No dia 11 de Fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes, a Igreja propõe o Dia Mundial do Enfermo, como ocasião propícia para refletir sobre o mistério do sofrimento e,  sobretudo , para render mais sensibilidade às nossas comunidades e à sociedade civil em relação aos nossos irmãos e irmãs doentes.

“Uma sociedade que não consegue aceitar os sofrimentos e não é capaz de contribuir, mediante a compaixão, para garantir que o sofrimento seja compartilhado e levado também interiormente, é uma sociedade cruel e desumana” (Carta Encíclica. Spe Salvi, 38).

O papa Bento XVI deixou em sua mensagem especial para esse dia, um recado aos jovens:

Olhando para nosso encontro em Madri, em agosto de 2011, para a Jornada Mundial da Juventude, gostaria também de enviar um pensamento especial aos jovens, especialmente àquele que com eles vivem a esperança da doença. Frequentemente a Paixão, a Cruz de Jesus causam medo, porque parecem ser a negação da vida. Na realidade, é exatamente o contrário! A Cruz é o “sim” de Deus ao homem, a expressão mais alta e mais intensa do seu amor e a fonte de onde brota a vida eterna.

Do coração transpassado de Jesus brota esta vida divina. Somente Ele é capaz de libertar o mundo do mal e é capaz de fazer crescer o seu Reino de justiça, paz e amor ao qual todos aspiram (cfr Mensagem para a Jornada Mundial da Juventude 2011, 3).

::


Reze conosco esta oração:

Ó Virgem Santa Maria
Que acolheste o Menino Jesus, no presépio de Belém
Que O acompanhaste na fuga para o Egito
Que estiveste com Ele na solidão de Nazaré
Que O visitaste quando anunciava a Boa Nova nas ruas de Jerusalém
Que cruzaste por Ele na Via Dolorosa
Que ficaste ao Seu lado, de pé, junto à Cruz.
Ensinai-me Senhora
A procurar os meus irmãos que sofrem
A dar-lhes tempo com frequência e sem pressa
A compreender a sua solidão
A levar-lhes o conforto de uma palavra
A estar com eles nos momentos mais difíceis
A acolher os seus gritos
A limpar as suas lágrimas
A respeitar os seus silêncios
A oferecer-lhes, quando o pedirem,
A presença de teu Filho que quis fazer-se viático para os caminhos
do grande encontro
Que eu saiba acompanhar
Que eu saiba dar-me
E que eu saiba amar sempre.

Amém!

Nenhum comentário

  1. Pingback: manha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *