Conheça a devoção de Santa Faustina a Virgem Maria e algumas de suas experiências místicas a Mãe de Misericórdia.

Depois de celebrarmos a Festa da Misericórdia, nada mais justo do que recordar a profunda devoção de Santa Maria Faustina Kowalska, apóstola da Divina Misericórdia, a Santíssima Virgem Maria, a Mãe de Misericórdia. Pois, Nossa Senhora teve um papel fundamental na vida e na espiritualidade da Irmã Faustina e consequentemente na transmissão da devoção a Jesus Misericordioso para todo mundo.

Conheça a devoção de Santa Faustina a Virgem Maria e algumas de suas experiências místicas a Mãe de Misericórdia.

Nossa Senhora da Misericórdia

Santa Faustina atribuía à intercessão de Maria a graça extraordinária da perfeita castidade, que recebeu em 1929[1]. A partir disso, sua devoção mariana tornou-se ainda mais fervorosa. Em 1934, a Irmã chegou a dizer que um dos meios para garantir a virtude da castidade é “a sincera devoção à Santíssima Virgem Maria”[2]. Cada vez que recordava esta inconcebível graça recebida, Faustina dizia que uma nova chama de amor e de agradecimento acendia em seu coração. Ao fazer memória da graça recebida, ela testemunhou: “Desde esses dias, vivo sob o manto virginal da Mãe de Deus. Ela me defende e instrui. Estou tranquila junto ao Seu Imaculado Coração e, porque sou tão fraca e inexperiente, aconchego-me, como uma criança, ao Seu Coração”[3]. Continue lendo…

Papa Francisco confirma a data de canonização dos Beatos Francisco e Jacinta Marto, videntes das aparições de Nossa Senhora em Fátima.

A confirmação da data da canonização dos irmãos Jacinta e Francisco Marto deu-se na manhã desta quinta-feira, dia 20 de Abril, durante o Consistório Ordinário Público, presidido pelo Papa Francisco no Vaticano. O Sumo Pontífice canonizará os dois pastorinhos no dia 13 de Maio, durante a sua visita a Portugal por ocasião das comemorações do Jubileu de 100 anos das aparições de Nossa Senhora em Fátima. Na mesma data da canonização, há 17 anos, os dois pastorinhos foram beatificados pelo Papa São João Paulo II.

Papa Francisco confirma a data de canonização dos Beatos Francisco e Jacinta Marto, videntes das aparições de Nossa Senhora em Fátima.

Os Beatos Francisco e Jacinta Marto

Os Beatos Jacinta e Francisco Marto – que na época tinham apenas sete e nove anos respectivamente – serão as primeiras crianças que não foram mártires a serem canonizadas, ou seja, serão declaradas Santas.

A primeira aparição de Fátima se deu em 13 de Maio de 1917, repetindo-se no dia 13 de cada mês, a não ser no mês de agosto – no dia 13 de Agosto os videntes foram presos em Ourém pelas autoridades locais, por isso a Senhora do Rosário apareceu-lhes pela quarta vez no dia 19 de agosto – até o dia 13 de outubro, quando se deu a última aparição. Nas suas aparições, a Virgem Maria apresentou-se como Senhora do Rosário e confiou aos pastorinhos: Lúcia, Francisco e Jacinta, o Segredo de Fátima e pediu que estes rezassem o Rosário diariamente e fizessem jejuns, penitências e sacrifícios pela conversão dos pecadores. Continue lendo…

Meditemos sobre a superioridade de Maria Santíssima como modelo de amor a Deus e ao próximo.

Santo Afonso Maria de Ligório nos ajuda a compreender que a Santíssima Virgem Maria é o modelo máximo do amor a Deus e ao próximo. A princípio pode parecer exagero, mas se meditarmos profundamente sobre a presença da Mãe de Deus no mistério da salvação da humanidade, realizado por seu Filho Jesus Cristo, certamente reconheceremos o seu amor incomparável por Deus e por cada um de nós, seus filhos.

Meditemos sobre a superioridade de Maria Santíssima como modelo de amor a Deus e ao próximo.

Primeiro milagre de Jesus, nas Bodas de Caná.

O amor ao próximo nasce do amor que nutrimos para com Deus. Consequentemente, do mesmo modo que nunca existiu, nem jamais existirá, quem tenha amado Deus mais do que a Santíssima Virgem Maria, também não houve, nem haverá, quem mais tenha amado e ame o próximo do que a Santíssima Virgem. A prova disso é que a sua caridade para conosco a levou a oferecer à morte, entre as mais terríveis e insuportáveis dores, o seu Filho Jesus Cristo, pela nossa salvação. Sendo assim, felizes de nós se soubermos imitar uma Mãe tão amorosa. Em resposta, ela usará para conosco da mesma caridade que tivermos para com o nosso próximo. Continue lendo…

No início do tempo Pascal, meditemos sobre a presença da Rainha do Céu e dos Santos Anjos no mistério da redenção da humanidade.

A tradicional oração do “Angelus” é substituída, no tempo Pascal, pelo canto “Regina caeli” ou “Rainha do Céu”, que exprime a alegria da Santíssima Virgem Maria pela ressurreição do seu divino Filho Jesus Cristo. Deste modo, ela torna-se modelo da comunidade cristã que se “alegra” pela Páscoa do seu Senhor, fonte de autêntica alegria para todos nós que cremos. O Ressuscitado é a fonte e a razão última desta alegria espiritual.

No início do tempo Pascal, meditemos sobre a presença da Rainha do Céu e dos Santos Anjos no mistério da redenção da humanidade.

Nossa Senhora Rainha dos Anjos

A liturgia da Oitava de Páscoa repete constantemente: “Cristo ressuscitou como havia prometido”. Proclamamos também esta verdade da fé católica no “Regina caeli”, oração tão apreciada pela piedade popular.

A partir de hoje, Segunda-feira de Páscoa ou Segunda-feira do Anjo, no Vaticano se inicia o canto “Regina caeli” e esta é uma oportunidade de refletirmos sobre a participação destes seres angélicos no mistério da Redenção da humanidade. Além disso, nesta Segunda-feira do Anjo, prolongamento do dia da Páscoa, somos chamados a nos deter junto ao sepulcro vazio para meditar sobre a presença da Virgem Maria neste grande e prodigioso mistério que é a ressurreição de Jesus Cristo. Continue lendo…

Vivamos esta Páscoa especialíssima do Ano Nacional Mariano na companhia da Bem-aventurada Virgem Maria.

No programa “Uma Páscoa com Maria”, gravado especialmente por ocasião do Ano Jubilar Mariano de 2017, no qual celebramos os 300 anos de Aparecida e os 100 anos de Fátima, Padre Paulo Ricardo nos ajuda a meditar sobre os principais mistérios do Tríduo Pascal, sobre a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo na perspectiva de sua Mãe, Maria Santíssima.Vivamos esta Páscoa especialíssima do Ano Nacional Mariano na companhia da Bem-aventurada Virgem Maria.

Meditaremos sobre a instituição da Eucaristia, passando pela paixão e morte de Cristo e pelo silêncio do Sábado Santo na companhia de Nossa Senhora, e veremos de que modo ela pode ajudar-nos a colher os abundantes frutos espirituais que o mistério Pascal de Cristo tem a nos oferecer. Continue lendo

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com