Saiba porque se acreditar verei milagres acontecerem.
A Palavra diz: “Se creres, verás a glória de Deus”. Achei importante partilhar com você este testemunho.
Um jovem que trabalhava no exército era humilhado por ser Cristão. Um dia seu superior querendo humilhá-lo na frente do pelotão chamou o soldado e disse: Pegue esta chave, vá até aquele Jipe e estacione ali na frente. O jovem disse: Não sei dirigir. Então disse o superior, peça ajuda a seu Deus. Mostre que ele existe.
O soldado pegou a chave e começou a orar, depois ligou o veículo, manobrou e estacionou perfeitamente. Ao sair do Jipe o soldado viu todos de joelhos, chorando e dizendo: Nós queremos teu Deus.
O jovem soldado espantado, perguntou o que estava acontecendo. O superior chorando abriu o capô do Jipe e mostrou para o jovem que o
carro estava sem motor.
Não tenhamos medo de dar testemunho de Jesus. Para Deus, nada é impossível.

Pe. Antônio Aguiar

Saiba a importância do Diário de Santa Faustina

Sabemos quanto é importante na devoção à Divina Misericórdia conhecer os documentos da Igreja que falam acerca desse Mistério. A Encíclica Dives in Misericordia é de leitura obrigatória.
Mas, um instrumento importantíssimo e insubstituível é o Diário de Santa Faustina. O que é o Diário de Santa Faustina? Foi um livro escrito por Santa Faustina?
E a resposta é não. O Diário são as anotações espirituais que a Santa fazia a pedido do seu diretor espiritual e que ele depois lia e dava-lhe a orientação espiritual a partir dos mesmos. Após a morte da santa, essas anotações foram estudadas pela Igreja e a mesma autorizou sua publicação com o nome Diário de Santa Faustina.
Os escritos tratam dos encontros de Jesus Misericordioso com Santa Faustina e do que esse lhe pedia. O próprio Jesus Misericordioso disse acerca do Diário incentivando Santa Faustina a escreve-lo:A TUA TAREFA É ESCREVER TUDO O QUE TE DOU A CONHECER SOBRE A MINHA MISERICÓRDIA PARA O PROVEITO DAS ALMAS, QUE LENDO ESSES ESCRITOS EXPERIMENTARÃO CONSOLO NA ALMA E TERÃO CORAGEM DE SE APROXIMAREM DE MIM. (D. 1396)

Saiba a importância de Mt 25,31-46.

A passagem do Papa Francisco entre nós foram dias de graça, um verdadeiro Pentecostes. Prestando atenção às palavras do Papa Francisco e lendo seus discursos, percebi que em dois momentos ele disse algo que é muito importante para todos nós.

Durante seu encontro com os argentinos na catedral do RJ ele disse: “Leiam as Bem aventuranças e Mt 25. Basta isso, pois seremos julgados pelas obras de misericórdia.” E, em uma entrevista que deu a um jornalista disse: “Em Mt 25 diz que todos seremos julgados pelas obras de Misericórdia”.

O que Mt 25 tem de tão importante?

Na verdade, Mt 25,31-46 trata do juízo final. Ali estão as perguntas que o Senhor nos fará quando estivermos diante dele. E todas elas versam sobre as obras de misericórdia, se as praticamos ou as deixamos de praticar. As palavras de Jesus Misericordioso no D. 1317 confirmam essas palavras  do Evangelho. Ali Jesus diz:

“Se  a alma não praticar a misericórdia de um ou outro modo, não alcançará a minha misericórdia no dia do juízo. Oh se as almas quisessem armazenar tesouros para a vida eterna, não seriam julgadas, antecipando o meu julgamento com obras de misericórdia.”

Então, busquemos fazer obras de misericórdia.

Pe. Antônio Aguiar

23. julho 2013 · 1 comment · Categories: Diversos

Veja o que o Papa Francisco pensa sobre a Misericórdia.

O Papa Francisco nos visita. Achei importante relembrar alguns pensamentos dele sobre a Misericórdia.

“Deus sempre quer a misericórdia e não a condenação. ”

“Quer a misericórdia do coração, porque Ele é misericordioso e sabe entender bem as nossas misérias, as nossas dificuldades e também os nossos pecados.”
“Ele veio por nós, pecadores, e é isto o que é bonito. Deixemo-nos olhar pela misericórdia de Jesus, façamos festa e guardemos a lembrança desta salvação!”
“Mas a misericórdia de Jesus não é apenas um sentimento, é uma força que dá vida”.
“A misericórdia de Deus dá vida ao homem, o ressuscita da morte”.

“O Senhor nos olha sempre com misericórdia; não esqueçamos, nos olha sempre com misericórdia, nos espera com misericórdia.”

‘ Deixemo-nos encontrar pelo Senhor: Ele está perto de nós. Tantas vezes”.

Saiba porque Deus sempre quer a misericórdia e não a condenação

O Papa Francisco nos presenteia uma vez mais com uma belíssima reflexão sobre a Misericórdia. Ele comentando o Evangelho do Bom Samaritano diz:

Diz que o exemplo do bom samaritano “é o exemplo de amor ao próximo.”, de alguém que “é bom e generoso e que – ao contrário do sacerdote e do levita – ele coloca em prática a vontade de Deus, que quer a misericórdia e não o sacrifício (cf. Mc 12:33)”.

“Deus sempre quer a misericórdia e não a condenação. Quer a misericórdia do coração, porque Ele é misericordioso e sabe entender bem as nossas misérias, as nossas dificuldades e também os nossos pecados. Dá a todos nós este coração misericordioso! O samaritano faz exatamente isto: imita a misericórdia de Deus, a misericórdia para aqueles que tem necessidade.”

No Diário 742 Jesus Misericordioso pede a Santa Faustina exatamente isso. Ele diz que a Imagem da Misericórdia tem o importante papel de nos lembrar a necessidade de amar o próximo, pois, ‘mesmo a fé mais forte, nada é sem as obras”. Portanto, poucos talvez tenham percebido que mesmo ao rezar o terço da misericórdia eu estou amando o próximo, já que estou pedindo ao Pai que pela dolorosa paixão de Jesus tenha misericórdia de mim e de todos os que me estão próximos (de nós) e de todas as pessoas do mundo (do mundo inteiro). Estou rezando pelos vivos e pelos mortos.

Então, firmados nas palavras do Papa Francisco busquemos sempre querer a misericórdia e não a condenação.

Pe. Antônio Aguiar

Saiba porque o coração da mensagem de Deus é a Misericórdia.

O Papa Francisco tem sido de fato um papa que fala abundantemente da Misericórdia. E suas palavras sempre tocam nosso coração. Dizem que em virtude disso, em numerosas paróquias da Itália e do mundo tem sido grande o número de pessoas que retornaram ao sacramento da confissão.

Recentemente ele falou que “O coração da mensagem de Deus é a misericórdia”. Estava comentando o chamado de Mateus. Disse o Santo Padre: “Eu quero misericórdia e não sacrifício”: o papa repete as palavras de Jesus aos fariseus, que o criticam por comer com os pecadores. Os publicanos, explica o papa, “eram duplamente pecaminosos, porque estavam apegados ao dinheiro e porque eram traidores da pátria”, já que recolhiam os impostos do seu próprio povo para entregar aos romanos.

Jesus não age como os fariseus quando vê Mateus, o arrecadador de impostos, mas olha para ele com misericórdia:

Comenta o Papa: “Jesus olha para aquele homem, sentado na banca de impostos, e aquele homem sente algo no olhar de Jesus, fica maravilhado no espírito, e escuta o convite de Jesus: ‘Segue-me! Segue-me!’. E naquele momento, ele se torna um homem cheio de alegria, mas também fica um pouco em dúvida, porque é muito apegado ao dinheiro. E basta um momento a sós, com Jesus para que Mateus diga ‘sim’, abandone tudo e vá atrás do Senhor. É o momento da misericórdia recebida e acolhida: ‘Sim, eu vou contigo!’. É o primeiro momento do encontro, uma experiência espiritual profunda”.

O Papa nos diz que a Misericórdia precisa ser recebida e acolhida.

“Depois vem um segundo momento: a festa. Jesus faz festa com os pecadores”: celebra a misericórdia de Deus, que “muda a vida”. Depois desses dois momentos, o estupor do encontro e a festa, vem “o trabalho diário”, o anúncio do evangelho:

“E Jesus, continuando com esse costume, celebra com os pecadores e oferece aos pecadores a graça. ‘Eu quero misericórdia, e não sacrifícios. Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores’. Ele veio por nós, pecadores, e é isto o que é bonito.”

É bonito o convite que o Papa nos faz: “Deixemo-nos olhar pela misericórdia de Jesus, façamos festa e guardemos a lembrança desta salvação!”

Pe. Antônio Aguiar

Saiba porque os santos que praticam a misericórdia causam verdadeira revolução.

Tenho pensado nos santos que praticam a misericórdia. Uma dessas santas  bem próxima de nós, é a Beata Madre Teresa de Calcutá. Iniciou praticamente sozinha, deixando a vida tranquila do convento em que habitava, um trabalho de misericórdia com os pobres mais pobres da Índia, causando uma verdadeira revolução de amor à sua volta, mobilizando um verdadeiro exército da caridade que se associaram a sua obra de misericórdia.

Aqui no Brasil, não podemos nos esquecer da Beata Irmã Dulce. Uma mulher franzina, de saúde frágil, mas quando se tratava de praticar a misericórdia para com o próximo ela não descansava. Também conseguiu envolver numerosas pessoas de todas as classes sociais em suas obras de misericórdia. Suscitaram seguidores que dão continuidade a suas obras. Através delas continuam presentes no mundo o testemunho da misericórdia de Deus.

Pe. Antônio Aguiar

Saiba como fazer a escolha de qual porta entrar.

No Diário de Santa Faustina 153 ela fala de dois caminhos, que tem tudo a ver com as duas portas: a estreita e a larga de que nos fala o evangelho de Mt 7:

Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta
e espaçoso é o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ele
! ”

O versículo seguinte serve para entender a estrada estreita (porta estreita) e a estrada larga (porta larga): “Tudo quanto quereis que os outros vos façam,
fazei também a eles. ”

Existe duas maneiras de viver a vida: com misericórdia – estrada estreita (porta estreita) – ou sem misericórdia – estrada larga (porta larga).

Se eu quero que me tratem com misericórdia, vou me esforçar por tratar os outros com misericórdia: sendo paciente com suas fraquezas, perdoando quando me ofenderem, corrigindo e ensinando quando perceber que estão no erro, rezando pelas pessoas, consolando quando estiverem aflitas e dando bons conselhos.

Se eu quero que não me tratem com misericórdia, não vou tratar os outros com misericórdia: sendo impaciente com suas fraquezas, não perdoando quando me ofenderem, não corrigindo e não ensinando quando perceber que estão no erro, não rezando pelas pessoas, nem consolando quando estiverem aflitas, menos ainda dando bons conselhos.

Está diante de mim os caminhos: a escolha é minha. Que farei?

Padre Antônio Aguiar

Saiba de que tesouros no céu fala Jesus.

Em Mt 6 Jesus nos convida: “19Não junteis tesouros aqui na terra,
onde a traça e a ferrugem destroem,
e os ladrões assaltam e roubam.
20Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu,
onde nem a traça e a ferrugem destroem,
nem os ladrões assaltam e roubam.
21Porque, onde está o teu tesouro,
aí estará também o teu coração. ”
De que tesouro está falando Jesus?

No Diário de Santa Faustina 1317 vemos uma palavra que pode nos ajudar a compreender o que diz o Senhor:

“Oh! se as almas quisessem armazenar os tesouros eternos, não seriam julgadas, antecipando meu julgamento com obras de misericórdia”.

Rezei em cima dessa palavra e vi que poderia ler a palavra do Evangelho acima com pequena adaptação: “Pratiqueis obras de misericórdia, que são ,para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam.”

Então, aproveitemos o tempo que o Senhor nos dá de vida e pratiquemos obras de misericórdia espirituais e corporais, armazenando assim tesouros para o céu.

Pe. Antônio Aguiar

Jesus nos pede uma nova atitude diante do mal: vencê-lo com a Misericórdia, com o bem  e não com a vingança. Veja o que ele diz no evangelho de Mt 5: “Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:

38Ouvistes o que foi dito:
‘Olho por olho e dente por dente!’
39Eu, porém, vos digo:
Não enfrenteis quem é malvado!
Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita,
oferece-lhe também a esquerda!
40Se alguém quiser abrir um processo
para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto!
41Se alguém te forçar a andar um quilômetro,
caminha dois com ele!
42Dá a quem te pedir
e não vires as costas a quem te pede emprestado.”

O convite de Jesus é vencer com o bem o mal que nos é feito, como ele, venceu todo o mal que lhe fizeram na cruz transformando-o em bem pela salvação de todos.

Como você tem reagido a quem te faz mal?

Pe. Antônio Aguiar