5 Comentários

  1. Quem pretende seguir a carreira de produtor musical precisa conhecer música a fundo, além do áudio. De certa forma, este é o ‘maestro’ moderno. É ele quem faz a música acontecer, nem que seus “músicos” sejam programas de computador. Sua orquestra pode ser um monte de sintetizadores na tela do PC. Ou músicos e seus instrumentos à espera dos seus microfones. Não importa. Sem noções fundamentais de música, o trabalho fica insosso, o som insatisfatório.

  2. Produtor musical: Na indústria musical, um produtor musical ou produtor discográfico é o termo que designa uma pessoa responsável por completar uma gravação master para que esteja pronta para o lançamento. Eles controlam as sessões de gravação, treinam e guiam os músicos e cantores e fazem a supervisão do processo de mixagem. Na primeira metade do século XX, o papel do produtor musical lembrava aquele do produtor cinematográfico, em que o produtor musical supervisionava as sessões de gravação, pagava os técnicos, músicos e os responsáveis pelo arranjo das músicas, e algumas vezes até escolhia material para o artista. Pela década de 1960, os produtores musicais pegaram um papel mais direto no processo musical, incluindo criar arranjos, cuidar da engenharia da gravação e até mesmo escrever o material. Através de tudo isso, os produtores têm tido uma forte influência, não apenas em carreiras individuais, mas no curso da música popular. Hoje em dia, com a diminuição dos custos de material, aumento dos interessados na área e com o grande aumento de marcas, modelos e tipos de material, há cada vez mais home-studios e produtores caseiros. Muitos artistas tornaram-se produtores musicais sozinhos, e o contrário também já ocorreu: produtores viraram os artistas.

  3. Como faltava estrutura musical de apoio, os três improvisavam arranjos mais simples do que aqueles usados nas músicas das duplas de sucesso da época. A gravação era basicamente de voz e violão. Mesmo assim, deu certo. O estúdio cresceu e se transformou na primeira gravadora do Estado, a Pantannal, especializada em talentos regionais. Ivan desistiu da faculdade e abraçou a carreira de produtor musical. O sucesso de estúdio veio junto com o de uma das duplas que ajudou a lançar: João Bosco & Vinícius. Não reconheceu os nomes? O.k., mas você já deve ter ouvido “Chora me liga”, o hit de maior sucesso da dupla. Foi a segunda música mais tocada nas rádios no ano passado, atrás apenas de “Halo”, de Beyoncé. Entre as nacionais, foi a mais ouvida.

  4. Na primeira metade do século XX , o papel do produtor musical lembrava aquele do produtor cinematográfico , em que o produtor musical supervisionava as sessões de gravação, pagava os técnicos, músicos e os responsáveis pelo arranjo das músicas, e algumas vezes até escolhia material para o artista. Pela década de 1960 , os produtores musicais pegaram um papel mais direto no processo musical, incluindo criar arranjos , cuidar da engenharia da gravação e até mesmo escrever o material. Através de tudo isso, os produtores têm tido uma forte influência, não apenas em carreiras individuais, mas no curso da música popular .

  5. Na primeira metade do século XX , o papel do produtor musical lembrava aquele do produtor cinematográfico , em que o produtor musical supervisionava as sessões de gravação, pagava os técnicos, músicos e os responsáveis pelo arranjo das músicas, e algumas vezes até escolhia material para o artista. Pela década de 1960 , os produtores musicais pegaram um papel mais direto no processo musical, incluindo criar arranjos , cuidar da engenharia da gravação e até mesmo escrever o material. Através de tudo isso, os produtores têm tido uma forte influência, não apenas em carreiras individuais, mas no curso da música popular .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *