“Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei! Eis que estavas dentro e eu fora. Estavas comigo e não eu contigo. Exalaste perfume e respirei. Agora anelo por ti. Provei-te, e tenho fome e sede. Tocaste-me e ardi por tua paz.”(Santo Agostinho)

Quando temos nosso encontro pessoal com Deus, fazemos a melhor experiência que uma pessoa pode fazer na face da terra. É um toque na alma, que nenhuma pessoa ou coisa do mundo pode conceder. É o tesouro escondido que relata o Evangelho, que achamos e deixamos tudo para tê-lo.

Mas conforme damos prosseguimento a nossa caminhada, colocando nossos pés no chão, nos deparamos em nossa peregrinação com muitas lutas, cruzes e desertos. Em meios a estes desertos sentimos uma saudade em nossa alma daquele toque de Deus, daquela presença que duram segundos, mas vale por anos.

Ter saudade de Deus é certeza de uma alma que sabe onde está a razão de sua existência. Se choramos de saudade de uma pessoa querida, muito mais devemos chorar de saudade de Deus. “Exalaste perfume e respirei. Agora anelo por ti. Provei-te, e tenho fome e sede. Tocaste-me e ardi por tua paz.”

 

Be Sociable, Share!

1 comentário

  1. Pingback: Ademir Costa

  2. Pingback: Letícia Ferraz

  3. Pingback: KaRoLiNe

  4. maria de fátima meireles

    SÓ DEUS TEM PREENCHIDO TODO O VAZIO EM QUE ME ENCONTRAVA,E HOJE, APESAR DAS GRNDES TRIBULAÇÕES,SÓ ENCONTRO FORÇAS PARA CONTINUAR,NELE!

Deixe uma resposta para maria de fátima meireles Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *