Segue abaixo um texto da  Professora Fernanda Palma, ( Professora Catedrática de Direito Penal em Portugal ) que foi publicado no jornal  Português ,  Correio da Manhã na coluna “sentir por diteiro ” no dia 8 de Abril de 2012. neste texto, ela faz uma análise do processo de julgamento de Jesus Cristo :

O Processo de Cristo

O processo de Cristo não foi injusto só por razões intemporais – foi-o também como processo contra um homem do seu tempo, à luz do direito aplicável. As razões da acusação, conduzida por Herodes, revelam um aproveitamento da ocupação romana pelos representantes políticos dos judeus, para impedir qualquer contestação à interpretação oficial da sua lei.

Os “crimes” de Cristo têm caráter religioso. Jesus foi acusado de interpretar a lei num sentido não ritualista, associado à ética, fazer milagres ao sábado, conviver com pessoas de “maus costumes” e se assumir como rei de um reino diferente. A lei do seu povo, que o condenou, tornou-se prepotente e contraditória com o seu sentido último: a salvação. More »

Assista cada documentário analisando a sociedade, a cultura, a religião e a politica vivida no tempo em que Jesus viveu.

Lembre-se estes documentários são elaborados por Historiadores e outros profissionais, por isto , neles encontramos uma busca de resolver, ou responder questões do ponto de vista científico e não Religioso:

Jesus, a missão ( BBC)

Através de arqueólogos, esse programa feito pela BBC, tenta reconstruir como foi a infância de Jesus, os lugares onde esteve e como foi preparado em nosso mundo para sua missão e os últimos dias dividido em 4 episódios, ótimos para pessoas como eu que querem conhecer mais sobre Jesus Cristo. More »

Sabemos que a Igreja cattólica, a Igreja de Jesus teve seu início em Israel e a religião predominante era obviamente o judaísmo, porém dividido em 3 seitas:

vamos aproveitar a oportunidade para esclarecer o significado da palavra seita.

Seita significa facção ou partido, consequentemente seria o mesmo que dizer que o judaísmo era dividido em 3 facções ou partidos: Fariseus, Saduceus e Essénios.

FARISEUS – (hebraico: perushim)

Muitos de entre os “perushim” tinham a profissão de “sofer” (escriba), ou seja, a pessoa responsável pela transmissão escrita dos manuscritos e da interpretação dos mesmos. Duas escolas de interpretação religiosa desenvolveram-se no seio dos perushim e tornaram-se famosas: a escola de Hillel e a escola de Shammai. A escola de Hillel era considerada mais “liberal” na sua interpretação da Lei, enquanto a de Shamai era mais conservadora.

Aceitavam a Torah escrita e as tradições da Torah oral, na unicidade do Criador, acreditavam na ressurreição dos mortos, em anjos e demónios, no julgamento futuro e na vinda do rei Messias. Eram os principais mestres nas sinagogas, o que os favoreceu como elemento de influência dentro do judaísmo após a destruição do Templo. São precursores através das suas filosofias e ideias do judaísmo rabínico que é o atual judaísmo. More »