Foi o tempo que dedicaste a tua rosa que fez tua rosa tão importante

O namoro é uma experiência única e que nos enriquece muito. Muitos jovens esperam com ansiedade e o com inúmeras expectativas. O namoro bem vivido nos ajuda a colocar para fora o que temos de melhor, também nos ensinando a acolher melhor o que de bom o outro pode oferecer. Enfim, tal relacionamento se constitui como experiência singular e rica de ensinamento. Mas, também pode se tornar traumático e confuso se não for vivido com o devido tempero e maturidade.

Maturidade para ganhar e perder, para dar e receber… Quem entra em um namoro querendo somente ganhar já começou a perder. Esse relacionamento não poderá, de fato, acontecer se desde o seu início nele não existir um sentido de entrega. Sem o respeito, que nos faz compreender que o outro precisa de amor tanto quanto eu preciso, não posso ter o outro somente para satisfazer todos os meus prazeres egoístas. O namoro vivido desta maneira não terá alicerces firmes, e por isso o casal acaba ficando impedido de lançar as bases para um relacionamento estável e feliz.

O namoro é, com exatidão, um tempo de conhecimento e interação mútua. E é necessário que seja assim. É tempo de crises, de deparar-se com as diferenças que constituem “um e outro”, e que por isso não pode ser por mim manipulado. Quem não gasta tempo e energia neste processo de conhecer, e deixando-se conhecer, acabará colocando o seu relacionamento na rota do fracasso.

“Foi o tempo que dedicaste a tua rosa que fez tua rosa tão importante.” Já diz o Pequeno Príncipe.

Quem não faz a experiência de gastar tempo para conhecer a quem namora no seu melhor e pior – encantando-se e decepcionando-se – correrá o sério risco de não suportar a dureza manifestada pelo real, depois do casamento já concretizado.

Quem, no tempo de namoro, conhece somente o “corpo” (do outro) e não a “pessoa” por inteiro poderá, em qualquer alvorecer, deparar-se com a infeliz descoberta de que se casou com um desconhecido.

Namoro é o momento de entrar em crise e dela juntos sair. É tempo de brigar e reconciliar-se, é tempo de não representar. Quem assume esse relacionamento acreditando “ser de vidro” – não resistente ao impacto do cotidiano – não entendeu o que significa amar e ser amado.

Dedique-se a rosa que Deus te deu, muitas vezes haverá espinhos sim mais lá na frente você terá um lindo jardim, que Deus te abençoe!

Kenedy Silva