Ó Deus de bondade e misericórdia, recomendamo-Vos nossa casa, nossa família, nossos famíliares e tudo quanto possuímos.

Abençoai-nos a todos, como abençoastes a família de Nazaré.

Resguardai-nos dos acidentes, assaltos, assaltos, raios, incendios, da peste, da fome e da guerra.

Não permitais que algum de nós morra sem ter um encontro pessoal com Jesus Cristo, e sem os santos Sacramentos.

Dai-nos forças, a fim de conservarmos, também nas tribulações e sofrimentos, a nossa fé e sempre progredirmos no amor a Vós e ao nosso próximo.

Jesus, Maria e José, protegei nossas famílias, tornando-as sempre mais unidas e respeitosas, dando a todos uma boa morte, para que possamos um dia encontrar-nos unidos para sempre no céu. Amém!

Ave Maria…

“Aceita, filho, a disciplina de teu pai e não desprezes a instrução de tua mãe…”Provérbios 1.8

No livro de Provérbios, Deus exorta os filhos a nunca abandonar os ensinamentos das mães, sugerindo que nós, mães, fomos encarregadas por Deus de ensiná-los a Sua Palavra.

Podemos fazer muitas coisas por nossos filhos, mas ensinar-lhes a Palavra de Deus,a Palavra  é a mais importante de todas. Por que? Porque a Palavra de Deus significa salvação para hoje e por toda a eternidade.

Pois a  mulher que ama a Deus sente, sem dúvida, uma amor profundo e constante por sua Palavra. E, se ela for mãe, seus fihos devem e precisam ser os primeiros  a experimentarem  desse entusiasmo, que é fruto de uma experiencia pessoal com o Amor de Deus.

O princípio fundamental da maternidade é oferecer aos filhos o que eles necessitam, e não o que eles desejam. Toda mãe que ama a  Deus deve refletir sobre estas decisões:

Encontrarei tempo em minha agenda lotada para ensinar a Palavra de Deus a meus filhos?
Desligarei a TV para ler a Biblia a meus filhos ou contar-lhes uma história Biblia?

A Maternidade é a função, a tarefa, a responsabilidade, o compromisso mais belo e mais gratificante do mundo, que não é superada por nada.

A maternidade e a paternidade são o anúncio mais eficaz e eloquente do amor de Deus!

Paro a imaginar omo, Nossa Senhora e São José,  preparam Jesus para realizar sua missão. Como eles falavam de Deus para Jesus, como rezavam, como ensinavam as coisas do dia a dia.

Quando ouço uma parábola de Jesus, penso logo, com quem ele aprendeu? Com certeza foi vendo seus pais no dia a dia, ouvindo suas historias, ajudando nas tarefas de casa…Tudo falava do amor  de Deus e o preparava para viver esse amor sem reservas.

Assim também aconteceu com a mãe de Moisés que ficou com seu bebê apenas tres anos e mesmo assim nesse breve tempo transmitiu as verdades biblicas ao iflho. Isso com certeza o ajudou e preparou para liderar o povo de Deus depois de adulto(Êxodo 2 ) Ana teve a companhia de Samuel também por 3 anos antes de levá-lo ao templo mas o que ela ensinou a seu filho foi o suficiente para ajudá-lo ser um grande profeta para  do povo de Deus ( 1Samuel 1-2)

Fica para mim essa reflexão:

Eu tenho plantado as sementes do amor e da verdade de Deus no coração de meus filhos? Nunca é cedo demais, ou tarde demais para começar.

Rezemos juntos,

Ave Maria, cheia de graça...

Bento XVI, recomendou, que neste dia 16, Festa de Nossa Senhora do Carmo, que os fiéis façam uso do escapulário.

que se use este objeto de tecido, de cor marrom, que se pendura no pescoço, no final do seu encontro com os peregrinos por ocasião do Ângelus.

Não parece coincidência que o Santo Padre tenha dito estas palavras em polonês, pois João Paulo II usava o escapulário desde a sua juventude e via nele um símbolo de “defesa nos perigos, selo de paz e sinal do auxílio de Maria”.

As palavras de Bento XVI ressoavam um dia depois da celebração da memória de Nossa Senhora do Carmo, que recorda este gesto de devoção.

“O escapulário é um sinal particular da união com Jesus e Maria – disse. Para aqueles que o usam, constitui um sinal do abandono filial na proteção da Virgem Imaculada. Em nossa batalha contra o mal, que Maria, nossa Mãe, nos cubra com seu manto”, concluiu.

Como explica a Ordem dos Carmelitas Descalços no seu site, o escapulário, em sua origem, era um avental que os monges usavam sobre o hábito religioso durante o trabalho manual. Com o tempo, assumiu o significado simbólico de querer carregar a cruz de cada dia, como os verdadeiros seguidores de Jesus.

A própria Ordem esclarece que o escapulário não é “um objeto para uma proteção mágica (um amuleto)”, “em uma garantia automática de salvação”, “nem uma dispensa para não viver as exigências da vida cristã, muito pelo contrário!”.

CASTEL GANDOLFO, segunda-feira, 18 de julho de 2011
(Jesús Colina)
fonte:  ZENIT.org

Gianna Beretta Molla, nasceu em Magenta (Milão,Itália), no dia 4 de outubro de 1922, dia de São Francisco.

Formou-se com louvor em medicina e cirurgia em 1949 pela Universidade de Pavia (Itália). Entre seus pacientes, demonstra especial cuidado  e atenção com as mães, crianças, idosos e pobres.

Pediatra pela Universidade de Milão em 1952. Também freqüentou a Clínica Obstétrica Mangiagalli, pois por seu grande amor às crianças e às mães desejava unir-se ao seu irmão, Padre Alberto, médico e missionário no Brasil que, com a ajuda do seu outro irmão Francesco, engenheiro, construíram um hospital na cidade de Grajaú, no Estado do Maranhão.

A Beata Gianna, por sua saúde frágil, foi desaconselhada pelo Bispo Dom Bernareggi em vir ao Brasil.

Uma família realmente cristã

Opta pela vocação matrimonial, que a abraça com entusiasmo, assumindo total doação “para formar uma família realmente cristã”.

Casa em 24 de setembro de 1955. A cerimônia foi presidida por seu outro irmão Padre Giuseppe.

Na quarta gravidez, aos 39 anos em setembro de 1961 no final do segundo mês de gravidez, vê-se atingida por um fibroma no útero.

Três opções lhe foram apresentadas: More »

A intercessão da Virgem Maria, nos é uma segura esperança de que a vontade de Deus se cumprirá em nós.

A melhor de todas as mães…

“A graça aperfeiçõa a natureza e a glória aperfeiçoa a graça, é certo que Jesus continua a ser, no céu, tão Filho de Maria, como o foi na terra. Por conseguinte, ele conserva a submissão e obediência do mais perfeito dos filhos para com a melhor de todas as mães.”

Maria esta infinitamente abaixo de seu Filho, que é Deus, e, portanto não lhe dá ordens como nós mães damos aos nossos filhos. Maria porque está toda transformada em Deus pela graça e pela glória que, em Deus, transforma todos os santos, não pede, não quer, não faz a menor coisa contrária à eterna e imutável vontade de Deus.

Por isso, nos aproximemos desta mãe tão terna e amorosa, atenta as necessidades de seus filhos e filhas e deixemos o nosso coração ser envolvido pela vontade de Deus. Que se cumpra em nós a vontade de Deus, por menor que seja… se cumpra inteiramente.

Como Maria, hoje quero que em mim se faça a vontade de Deus.

Rezemos juntos:

Ave Maria, cheia de graça…