A comunidade de Roma foi fundada pelos apóstolos Pedro e Paulo e é considerada a única comunidade cristã do mundo fundada por mais do que um apóstolo e a única do Ocidente instituída por um deles. Por esta razão, desde a antiguidade, a comunidade de Roma teve o primado sobre todas as outras dioceses; nesta visão, o ministério de Pedro continua sendo exercido até hoje pelo Bispo de Roma, assim como o ministério dos outros apóstolos é cumprido pelos outros Bispos unidos a ele, que é a cabeça do colégio apostólico, do colégio episcopal. A sucessão papal (de Pedro) começou com São Lino (no ano de 67) e, atualmente é exercida pelo papa Bento XVI.

As dúvidas sobre a presença de Pedro em Roma fizeram com que vários historiadores trabalhassem em investigações. Os indícios arqueológicos acabam por ajudar à certificação da veracidade da presença do apóstolo em Roma.

Veja:

A partir da década de 1950 intensificaram-se as escavações no subsolo da Basílica de São Pedro, lugar tradicionalmente reconhecido como provável túmulo do apóstolo e próximo de seu martírio no muro central do Circo de Nero. Após extenuantes e cuidadosos trabalhos, inclusive com remoção de toneladas de terra que datavam do corte da Colina Vaticana para a terraplanagem da construção da primeira basílica na época de Constantino, a equipa chefiada pela arqueóloga italiana Margherita Guarducci encontrou o que seria uma necrópole atribuída a Pedro, inclusive uma parede repleta de grafitos com a expressão Petrós Ení, que, em grego, significa “Pedro está aqui”.

Também foram encontrados, num nicho, fragmentos de ossos de um homem robusto e idoso, entre 60-70 anos, envoltos em restos de tecido púrpura com fios de ouro que se acredita, com muita probabilidade, serem de Pedro. A data real do martírio, de acordo com um cruzamento de datas feito pela arqueóloga, seria 13 de outubro de 64 d.C. e não 29 de junho, data em que se comemora a trasladação dos restos mortais de Pedro e os restos mortais de Paulo foram levados para asCatacumbas de  Sao Sebastiao durante a perseguiçao do imperador Valeriano em 257

Martírio em Roma

Os historiadores atualmente acreditam que a tradição católica esteja correta; igualmente, muitas tradições antigas corroboram a versão que Pedro esteve em Roma e que ali teria sido martirizado. Segue agora um apêndice com testemunhos históricos sobre a presença de Pedro na Igreja de Roma:

Clemente, terceiro bispo de Roma e discípulo de Pedro, por volta de 96 d.C., na sua Epístola aos Coríntios, faz clara alusão ao martírio deste e de Paulo em Roma:

“Todavia, deixando os exemplos antigos, examinemos os atletas que viveram mais próximos de nós. Tomemos os nobres exemplos de nossa geração. Foi por causa do ciúme e da inveja que as colunas mais altas e justas foram perseguidas e lutaram até à morte. Consideremos os bons apóstolos. Pedro, pela inveja injusta, suportou não uma ou duas, mas muitas tribulações e, depois de ter prestado testemunho, foi para o lugar glorioso que lhe era devido. Por causa da inveja e da discórdia, Paulo mostrou o preço reservado à perseverança. Sete vezes carregando cadeias, exilado, apedrejado, tornando-se arauto no Oriente e no Ocidente, ele deu testemunho diante das autoridades, deixou o mundo e se foi para o lugar santo, tornando-se o maior modelo de perseverança”.

O bispo Dionísio de Corinto, num extrato de uma de suas cartas aos romanos (170) trata da seguinte forma o martírio de Pedro e Paulo:

“Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina do Evangelho. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio simultaneamente.”

Orígenes (185 – 253) responsável pela Escola Catequética de Alexandria afirmou:

“Pedro, ao ser martirizado em Roma, pediu e obteve que fosse crucificado de cabeça para baixo”.

“Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para baixo.”

Ireneu (130 – 202), Bispo de Lião (nascido em Izmir atual Turquia) referiu:

“Para a maior e mais antiga a mais famosa Igreja, fundada pelos dois mais gloriosos Apóstolos, Pedro e Paulo.” e ainda “Os bem-aventurados Apóstolos portanto, fundando e instituindo a Igreja, entregaram a Lino o cargo de administrá-la como bispo; a este sucedeu Anacleto; depois dele, em terceiro lugar a partir dos Apóstolos, Clemente recebeu o episcopado.”

“Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.”

Formado como jurista Tertuliano (155-222 d.C.) falou da morte de Pedro em Roma:

“A Igreja também dos romanos publica – isto é, demonstra por instrumentos públicos e provas – que Clemente foi ordenado por Pedro.”

“Feliz Igreja, na qual os Apóstolos verteram seu sangue por sua doutrina integral!” – e falando da Igreja Romana, “onde a paixão de Pedro se fez como a paixão do Senhor.”

“Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na Cruz.”

Eusébio (263-340 d.C.) Bispo de Cesareia, escreveu muitas obras de teologia, exegese, apologética, mas a sua obra mais importante foi a História Eclesiástica, onde ele narra a história da Igreja das origens até 303. Refere-se ao ministério exercido por Pedro:

“Pedro, de nacionalidade galileia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade.”

Santo Agostinho (354 – 430):

“A Pedro sucedeu Lino”

2 Comentários

  1. Gostei do que li! é instrutitvo! Obrigada!

  2. José Conceição Gonçalves Cardoso

    sou cristão evangélico se pedro foi papa ele foi um papa totalmente diferente primeiro ele era casado outra pedro não era infalível. em galatas 1. 11 diz quando pedro veio a Antioquia fiz lhe Franca oposição porque ele era reprovável, Paulo diz que enfrentou ele cara a cara e que ele estava errado então pedro ja não era infalível, o próprio pedro disse que Jesus era a pedra, as chaves não foram entrgues so a pedro Mateus 18 18. no concílio de Jerusalém a última palavra não foi a de pedro. eu até concordo que havia sim uma certa primazia sobre pedro agora papa se ele foi ele era totalmente diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *