Conheça a Confraria do Santo Rosário da Virgem Maria e saiba como ser membro e praticar esta devoção, tão necessária para nosso tempo.

Em revelação privada ao Beato Alano da Rocha, a Santíssima Virgem Maria prometeu a seguinte graça aos membros da Confraria do Rosário: “Obtive de meu Filho que todos os membros da Irmandade do Rosário tenham por irmãos, durante a vida e na hora da morte, os santos do céu”.

Conheça a Confraria do Santo Rosário da Virgem Maria e saiba como ser membro e praticar esta devoção, tão necessária para nosso tempo.

Nossa Senhora do Rosário de Fátima

Os membros da Confraria do Rosário pretendem atender aos pedidos de Nossa Senhora em Fátima, feitos no ano de 1917. Naquele tempo, a Santíssima Virgem revelou a Irmã Lúcia que “Deus dava os dois últimos remédios ao mundo: o santo Rosário e a devoção ao Imaculado Coração de Maria, e sendo estes os dois últimos remédios, isso significa que não haverá outros para ele”[1]. Na crise sem precedentes, que afeta atualmente a Igreja e o mundo, a via de salvação dada pelo Céu aos fiéis para perseverarem na verdadeira fé católica e na vida cristã é a devoção dos cinco primeiros sábados do mês, unida à meditação quotidiana do Terço ou Rosário mariano. Continue lendo…

Saiba mais sobre a dor de Jesus Cristo e da Virgem Maria por nossos pecados e a necessidade da reparação aos seus Sagrados Corações.

O culto às dores da Virgem Maria e a devoção reparadora está intimamente ligado às dores de Jesus Cristo. Durante a Idade Média, desenvolveu-se o culto piedosíssimo do mistério das sete dores da Virgem Maria. No século XIII, surgiu a famosa sequentia, em latim, conhecida como “Stabat Mater Dolorosa”, que diz: Stabat mater dolorosa, juxta crucem lacrimosa… – De pé, a mãe dolorosa junto da cruz, lacrimosa… (cf. Jo 19, 25). Nesse tempo, a Igreja aprendeu a meditar sobre as sete dores de Maria: a profecia de São Simeão, de que uma espada transpassaria o coração de Nossa Senhora (cf. Lc 2, 22-35); a dor por causa da fuga e do exílio no Egito (cf. Mt2, 13-23); a dor da Mãe de Deus, que perde o Filho Jesus e o encontra no templo de Jerusalém (cf. Lc 2, 41-52); a dor de Maria, que encontra Jesus a caminho do Calvário; a dor da Virgem Mãe aos pés da cruz (cf. Jo 19, 25); a dor de Nossa Senhora que recebe seu Filho morto nos braços; e a dor do sepultamento do seu amado Filho.

Saiba mais sobre a dor de Jesus Cristo e da Virgem Maria por nossos pecados e a necessidade da reparação aos seus Sagrados Corações.

Encontro de Jesus com Maria a caminho do Calvário.

O que gostaríamos de salientar e meditar e fazer notar é o fato de que estas não são dores físicas. Nossa Senhora tinha dores físicas. Mas, essas dores que meditamos são espirituais. O problema é que nós, pecadores e insensíveis por causa do pecado, ficamos com capacidade de sofrer espiritualmente embotada. O pecado nos torna dormentes, enquanto a pureza de um Coração Imaculado torna este sensibilíssimo à tragédia espiritual do pecado. Exatamente porque nós somos insensíveis ao pecado que nosso Senhor, Deus, se fez homem e morreu na cruz, para que na dor física do Cristo na cruz nós enxerguemos a tragédia do pecado. Continue lendo…

Meditemos sobre a Apresentação de Jesus Cristo, a profecia do velho Simeão e a dor da Virgem Maria.

Neste primeiro sábado do mês, no qual queremos reparar as ofensas cometidas contra o Imaculado Coração de Maria Santíssima, meditemos sobre o mistério da Apresentação Jesus Cristo no templo de Jerusalém e a profecia da espada da dor que transpassaria seu coração de Mãe. Com esta meditação, cumpriremos uma das quatro práticas da devoção dos cinco primeiros sábados em reparação ao Imaculado Coração de Maria, tão ultrajado pelos pecados dos homens.

Meditemos sobre a Apresentação de Jesus Cristo, a profecia do velho Simeão e a dor da Virgem Maria.

A Apresentação Jesus cristo no templo de Jerusalém

Na Apresentação de seu Filho Jesus Cristo no Templo, a Virgem Maria ouviu a profecia do velho Simeão: “Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma” (Lc 2, 34-35). Continue lendo…

Meditemos com Santo Afonso Maria de Ligório sobre a Purificação da Virgem Maria e a Apresentação do Menino Jesus no Templo.

Na véspera do sábado, dia dedicado a Santíssima Virgem Maria, é muito oportuno meditarmos sobre o mistério da sua Purificação e da Apresentação do Menino Jesus no templo de Jerusalém. Esta reflexão se torna ainda mais oportuna porque ontem celebramos a Festa da Apresentação do Senhor. Ademais, esta meditação torna-se ainda mais especial porque estamos na véspera do primeiro sábado do mês, no qual somos chamados a reparar as ofensas contra o Imaculado Coração de Maria. Pois, uma das práticas dessa devoção reparadora é a meditação de um ou mais dos mistérios do Santo Rosário.

Meditemos com Santo Afonso Maria de Ligório sobre a Purificação da Virgem Maria e a Apresentação do Menino Jesus no Templo.

Apresentação de Jesus no Templo, de Giotto de Bondone.

Este Ano Nacional Mariano é um tempo muito favorável para praticarmos esta devoção, que nos foi transmitida por nossa Senhora em uma de suas aparições em Fátima, Portugal. De modo particular neste Ano, recomendamos vivamente a todos esta devoção desejada por Jesus Cristo e pela Virgem Maria, especialmente às pessoas que ainda não a conhecem. Pois, se no Calvário a profecia do velho Simeão se cumpriu de forma dramática – com a flagelação, a coroa de espinhos, a violência, os insultos e as blasfêmias e, por fim, a lança que feriu o Coração de Jesus, que foram como que uma espada de dor que transpassou o Imaculado Coração de Maria (cf. Lc 2, 35) – em nossos dias, as ofensas e blasfêmias contra o Coração Imaculado de nossa Senhora ferem gravemente o Sacratíssimo Coração de nosso Senhor. Continue lendo…

Saiba por que o Ano Mariano é um tempo extraordinário para praticarmos a devoção dos primeiros sábados, em reparação ao Imaculado Coração de Maria.

Há algumas semanas, publicamos um artigo sobre a reparação ao Imaculado Coração da Virgem Maria como um dos “Três propósitos para 2017, o Ano Mariano”. Na oportunidade, apresentamos o jubileu dos 300 anos de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, que motivou o Ano Nacional Mariano, e os 100 anos das aparições de Nossa Senhora do Rosário de Fátima como razões para praticar essa devoção, tão querida por Jesus Cristo e pela Virgem Maria. Ademais, dissemos que essa devoção, praticada nos primeiros sábados, tem como finalidade a reparação das ofensas cometidas contra o Imaculado Coração.

Saiba por que o Ano Mariano é um tempo extraordinário para praticarmos a devoção dos primeiros sábados, em reparação ao Imaculado Coração de Maria.

Imaculado Coração de Maria

Hoje, queremos retomar o tema com mais algumas razões que fazem dessa devoção muito oportuna em nosso tempo, especialmente neste Ano Mariano. A Santíssima Virgem alertou-nos para os perigos que estariam presentes em nossos dias, em várias de suas aparições. No entanto, nelas Nossa Senhora também prometeu a sua presença materna, a sua proteção, para as pessoas que a ela recorrerem com fé e devoção. Devido a esse auxílio materno, há uma batalha espiritual entre ela e a serpente, profetizada desde o princípio (cf. Gn 3, 15). Consequentemente, em nossos dias, o Imaculado Coração de Maria está sendo ultrajado mais do que nunca, por isso, precisa de reparação. Ademais, o próprio Jesus Cristo é ofendido pelas ofensas contra sua Mãe Imaculada e deseja essa devoção reparadora. Continue lendo…