Fiquei refletindo um dia destes, sobre a grande graça que Deus nos concede da singularidade. Somos indíviduos, somos únicos…

Existem mais de 6 bilhões de pessoas no mundo, ninguém é igual a mim… Pode até ser que tenha alguém com mesmo aspecto físico, mas ninguém neste mundo é igual a mim, com minhas manias, minhas qualidades, meus defeitos, meu pensar, meu agir, minhas escolhas, com a minha história de vida. Sou único, sou indivíduo.

Um grande erro que cometo no meu egoísmo é o desejo de que os outros sejam igual a mim. Devo aprender respeitar a singularidade do irmão, porque ele também é único.

Devo crescer com as riquezas individuais do meu irmão, porque cada pessoa é um dom de Deus.