

Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos

 

Fonte: padrejonas.cancaonova.com

Print Friendly

Posts mais antigos «

Network-wide options by YD - Freelance Wordpress Developer