Estar em Deus requer a vigilância e a constância na oração 


Um dia Jesus disse aos discípulos: “O que vos digo, o digo a todos: ‘Vigiai’!” (Marcos 13,37).

Jesus pediu a seus amigos vigiar, quer dizer, de estarem acordados e de esperá-lo.

Quem ama sabe o que significa esperar. Quem tem um amigo distante e espera suas noticias, a cada momento se pergunta o que possa estar fazendo naquele instante o amigo.

O cristão que ama a Deus, seu Pai, e que ama Jesus, seu Senhor e Senhor de sua historia, manifesta a sua espera principalmente por meio da oração.

“O Espírito e a esposa dizem: ‘Vem’… Amém. Vem Senhor Jesus!” (Apocalipse 22,17-37).

O Evangelho nos mostra a imagem de Jesus que parte ao deserto ou sobre um monte para orar.

Nos indica Jesus que levanta cedo de manhã para orar, ou passa a noite inteira em oração, nos diz que Jesus está orando quando lhe vem revelada pelo Pai a sua missão, ora antes de chamar os apóstolos etc..

Esta imagem de Jesus em oração, nos faz entender como seja grande o seu amor pelo Pai.

Seu ser vigilante em fazer a vontade do Pai, manifesta seu desejo de estar em comunhão com o Ele por meio da santa obediência.

Portanto, amigos, é necessário orar, fazendo a vontade de Deus, aquela revelada por Jesus nos conselhos evangélicos.

Jesus ensina que a oração junto à obediência, completam o esforço de permanecer desde aqui na terra, em comunhão com o Pai por meio do Filho.

Nem uma, nem a outra, sozinhas, em base aos ensinamentos de Jesus, formam a vontade do Pai, fica incompleto o nosso esforço, em outras palavras, ainda não estamos na vontade de Deus, pois falta os outros cinquenta por cento. Isto é o que Jesus exige para o nosso ser seguidores seus, cristãos.

O nosso esforço faz parte daquele caminho a percorrer para sermos santos. Portanto a palavra é: Viver com uma constante tensão ao Céu para chegarmos às moradas eternas e viver eternamente ao lado de Deus.

“O Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis.

E Aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus” (Romanos, 8,26-27).

Esta é a grande riqueza da oração e seu poder!

Quando ela se transforma em testemunho de vida e explode no louvor, com cânticos, com celebrações e com a festa, em seu verdadeiro significado.

Hoje Jesus me chama e te chama a retomar sem paradas, sem pausas… o caminho com Ele.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

Mergulhar e deixar-se enxarcar pelo amor de Deus

A cada dia o Espirito Santo quer renovar nossa pertença a ele por meio do Senhor Jesus. Ele quer que estejamos com ele por meio do Espirito Santo que deixou para guiar-nos, e como obra de arte, quer nos esculpir a cada dia e nos formar para arrancar de nós tudo o que pode nos distanciar dele, em preparação ao dia final.

E assim como faz o artista, o Senhor quer realmente cortar, esculpindo mesmo, tudo o que não è sinal de sua presença em nós. È um caminho, o de estar com Jesus, de seguir Jesus, por vezes muito doloroso, por nossos apegos “humanos demais”.

O inimigo porém quer sempre a cada minuto, repito: a cada minuto, por meio de situações e ações até aquelas mais simples do quotidiano, ele quer nos convencer de que não è bem assim, que o sofrimento e situações, não foram feitos para nós. Por isso è doloroso para crer e seguir o Senhor. Precisamos ser fortes e não nos deixar levar.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

A arte antiga e sempre atual

Hoje é o dia do trabalhador. Esta, que è uma arte antiga e sempre atual. Infelizmente o trabalho hoje é o grande problema que aflige a humanidade. Este, e a arte, caminham juntas e não poderia ser diferente, pois, sem o trabalho não se vive; com ele, de fato, se vive e se come.

Onde encontrar portanto o trabalho justo, aquele que restitui, dá dignidade à pessoa humana e rende justo seu salario?

A justa sintonia dos dois, são aquilo que restituiria à humanidade a justiça e a paz. Estes dois, assim tão desejados, na realidade são ideais distantes mas ao mesmo tempo muito perto um ao outro e do homem. A gula economica porém, e os interesses dos homens em geral, é o que rendem impossivel a sua realização, mesmo desejando-o, mas em teoria somente, assim, esta nunca sera real.

E o mundo continua a sofrer na pessoa dos que os chamam de: “homens do terceiro mundo”.

José, na tradição religiosa, vem indicado como o homem que soube viver da arte do trabalho, ele è tido desde sempre como exemplo de justiça e guardião do Filho de Deus sobre a terra. (Mt 1,24; Lc 1,27).

Homem sempre pronto a realizar os designios de Deus, em meio às “tempestades” do dia-a-dia e incompreensðes humanas. Foi porém nada menos que o filho de Davi (Mt 1,20).

S. José, com “a escuta” interior, soube reger a vontade de Deus, assistido pelo Espirito Santo. Os Evangelhos o definem homem justo Mt 1,19), e para a Igreja na historia, modelo de vida fiel, por que acreditou no mistério, sem ver nada claro humanamente, do que Deus lhe propunha para que fisesse.

Quem Foi S. José em duas palavras? Um humilde, carpinteiro de nazaré, que não fez perguntas a Deus nem duvidou, obedeceu! Viveu em exercicio de pequenez a cada dia com somente a fé como segurança, abandonado ao que o Espirito Santo de Deus lhe guiava na alma.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

A pessoa bondosa: Nâo somente olhar nos outros suas virtudes e vive-las também nós!

Ao Senhor Jesus, toda honra, todo louvor e toda a adoraçâo por tudo o que è, e sempre será: Ele è o Filho de Deus. Exaltemos o seu Santo nome, pois, todo aquele que exaltar o nome do Senhor Jesus será  salvo e sua promessa se cumprirá: “Eu o ressuscitarei no dia final” (Jo 6,35-40).

Em sua vida aqui na terra somente amou e nos amou até a morte de cruz, obediente ao Pai, veio ao mundo para nos desvelar o grande amor e por isso pagou um preço caro por nâo ser entendido e aceito pelos homens e autoridades de seu tempo.

As autoridades e povo do seu tempo, e muitos ainda hoje, (esses muitos que podemos ser também eu e voce, diretamente ou indiretamente nâo esqueçamos, por conta de nossos pecados),  nâo o reconheceram filho de Deus e o maltrataram até leva-lo à colina da crucifixâo.

Jesus sabia tudo o que iria acontecer mas nâo recuou. Como disse o profeta,

…Nâo abriu a boca, mesmo sendo humilhado (Is 53).

Vivamos o exemplo de Jesus em sua obediência a Deus. Sejamos bons porque foi o que ele nos ensinou.

Nâo paremos a meditar somente estes tres dias quase que poeticamente sobre a vida de Jesus, porque ele pede fidelidade hoje e no tempo, seremos sentimentais demais; isto nâo è ser de Jesus, ser dele, tem o que a ver com a fidelidade, com a fé, com o amor, que é o que o Senhor pede de nós. Só assim poderemos ser seus verdadeiros amigos e filhos bondosos.

A sua e nossa Mâe, possuia todos os motivos deste mundo, para ser uma grande poeta e admiradora do Filho, ela porém juntou-se a ele na obediência, nâo recuou o sofrimento. Escolhida pelo Pai para ser a Mâe por excelência, se fez sinal e ponte por esta sua obediência, mesmo diante da desolaçâo em ver o Filho pregado e desfigurado numa cruz!

Que Mâe! Que coraçâo materno: Obedecer, sofrer, amar, acolher e esperar! Grande exemplo de Mâe e de Mestra de bondade.

E ela estava lá! Aos pés da Cruz do Filho, junto ao Filho! (Jo 19,25).

Como nâo amar-te e charmat-te “Mâe”, que è o que és, Maria Mâe de Jesus! (Jo 19,27).

Bons portanto para com todos, contra as maldades que afloram dentro de nós, todo tipo de maldade do pequeno julgar ao maior, da mais simples palavra ofensiva, que pode parecer nada, da mentira para defender-nos para nâo passarmos vergonha, dos tantos desinteresses para com quem nos passa ao lado, do egoismo de pensar antes em salvar a nossa pele, das espertezas humanas que nâo sâo por nada de Deus, do saber perder qualquer coisa: material, espirtual ou moral, por Deus, etc. Enfin, viver de bondade!

O Senhor nos ensina isto: sermos bons! A bondade e a pequenês junto às outras virtudes cristâs, vividas, e nâo somente contempladas e admiradas em quem as pratica por exemplo, é o que faz de nós, bons filhos de Deus.

Somos habituados a ver a bondade nos outros, a caridade, o interesse de quem ama e evita de julgar… nâo é mesmo? e os admiramos por suas virtudes: “Nosssa como fulano è bom!” E eu? E voce? Fazemos o mesmo? Esta aqui a chave! Nâo olhar nos outros suas virtudes mas vive-las também nós.

Seremos fieis e verdadeiros adoradores, amaremos o Senhor de verdade quando pararmos de olhar a bondade dos outros e nos juntarmos àquele fulano ou fulana, para vivermos como “bons filhos, imitando o Senhor Jesus que se fez pequeno e humilhou-se. Amem?

O Senhor te abençoe e te guarde!

Padre Antonio Lima.

Não desperdicemos a Palavra de Deus semeada em nosso coração.

Os que estão na beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega Satanás e tira a Palavra que neles foi semeada.

Do mesmo modo, os que receberam a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e logo a recebem com alegria, mas não têm raiz em si mesmos, são inconstantes; quando chega uma tribulação ou perseguição, por causa da Palavra, logo desistem.

Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra; mas quando surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, sufocam a Palavra, e ela não produz fruto.

Por fim, aqueles que recebem a semente em terreno bom são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um”. (Mc 4,1-20).

Vamos orar juntos?

Senhor Jesus, neste momento quero tomar posse desta tua palavra Senhor para a minha vida, quero acolher neste momento a graça de pode dar frutos, por que por teu amor, Senhor, Tu me dizes em tua Palavra que estando em ti, posso dar frutos bons, posso salvar a minha alma e orar por minha familia e por todos os ques vivem perdidos pelo mundo, para que se salvem.

Liberta Senhor a minha alma da escravidão dos pecados, quanto preciso, Espirito Santo de Deus, da tua libertação para voltar a ser como me criaste, apos o Santo Batismo! Eu quero hoje, sem esperar, tomar posse desta graça do Senhor por meio deste Evangelho que hoje o Espirito Santo me fez escutar e meditar.

Vem Espirito Santo de Deus a inundar a minha vida, a preencher todos os vazios!

Arranca de dentro de mim e de meus sentidos, todo espirito de Avareza, de orgulho, de egoismo, todo espirito de acúmulo de riquezas materiais e espirituais, que podem servir aos meus irmãos ou aos pobres, Liberta-me desta escravidao mental, Senhor Jesus, que não me ajuda a ser como o Senhor quer.

Os dons que me deste Senhor, a inteligencia, a capacidade de falar, de aconselhar, a saúde fisica  e mental, os dons criativos para realizar o bem, para visitar doentes, presos, pobres sem casa e sem ter do que comer.

Que eu possa ter este santo e grande compromisso missionario Senhor, até mesmo custando-me sacrificio, e poder por a disposição dos irmãos os dons e bens que colocaste a minha disposição, Senhor. Que o inimigo, como tu ensinas Senhor nesta parabola não sufoque o que queres construir em minha vida.

Espirito Santo, que eu frutifique, que eu não esmoreça, não desanime, não me escandalize com os maus, e siga em teus mesmos passos. Ajuda-me a dar passos ao teu encontro Jesus.

Que a minha alma e meus pensamentos sejam segundo o teu coração. Te louvo Senhor, Te louvo Espirito Santo de Deus. Amem, amem!. (E neste momento se seu ser necessita, continue orando, faça-o… ore nunca sera demais… adore… adore o Senhor e converse com o Senhor até sentir sua alma saciada pela força da oração.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Entenda a parábola do filho pródigo

“Então ele partiu e voltou para seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou e sentiu compaixão. Correu-lhe ao encontro, abraçou-o, e cobriu-o de beijos” (Lc 15, 1-3.11-32).

Jesus não contou esta parábola por acaso, mas nela ele manifesta a misericórdia de Deus que è Pai e que está sempre pronto ao perdão de seus filhos. Não por acaso, Jesus usa palavras e imagens, para falar deste amor que desde sempre existe no coração de Deus.

S. João define o ser de Deus como: “Amor” (1 Jo 4,15-16).

E’ surpreendente saber que Jesus toca os corações e ensina que precisa viver a partir do coração, isto significa amar como o Pai: e amar è servir, é se doar sem reservas nem racionalismos, sem uso de “taboadas” para contar o quanto, o como, nem o que, quando se ama.

É a parábola da gratuidade e a misericórdia, a caridade, são gratis, são dons. Esta è a verdadeira justiça, aquela que se manifesta no comportamento do Pai para com aquele filho. Justica è amor, è misericórdia em Deus. Precisamos aprender a viver a justiça como expressão de amor, isto è, de caridade: É nosso dever ser misericordiosos!

Se é porém tentados a não querer a amar como aquele Pai, e sim, segundo uma determinada métrica…  E assim se è muito capazes de julgar, antes de abraçar o próximo para ama-lo e compreende-lo entrando em seu coração. Meu Deus como somos capazes disto! E não poucas vezes prontos a entregar a juizes e tribunais como se fossemos “deuses”.

E o Senhor cobrarà: “Onde està o teu irmão”… o que responderemos?

Infelizmente isto ocorre muito até mesmo comigo ou com voce, que nos declaramos pessoas obedientes e tementes a Deus, que seguimos Jesus e falamos dele dos tetos. Precisamos refletir sobre este comportamento farisaico que esqueceu a importancia do abraço que perdoa e que compreende. Arrependamo-nos irmãos! Voltemos humildemente ao braços do Pai e nos convertamos em nome do Senhor Jesus.

Jesus condena este gesto farisaico onde o amor, a justiça não são vividos segundo o coração de Deus. Não se ama em Deus, estabelecendo por conta própria qual é a verdadeira justiça, desprezando de consequencia sem ter-se certeza do que o outro vive, negando-lhes até a possibilidade de mudar.

É significativo o modo em que Lucas introduz a parábola do fariseu e do publicano. «Disse também a alguns que se tinham por justos e desprezavam os demais, esta parábola» (Lc 18, 9). Jesus era mais severo com aqueles que, com tom depreciativo, condenavam os pecadores, que com os próprios pecadores.

Amemos, e sirvamos não somente os que nos são queridos, simpatizamos e pensam como nós.

Ontem, hoje ou amanhã, quem voce encontrou, encontra ou vai encontrar, necessitado de amor, e seu coraçao mexe, convidando-o a servi-lo, e a ama-lo, a dar-se espiritualmente ou materialmente, amanha pode ser voce, aquele necessitado de amor, de misericordia e de justiça.

Nesta parábola, a alegria se transborda e se converte em festa. Aquele pai não cabe em si, porque sabe amar a partir do coraçao, e não sabe o que inventar: ordena dar as vestes de luxo, o anel com o selo da família, matar o carneiro cevado, e diz a todos: “Comamos e celebremos uma festa, porque este meu filho estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi encontrado” (Lc, 14, 22-24).

Voce e eu podemos amar assim, se nos jogarmos na obediencia ao amor!

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

O poder de Jesus é contra o raciocinio mundano

Jesus quer entrar em nossa vida, ele quer fazer parte do nosso quotidiano, quer acompanhar-nos em nossa missão aqui na terra, entrar em nossas casas para nos dar a certeza de que não estamos sozinhos e que ele pode fazer tudo por nós. Como curou tantos doentes e libertou muitos dos que estavam tomados pela força do mal, assim, quer também libertar-nos da escravidão do pecado, para restituir a todos a paz interior (Mc 1,29-39).

Não esqueçamos que ainda hoje e sempre, quer estar perto dos que sofrem, porque o desejo maior do seu coração é de nos dar vida nova. O encontro com os pobres, como Ele nos ensinou, não pode ser posto em segundo plano, para o Senhor Jesus sempre noi prioritario servir antes aqueles que mais necessitavam dele.

Ele passa por nós ainda hoje, e em todo momento, também neste exato momento, esta passando e estende a sua mão para curar nossas feridas, para nos reensinar a levantar a cabeça e redescobrir o gusto perfume de sua presença e do bem que nos quer.

O Encontro com o Pai, a oração constante, a oração do coração, é o unico caminho para chegar a viver a caridade para com nossos semelhantes, neste mundo frenetico onde o tempo corre assim tão veloz.
A sua missão é nossa missão. A missão de quem escolheu a Deus, como ideal e Senhor da propria vida.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

Onde poder encontrar o céu que estava ao alcance da alma

Jesus é a paz que queremos e que perdemos, estamos perdendo ou somos tentados a perder. O caminho a percorrer junto ao Senhor, mais que nunca se faz sempre mais dificil e complicado seguir uma vez que nos distanciamos, isto, porque somos sensiveis àquilo que esta logo ali, ao nosso alcance.

Com isto perdemos aqueles bons costumes de estar na companhia de Jesus. Na juventude éramos assim tão convictos que o Senhor era tudo para a nossa vida, não viviamos sem aquele encontro de oração que preenchia o nosso ser da presença do Senhor, aquelas amizades sadias que se construiam… com o tempo perdemos tudo. A culpa é antes de tudo nossa por correspondermos mais ao que está ao nosso alcance, por parecer que respondem mais que tudo e indiretamente até mesmo mais do que as coisas de Deus, àquelas exigências e necessidades que sentimos.

E assim, perdemos aquela paz! A paz que sempre quizemosAquela paz que sempre sempre desejamos, Aquelas pessoas que nos transmitiam tanto Deus, também se distanciaram. A grande ilusão que está sempre diante de nossos olhos é que nos completamos e nos realizamos e suplimos as nossas necessidades de todo tipo, quando seguimos o que nos dita o coração e o sentimento. E assim, esquecemos que perdemos o essencial: a Paz de Jesus.

Temos sempre tempo para retomar o passo, para voltar atraz como o fez aquele filho prodigo, mesmo se mais o tempo passa mais se faz dificil o retorno à Paz porque o tempo faz esquecer nao somente as coisas ruins mas faz esquecer tambem aquelas essenciais, mesmo se o Senhor nao nos faz esquecer as graças que um dia nos concedeu e nos atende com nosso coraçao humilde e sereno para continuar a trilhar seus caminhos.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

O projeto divino de nossa salvação

Este projeto divino nos ensina que a salvação é um ver, um escutar e um toccar a Palavra da vida (1 jo 1,1-3).

E un reconhecer o Senhor resuscitado eternamente vivo, o Messias e Senhor que introduz o homem na experiencia de Deus Pai, Filho e Espirito Santo.

O Antigo e Primeiro Testamento nos apresenta momentos e aspéctos da revelelação , nos chama a ter confiança, a confiar e a esperar na salvação. Esperar, como um tempo de esperança, naquela confiança que o Senhor mantém sua aliança de amor.

As dificuldades e sacrificios da vida aqui na terra, precisam ser inseridos neste projeto divino de sua aliança eterna. pela qual o homem se realizza quando glonfica ncondiciionalmente a Deus no que Ele fala e diz.

“Eu sou o Senhor teu Deus, fora de mim não existe salvação” (Is 43,43,11).

Esta espera confiante nos é apresentada e é quasi encarnada, nas pressoas que aparecem desde o inizio do Primeiro Testamento.
Deus age no mundo suscitando eventos e propostas novas, neutralizzando o mal e mostrando sempre mais a sua vontade e sua salvação.

São todos estes o motivo do nosso louvor, e da nossa fidelidade ao Senhor, vivendo nós por primeiro, dentro desta aliança. Somente assim, seremos um sinal de aliança nova, da Nova Aliança, que pode fazer de nós, testemunhas do Senhor Deus na terra.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

A alma que canta louvores esprime em teoria a alegria de estar em Deus

 Somente de uma alma que ama brota o louvor.

Este è como o correr das águas dos rios que nunca cessam em seu fervor de fazer derramar agua no mar. A alegria è o distintivo de quem ama e o distintivo de quem ama é o louvor, o cantar a Deus com o mesmo fervor das águas dos rios e dos mares.

A oraçao e a adoração levam a essa disponibilidade e amor para com Deus.
Deixe que seu coraçao transborde em louvor, deixe que Deus aja de uma tal maneira na sua vida ao ponto de fazer brotar o louvor espontaneamente.

O verdadeiro louvor è desinteressado e nao procura interlocutores a nao ser o proprio Senhor, a quem todo louvor è dado e todas as graças lhe são atribuídas pelo coraçao e pela alma, que generosamente reconhece que dele somente nasce o bem que brota de dentro de voce, como o mesmo louvor. Todo o resto, deve ser causa ou consequência desta atitude de adoração a Deus.

Até mesmo os mais belos e conhecidíssimos cantos de louvor, tem seus méritos somente em Deus. È por isso que nao pode-se atribuir a si o que è e vem de Deus, de seu coraçao, de sua magnanimidade. Todo louvor, toda açao e obra de louvor provém do coraçao de Deus e portanto nada è nosso. Tudo vem de Deus, e a ele tudo pertence.

Por que è o mesmo Espírito Santo que faz nascer todo o bem que manifestamos humanamente com a nossa linguagem, com nossas ações, com nossa vontade. Quando queremos tomar para nós o que é de Deus e faz propriedade nossa, recebemos ja o pagamento, a recompensa aqui na terra já, da nossa “obra de arte”. Saiba porém discernir, o que é e o que não vem do coração de Deus.

Quando se ouve dizer, este ou aquele louvor è meu… a vaidade ali, ja tomou posse. Musicos e verdadeiros louvadores, não os encontramos em qualquer lugar nem a toda hora pois sao ministros em ordem de batalha, nao sei deixam tomar pelo nosso “humano demais”.

Seja um servo como a palavra de Deus pede que voce seja, sejamos homens e mulheres que generosamente dão o que è de Deus e assim seremos autenticamente e em verdade ministros do Senhor.