Onde estás, Senhor?

Onde estás, oh Deus, que te deixas encontrar, mas não és encontrado? Onde estás?

Por Mirla Rocha

Às vezes, eu imagino Deus andando na multidão dos homens de hoje, como Ele andava em Jerusalém. Acho que seria como se Ele não existisse. Seria ignorado, com certeza. Um desconhecido. Afinal, nestes tempos modernos que vivemos, ignora-se todo mundo, não é mesmo? Pobre humanidade que ignora o amor… Amor que ama homens que não se deixam amar… Como combater um mal tão grande assim?

Onde estás, SenhorParece que Deus está perdido em meio a uma humanidade cega, que caminha sozinha, que não quer enxergá-lo.

Uma humanidade que escolhe abandonar o outro em sua necessidade ao invés de abandonar a si mesma para cuidar do próximo; que escolhe a briga ao invés de promover a paz; que escolhe ignorar ao invés de amar.

cadastre-se grátis e receba todas as novidades do blog por e-mail

Como isso é possível? Como podemos ignorar Deus em nosso meio? Como podemos negar o Amor, sendo que é o amor aquilo que mais procuramos?

Vejo uma humanidade que não tem para onde ir. Está perdida porque se perdeu de Deus. Maltrata a si mesma se recusando a ser amada por Deus.

E há tantos que mendigam amor neste mundo. Tantos que sofrem e não tem quem os possa e queira socorrer. Basta andar pelas ruas de qualquer cidade para encontrar um pobre abandonado, um rico infeliz, um que não tem pai ou mãe, outro que é maltratado, aqueles que perderam quem amavam, outros que sofreram abusos, e outros mais que, simplesmente, tentam preencher os seus vazios com mais vazios… Enquanto esses mendigam amor, Deus continua entre nós transbordando amor, mas esquecido; amando até o fim, mas ignorado. Onde estamos nós, Senhor, que não te damos a conhecer? – é esse o meu grito!

Deus precisa ser encontrado pela humanidade. E Ele está sempre a frente, tão fácil de achar. Um Deus tão amoroso, misericordioso, que quer nos abraçar e não acusar, que quer nos amar, que anseia por nos encontrar, que nos deu vida porque quer estar conosco.

Não existe ninguém neste mundo que queira tanto a nossa, a minha, a sua presença junto a Si quanto Deus nos quer com Ele. Há uma história de vida, morte e ressurreição que sustenta tal verdade. E há a história pessoal de cada um que exemplifica e revela o carinho e cuidado de Deus. Mas só compreende quem primeiro Dele experimenta o amor.
E, como é se deixar amar por Ele? Como fazer para encontrá-lo?

Ora, Deus é simples no encontro e majestoso em Sua presença. Sei que, na dor, eu consigo achá-lo; no sofrimento, eu O experimento em plenitude; também posso vê-lo nos inúmeros pequenos atos de amor espalhados pela humanidade, gestos simples de bondade, abertura, doação de vida que iluminam o mundo e que tornam visível o Deus que se deixa encontrar. Sei de uma pessoa, por exemplo, que, constantemente, dá seu tempo para estar com um morador de rua, ouvindo suas histórias e lhe fazendo companhia.

Conheço outras que deram seu dinheiro para fazer um jantar para aqueles que não tinham o que comer. Ainda posso citar uma pessoa que preferiu ele mesmo ficar descalço a ver um pobre ao seu lado descalço, dando a ele o seu próprio calçado.

Conheço pessoas que são capazes de visitar desconhecidos no hospital somente pela alegria de ver tais doentes sorrindo. Ah, meu irmão, percebe Deus andando em nosso meio no gesto de amor daqueles que se deixaram amar por Deus? São nesses gestos que iremos também encontrar a Deus, experimentar o Seu amor.

Deus quer estar conosco. Ele se faz perdido para se deixar encontrar por nós, que nos perdemos primeiro. Como Deus é bom! Eu O achei…

Leia outros artigos da autora

Comments

comments