Os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas são conhecidos como Evangelhos Sinóticos devido a conterem uma grande quantidade de histórias em comum, na mesma sequência, e algumas vezes, utilizando exatamente a mesma estrutura e utilizando até as mesmas palavras.

O nome sinótico vem do grego συν, “syn” («junto») e οψις, “opsis” («ver») -, os assuntos neles abordados correspondiam quase inteiramente, ou seja, são classificados assim, por apresentarem uma mesma visão ou mesmo ponto de vista sobre os acontecimentos.

Muitos estudiosos acreditam que esses evangelhos compartilham o mesmo ponto de vista e são claramente ligados entre si.

Quanto ao quarto evangelho canónico, o evangelho de João, relata a história de Jesus de um modo substancialmente diferente, pelo que não se enquadra nos sinóticos. Desta maneira, temos quatro evangelhos canónicos, dos quais três são sinóticos.

Vamos entender melhor como os exegetas estruturaram este estudo: veja a Figura  e depois entenda o que foi nela descrito :

Parte do conteúdo presente em todos os três evangelhos sinópticos é chamada de tripla tradição. Isso inclui a maioria das narrativas sobre os eventos da vida de Jesus, iniciando pelo seu batismo e terminando com a descoberta do túmulo vazio após a crucificação. Também incluem algumas das parábolas (tais como a parábola do grão de mostarda. A tripla tradição é responsável por 76% do texto de Marcos. Parte desse material está presente em quase todos os evangelhos, e algumas vezes com pequenas variações, existem ainda alguns casos notáveis, chamados “acordos menores”, aonde Mateus e Lucas entram em acordo entre si na estrutura de palavras diferindo de Marcos.

Por sua vez, a dupla tradição explica o material (200 versos) compartilhado entre Mateus e Lucas, porém ausentes em Marcos. Esse conteúdo consiste quase que inteiramente nos discursos e ensinamentos de Jesus, e inclui a maior parte do Sermão da Montanha e a maioria das parábolas. Adicionalmente, a dupla tradição inclui três versos (Mateus 3:8-10) que são atribuídos a João Batista, (o último verso desse grupo também aparece em Mateus 7:19, atribuído a Jesus), e por fim a história do servo do centurião (Mateus 8:5-13).

O material de Marcos-Mateus, compartilhado entre ambos, inclui a história da morte de João Batista, diversos milagres (incluindo uma das duas ocorrências de alimentando multidões, a versão expandida do texto sobre a proibição do divórcio (Mt. 19:1-8), e também a narração da morte de Jesus (Marcos 15:34-41).
O material de Marcos-Lucas é limitado a um incidente isolado em Cafarnaum, envolvendo um exorcismo. (Marcos 1:21-28).

O material exclusivo de Marcos consiste em alguns versos (40), incluindo entre outros, Marcos 3:20-21, a parábola da semente e da colheita (Marcos 4:26-29), dois milagres (Marcos 7:31-37 e Marcos 8:22-26), dois fragmentos sem significação óbvia em Marcos 9:49 e Marcos 14:51-52, e o verso em Marcos 16:8, no qual há a declaração da mulher que descobriu o túmulo vazio e não disse nada a ninguém.

O material exclusivo de Mateus ou Lucas é bastante extenso. Este inclui dois distintos, porém similares factos sobre a genealogia de Jesus, duas narrativas distintas de nascimento, e duas narrativas sobre a ressurreição. Mateus adiciona diversas declarações ao Sermão da Montanha, várias parábolas (incluindo “a parábola do credor incompassivo”, a “parábola das ervas daninhas” e “a parábola dos trabalhadores da vinha”), a profecia do julgamento final (Mateus 25:31-46), e descreve o suicídio de Judas Iscariotes. Lucas também traz múltiplos milagres e parábolas exclusivas (exemplo: A parábola do Bom Samaritano). Muitos detalhes dos últimos dias de Jesus somente podem ser encontrados em Mateus e Lucas. Por exemplo, Mateus é o único evangelho que declara que Jesus entrou em Jerusalém sobre dois animais (Mateus 21:2-7). Mateus é o único evangelho que declara que o túmulo de Jesus foi guardado por soldados. Lucas é o único evangelho que relata que um dos ladrões crucificados próximo a Jesus se arrependeu e recebeu de Jesus a promessa do Paraíso. (Lucas 23:40-43).

18 Comentários

  1. pedir mais informacoes sobre o novo testamento…

  2. Thank you for such a well thought out method of informational writing. I have had to start thinking outside the box on the fresh information that you have posted here.

  3. Halleluiah! I finally found information on this subject that’s not complicated or boring. Thank you so much for your article. It’s helped me a lot.

  4. cesar augusto de almeida

    adorei este site muito esclarecedor,assim possos solicitar maiores esclerecimentos bíblicos.

  5. Quero saber o nome dos dois ladrões crucificados com Jesus

    • Cara,
      Grazia Vallo, a Bíblia não cita os nomes do ladrões, assim como também não cita o nome da sogra de São pedro, existem muitas coisas que devemos crer pela fé. Por exemplo não se sabe ao certo que escreveu o livro de Hebreus. O importante é crermos em Jesus! abraço!!

  6. Pingback: Como posso ser curado? |

  7. Os evangelhos vem para dar um bom conhecimento aos amantes da leitura principalmente do sinópticos e fazer a melhor comparação como estes escritores foram usados pelo espírito santo mesmo não dois deles não sendo discípulos de Jesus

  8. Olá, Grazia.

    Em nenhum dos documentos conhecidos como canônicos você encontrará os nomes, pois em tais documentos eles não existem.
    No entanto, há uma tradição queos nomeia como DIMAS e JESTROS. Dimas, seria o ladrão perdoado.

  9. Quero agradecer pela explanação didática, abençoada.

  10. Margarete R.Augusto

    É verdade que o primeiro nome de Barrabás era Jesus?E que Barrabás em hebraico quer dizer filho do pai?

    obrigada pela oportunidade de esclarecimento

  11. CLAUDIA COSTA MACIEL

    Excelente texto profundo em conhecimento, cresci um pouco a respeito do assunto que antes tinha dúvidas, pois sou professora da Escola bíblica e preciso muito de informações tão impotantes como essas.

  12. DÉBORA LIMA SOARES

    Obrigada pela ajuda. foi muito esclarecedor.

  13. Parabéns pela explicação, tirou minhas dúvidas acerca da palavra sinotico

  14. Thanks with regard to furnishing this type of substantial knowledge

  15. Excelente material bem elaborado e esclarecedor, amei.

  16. obrigada

  17. Mto obgda!Deus abençoe!

Deixe uma resposta para Rozalina de Souza Arruda Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *