“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.” (Mário de Andrade)

Uma vez que não sabemos quanto tempo ainda temos é assim que nos deparamos com o tempo, cada vez mais carecidos dele.  Por isso a pergunta, o quão inviolável é o seu tempo?

Temos urgência em tantas coisas, em resolver problemas, em encontrar pessoas, em ganhar dinheiro, em ser reconhecido, em ser promovido, em ser compreendido, que acabamos várias vezes sendo ameaçados por uma sensação de estarmos sem tempo para nada.

Será que temos consciência que neste exato momento podemos estar investindo em nosso tempo, ou simplesmente, passando por ele? Hoje, neste tempo que é nosso, nosso futuro está sendo plantado.

Precisamos permitir escolhas saudáveis para nossa vida, para o tempo que temos. Nossa vida é um brevíssimo segundo, disse Santa Teresinha do menino Jesus. Só temos o hoje para amar, para ler um bom livro, para perdoar, para escutar uma boa música, para dizer a verdade, para abraçar quem amamos, para amarmos, para nos deixarmos ser amados e para nos deixarmos ser encontrados por Deus: Ele que é o Senhor do tempo.

Viver é um desafio e não podemos violar este dom maravilhoso. Deus nos deu um tempo para cada coisa e precisamos usufruí-lo da melhor maneira possível. Não podemos perder de vista que nossa vida nesta terra é sempre tempo de lançar boas sementes.

Foto Wesley Almeida

Hoje, você e eu somos chamados a fazer como no GPS, recalcular a rota, dar um tempo novo para nosso tempo, para nossa vida.

Não podemos deixar a vida simplesmente rolar, não podemos deixar que lancem sementes em nós que destruam a “terra” do nosso coração, da nossa existência. O mundo hoje é carregado de alternativas rápidas, mas tenho compreendido, é necessário viver o tempo. Que tempo você tem vivido hoje? Dizem por aí que os atalhos nem sempre nos levam a algum lugar.

Jesus no evangelho diz que “De fato, se algum de vós quer construir uma torre, não se senta primeiro para calcular os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar?” (Lucas 14, 28).

Precisamos aprender com Jesus, é preciso fazer os cálculos, recalcular a rota, por vezes ter a coragem de voltar atrás. Às vezes, de dar um passo adiante e assim, sucessivamente. O importante como diz meu Pai Fundador, Padre Jonas Abib, é não estacionar.

Para você que é cristão a cruz que nos foi dada à redenção é a cruz de cada dia, não podemos resistir a ela. Contudo, podemos fazer dela um caminho de vida, verdadeiramente realizada e feliz. Sem dispensar os desafios, as tribulações, as humilhações, os desencontros, mas buscando fazer desses tempos um tempo forte de encontro com a gente mesmo e com o Deus que se ocupa de nós.

Vamos juntos recalcular a rota? Ainda temos tempo, este instante!

Deus abençoe você!

Um abraço,

Daniele Santos.