O Reiki não é compatível com a fé Católica

O Reiki (medicina alternativa é incompatível com a fé católica, este tipo de “medicina alternativa” tem fundamentos que contradizem a fé católica.

Para melhor esclarecer este assunto fiz algumas pesquisas sobre o assunto. Veja por que o reiki é incompatível com a fé católica:

Em 2009 a Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB por suas siglas em inglês) publicou o documento “Critérios para Avaliar o Reiki como uma Terapia Alternativa” desenvolvido por seu comitê de doutrina. Neste documento eles afirmam que o reiki é uma técnica de sanação “inventada no Japão no final do século 19 por Mikao Usui, quem estudava textos budistas”.[1]

O texto dos bispos americanos também destaca a diferença radical entre a terapia Reiki e a cura através do poder divino em que acreditam os cristãos. “Para os cristãos o acesso a cura divina é através da oração a Cristo como Senhor e Salvador, enquanto que a essência do Reiki não é uma oração senão uma técnica que passa do ‘mestre Reiki’ ao discípulo”. O documento ainda sustenta que a terapia Reiki “não encontra suporte nem nos achados da ciência natural nem na crença cristã” e por isso “para um católico, acreditar na terapia Reiki apresenta problemas insolúveis”.[2]

O documento dos Bispos Americanos também sustenta que o Reiki implica “importantes perigos” para a saúde espiritual. Pois, para utilizar o Reiki se teria que aceitar, ao menos de maneira implícita elementos centrais da visão do mundo que subjazem na teoria Reiki, elementos que não pertencem nem à fé cristã nem às ciências naturais. Sem justificação da fé cristã ou das ciências naturais, um católico que põe sua confiança no Reiki cairia no âmbito da superstição, a terra de ninguém que não é fé nem ciência”. A “superstição corrompe a adoração de Deus ao conduzir o sentimento religioso e a prática para uma falsa direção” e “embora às vezes a gente cai na superstição por ignorância, é responsabilidade de todos os que ensinam em nome da Igreja de eliminar essa ignorância tanto como seja possível”.[3]

Os Bispos americanos ainda afirmam que “dado que a terapia Reiki não é compatível com o ensinamento cristão nem a evidência científica, não seria apropriado para as instituições católicas, como centros de saúde e casas de retiro, ou para as pessoas que representam à Igreja, como os capelães, promover ou apoiar a terapia Reiki”.[4]

Em 2017 cinco bispos espanhóis se pronunciaram a respeito das diversas “formas de espiritualidade”, como ioga, reiki ou tarô, e a sua relação com o cristianismo.[5]

Os Bispos espanhóis afirmam que “a indiferença religiosa pode fazer com que não se valorize adequadamente a formação religiosa e inclusive que não se entenda que a disciplina Religião, assumida livremente, não é um elemento discordante na missão educativa, mas faz bem e faz parte de uma educação verdadeiramente integral”. Entretanto, advertiram que “o reiki, o xamanismo, o tarô e a clarividência, ou a nova era e similares são incompatíveis com a autêntica espiritualidade cristã, por isso é necessário distinguir claramente estas realidades de uma experiência cristã genuína”.[6]

Como podemos perceber a base do reiki é budista, é uma corrente de pensamento panteísta (tudo é parte de Deus, tudo é Deus) e tem traços de monismo, filosofia que ensina que a pessoa pode “fundir-se com tudo a sua volta”. O ser humano seria parte integrante do universo no sentido físico; tudo o que existe seria apenas uma grande substância ou a substância universal. O monismo leva ao panteísmo.[7]

A proposta de cura por meio de Reiki vem do Oriente e está crescendo em nossos ambientes, por isso o católico precisa conhecer os seus erros. A palavra Reiki vem de rake (= ancinho ou rastelo) em inglês, Rakey é o solo arado. A palavra Rakey é foneticamente igual a Reiki. o Reiki vem a ser a “Energia Universal de Vida no Sistema Usual de Cura Natural”. É a “Energia Universal de Vida que verte através de nossos corpos, preenchendo nossa necessidade antes de se transferir para a necessidade do outro”. Ainda ensinam que é por meio das mãos que a energia Reiki passa de uma pessoa para outra, de modo que há técnicas precisas sobre a maneira de impor as mãos sobre a cabeça, sobre o tórax, sobre os joelhos, os pés, as costas.[8]

Podemos concluir que a filosofia base do Reiki é uma prática panteísta – tudo é Deus – não há uma separação entre o Criador e a criatura; ora, isto é um absurdo filosófico e teológico. O panteísmo sempre foi condenado pela Igreja. Deus criou tudo o que existe fora do nada porque quis, por amor, mas as criaturas não são emanações obrigatórias de Deus, como se Ele não fosse soberano e autônomo. Isto já é suficiente para o católico rejeitar a prática de cura pelo Reiki, pois os princípios do budismo não se coadunam com a fé católica. O budismo acredita na reencarnação, e a salvação da pessoa não se dá pela fé em Jesus Cristo.  A filosofia Reiki pode ter boa intenção e dizer coisas bonitas e agradáveis que encantam as pessoas, mas a sua base de sustentação não é recomendada aos católicos. Sem dúvida, há muito de sugestão nas curas do Reiki; sabemos que uma pessoa sugestionada pode ser curada pelo próprio organismo que reage bem devido a um estado de espírito favorável. Basta ver os placebos, simulação de remédios.[9]

Alguns defendem que é possível para o católico usar a “técnica” do Reiki sem adotar a sua filosofia, mas isto é algo arriscado. D. Estevão também diz: “O cristão que se põe na escola do Reiki corre o risco de assimilar, juntamente com a técnica, as linhas monistas-panteistas do pensamento Reiki.”[10]

Portanto, o cristão que deseja a cura de seus males há de buscar recursos na medicina e na fé cristã, voltando-se para Deus Pai, Filho e Espírito Santo, que a todos socorre no seu amor e na intercessão dos santos, anjos e dos irmãos. Nada de mágico e desconhecido deve ser misturado com a fé católica. Se Deus não nos dá a cura pela medicina e pela graça, certamente tem um desígnio de salvação atrás desse mal. Devemos crer e viver segundo a palavra de S. Paulo que diz: “Tudo concorre para o bem dos que amam a Deus” (Rm 8,28).[11]

 

Agora Veja o que o Padre Duarte Lara nos ensina sobre Exorcismo e Reiki:

 

Quais são os perigos do Reiki?

Padre Duarte Lara: Eu tenho vários casos de pessoas que fizeram o curso do Reiki. No mundo católico, existe muita confusão quanto ao Reiki, entretanto, não passa de uma forma de ‘magia branca’. Ou seja, algumas pessoas invocam magia branca para curar a vida de outras pessoas. A medicina convencional não tem nada de supersticioso, ela tem uma explicação. A superstição vem quando acreditamos numa força que transcende as coisas naturais que Deus crê. No Reiki se invocam forças do lado oculto. Pergunta: É possível que erros e pecados do passado interfiram na nossa vida e na dos nossos entes futuros? Padre Duarte Lara: Sim! Tudo fica desequilibrado por causa do pecado. Se formos ler a história do pecado original, veremos todas as consequências do pecado. O homem é um ser social, nós somos seres sociais e influenciamos aqueles que estão ao nosso lado. Pela convivência pegamos o jeito dos nossos pais e dos nossos familiares e, não é pegar somente as coisas boas, mas também as coisas más. Aprendemos pela convivência.

 

 

Notas:

[1] https://www.acidigital.com/noticias/bispos-dos-eua-advertem-que-terapias-reiki-nao-tem-lugar-em-instituicoes-catolicas-91698

[2] Ibid.

[3] Ibid.

[4] Ibid.

[5] Assinam o comunicado o Arcebispo de Pamplona e Bispo de Tudela, Dom Francisco Pérez González; o Bispo de Bilbao, Dom Mario Iceta; o Bispo de San Sebastián, Dom José Ignacio Munilla; o Bispo de Vitoria, Dom Juan Carlos Elizalde; e o Bispo Auxiliar de Pamplona e Tudela, Dom Juan Antonio Aznárez.  https://www.acidigital.com/noticias/ioga-reiki-e-taro-sao-compativeis-com-o-cristianismo-bispos-se-pronunciam-78425

[6] Ibid

[7] https://formacao.cancaonova.com/diversos/catolico-pode-buscar-a-cura-no-reiki/

[8] Ibid.

[9] Ibid.

[10] Ibid.

[11] Ibid.


Padre Leandro Couto

Natural de Borda da Mata MG, membro da comunidade Canção Nova desde 2007. Atualmente na Missão Canção Nova Cuiabá MT.