Quem me conhece, sabe que uma grande dificuldade que eu tenho é a questão das horas. Não gosto de chegar atrasado, não gosto de começar missa depois do horário marcado, não gosto de ficar esperando, não gosto de deixar alguém esperando, não gosto que alguém chegue antes do horário combinado. Tudo isso, tem a ver com horário.
Antigamente inclusive quando alguém combinava comigo um horário e chegava depois do combinado, eu ficava uma fera. Já entrava no carro ou ia ao encontro da pessoa soltando os cachorros. Com o passar do tempo, Deus foi me pedindo que eu parasse de fazer isso, pois nem sempre as pessoas tinham culpa de chegar atrasado, pois podia acontecer situações alheias às mesmas. Deus me deu a graça então de poder me exercitar muitas vezes na paciência quando alguém chegava atrasado, embora eu tivesse uma vontade imensa de soltar os cachorros, eu o mantinha preso de modo que ficava muito atento a não permitir nenhuma situação para descontar nos outros uma dificuldade que era minha.
Graças a Deus consegui superar esta dificuldade. Uma coisa que me matava era ter que ficar horas num engarrafamento, pois o medo de chegar atrasado me consumia, me deixava arrasado. Outro dia, peguei um engarrafamento de quatro horas até chegar ao lugar onde devia celebrar a Santa Missa. Pude avisar que talvez chegaria muito atrasado, mas que estava a caminho. E fiquei surpreso, pois em momento algum perdi a paciência. Pelo contrário, Deus me deu a graça de a manter e como ele não se deixa vencer em generosidade, cheguei exatamente na hora da missa.
Nestes dias, Deus tem me pedido o meu relógio, isto é, meu tempo sobretudo quando eu celebro a santa Missa, e quando eu prego para o povo, isto é, Deus tem me pedido para não ter pressa, pois, às vezes em virtude de ter duas missas uma após a outra às vezes tinha que celebrar uma mais rápida. Estou me exercitando – no sentido de me esforçando – para entregar a Jesus o meu tempo, o meu relógio sem me preocupar com o resto. Enfim, aos poucos Deus vai me conduzindo a superar alguns limites outrora muito fortes em mim.
É obvio que ainda há muito a ser vencido em mim, mas sei que Deus vencerá, pois é na minha fraqueza que se manifesta a sua força.
Padre Antonio Aguiar

2 Comentários

  1. Maria Luiza Canôas De Munno

    Boa tarde, Padre Antonio, quão útil foi-me este seu depoimento sobre horários. Sempre tive dificuldade de chegar nos horários marcados. Vou explicar pq.: sou viúva há 23 anos e a partir daí minha vida mudou muito, como resolver tudo sozinha, aliás tenho dois filhos, hoje já são bem crescidos. Mas, enfim, como resolver este entrave de não chegar mais atrasada nos compromissos? Li como o senhor tem muita confiança na misericódia de Deus em ajudar-lhe. Será que é isto que me falta? Espero que sua reposta acalme meus ânimos!! Obrigada pela atenção. Peço sua benção!

  2. Vera Lúcia de Paula

    Nossa!!! Eu tenho a mesma postura do sr. Pe. Antonio Aguiar! Extremamente exigente com horários ! Quando não discutia tentava disfarçar, mas era visível a minha irritação com os atrasos dos outros.Nunca admiti chegar atrasada a nenhum compromisso. Não foi por acaso que entrei nesse site(entrei só para pegar o tel da comunidade). Vou exercitar a minha paciência, compreensão e generosidade em relação a isso. Acho louvável também essa postura sua de expor suas dificuldades e limitações. Penso que isso faz-nos sentir o Pe. mais próximos de nós e algumas pessoas não acharem que um pe. tem que ser quase perfeito. Sei o quanto se esforçou sempre para melhorar como pessoa e sempre expondo suas dificuldades com a proposta de melhorar mais e mais. Acho que esse é o segredo:
    Um abraço!

Deixe uma resposta para Maria Luiza Canôas De Munno Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *