Neste Congresso, nós do INCOR, vamos apresentar resultados do primeiro trabalho brasileiro que comprova os benefícios da religiosidade no controle dos fatores de risco para as doenças cardíacas.

69e9d646f5c63170897aa9bbb8abe1c5_XL

 

mulher-pensando-post-it-memoria-47077

 

 

 

 

 

 

Um estudo muito interessante publicado recentemente nos Estados Unidos analisando 3.381 pessoas de 18 a 30 anos revelou apos 25 anos de avaliação, que as mulheres que tinham níveis de açúcar e de colesterol no sangue e pressão arterial um pouco acima dos valores recomendados, apresentaram testes de cognição abaixo do normal, aos 40 – 50 anos.

Esse estudo foi uma das primeiras investigações em longo prazo que comprova a necessidade de uma vida saudável na prevenção de uma alteração cognitiva futura, ou seja, dos problemas de memória.

Assim, recomendo desde já, as jovens, que mantenham hábitos de vida saudável, alimentando-se saudavelmente, praticando atividade física regular, para que no futuro evitem os terríveis problemas de memória que freqüentemente atacam as idosas.

Fonte: http://newsroom.heart.org/news/heart-health-as-young-adult-linked-to-mental-function-in-mid-lifeClínica Savioli

  • Endereço : R. Artur de Azevedo, 1217 – Cjs. 83/84
    Pinheiros – São Paulo – SP
  • Telefones : (11) 3062-4822/1580/8325 e 3168-3328

 

depression-2

Evidentemente que sim, pois a depressão é uma doença que não respeita nenhuma pessoa, nem reis, nem rainhas, nem ricos, nem pobres, nem padres, pastores, religiosos e religiosas.

Existe um tabu muito grande com relação a depressão e a fé, pois muitos ainda acreditam que uma pessoa com fé não poderia ter depressão, pois estaria indo em direção contraria de Deus. Puro engano e uma tolice, pois sabemos hoje, que a depressão é uma doença multifatorial que pode se iniciar no corpo, psiquismo ou no espírito.

A depressão pode ser causada por uma situação pontual, relacionada a uma perda, onde o indivíduo pode até não ter características genéticas para responder com depressão a esse estimulo externo que é a perda, mas, o seu psiquismo não tolerando a situação, “explode” em uma depressão.

A doença é um símbolo através do qual a nossa alma se expressa. Através dos símbolos das doenças o corpo informa a nossa real condição, isto é, aquela que reflete nossos pensamentos e sentimentos íntimos estão condizentes com a nossa verdade. A doença nos sinaliza as nossas necessidades interiores, as nossas discrepâncias, os nossos conflitos interiores e ela nos obriga a parar para analisa-los.

[Continua...]

Esse é apenas um trecho de um dos capítulos do livro “Depressão, um sinal de esperança”, mas convido você a adquirir o seu exemplar e aprofundar neste assunto tão importante e que pode te ajudar muito e ajudar a outras pessoas também!

Adquiria já o seu clicando aqui

Dr. Roque Savioli

Clínica Savioli

  • Endereço : R. Artur de Azevedo, 1217 – Cjs. 83/84
    Pinheiros – São Paulo – SP
  • Telefones : (11) 3062-4822/1580/8325 e 3168-3328

 

O câncer de próstata é a segunda causa de óbitos por câncer em homens, sendo superado apenas pelo de pulmão.

prostata

 

 

 

 

 

 

 

O aumento observado nas taxas de incidência pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos, pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida do brasileiro.

Fatores de Risco

Assim como em outros cânceres, a idade é um fator de risco importante, ganhando um significado especial no câncer da próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam exponencialmente após a idade de 50 anos.

História familiar de pai ou irmão com câncer da próstata antes dos 60 anos de idade pode aumentar o risco de câncer em 3 a 10 vezes em relação à população em geral, podendo refletir tanto fatores hereditários quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

A influência que a dieta pode exercer sobre a gênese do câncer ainda é incerta, não sendo conhecidos os exatos componentes ou através de quais mecanismos estes poderiam estar influenciando o desenvolvimento do câncer da próstata. Contudo, já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, não só pode ajudar a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não transmissíveis.

O que é a próstata

A próstata é um pequeno órgão situado logo abaixo da bexiga, em forma de uma castanha portuguesa, atravessada pela uretra. Só os homens possuem próstata e o seu desenvolvimento é estimulado pela testosterona, o hormônio sexual masculino produzido pelos testículos.

Para que serve a próstata 

A próstata é um órgão glandular que produz uma substância que, juntamente com a secreção da vesícula seminal e os espermatozóides produzidos nos testículos, vai formar o sêmem ou esperma. Sem o líquido produzido pela próstata, os espermatozóides não viveriam até atingir o óvulo no momento da fecundação. Além de conferir proteção, contém alimentos para o espermatozóide, na sua longa caminhada ao encontro do óvulo.

Porque fazer exame de próstata?

Para fazer o diagnostico precoce do câncer da próstata, que é passível de cura se detectado no seu inicio, mas é altamente mortal se reconhecido após ramificações em vários órgãos , como ossos, intestino, fígado, pulmoes  e cérebro.

O câncer de próstata  não produz sintomas nas fases iniciais. Com o decorrer do tempo podem surgir dificuldade para expelir a urina, jato urinário fraco ou aumento do número de micções. Estes sintomas são comuns nos casos de crescimento benigno, de modo que a presença deles não indica, necessariamente, a existência de câncer mas exige, no mínimo, uma avaliação médica.

Os homens sabem que o toque digital é importante para o diagnóstico do câncer da próstata. Nestes casos, a glândula torna-se irregular e de consistência endurecida. Um alegado preconceito cultural tenta explicar porque a maioria dos latinos resiste ao exame, mas todos os que já submeteram ao toque aceitam repetí-lo sem restrição. Em outras palavras, o problema talvez não seja cultural ou psicológico mas apenas o medo infundado de possível dor.

Além do toque, dois outros exames são utilizados para identificar o câncer: dosagens do antígeno prostático específico no sangue (conhecido como PSA) e o exame de ultrassom. O PSA é uma proteína produzida exclusivamente pela próstata, que se eleva de maneira significativa nos casos de câncer, mas também aumenta em pacientes com infecção ou com crescimento benigno exagerado da glândula. Por isto, elevações do PSA sempre exigem uma atenção médica mas não indicam necessariamente a presença de câncer na próstata.

O exame de ultrassom feito através do ânus permite visualizar as chamadas áreas hipoecóicas dentro da próstata, típicas das lesões cancerosas. Este exame, falha em 60% a 70% dos pacientes, deixando de evidenciar tumores que estão presentes ou demonstrando áreas hipoecóicas que não são malignas. Por isto, o ultrassom é utilizado pelos urologistas em alguns casos de dúvida clínica e, principalmente, para orientar a realização de biópsias da próstata.

Levando em conta a relação custos/benefícios, definiu-se que a melhor forma de diagnosticar o câncer da próstata é representada pela combinação de toque digital e dosagem do PSA. O toque exclusivo falha em 30% a 40% dos casos, as medidas de PSA falham em 20%, mas a execução conjunta dos dois exames deixa de identificar o câncer em menos 5% dos pacientes.

Estudos sobre crescimento tumoral indicam que as formas agressivas do câncer da próstata, quando não tratadas, levam entre dois e oito anos para se ramificar pelo organismo, tornando a doença de difícil controle. Desta forma, um exame preventivo anual sempre identificará o tumor ainda dentro da próstata e potencialmente curável. Em homens sem antecedentes familiares, estes exames devem ser realizados à partir dos 45 anos e a partir dos 40 quando há historia familiar de câncer de próstata

OBESIDADE

 

 

 

 

 

 

 

 

A molécula de BISFENOL A (BPA) é um perturbador endócrino que tem propriedades semelhantes ao Beta Estradiol, (hormônio feminino). A exposição ao BPA foi difundida em todos os países industrializados pois esta substancia química está presente na grande maioria dos plásticos policarbonados e das resinas utilizadas na vida moderna. Sua ingestão se faz principalmente a partir dos recipientes plásticos que contém os alimentos e bebidas, pela sua difusão do continente no conteúdo. Estudos relatam que embora as quantidade de BPA existentes nesses recipientes não podem ser consideradas toxicas, o seu uso pode ocasionar disfunções em diversos sistemas celulares.

Assim, os resultados desses estudos indicam que a exposição de qualquer dose de BPA desde a vida fetal e período pré-natal pode ocasionar perturbação no metabolismo adipocitário e regulação do pâncreas endócrino induzindo a resistência a insulina, fatores que predispõem a ocorrência de diabetes tipo 2 e obesidade. Estudos analisando a exceção urinaria de BPA mostram correlação positiva entre o aumento desse composto na urina com a ocorrência de obesidade, diabetes tipo 2 e de doenças coronarianas.

Sendo assim, é importante que a população seja esclarecida sobre o perigo do uso dos materiais plásticos e de enlatados que contem resinas no seu interior, devendo evitar o seu uso crônico.

Ref: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1957255714708193.