Lembremo-nos sempre do amor de Cristo

Santa Teresa de Jesus, também chamada de Santa Teresa de Ávila.

Nasceu em 28 de março de 1515, em Ávila, Espanha, e morreu em 4 de outubro de 1582, em Alba de Tormes. Foi beatificada pelo Papa Paulo V, em 1614, e canonizada por Gregório XV, em 1622; foi proclamada Doutora da Igreja pelo Papa Paulo VI, em 27 de setembro de 1970. Na proclamação de Santa Teresa de Jesus como Doutora da Igreja, Paulo VI proferiu as seguintes palavras: “De onde tirou Teresa o tesouro da sua doutrina? Sem dúvida, da sua inteligência e da sua formação cultural e espiritual, das suas leituras, dos colóquios com os grandes mestres de teologia e de espiritualidade, da sua singular sensibilidade, da sua habitual e intensa disciplina ascética, da sua meditação contemplativa, numa palavra, da sua correspondência à graça, que ela recebia na sua alma extraordinariamente rica e preparada para a prática e a experiência da oração… Santa Teresa teve o privilégio e o merecimento de conhecer estes segredos, por meio da experiência, vivida na santidade de uma vida consagrada à contemplação e, ao mesmo tempo, dedicada à ação, experiência sofrida e também gozada, na efusão de extraordinários carismas espirituais. Teresa possuiu a arte de expor estes segredos em grau tão elevado que se classificou entre os maiores mestres da vida espiritual. É, por isso, que a sua estátua nesta Basílica, entre as fundadoras de Famílias Religiosas, tem uma inscrição que define muito bem a Santa: Mater spiritualium.”

Animada pelas leituras da vida dos santos mártires, com apenas 7 anos de idade, Teresa, sente o desejo de fugir para a terra dos mouros, com seu irmão, Rodrigo. Fuga frustrada. No dia 2 de novembro de 1535, após a recusa do pai para ingressar no Carmelo da Encarnação, Teresa, juntamente com seu irmão, Antonio, que queria ser Dominicano, foge de casa e é aceita entre as Carmelitas.

Em 1538, abandonou o convento para restabelecer-se de uma enfermidade que quase a levou à morte. Dois livros ajudaram Teresa no despertar espiritual e amor à oração: Abecedário espiritual, do franciscano Francisco de Osuña e as Confissões de Santo Agostinho. Em 1562, ela inicia nova vida no pequeno mosteiro de São José, em Ávila.

Dentre suas obras destacamos: Livro da Vida, primeiro livro escrito por Madre Teresa, onde somos conduzidos ao encontro dos mistérios de Deus que caminha e faz história conosco, vive dentro de nós e nos envia a dar testemunho de seu amor aos homens; Caminho de Perfeição com indicações para a prática da vida cristã na consagração religiosa e no ideal do Carmelo, e Castelo Interior que propõe chegar ao mais profundo do mistério cristão e acenar para o pleno desenvolvimento da vida interior.

No Livro da Vida, cap. 22, 14, Teresa nos instrui dizendo: “sempre que pensarmos em Cristo, lembremo-nos do amor com que nos deu tantas graças e da grande prova que Deus nos dá disso ao conceder esse penhor do muito que nos ama; recordemo-nos de que o amor gera amor”.

Fonte: Obras Completas Teresa de Jesus