Eu e você somos na vida pela história que construímos com o passar do tempo! Diante de tal realidade o que não podemos fazer é passar pelo tempo e pela história sem deixar nossas marcas nela. Marcas essas que precisam ser construção de si e do outro, porque em toda nossa trajetória seremos lembrados por aquilo que fizemos de bom e não pelo que fizemos de ruim, pois o que é ruim as pessoas não querem nem mesmo lembrar. Só que praticar as coisas boas é questão de decisão e não somente de vontade. Se você der um sorriso para uma pessoa, abraçar alguém e fizer pequenos gestos tipo: atravessar um velhinho para o outro lado da rua, você já entrou para a história dele. Embora para muitos, passe despercebido, para aquele que recebeu seu gesto não passa. Certo dia quem sabe através desses pequenos gestos, possa ter no meio de uma pequena cidade um monumento em sua “homenagem”  com a seguinte frase; esse foi quem mais amou…saiba que para entrar na história não precisamos fazer grandes feitos, mais realizar bem os pequenos atos….AMANDO…Jesus fez o maior de todos os gestos, ele somente amou entregando sua própria vida. Ame você também!

Quando mergulho na partida como momento de encontro, consigo descobrir os muitos significados e facetas que tais realidades querem me revelar, pois quando falamos algo sobre encontro, pensamos logo somente no ato de encontrar uma pessoa ou alguém, e dar-lhe um abraço ou fazer-lhe muitos gestos significativos, isso é o que pensamos ser encontro, mas não o é, isso é apenas a chegada daquilo que estava longe de forma corpórea, e que acabou de chegar, isso é ausência de matéria viva, mas que acabou de se tornar visível e palpável a nossa frente. Encontro é quando apenas olhamos nos olhos de alguém, e sentimos que o outro carrega em si, talvez um pedaço de nós, embora não consigamos identificar, encontro é quando os gestos do outro nos fala mais que aquilo que as palavras conseguem expressar, encontro é quando nos colocamos no lugar do outro e sentimos as dores que ele está sentindo e daí nos compadecemos daquela pessoa acolhendo-a naquilo que ela é, sem nada cobrar, encontro é chegar a hora da despedida com uma pessoa que tanto amamos e não saber como agir e reagir, pois tudo se mistura nas nossas ações e reações, as lágrimas escorrem e fala por aquilo que ela é, e a vontade de estar junto se intensifica, mas é tempo de partir, pois tudo que foi vivido e experimentado com o outro é tão verdadeiro que já não se sabe quem é o outro e quem sou eu, isso é encontro, partir mas ao mesmo tempo está ficando no coração de quem se encontrou. Olhando para as diversas faces do encontro, percebo que encontrar é fazer vir a tona as coisas boas e licitas que estão dentro de nós, para melhor enxergarmos quem somos.

Em um dia muito bonito de sol, caminhando pelas calçadas que nossos calçados pisam, deparei-me com um exuberante arranjo de rosas pelo chão, eram lindas rosas vermelhas, belas, bonitas, enigmáticas; parecia estar ali há pouco tempo, estavam jogadas, caídas abandonadas, sozinhas… Perguntei-me, como pode lindas rosas estarem dessa forma abandonadas? Nesse mesmo momento vieram muitas perguntas a o meu coração, o que realmente ocasionou para que aquelas rosas maravilhosas estivessem lá no chão como estavam, sujeita a todo tipo de situação. Pensei comigo mesmo, será que foram seus espinhos que a mesma contém que feriu alguém e o mesmo resolveu jogar fora? Não! Impossível! Sua beleza supera qualquer ferimento de um espinho. Será que alguém deixou cair quando levava para uma pessoa muito especial? Impossível! Pois tanta beleza não seria deixada despercebida. Será que um rapaz deu para sua namorada e ela a o receber não gostou? Não! Pois não há alguém insensível a tal ponto de não saber apreciar tanta beleza contida naquele arranjo de flores,… Depois de muitas perguntas e hipóteses, ouvi uma voz que dizia dentro do meu coração, essas lindas rosas vermelhas é uma forma de dizer que a cada dia é preciso valorizar as muitas situações que te permito viver, por que se não valorizar, elas serão igual a muitas rosas jogadas pelo chão, embora bonita, torna-se enigmática, pois o que não pode acontecer é que muitas coisas bonitas possam passar despercebidas por você. Não posso olhar para onde a rosa está, mas aprender com tudo que ela quer me falar.

Hoje eu convido você para fazer uma viagem, construir um roteiro, onde o roteirista não está muito distante, pois sou eu e é você, pois somos roteiros vivos que pelos caminhos que tomamos e andamos dizemos quem somos e onde  queremos chegar, basta saber escrever. Mas para saber escrever esse roteiro é   preciso querer fazer a experiência de tocar na própria história a cada momento vivido e também é    preciso ver em cada passo dado, em cada situação acontecida à marca do que é Real, do que é verdadeiro; senão corremos o risco de tomar-mos um caminho contrário e ficarmos perdidos como estrangeiros em terras que não nos pertence; por causa das muitas ilusões, distrações e cenários que montamos na imaginação que não fazem parte do que é real. Por esse motivo a realidade precisa ser vivida a partir dos valores que constrói um novo ser. Por que as ilusões e cenários montados em nossa mente de nada servem, senão unicamente para nos confundir, daí temos que ter unicamente em mente que não podemos ser como um trem sem maquinista, descarrilhando que perdeu o rumo e está sem direção e que por isso, só restaram dele escombros e muito trabalho para repô-lo nos trilhos e reconstruir. A nós autores dessa história nos cabem ser sábios e colocar cada vagão um após o outro com o devido espaçamento e também andar com o trem da vida na velocidade permitida e ter também uma visão bem clara do que estar a nossa frente, para que possamos puxar o freio mediante o perigo. Com isso aprendemos que construir um roteiro é ao mesmo tempo fazer historia e aprender com os erros e acertos, nossos e dos outros. Mediante os roteiros da vida precisamos ser ousados, pois Deus nos capacita para tudo suportar, daí o que não podemos fazer é permitir que outras pessoas que nada sabem escrevam esse roteiro por nos; por isso que precisa que cada um seja autor de si e escreva de forma correta o que o complementa. Se arrisque, faça esse caminho, pois Deus nos dar esse potencial.

«

Ações

Informação

Be the first to like this post.

Deixar uma Resposta

Gravatar

Se nos escondemos em nossas ilusões, e nos ocultamos em nossos medos e naquilo que não somos, perdemos parte da vida e não seremos. Pois ser é decisão tomada em cada momento.

Por isso nem sempre tudo é perfeito, mas também não é totalmente imperfeito, pois existe dentro de nós descobertas que precisam ser feitas para podermos SER, e assim ajustá-las à medida que a descobrimos. Dado tal fato é preciso buscar saber quem sou e quais meus sonhos, o quê é real e o que é imaginário; e em meio a tudo isso traçar caminhos e metas, redescobrindo o belo desconhecido que nos leva a contemplar o que antes era apenas aparente, imperfeito ou inadequado; que nem sempre é imperfeito ou inadequado, pois é apenas a forma de ver erroneamente mais que precisa ainda ser modelado. Modelado, pois é algo que ainda não temos a coragem de aceitar, pois formamos pensamentos a respeito desse imperfeito por que sempre queremos as coisas a nosso modo. Mais nem sempre é assim, nem sempre é o que aparenta ser, pois o essencial é se descobrir a cada momento tendo sempre em mente quê o que sou não o sou apenas na forma de olhar e pensar das outras pessoas, pois sou mais do que os outros conseguem imaginam de mim, pois existe um Deus que vê além do que os olhos conseguem perceber. Por isso o perfeito é encontrado quando buscamos descobrir dentro de nós com um olhar de esperança, (Deus)… Eis como chegarei à perfeição… Buscando descobrir com o olhar divino derramando-se sobre a realidade humana.

Em mim, no meu olhar, há uma imperfeita beleza, em Deus há uma beleza perfeita que se derrama sobre mim. Por isso saber olhar é importante.

O desespero nos é um inimigo terrível, pois o mesmo faz com que muitas situações possam fugir do nosso controle, quando toma conta de nós, nos agitamos e aí abrimos a porta para a maior de todas as nossas fraquezas, pois o desesperar-se vem de algo que já é presente em nosso interior, e quanto mais nos agitamos, mais mal causamos a nós mesmo, mais perturbações causamos em nosso ser. Na maioria das vezes entramos em pânico devido situações vividas em nosso passado que causaram algum sofrimento ou decepção igual ou semelhante de um fato presente. O contrário do desespero é a serenidade, que é algo que tocamos a partir do momento que olhamos para os fatos não como ele aparenta ser, mais na realidade como eles são e devem ser olhados, por que o desespero gera mais desespero, mais quando invertemos a lente e colocamos os para quê; entendemos o sentido do desconhecido, por que todo desconhecido tem os dois lados, tudo depende de como o olhamos; se buscamos olhar para os fatos com serenidade, a alegria estará sempre estampada em nosso rosto, embora as pessoas não compreendam, pois o essencial é saber olhar com um olhar de esperança …

Mas, por que isto tinha que acontecer? Porque? Porque? Sempre maldizemos nosso passado e desejamos que ele nunca tivesse existido. E a única ajuda que recebemos é a daqueles que nos dizem: “Simplesmente esqueça do seu passado. O que quer que tenha acontecido, já se foi.”Mas, esquecer não significa curar. Pode ser que no passado você tenha sido ferido fisicamente, ou sexualmente, ou emocionalmente, ou socialmente, ou mesmo religiosamente. Você pode ter sido ameaçado por seus companheiros na escola, ou enquanto brincava. Devo simplesmente esquecer? Devo colocar tudo embaixo do carpete? Mas, o que acontece quando eu, novamente, tiver que remover o carpete? Toda aquela poeira escondida encherá novamente a sala da minha vida. Não é o bastante esquecer o meu passado. Devo aprender a curá-lo!  E Jesus, se for convidado, está pronto      com este para entrar em meu passado e abençoar todo o bem que Ele encontra, anulando e curando tudo o que estiver errado. Alguém poderá me dizer: Mas já é o bastante lidar com os meus problemas do presente? É de fato necessário que eu também toque nos meus problemas do passado? Nem todo passado é passado. Há um passado que não existe mais e que apenas faz parte de minha história. É o passado que já está curado, de uma maneira ou outra. Não há necessidade alguma de se preocupar com este passado. Mas depois, há em você um passado que ainda está presente. Ele ainda te lhe fere, lhe magoa. Ele ainda sangra. E assim, você não pode olhar para ele apenas como se fosse história. Eu dou um exemplo. Um homem me disse que ele não consegue olhar para Deus como um Pai, porque esta palavra o faz lembrar-se de seu próprio pai, que lhe era muito violento quando ele era menino. Embora o pai dele tivesse praticado esta violência anos atrás e o filho hoje já fosse adulto, este filho ainda sente os efeitos daquela violência. De fato, o caráter dele está sendo influenciado por essas experiências do passado do passado. Ele ainda sente raiva medo, rejeição. É por isso que ele não consegue experimentar o amor de seu Pai celestial. Assim sendo, o passado para ele não é passado, mas é ainda presente, mesmo que seu pai já tenha mudado a maneira de proceder com relação a ele. É por isso que hoje ele está necessitado de cura, se não quis quiser permanecer atormentado pelo que lhe aconteceu em seu passado. Imagine um feixe de fios elétricos. Comece a tocá-los um por um. Alguns não causam nada. É sinal de que eles estejam mortos, obsoletos. Outros, ao serem tocados, dão um choque elétrico. E isso significa que estes fios ainda estão vivos, eles funcionam e por isso são perigosos. Você não pode simplesmente ignorá-los. Todos nós carregados vida afora experiência do passado que ainda não foram curadas. Estas experiências poderão ser descobertas com a ajuda da psicologia, mas isto nem sempre é o suficiente para nos curar-mos delas. É somente Jesus, o Senhor do passado e do futuro, quem pode nos dar uma   cura completa, se nos voltarmos para Ele. Com Ele podemos reviver aquelas experiências dolorosas, deixando que Ele coloque Suas mãos sobre elas e as cure. É somente com a ajuda d”Ele e com o poder do Espírito Santo que seremos capazes de perdoar aquelas que nos magoaram. Curados destas feridas, nossa vida se torna mais serena e mais alegre.

 

Leia e Reflita

Muitos sofrimentos, seja de natureza física, psicológica ou espiritual, são o resultado de um passado que ainda não está curado. É inútil tentarmos escondê-lo, esquecê-lo ou ignorá-lo. Este passado necessita de cura. Quem pode lhe fazer inteiro é Jesus.

ESTA ORAÇÃO PODE SER AJUDA PARA VOCÊ:

“Senhor Jesus, coloca tuas mãos em todas as minhas feridas do passado.

Cure-as, e alivia a dor que vem delas.

Meu passado é como um livro aberto diante de Ti.

Passa pela história da minha vida.

Todo o bem que encontrar, abençoa; tudo o que for dolorido e

Maléfico, apague e retire.

Quebra, ó Senhor, todos os cativeiros negativos que eu tive em meu

Passado, para que, livre e limpo, eu seja mais capaz de te servir e de

Viver uma vida serena e tranqüila.

Isto eu peço, pelo precioso sangue que derramaste por mim.

Amém. ”

“Levantar-me- ei e irei à casa de meu Pai”.

O filho pródigo experimentou problemas físicos, psicológicos e espirituais. Ele não tinha para onde ir e ninguém a quem dirigir. Ele sequer podia fartar-se das vagens que os porcos comiam. Era o momento de olhar para seu pai e voltar para ele. “Levantar- me-ei”– esta é a decisão. “Eu irei”– esta é a direção. E o Pai acolheu-0 e perdoou-0. Embora o perdão seja de grande importância, ele ainda é apenas o início da cura. Ele ainda não é a plena recuperação. Muitas vezes, após a confissão, sentimos o peso das conseqüências do pecado. E assim, além do perdão, nós também necessitamos da recuperação. Todo pecado deixa em nós conseqüências psicológicas. Entre outras, há o perigo da perda da esperança. Quando caímos novamente em pecado, facilmente nos sentimos desanimados e perdemos a esperança. Uma mentalidade criminosa é criada em nós, para usar a linguagem do destacado psiquiatra Karl Menninger. A mentalidade criminosa acontece quando alguém reconhece seu pecado, mas está convencido de que é impossível mudar para melhor. O criminoso sabe que ele não é inocente. Ele menospreza a si próprio. Consequentemente, ele tem medo de mudar. Ele pensa que por sua consciência e seu caráter estarem sujos, ele pode facilmente continuar a sujar. É isto o que acontece com pessoas que possuem hábitos viciados. Há então pessoas que têm a mentalmente doente e desequilibrados, não ela! É isto o que acontece com o pecador; ele aponta seu dedo aos outros. Ao invés de tentar emendar-se, ele agride os outros e espera que os outros mudem. Se está sempre com raiva? É por causa da esposa e dos filhos. Está bebendo demais? É tudo por culpa dos colegas. E assim por diante. Ao não se sentir responsável por seus pecados, é óbvio que nada será feito para mudar e para tornar-se melhor. Estas situações são muito sérias e deixam o pecador doente. Quem poderá mudar a sua mentalidade? Se dúvida alguma, a psicologia pode fazer muito, mas esta também tem seus próprios limites. Somente Deus quem pode mudar por completo a mente e o coração. O padre deve ajudar, por meio das orações de cura, a estas pessoas, para que, além do perdão, elas recebam a cura necessária. Enquanto você não aceitar a responsabilidade por seus atos e acreditar que você pode mudar, você permanecerá espiritualmente doente. Não tenha medo. Jesus está pronto para lhe curar, desde que você se volte para Ele.

 Leia com carinho o texto das Sagradas Escrituras com sua Oração de resposta.

Faça o seu comentário.

“NÃO TENHAM MEDO”

Quem tem medo foge, esconde-se… Esconder-se de Deus, fugir dele é o jogo do
homem que não sabe caminhar de cabeça erguida e não sabe Deus como Pai
Amoroso.
Entretanto, Deus repete continuamente ao homem: ”não tenhas medo”! Silencia
Todo o teu ser e ouve o senhor que se dirige ao homem, ouve-o dirigindo-se a ti.
Vai tu também ao encontro do senhor. Ele te espera no deserto. Em lugares de
Difícil acesso. Deus se deixa encontrar pelos corajosos, os fortes, os violentos. O
senhor disse a Gedeão: Quem for medroso ou tímido volte para trás” (Jz 7,3).Toma
O caminho solitário rumo á montanha de Deus; não levas nada, só o Indispensável.
O caminho do deserto é um caminho de nudez e despojamento. É significativo o
texto de Saint-Exupéry em seu livro terra dos homens.
Depois de duas horas de manobra, desci e capotei quando saltava do avião, a tempestade me lançou no solo. Firmei-me novamente nos pés e ela me virou outra vez tive de me meter sob a carlinga e cavar um abrigo na neve. Naquele buraco cerquei-me de sacos postais e, durante quarenta e oito horas, esperei. Depois disso, quando a tempestade amainou, comecei a andar. Andei cinco dias e quatro noites.
…Na neve, a gente perde todo instinto de conservação. Depois de dois, três, quatro
dias de marcha, tudo o que se deseja é o sono. Eu o desejava… e andava.
Nos últimos dias comecei a perder a memória. Muito tempo depois de recomeçar a
marcha é que me lembrava: havia esquecido alguma coisa!… Da primeira vez, foi uma luva isso era grave com o frio que gelava as mãos. Eu havia deixado no chão deserto ao meu lado e seguira sem apanhá-la. Depois, foi o relógio. Depois, o canivete… depois a bússola… em cada parada eu me empobrecia!
O que salva é dar um passo… mais um passo…sempre mais um passo: o mesmo que
recomeça.


Na tua pobreza e no teu projetar-te para Deus, ele te estende os braços. Procura
reconhecê-lo na majestade silenciosa da noite, no frio dolorido do inverno, na vastidão
infinita da areia que te fere os pés… ouve o hino do silêncio e da solidão para depois te
tornares sensível ao grito dos irmãos. Onde nada se ouve de comum, de rotineiro, Deus
te fala. Onde não chega a voz da violência, do ódio, do mal, ele quer manifestar-se…não
tenhas medo de abrir-te ao ministério de Deus, de entregar-te sem cálculos, sem previsões.
O medo afugenta o perfeito amor. Como podes amar alguém quem temes? “No amor
Não há medo; mas o amor perfeito lança fora do temor e aquele que tem medo não é
perfeito no amor” (1Jo 4,18).
No silêncio, relê o Cântico dos Cânticos, história corajosa de que, sem medo, busca
o amado pede ao senhor que te liberte do medo, sobretudo do medo do que os outros
possam falar ou pensar de ti. Procura sentir o que o senhor quer de ti e caminhar com
segurança ao alcance do teu ideal, sem, perder tempo a olhar o que acontece ao teu redor.
Assume profeticamente o caminho do amor radical, inseparável da cruz; lembra-te, porém,
que toda morte prepara a ressurreição. “Não tenhas medo, eu venci o mundo.”

“Importa muito e, sobretudo, uma
grande e firme determinação de
não pararmos… venha o que trabalhasse o que se trabalhar
murmure-se o que murmurar,
mesmo que não chegamos lá, mesmo
que morramos no caminho… mesmo
que se afunde o mundo” (Sta. Teresa de Ávila)

Patricio Sciardini O.C.D
Augúrios de Boas Festas de Ano Novo.

Ir. Maria Eunice.

QUEM SOU EU? Criatura original, criada por Deus para ser feliz. Sou uma riqueza ainda não descoberta. Sou alguém capaz crescer de desabrochar. Sou um tesouro a ser explorado. Sou uma PESSOA. Isso quer dizer que sou feito à imagem e semelhança de Deus, que me criou com muito amor e como centro do universo. (SL 08)

Enquanto não valorizamos a PESSOA, consideraremos as COISAS mais importante que as PESSOAS.

   

A realidade da PESSOA consiste em dois elementos fundamentais: a exterioridade a interioridade.

-EXTERIORIDADE é aquilo que aparece: o TER, o que manifestamos, o que apresentamos.

-INTERIORIDADE é aquilo que é interior: o SER, o que sentimos, o que nem sempre demonstramos,o nosso modo de ser,o nosso querer, o nosso eu.

   

Não podemos esquecer que a interioridade é o mais importante.

A exterioridade tem que ser sinal, expressão dessa interioridade. Cada gesto externo, para ser honesto, leal, deve ser expressão, sinal de uma situação interior. O crescimento interior faz com que o gesto externo, embora o mesmo se enriqueça, se torne mais denso.

 

O crescimento externo não depende de mim, o interno sim, e não tem limite. “Sede perfeitos como vosso Pai celeste e perfeito”, disse Jesus.

Se não procuramos esse crescimento interior estamos morrendo e  transmitindo  morte.

Como é importante percebermos nossa capacidade de crescimento Interior dentro de nossa originalidade… Deus nos criou únicos, originais, e nós fazemos força para sermos “cópias”, “xérox” (modos e modas que nos escravizam).

  

 Lembre-se que na linha do ser PESSOA, o importante é você. Nunca uma decisão deve ser tomada por causa dos outros. Eu é que decido e assumo. Não podemos esquecer, porém, que dentro de nós existe a ambivalência, a ambigüidade.

  

Existe dentro de nós um desejo de crescimento. Ou de uma forma ou de outra, todo mundo deseja crescer (ou mais SER, ou mais TER).

  

O ponto de partida para o crescimento é CONHECER-ME e ACEITAR-ME como sou:

-minha pessoa (físico, intelectual, qualidades, limitações, etc.)

-minha família

-minha história, meu passado, etc.

 

 

Quando Deus criou tudo e tudo deu ao homem, Ele queria dizer que nos amava. Em cada ser da criação devo saber perceber o amor de Deus por mim. “O essencial é invisível aos olhos. Só se vê bem com o coração”. Se Deus me ama tanto, se me escolheu na obra da criação para ser PESSOA, Ele me COVIDA a viver de sua Vida e de sua Felicidade. Convida não impõe, deixa livre. O Amor é gratuito.

 

                          

      
"PONTOS PARA REFLEXÃO E ORAÇÃO"

                     

 

1.    Quais são minhas qualidades (dons)? Faça uma relação delas.

2.    Quais são minhas limitações?Faça uma relação delas.

3.    Como me vejo?(Procure fazer um auto-retrato, isto é uma

    descrião de minha pessoa,a mais completa possível,por escrito).

4.    Sinto-me feliz por pertencer a esta família que tenho?Por quê?

5.    O que gostaria de apagar da minha história?

 

6.    Qual foi o fato mais positivo da minha vida?Aquele que me

   deixou mais feliz?

7.    Como você se sente depois dessas reflexões?Por quê?

 

 Leia, Pense e Responda a você mesmo.