28. abril 2014 · Write a comment · Categories: Sem categoria

859877_47407637

Todas as pessoas são livres para decidir e escolher, o que quer ser e o que fazer de sua vida. Mas entre tantos dramas que a sociedade vive hoje, a liberdade é um deles.

No dia a dia da pessoa, um conjunto de decisões e ações, produzem acontecimentos, capazes de beneficiar ou mesmo prejudicar alguém, a si próprio e de forma coletiva. A liberdade é um dom precioso que Deus deu ao ser humano, mas, ao mesmo tempo, engloba muitas aflições. Um drama que se desenvolve sempre diante de uma escolha ou decisão, uma luta entre o bem e o mal. A Palavra de Deus, juntamente com os direcionamentos do Catecismo da Igreja Católica, nos ajudam a refletir essa luta que é para manter-se no caminho do bem e da luz. É importante buscar sempre ajuda nessas fontes.

É fato, existe uma batalha dentro de cada um, precisamos tomar consciência disso. A liberdade é uma preciosidade, mas, ao mesmo tempo, um drama, justamente porque o ser humano é livre para escolher e decidir de que lado deseja estar, do mal ou do bem?

Ao longo do caminho, por causa de situações adversas, a conduta do homem se desalinha do que é desígnio e vontade de Deus. Precisamos estar atentos ao que a palavra de Deus nos diz e tomar cuidado com os ditados populares, alguns podem inconscientemente nos atrapalhar na caminhada, exemplo: pau que nasce torto, morre torto. Essa frase, dita a madeira de uma árvore, é verdade. Mas, quando se refere ao ser humano, devemos pensar diferente. Portanto, não podemos rotular ninguém e nem nos rotularmos. Por pior que seja a situação, falar que a pessoa não vai mudar, é não acreditar que Deus pode fazer algo. Aprendi com o Pe. Léo que não há ninguém irrecuperável e não existe gente ruim por natureza. Precisamos acreditar que o homem e a mulher são recuperáveis, podem mudar, podem ser transformados e que é possível a restauração da pessoa e também do casamento.

É dever de cada pessoa proteger o projeto original sobre o ser humano, fundamentando em princípios e valores cristãos. Olhar para o começo é o ponto de partida. Escolher pelo bem significa valorizar o que é próprio da sua essência, você é bom! Este é o 1º passo.

O 2º passo é ter a consciência das realidades que vive. E o 3º passo é utilizar a inteligência. Compreender que a liberdade é um drama, é uma coisa, outra, é saber o como combater para vencer os dramas que vivemos em cada tempo e em cada lugar. Conforme o Catecismo esclarece, o ser humano conserva o desejo do bem, este é o ponto chave que precisamos olhar, focar e acreditar.

Agir assim, significa proteger o projeto original, você é bom!

O que é impossível aos homens é possível a Deus (Lucas 18,26), 

Para Deus Tem Jeito!

 

jesus-ressuscitado1

“E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé” (1João 5,4b).

Muitas vezes parece que não é verdade que a fé vence o mundo. Pois, quando olhamos para “este mundo”, a impressão que se dá é que estamos sendo vencidos pelas tempestades da vida e começamos a viver como derrotados. Mas não podemos deixar que as dificuldades venham encobrir o sentido maior da nossa existência, ao contrário, diante das contrariedades, é preciso bater no peito e dizer com confiança, pela fé acredito num futuro vitorioso.

É necessário ter um olhar vigilante para essa realidade. Muitas vezes encontramos a oposição entre “este mundo” (a história que atualmente se vive, com suas forças opostas a Deus) e “o mundo vindouro”, em que o Reino de Deus entra em vigor. Os dois, coexistem ao mesmo tempo. “Este mundo” se torna, muitas vezes, sinônimo da incredulidade e oposição a Cristo.

Enquanto estamos em peregrinação “neste mundo” não podemos basear a nossa fé nas vitórias, nas conquistas e nos sucessos e nem nas derrotas do dia a dia. Raciocinar assim é contrário a palavra de Deus que diz: “Se é só para esta vida que pusemos a nossa esperança em Cristo, somos dentre todos os homens, os mais dignos de compaixão” (1Coríntios 15,19).

Precisamos sempre verificar, estamos de que lado, da fé ou da incredulidade?

Quando as coisas estão bem, sou uma pessoa de fé, mas, quando as coisas não estão bem, a incredulidade quer tomar conta do coração. Essa maneira de pensar vai formando homens e mulheres inconstantes. Sugiro outro jeito que é desafiador, aconteça o que acontecer, devemos permanecer firmes na fé até o fim.

Coragem, você é um vitorioso!

Jesus ressuscitou, venceu a morte!

@Cleto Coelho

fb.com/temjeito

Acreditar sempre, desesperar jamais e descobrir os valores que a vida tem.

 

Um dia cinza

Fico imaginando o sofrimento de uma pessoa que por algum problema tem como solução o suicídio. O conflito interior que a pessoa vive, cabeça e coração ficam tramando durante um período de tempo calculado por um relógio, detono ou não a minha vida?

Desarme a bomba relógio que foi construída dentro de você!

Um conjunto de situações se torna uma carga explosiva que é difícil administrar, um fardo pesado para carregar, principalmente se vivido sozinho. Por isso a importância de partilhar com alguém a sua dor, o seu desgosto, a sua mágoa, enfim, buscar a ajuda e não se isolar é essencial.

Independentemente do que você esteja vivendo, não acione o fim da sua própria vida. O seu interior precisa ser um gerador de vida e não de morte. Por mais que passe pela sua cabeça pensamentos de desesperança, saiba, Deus quer fazer de você um gerador de amor, perdão, alegria, fé, vida.

Diante dos impossíveis, ocorrem a dúvida e o enfraquecimento. O significado de duvidar é não acreditar e a definição de fraqueza é falta de força, falta de solidez, falta de firmeza. Algumas vezes comparamos o problema com a montanha, por causa do tamanho da dificuldade que necessita de solução. Na espera de uma intervenção o ser humano tem duas opções, não acreditar ou acreditar?

Quando temos a confiança de que Deus é maior que tudo, ao invés de enfraquecer e abater, você tem força para lutar e aguentar firme. Muito mais que a dimensão da montanha o que precisa vencer é a grandeza de Deus, “pois para Deus nada é impossível”! (Lucas 1,37).

Para Deus tem jeito!

@CletoCoelho

fb.com/temjeito

Quaresma: 40 dias que podem nos preparar bem para este ano da fé que o Papa Bento XVI nos convida a viver…

Particularmente, é um tempo de “retomada da minha vida de oração”. É na oração que o coração escuta o apelo a conversão.

Na Canção Nova temos uma regra de vida de oração: o estudo da palavra, a eucaristia, o rosário, a adoração, a confissão e o jejum; e nem sempre consigo cumprir. De maneira alguma entendo essa regra como lei, mas sim uma necessidade da alma. De tempo em tempo busco retomar a minha de vida de oração e a quaresma é uma excelente oportunidade!

Nesse tempo temos também o Retiro Popular da Quaresma apresentado num livro com o tema: ”A quem iremos, Senhor?”

Vamos caminhar juntos, acreditando que Com Deus Tem Jeito!

Cleto.

A Quaresma é um tempo propício para o arrependimento de nossos pecados, assim como para as mudanças necessárias que nos tornarão melhores, a fim de vivermos mais próximos de Cristo. É tempo de fazer opções verdadeiras, pedir constância ao Senhor e ajudar-nos mutuamente em vista da perseverança.

O coração do Retiro Popular 2013 é fazer uma nova escolha do seguimento de Jesus Cristo. Sejamos homens e mulheres renovados no Espírito, para que nos tornemos discípulos missionários e façamos o mundo crer em Jesus, nosso Senhor.

“O carnaval tá chegando.O que vale é curtir o agora.” Cuidado!  Curtir sem medir às conseqüências é imprudência… Deus lhe deu a inteligência!

“A mim tudo é permitido, mas nem tudo me convém. A mim tudo é permitido, mas não me deixarei dominar por coisa alguma” (1 Cor 6,12).

Tudo passa nessa vida. Nessa pequena palavra “tudo” contém coisas e pessoas. Estamos perante a diversas situações; diante de uma linha divisória que reparte e que separa as duas mentalidades: pessoas que pensam no agora e pessoas que pensam no futuro. O cristão é convidado a refletir que o futuro é a eternidade, o céu! Pensar no agora, mas com olhar que mira e deseja o amanhã.

Em tudo que fazemos queremos ser felizes. Quero partilhar com você a seguinte passagem bíblica e o direcionamento do catecismo que ajuda a refletir sobre a luta que é manter-se alegre, pois um combate acontece no interior de cada homem e mulher:

“Em seguida, Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: Escutai todos e compreendei: o que torna impuro o homem não é o que entra nele vindo de fora, mas o que sai do seu interior. Pois é de dentro do coração humano que saem as más intenções, imoralidades, roubos, assassínios, adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo. Todas estas coisas más saem de dentro, e são elas que tornam impuro o homem” (Marcos 7).

Jesus nos convida a olhar para o nosso coração e ver de dentro para fora. Antes de olharmos para as situações externas, precisamos ter a visão de dentro para fora. Para lidar com o externo, o ser humano necessita conscientizar-se da batalha interior “BEM X MAL”; o seu mundo interior é dividido.

O Catecismo auxilia a compreender essa guerra interior: “instigado pelo Maligno, desde o inicio da história o homem abusou da própria liberdade. Sucumbiu à tentação e praticou o mal. Conserva o desejo do bem, mas sua natureza traz a ferida do pecado original. Tornou-se inclinado ao mal e sujeito ao erro: O homem está dividido em si mesmo. Por esta razão, toda a vida humana, individual e coletiva, apresenta-se como uma luta dramática entre o bem e o mal, entre a luz e as trevas (CIC 1707).

No mundo em que vivemos opções são apresentadas e decisões erradas têm como conseqüência o mal. O que você nomeia como bom faz bem pra você e para as pessoas que vivem ao seu redor?

Deus em sua infinita bondade dá ao ser humano a liberdade para escolher o bem ou o mal, lembrando que para cultivar a alegria é necessário decidir-se pelo bem. Nem tudo que é bom faz bem.

Que nada roube a sua verdadeira alegria neste carnaval!

Tem Jeito!

Cleto.