A DOENCA AOS OLHOS DA FÉ

 

Muito frequentemente , durante minhas consultas medicas , na ocasião de dar ao paciente um diagnostico da sua doença e também como trata-la, ouço as pessoas se queixarem, lamentarem, e ate murmurarem contra Deus. É clássica a pergunta que sempre surge no consultório e que quase sempre não consigo responde-la:

  • Porque a doença veio para mim?Porque não em uma pessoa ruim?Porque não em um político corrupto?Porque na minha mãe, uma mulher piedosa, caridosa e santa?

Tenho certeza de que essas perguntas não são somente feitas para mim, mas sim para muitos médicos , que como eu, lidam com a vida das pessoas. Assim como não consigo responde-las, também estou certo de que essa dificuldade é comum entre todos.

Do ponto de vista médico, adotando o nosso raciocínio cartesiano, podemos ate dar algum tipo de explicação para os pacientes baseando-se nos resultados dos estudos existentes na literatura medica. Mas , não é isso que o paciente quer ouvir, ele não quer saber se esta dentro ou não da população de risco, não quer saber se sua terapêutica não deu certo porque caiu dentro da faixa de erro calculado, ele quer saber os porquês da sua existência que poderá estar ate chegando ao fim.

Como deve se comportar o profissional de saúde? Ser simplesmente um ser cartesiano que vê a sua frente um portador de uma doença? Ou compartilhar com o paciente o sofrimento , tratando-o na tridimensionalidade do ser humano: corpo, psiquismo e espírito?

Sempre que leio artigos ou livros que abordam essas questões existenciais extremamente freqüentes quando nos aproximamos do sofrimento, paro para refletir e me perguntar se estou preparado para entende-lo, pois ele é inexorável, mais dia menos dia , chegará.

Como entende-lo? Como um medico que vive dentro de uma academia de medicina pode explicar ao paciente os porquês das falhas terapêuticas ou mesmo dos casos que nem podem mais ser tratados? Impossível se não transcendermos esse momento. Transcender é uma palavra muito usada em teologia e significa “ultrapassar subindo”, isto é , conseguir suplantar um problema entregando-o nas mãos de Deus, usando um dom que dEle recebemos: o dom da fé.

Em vários livros que escrevi relato experiências da literatura medica que comprovam a enorme importância que tem a fe, na evolução das doenças.Importantes escolas de medicina do mundo todo tem comprovado e referendado esse tema que cada vez mais vem sendo estudado por vários cientistas , entre eles alguns prêmios Nobel da Medicina e da Física.

Minha experiência pessoal vai ao encontro desses trabalhos pois noto amiúde que Fé e Saúde devem estar sempre alinhadas para melhorar a nossa qualidade de vida, mas é muito importante que aprendamos a transcender nossas dificuldades, buscando sempre as coisas do alto, ou seja, usando a nossa fe em Deus.

Sempre detestei situações teóricas, farisaicas, gostando das coisas mais simples e do nosso dia a dia , de modo que sempre reluto em aceitar tradicionalismos sem muita explicação e não entendia o que é “entregar a Deus as suas preocupações ,até conhecer muitas histórias pacientes que souberam entender que Deus não é aquele criador que continua descansando apos o sétimo dia da criação, como acham alguns deistas, mas sim aquele que está sempre vivo e nos mandando sinais para nos proteger contra os percalços da vida, sempre respeitando o nosso livre arbítrio que Ele nos deu. Muitas destas histórias estão nos meus livros publicados e à disposição no site loja.cancaonova.com ou através do telefone 12- 31862600 ou nos revendedores Porta a Porta da Canção Nova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *