Como equilibrar a individualidade dos cônjuges dentro do casamento?

É importante atualizar, portanto, pôr em dia as conversas sobre (a vida a dois e a vida pessoal) é essencial no relacionamento conjugal. E para alcançar o equilíbrio na vida a dois é fundamental respeitar a individualidade e a liberdade de cada um, assim, os cônjuges devem apresentar um ao outro o que gostam, o que pensam e o que sonham. Então, equilibrar a individualidade é verificar se ambos desejam viver a solidariedade no casamento, ou querem viver exclusivamente para si; afinal, quem vai vencer: a unidade ou o individualismo?

Dentre tantos assuntos que são necessários marido e mulher conversar, o importante é começar um bate papo… O que pensam sobre a carreira profissional, e o que estão dispostos a renunciar para alcançar a tal realização? E junto a isso, o que estão dispostos a pôr de lado para atingir a estabilidade financeira? Enfim, além de pensar sobre a carreira profissional e o dinheiro, é essencial também avaliar as renúncias e o que é colocado de lado para que as metas sejam alcançadas?

E dentro da conversa, é bom abrir essa reflexão, o que pensam sobre a paternidade e a maternidade, pensam em ter filhos?

Outro ponto a pensar é se o casal tem algum tempo para convívio? Pois, os horários de cada um podem conflitar, afinal, são tantos compromissos, e com isso não dá para conviver. E as profissões que exigem a ausência por um período, é possível dar qualidade no casamento e ter um casamento fortalecido? Vale a pena lembrar um fator que merece atenção: a qualidade com que se vive. Assim, seja pouco ou bastante, o que importa é dar qualidade no tempo em que estão juntos.

O egoísmo e o individualismo não podem gritar mais forte, então, um casamento fortalecido se constrói a partir do por quê nos unimos? Sim, o que precisa estar em harmonia na vida a dois é essa afirmação: o casamento é o nosso maior projeto!

 

Com algumas palavras é possível fazer a diferença na sociedade

Mas, em primeiro lugar, faça a experiência pessoal, depois, as pessoas experimentam a diferença que faz essas palavras: alegria, respeito, fé e esperança. Quando perdemos algo ou alguém, a consequência é ficar triste, pois, perder é uma coisa que ninguém gosta, mas é fato, então, aprender a viver em meios às perdas é desafiador. Diante das perdas, ou caminhamos pela via da alegria ou pela via da tristeza, este caminho quem escolhe é você: alegria ou tristeza?

Todos nós gostamos de respeito!

E, dentre tantos valores que são fundamentais para viver, o respeito não podemos perder. Afinal, respeito é bom e eu gosto. Ninguém merece ser desrespeitado e desvalorizado, enfim, é triste quando se perde o respeito com o próximo, e mais triste ainda é o desrespeito com o ancião, portanto, o significado da palavra respeito precisa ser resgatado nos relacionamentos. Desde o tempo de criança é preciso ensinar que respeitar é não fazer aos outros o que jamais gostaríamos que fizessem com a gente. Claro, exercitar o respeito nos faz gente e nos faz forte.

Se por um lado o respeito nos fortalece, do outro, o desrespeito nos enfraquece. Respeitar os mais antigos significa escutar o que este patrimônio de experiência tem a dizer, pois, durante um bom tempo de vida já experimentaram derrotas e vitórias. Quantas vezes escutamos a expressão, não podemos deixar a peteca cair, em outras palavras, não podemos enfraquecer diante das dificuldades. Os antigos tem histórias que não nos deixa desistir, e nos faz uma geração forte. Sim, tratar os idosos com atenção, consideração e apreço faz toda a diferença.

Sem Jesus Cristo o homem permanece para si mesmo um desconhecido, um enigma indecifrável, um mistério insondável; pois só Jesus Cristo revela o homem ao próprio homem.” “No mistério da Redenção o homem é novamente ‘reproduzido’ e, de algum modo, é novamente criado.” (Santo João Paulo II). A nos faz caminhar e acreditar que é possível fazer a diferença na vida de tanta gente, isso, a partir da nossa experiência pessoal. Para Deus, ninguém é um desconhecido, e isto precisamos revelar para cada pessoa: Deus quer te fazer novo!

Faça a diferença, seja uma pessoa que deseja marcar uma época… Faça a diferença, seja uma pessoa importante na história… Faça a diferença, seja raro; o significado de raridade é: há pouca quantidade. É isso, seja um que faz a diferença, este é o legado que precisamos deixar: alegria, respeito, fé, esperança e amor…

Faça a diferença!

Vamos continuar o nosso bate-papo no vídeo abaixo?

 

 

O dinheiro não pode ser maior do que a sua vida!

Quando o dinheiro se torna maior que todas as coisas, a consequência é grave, basta verificar os males que o dinheiro já produziu nas famílias e na sociedade. “A raiz de todos os males é o amor ao dinheiro” (1Tim 6,10). Essa citação bíblica nos convida a refletir, uma coisa é pensar de maneira geral, outra é analisar a minha vida pessoal. Afinal, muitos problemas podem ser resolvidos se temos a coragem de tocar na raiz do problema, pois, o amor ao dinheiro é prejudicial.

O dinheiro não é ruim, só não pode estar acima de Deus e do próximo.

No momento em que isto acontece, ficamos cegos para as demais realidades e somos manipulados pelo dinheiro. Portanto, é importante observar se a cobiça, a soberba e a avareza estão enraizadas na mente e no coração, ao ponto de manobrar a nossa vida só para o dinheiro. O significado das palavras nos ajudam a pensar no jeito que estamos vivendo… Cobiça: desejo ardente de possuir algo, desejo imoderado de bens, riquezas ou honras; ambição. Soberba: orgulho excessivo; altivez, arrogância, presunção. Avareza: apego excessivo ao dinheiro, mesquinhez.

“O cobiçoso não se farta de dinheiro e o avarento não o aproveita” (Eclesiastes 5,14).

Um jeito simples de lutar contra a força do dinheiro é optar pela solidariedade. Se por um lado o dinheiro quer nos arrastar cada vez mais para ele, por outro, a palavra de Deus quer nos orientar: “não trouxemos nada para este mundo, como também dele não podemos levar coisa alguma” (1Tim 6,7).

A vida vale mais do que o dinheiro!

O casamento é só curtição? Não!

Logo no período de adaptação o casal deve prestar atenção nessa frase: estou disposto a enfrentar qualquer coisa, independentemente das circunstâncias, estou pronto para o que der e vier. Cuidado!

Afinal, entender que o casamento não é só curtição é um ponto importante no convívio do casal. E, dizer isto não significa que a vida conjugal não tem momentos para curtir. Claro, é essencial a curtição, mas, o problema é entrar para uma vida a dois pensando que é só alegria e mar de rosas. Sim, além da curtição, outro ponto precisamos compreender, o casamento é uma missão. Então, é fundamental fazer essa reflexão: curtição e missão.

Para fortalecer o casamento ambos devem verificar se a curtição individual está querendo reinar, e tem que ficar claro que casar e levar uma vida de solteiro pode ser um desastre. Então, as coisas que era de costume no tempo de solteiro, agora, é bom pensar em como viver daqui pra frente? Senão, a curtição desfoca a visão daquilo que é a missão. Este entendimento acontece por meio do diálogo, assim, o casal traz sempre a lembrança que o casamento é missão dos dois e não de um só.

A curtição individual pode causar a ausência de um dos cônjuges. Portanto, os cuidados domésticos deve  ser uma responsabilidade bem definida, pois, o não comparecimento a determinado compromisso gera o descontentamento, e a consequência é o desgaste no relacionamento. “A mim tudo me é permitido, mas nem tudo me convém” (1Cor 6,12). A sobriedade de ambos pode ajudar muito no fortalecimento do casamento, enfim, curtir é bom, mas com equilíbrio. Respeito é bom e eu gosto, afinal, respeitar a individualidade e a liberdade é algo primordial na união conjugal.

A harmonia entre os dois vai dando o ritmo no dia a dia… Desse jeito, o casal experimenta a paz no lar porque está bem ordenada as partes de um todo, e chegaram num acordo: nem tanto ao mar nem tanto à terra; sem exagerar para nenhum dos lados.

Sim, com moderação vamos viver a missão sem deixar de ter os momentos para curtir.

 

No seu coração tem mais esperança ou desesperança?

Cada vez que lemos a bíblia algo diferente se destaca, e desta vez o que destacou foi a atitude das pessoas que estavam servindo no casamento, afinal, essas pessoas fizeram o que Maria e Jesus pediram, e o milagre aconteceu. “O encarregado da festa provou da água mudada em vinho” (João 2,9). Não é citado os nomes das pessoas que fizeram parte deste acontecimento maravilhoso, mas, essas pessoas foram os protagonistas do primeiro milagre que Jesus realizou.

O mesmo Jesus que transformou os 600 litros de água em vinho, quer transformar a vida de muita gente. E nós, precisamos ser nestes dias tão difíceis, os portadores desta mensagem de esperança que tem a capacidade de mudar o agora de alguém que se encontra sem perspectiva de dias melhores. Então, a mesma atenção que Maria teve, e disse: “eles não têm vinho!” (João 2,3), sim, do mesmo modo, Ela olha para nós, e diz: estou atenta a cada situação e peço ao meu filho Jesus que providencie a transformação, portanto, é tempo de confiar e acreditar.

E nos 365 dias do ano

tenha a esperança

de que o melhor

está por vir!

Afinal, qual foi a atitude das pessoas que estavam servindo no casamento? Eles encheram de água até a borda as seis talhas de pedra, de quase cem litros cada e levaram ao encarregado da festa, enfim, esta foi a atitude dessas pessoas, fizeram o que era possível, e Jesus fez o impossível. Assim, precisamos ser, como essas pessoas que agiram no anonimato, mas, fizeram a diferença. A cada instante da nossa existência devemos continuar fazendo, pois, tem gente no aguardo de dias melhores.

Sim, o mesmo Jesus de ontem, de hoje e de sempre quer transformar o quadro existencial de cada pessoa, e deseja preencher o coração humano de: amor, perdão, alegria, fé e vida.

Ao longo dos dias cuide da talha que é o seu coração, então, seja uma pessoa de esperança!