A teologia apoia-se na Palavra de Deus Escrita junto com aSagrada Tradição, e é nestes fundamentos que ela se fortalece e sempre se rejuvenesce, investigando profundamente, à luz da fé, toda a verdade encerada no mistério de cristo. As sagradas Escrituras contém a palavra de Deus.
No Denzinger encontramos a seguinte afirmação:

O magistério da Igreja e a teologia, mesmo tendo dons e funções diferentes, têm em ultima analise o mesmo fim: conservar o povo de Deus na verdade que liberta, fazendo assim que seja a luz das nações. Este serviço à comunidade eclesial faz com que o teólogo esteja em relação com o Magistério.[1]

Assim vemos que a Teologia nasce da Igreja, não é possível fazer Teologia fora da Igreja. Pois “a teologia é antes de tudo escuta atenta dos testemunhos por meio dos quais nos certificamos da palavra de Deus, recebida na fé da igreja”.[2]
Dom Estevão Bittencourt também define o que é ser teólogo:

O teólogo é um pesquisador ou alguém que procura aprofundar o sentido das verdades da fé reveladas por Deus através dos Patriarcas, dos Profetas e da pregação de Jesus Cristo. Estas verdades estão consignadas na chamada Tradição (= transmissão) oral e nas Sagradas Escrituras. Por isso o teólogo estuda a Bíblia Sagrada e suas ciências auxiliares (a linguística, a arqueologia, a história…) assim como os documentos emanados da Igreja através dos séculos e a Filosofia, a fim de ilustrar e transmitir ao Povo de Deus o conteúdo dos artigos da fé.[3] (Bettencourt, 2003, p. 7-17)

O primeiro ato do Teólogo é dizer eu creio, pois a Teologia é a fé à procura de certa compreensão. Assim o Teólogo não parte da experiência ou do raciocínio, mas de um ato de fé, fé em Deus que se deu a conhecer, que se revelou aos homens. A partir de sua crença com o auxílio da Filosofia, da ciência bíblica e do magistério chega a suas conclusões.

A fé em uma verdade particular implica um movimento que transcende o conteúdo formulado da fé. Ela conduz a pessoa à união com Deus, a “Veritas prima”, que até agora, revelando-se, ilumina os corações humanos com a luz de sua presença. A teologia tampouco se detém nas formulações de tradições, símbolos e dogmas, mas mostra o caminho para uma vida iluminada pela luz de Deus que se propaga pelo mundo.[4]

A razão não é a primeira norma nem o único instrumento para conhecer a as verdades sobrenaturais. A teologia deve partir da matéria doutrinal clara, definida, para explicar o que é obscuro. O teólogo deve sempre voltar às fontes da revelação, pois ao teólogo cabe indicar de que forma encontra-se, explicita ou implicitamente, na sagrada escritura e na divina tradição, o que ensina o magistério.

 

Pe. Leandro Couto

 

Referencias

[1] DENZINGER, Heirich. Compêndio dos Símbolos, definições e declarações de fé e moral. Tradução José marino Luz Konings. São Paulo: Paulinas: Loyola, 2007, n. 4875.
[2] WICKS, Jared. Introdução ao Método Teológico. Tradução de Nadyr de Salles Penteado. São Paulo: Loyola, 1999, p. 36.
[3] BITTENCOURT, Dom Estevão. Teólogos e Magistério da Igreja. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/82508475/314504079> Acesso: 28 de maio de 2013.
[4] WICKS, Jared. Op. Cit., p. 72.

 

Quando olhamos para os noticiários, podemos concluir que vivemos num mundo onde impera o medo e a insegurança. Com isso a tendência é o isolamento, pois, as pessoas buscam se proteger, porque já não se confia um nos outros. Por isso vemos muitas casas com muros enormes, nunca se viu tanto o crescimento dos condomínios fechados. E a cada dia que passa aumenta o número de pessoas com síndromes do pânico entre outros. Dia a pós dia, as pessoas se sentem inseguras e vulneráveis, muitos se quer andam um quarteirão em seus bairros se se sentir inseguro ou com medo. Cada dia mais as pessoas se sentem inseguras e vulneráveis, porque a insegurança vem de dentro, vem do fundo da alma. O que tudo isso nos revela?
Vivemos em um pais, violento, sim, onde a cada dia tem aumento as estatísticas… mas também existem muita gente do bem, fazendo a diferença, não estou aqui para julgar o estado, ou a segurança pública…
Diante da atual situações que o Brasil e o mundo está vivendo hoje, nossa insegurança, nosso medo, revela a nossa falta de fé e nossa falta de confiança em Deus e no seu projeto para cada um de nós, que um projeto de amor. Portanto, um mundo onde se vive o respeito mútuo, onde as pessoas confiam de forma plena em Deus, colocando em prática o evangelho e a doutrina da Igreja, os mandamentos e preceitos, onde se confia um no outro, seria um mundo ideal, pois ninguém faria mal ao seu semelhante.
Na primeira leitura, o profeta Zacarias mostra um homem com um cordel nas mãos para medir a cidade de Jerusalém com o objetivo de construir uma muralha à sua volta para protegê-la. O anjo do Senhor pede ao profeta que diga àquele homem que a população de Jerusalém precisa ficar sem muralha porque Deus é a sua proteção. Deus seria para ela muralha de fogo ao seu redor. Confiando em Deus, eles não precisariam construir muros para se protegerem. Deus mostraria seu poder e sua glória e a cidade rejubilaria e se alegraria por ter Deus como o pastor que guarda o seu rebanho, como diz o salmo de hoje, respondendo e completando a primeira leitura. Assim sendo, uma cidade onde Deus habita no coração das pessoas não precisa de muralhas para protegê-la. Quando vemos muitas grades e muros cercando as casas e cidades é indício de que ali habitam pessoas que não confiam em seus semelhantes nem em Deus. Um povo que tem Deus no coração e cumpre suas leis e seus preceitos, respeita o seu próximo e jamais faz mal ao outro. Assim, dispensam-se as muralhas e outras supostas seguranças que aprisionam as pessoas.
Tudo isso ajuda a entender o evangelho de hoje, quando os discípulos, apesar de se admirarem com as coisas que Jesus fazia, não entendiam por que ele seria entregue nas mãos dos homens e sofreria tanto. Não entendemos muitas vezes o porquê de Deus ter permitido que Jesus fosse entregue e passasse pela cruz. Isso nos amedronta, pois preferimos apenas ver a glória da ressurreição e nos esquecemos da cruz. Há também os que, por falta de entendimento, querem se desviar do caminho da cruz e buscam segurança em outras vias. O desvio do caminho de Jesus é que gera tanta insegurança. Se não confiamos em Deus, em quem vamos confiar? Um povo que não confia em Deus jamais irá confiar no seu próximo. Por isso, muitos buscam segurança nas grades e muros de suas casas, mas isso deixa um tremendo sentimento de vulnerabilidade, porque nenhum sistema de segurança preenche esse vazio de Deus.
Mais do que nunca, hoje vemos uma crescente degeneração da cultura e da moral, não precisamos ir longe para observar essa degeneração cultural que estamos sofrendo. Estamos vivendo em uma sociedade imediatista, marxista e hedonista gramsciana.
Estamos sofrendo uma crescente perda de valores, ou seja, a sociedade está substituindo princípios fundamentais e culturais pelo prazer e imoralidade.
A verdadeira causa dos males do homem de hoje são justamente estes disfarces ideológicos, movidos por falsas filosofias e ideologias, que deturpam os valores supremos, que caíram no esquecimento e que podem ser resumidos nos seguintes itens: o cientificismo e o redimensionamento da razão do homem em sentido tecnológico; o ideologismo absolutizado e o esquecimento do ideal verdadeiro; o praxismo, com sua exaltação da ação pela ação e o esquecimento do ideal de contemplação; a proclamação do bem-estar material como substituta da felicidade; a difusão da violência; a perda do sentido da forma; a redução do Eros à dimensão do físico e o esquecimento da “escala do verdadeiro amor”; a redução do homem a uma única dimensão e o individualismo levado ao extremo; a perda do sentido do cosmos e da finalidade de todas as coisas; o materialismo em todas as suas formas e o esquecimento do ser, a ele vinculado.
Hoje notamos que o ser humano está perdendo o valor de pessoa; o amor ao outro que, segundo o filósofo Emmanuel Mounier “é a mais forte certeza do homem”. O espírito de amizade e amor estão se perdendo, e desta forma perde-se como conseqüência a experiência comunitária, social e interpessoal.
Então podemos constatar que a violência que assistimos hoje nada mais é do que o reflexo de um mundo sem norte, sem rumo, habitado pelo “nada” ou por si mesmo, incapaz de se voltar para o próximo. O homem que ao mesmo tempo defende o seu “eu” se torna refém de si mesmo quando não consegue se abrir ao “tu”, ao outro, “eu existo simplesmente na medida em que existo para o outro”, dizia Emmanuel Mounier.
Que possamos hoje perceber os sinais de Deus, que pede que confiemos mais na sua Palavra e a coloquemos em prática, a fim de que tenhamos a segurança necessária para a nossa vida e dispensemos as muralhas que cercam a nossa existência, como nos pedem as leituras deste dia.

 

Padre Leandro Couto

Fonte: www.eclesiafidei.com

 

Venha louvar e celebrar as vitórias de Deus em 2017 na nossa Vigília de Ano Novo no Rincão do Meu Senhor a partir das 21h do dia 31 de dezembro 2017, traga a sua família para juntos rezarmos, louvarmos e intercedermos, agradecendo pelas conquistas de 2017 e confiando o ano de 2018 aos cuidados de Deus.

venha celebrar conosco!

 

Venha participar do Festival de Natal do Bazar Canção Nova no dia 22 de dezembro de 2017 a partir das 8h no Rincão do meu Senhor em Várzea Grande/MT ao lado da Univag, calçados, bolsas, acessórios, brinquedos, copa, cozinha, cama, mesa e banho, tudo a preços mínimos para ajudar no Projeto Dai-me Almas. Aceitamos doações (65) 3046-9201 (Noedir ou Geralda) Iremos buscar sua doação. Esperamos por você, um feliz Natal!!! 

Venha celebrar conosco as vitórias de Deus na Missão canção Nova durante o ano de 2017 e comemorarmos juntos os 10 anos de vida sacerdotal do nosso querido Padre Bruno Costa, você é nosso convidado especial. Ás 19:30h no rincão do meu Senhor. 

 

Acampamento Avivados para Avivar com Pe. Bruno Costa e Ironi Spuldaro no Rincão do Meu Senhor na Sede da Comunidade Canção Nova em Várzea Grande-MT, no dias 16 (a partirdas 13:30h) e 17(a partir das 8h) de dezembro de 2017. Momento de reavivamento para todo o povo de Deus, Venha participar e rezar conosco!

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão que é sacerdote e missionário da Canção Nova, nos diz que, a disciplina gera Santos e nos tira da derrota.

 

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão que é sacerdote e missionário da Canção Nova, nos falará sobre o amor de Deus por nós.

 

Dia 06 de DEZEMBRO a partir das 8h teremos no Rincão do Meu Senhor em Várzea Grande-MT, o nosso Feirão Canção Nova, produtos novos e usados a preços bem acessíveis, venha nos visitar neste dia e adquirir nossos produtos.

Ajude-nos com a sua doação: (Eletrodomésticos, vestuário, cama, mesa e banho, é só ligar e iremos buscar : (65) 3046-9201.

Deus lhe pague!

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão​ que é sacerdote e missionário da Canção Nova​, nos falará sobre a Santíssima Eucaristia.

 

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão​ que é sacerdote e missionário da Canção Nova​, nos ensinará como como orar para ouvir a voz de Deus.

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão que é sacerdote e missionário da Canção Nova, nos dirá que a derrota não é lugar para ficar aprisionado, e sim de reconhecer a grandeza de Deus e ir ao seu encontro.

 

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão​ que é sacerdote e missionário da Canção Nova​, nos mostrará que lutar sozinho não é a melhor forma de crescer.

No programa na força da oração de hoje, Padre Ivan Paixão​ que é sacerdote e missionário da Canção Nova​, nos diz que o deserto pode se tornar um lugar de encontro com Deus e consigo mesmo.

 

Network-wide options by YD - Freelance Wordpress Developer