Sua capacidade de mandar até sobre animais selvagens rendeu-lhe a o título de “primeiro Adão”. Em sua própria explicação, “o homem obediente a Deus tem todas as criaturas subjugadas”. Em dada ocasião, as pessoas saíram correndo de uma cobra. Ele, com toda a calma, tranquilizou-as e disse para a cobra: “Eu já não disse pra você parar de fazer essas maldades?”. A cobra abaixou a cabeça e foi embora… Isso acontecia praticamente todos os lugares pelos quais passava. Anchieta dominava onças e cobras – tinha “poder para pisar serpentes e escorpiões” (Sl 90,13), poder-se-ia dizer – e causava, com isso, a conversão de inúmeras pessoas. More »

“Nada é árduo aos que têm por fim somente a honra de Deus e a salvação das almas”. São José de Anchieta

Anchieta nasceu em São Cristóvão, Tenerife, numa ilha do Arquipélago das Canárias, Espanha, a 19 de março de 1534, no dia de São José; por isso recebeu o nome de José de Anchieta. Era de uma família rica e cristã. Seu pai, Juan Lopes de Anchieta, era do País Basco, e se mudou para as Canárias, porque tomou parte na Revolta dos Comuneiros, feita contra o imperador espanhol Carlos V e foi condenado à morte. Foi salvo da morte por intercessão de um parente militar, o capitão espanhol, Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus. Sua mãe foi Dona Mência Dias de Clavijo y Llarena. Seu avô havia sido um dos conquistadores espanhóis. More »

Hoje a Igreja celebra a festa de São José de Anchieta, importante santo que veio para o Brasil muito jovem, quando ainda era seminarista, e fez um trabalho extraordinário de evangelização dos índios. More »