Qual a sua vocação?

pergunta, vocação, coríntios, paulo, apóstoloContinuando nosso estudo da I Carta de São Paulo aos Coríntios entramos num texto considerado polêmico por muitas pessoas, Neste trecho da carta o apóstolo responde a questões relacionadas ao estado de vida. Especialmente, falará sobre o matrimônio. Abaixo, vídeo e texto com informações sobre a passagem. Lembre-se que você pode participar efetivamente do estudo conosco intervindo na área de comentários ao final do post.

Mais informações

Este texto é bem doutrinário. Entramos num momento em que o apóstolo responde a questões feitas pela comunidade. A partir daí o apóstolo começa a ensinar sobre o casamento. Indo contra, inclusive, as ideias de imoralidade dentro da comunidade (7,2). Vemos uma síntese para uma vida conjugal harmoniosa.

São Paulo desenvolve mostra a importância de que os cônjuges sejam fiéis um ao outro (7,2). Que devem cuidar um do outro (7,3). Que pertencem um ao outro (7,4). Que por isso precisam viver sempre juntos e não devem afastar-se sexualmente (7,5a). Em casos muito específicos podem privar-se um do outro, mas dentro das seguintes condições: em comum acordo, por um tempo determinado, por motivo de fé; e que passado esse tempo voltem a vida normal para que não sejam tentados a trair o cônjuge por estarem em continência sexual (7,5).

Mas o apóstolo deixa claro que esses períodos de abstinência não são obrigação, mas concessão, pois, apesar de desejar que a maioria viva o celibato como ele, sabe da necessidade da vida íntima para aqueles que possuem esse chamado. Pois tanto celibato quanto matrimônio são chamados específicos.

Aqui chama a atenção que novamente São Paulo mostra que cada um possui um chamado, diferenciando-nos uns dos outros (7,6-7). O celibato é mostrado como carisma, ou seja, dom dado por Deus e não mera vontade humana.

Após falar, especialmente, para os casados, São Paulo também instrui os solteiros e viúvas. A esses indica o celibato. Mas caso não consigam viver a continência sexual, é melhor, então que se casem do que cometer imoralidade (7,8-9). Abrasar-se aparece na Bíblia ligado a adúteros e pessoas que vivem na luxuria.

Volta o assunto para os casados. Agora para que não se separem. Mas caso isso aconteça não se casem com outra pessoa, mas que busquem a reconciliação (7,10-11). Uma vez que a lei judaica permitia o divórcio, o apóstolo, chamando a atenção para o senhorio de Jesus e dando voz a ele, mostra que o matrimônio é indissolúvel, como Jesus havia dito em Mc 10,1-12.

Em sequência São Paulo passa a tratar do fato de casamentos de cristãos com não cristãos. É preciso que haja concordância do não cristão para que o cristão viva sua fé. E havendo essa concordância não há motivos para que se separem (7,12-13).

Se o não cristão viver em paz e acordo é possível que o cristão transmita aos filhos, e inclusive,ao cônjuge não cristão, a própria consagração. Era comum o pai de família/patrão assumindo uma fé que todos da casa, inclusive empregados, assumissem a mesma fé (7,14).

A separação, nesse caso do chamado privilégio paulino* (12-16) não é autorizada, mas se a parte não cristã separar-se, a outra parte não fica ligada ao vínculo, já que, não havia paz e somos chamados a paz (7,15).

Dicas de reflexão para como aplicar o texto na vida

– Se ainda não sei qual a minha vocação, faço um trabalho de discernimento sério para descobri-la?

– Se casado,  vivo segundo minha vocação?

– Se celibatário, vivo segundo minha vocação?

Comente, participe através da área abaixo

Denis Duarte

Leia também:
Estudo: I Cor 7,17-24 – Viva a fé dentro da sua condição
Estudo: I Cor 6, 12-20 – Tudo me é permitido
O que é a Lectio Divina

2 Comentários

  1. Alessandro A Silva

    A paz do Senhor Jesus seja convosco!!

    Paulo, fala a uma comunidade que “se achava certa” fazendo varias coisas erradas, “achando desculpas”, sem tê-las. Paulo no versículo 7 do capítulo 7, diz que gostaria que todos os homens fossem como ele ( não quer dizer, de modo algum, que ele seria casado ou não). Celibato não é um motivo ou desculpa, para dizer que quem o é, seja mais abençoado doque quem não o é. A Bíblia diz que pela Graça sois salvos, e isso não vem de nós é Dom de Deus, não é pelas obras para que ninguém se glorie. Somente aqueles que aceitarem a Jesus Cristo e reconhecerem que somente por Ele vem a salvação, é considerado filho de Deus João 1-12.

  2. Meu querido Denis, que Deus te abençoe, agradeço a voce e a Canção Nova, por este lindo trabalho. Não estou conseguindo passar do estudo biblico de, 1 cor7, 1-16, aparece uma tela, que eu não consigo avançar. Voce pode me ajudar? Quero muito prosseguir os estudos. Muito obrigado!! Paz a todos!!!!

Deixe uma resposta para Alessandro A Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *