Estrutura da Missa: Liturgia Eucarística - Comunhão

A oração eucarística representa a dimensão vertical da Missa, em que nos unimos plenamente a Deus em Cristo. Após alcançarmos a comunhão com Deus Pai, o desencadeamento natural dos fatos é o encontro com os irmãos, uma vez que Cristo é único e é tudo em todos. Este é o momento horizontal da Missa. Tem também esse momento o intuito de preparar-nos ao banquete eucarístico.

3.2. Liturgia Eucarística – Comunhão

Pai-nosso

O Pai-nosso é considerado preparação privilegiada para a comunhão. Na oração do Pai-nosso se pede o pão nosso de cada dia, que lembra para os cristãos, antes de tudo, o pão eucarístico, e pede-se a purificação dos pecados (cf. IGMR, n.81). Dentro da Missa não se diz o ‘amém’ no final do Pai-nosso, pois, ao final do Pai-nosso, o presidente da celebração acrescenta sozinho a oração “Livrai-nos, ó Pai, de todos os males…”.

Oração e abraço da paz

Imediatamente após a oração do Pai-nosso reza-se pela paz. Toda as orações dentro da missa são dirigidas ao Pai, mas esta oração se dirige a Jesus Cristo, Pois Ele é a nossa verdadeira paz.

Fração do pão e Cordeiro de Deus

A fração do pão é o momento no qual o presidente da celebração antes da comunhão, toma o pão consagrado nas mãos e o parte em pequenos pedaços. A fração do pão aqui significa que nós, sendo muitos, pela Comunhão do Único Pão da Vida, que é o Cristo, formamos um único Corpo. Durante a fração do pão se canta ou reza o Cordeiro de Deus.

Em seguida o presidente da Celebração mostra aos ‘fiéis o pão consagrado que será recebido na Comunhão e convida-os a Ceia do Senhor. Unindo-se aos fiéis, faz um ato de humildade, usando as palavras do Evangelho: “Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei Salvo” (Mt 8,8) (cf. IGMR, n. 84).

A Comunhão

Na Comunhão assumimos Deus em nossa vida, assim como o projeto de Deus como Igreja-comunidade. A Comunhão é sinal de compromisso com Cristo, com a Igreja e com os irmãos. Após a comunhão aconselha-se também fazer um tempo de silêncio. O silêncio produz a comunhão e favorece a oração e o encontro pessoal com Cristo.

O rito da Comunhão termina com a oração pós-Comunhão, na qual o presidente da celebração implora os frutos do mistério celebrado. (cf. IGMR, n. 98)

 

Veja também:

Estrutura da Missa: Liturgia Eucarística

Estrutura da Missa: Liturgia da Palavra

Estrutura da Missa: Ritos Iniciais

Liturgia, Sagrada Ceia do Senhor: “O Mistério da Fé”


Padre Leandro Couto

Natural de Borda da Mata MG, membro da comunidade Canção Nova desde 2007. Atualmente na Missão Canção Nova Cuiabá MT.