Fé e Conversão

Diante da atual realidade que vivemos, podemos perceber que muitos querem que a igreja se adapte a seus moldes, ao seu querer. Mas não é bem assim, não é a igreja quem precisa mudar, mas sim nós. Pois se eu professo a fé Católica Apostólica Romana, eu preciso viver… é uma questão de conversão é fé.

A palavra fé vem do grego ‘pisteuo’, que significa crer, prestar adesão a alguém. Deus comunica o Seu amor aos homens e espera uma resposta concreta para a realização de Suas obras. A fé é a resposta do homem ao Deus que se revela. Essa comunhão é confirmada quando a inteligência e a vontade do homem são submetidas, completamente, a Deus.

Em obediência a Palavra de Deus, o homem livremente inicia a vida de fé quando abre os olhos para a verdade e assume a graça de participar e optar definitivamente pelo plano de salvação.

“De fato, é pela Sua graça que fostes salvos, mediante a fé, e isto não procede de vós: é dom de Deus” (Ef 2,8).

Hoje como Cristãos fazemos nossa caminhada de fé pelo testemunho dos apóstolos; Porque foram eles que testemunharam a ressurreição de Jesus ICor 15,3-8 , Lc 1, 1-4. Nossa fé é transmitida pela sucessão apostólica, tudo que Jesus ensinou aos doze, foi transmitido pela tradição da Igreja , e quem nela é batizado , passa a fazer parte do corpo místico de Cristo e ter fé em seus ensinamentos.

A fé é um dom de Deus e sem a fé é impossível agradar a Deus ( Hb11, 6)

Mas existem muitos inimigos da fé : Maligno, racionalismo, materialismo, pecados.

“Quando Pedro confessa que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo, Jesus declara-lhe que esta revelação não lhe veio «da carne nem do sangue, mas do seu Pai que está nos Céus» (Mt 16, 17) . A fé é um dom de Deus, uma virtude sobrenatural infundida por Ele. «Para prestar esta adesão da fé, são necessários a prévia e concomitante ajuda da graça divina e os interiores auxílios do Espírito Santo, o qual move e converte o coração para Deus, abre os olhos do entendimento, e dá “a todos a suavidade em aceitar e crer a verdade”» (CIC 153)

Mas precisamos ter fé acreditar em Jesus, mas precisamos também mudar de vida – conversão

O que Jesus disse para a mulher que ia ser apedrejada (Cf. Jo 8,1-11)? Vai e não peques mais.

Por tanto, conversão é sair da direção do mundo e seguir Jesus, deixar a vida velha, transformação de mentalidade.

Precisamos escutar o chamado de Jesus que ecoa pelos séculos: ¨Convertei-vos e crede no evangelho¨ (Mc 1,15)

Quem realmente se encontra com Jesus sua vida é transformada. Pois, Jesus veio para mudar a nossa vida, nos ensinar um caminho novo, o caminho da santidade.

Somos chamados a romper com as mentalidades mundanas e buscarmos a perfeição em Deus.

Somos chamados a essa vida em Jesus, a caminharmos nos caminhos de Jesus, para alcançarmos um dia a morada definitiva o céu, e isso é plano de Deus. Portanto, conversão é fruto de nossa resposta a Deus, baseada em nossa fé, mediante a assistência do Espírito Santo. (Cf. Cat 1098). A conversão move o nosso coração a seguir Jesus e segui-lo mais e mais.

A conversão parte da fé: “Crede em Jesus, arrependei-vos de vossos pecados e então podereis viver a vida do Filho de Deus ressuscitado” (Ato 2,38).

Conversão é a escolha radical; é a opção determinada pela causa do Reino de Deus. Essa transformação acontece quando: o arrependimento leva a pessoa a renunciar ao pecado, em busca de uma vida nova.

Jesus quer salvar e nos conduzir ao Pai e aceitar Jesus implica em uma mudança de valores, de atitudes e de vida. A experiência com Deus é a causa principal para que aconteça a confirmação da mudança de vida. A conversão de Santo Agostinho é um exemplo marcante na história do mundo, mesmo tarde, não deixou de amar a Deus, renunciou ao pecado para buscar definitivamente o caminho da santidade.

A conversão de Saulo, também, é outro sinal da misericórdia de Deus. Depois de tanto perseguir os cristãos, durante uma viagem a Damasco, Jesus o faz reconhecer seu erro, com a pergunta: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” (Cf At 9,1-9). Saulo coloca-se diante do Senhor sem resistir ao Seu chamado e cumpre fielmente a sua missão de servir a Igreja.

Não basta viver a conversão por tempo determinado. Quando conhecemos a verdade, devemos ser fiéis no compromisso com Deus. Nossa resposta deve ser uma só: “Dizei somente sim se é sim; não se é não” (Mt 5,37). Perseveremos diante das dificuldades na caminhada; renunciemos ao pecado e deixemos o Senhor nos modelar para sermos transformados em criaturas novas.