Onde poder encontrar o céu que estava ao alcance da alma

Jesus é a paz que queremos e que perdemos, estamos perdendo ou somos tentados a perder. O caminho a percorrer junto ao Senhor, mais que nunca se faz sempre mais dificil e complicado seguir uma vez que nos distanciamos, isto, porque somos sensiveis àquilo que esta logo ali, ao nosso alcance.

Com isto perdemos aqueles bons costumes de estar na companhia de Jesus. Na juventude éramos assim tão convictos que o Senhor era tudo para a nossa vida, não viviamos sem aquele encontro de oração que preenchia o nosso ser da presença do Senhor, aquelas amizades sadias que se construiam… com o tempo perdemos tudo. A culpa é antes de tudo nossa por correspondermos mais ao que está ao nosso alcance, por parecer que respondem mais que tudo e indiretamente até mesmo mais do que as coisas de Deus, àquelas exigências e necessidades que sentimos.

E assim, perdemos aquela paz! A paz que sempre quizemosAquela paz que sempre sempre desejamos, Aquelas pessoas que nos transmitiam tanto Deus, também se distanciaram. A grande ilusão que está sempre diante de nossos olhos é que nos completamos e nos realizamos e suplimos as nossas necessidades de todo tipo, quando seguimos o que nos dita o coração e o sentimento. E assim, esquecemos que perdemos o essencial: a Paz de Jesus.

Temos sempre tempo para retomar o passo, para voltar atraz como o fez aquele filho prodigo, mesmo se mais o tempo passa mais se faz dificil o retorno à Paz porque o tempo faz esquecer nao somente as coisas ruins mas faz esquecer tambem aquelas essenciais, mesmo se o Senhor nao nos faz esquecer as graças que um dia nos concedeu e nos atende com nosso coraçao humilde e sereno para continuar a trilhar seus caminhos.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Não aceitemos uma fé morna nem sejamos meros adoradores

Você que ama a Igreja, ama obedecer a Deus e viver em obediência aos mandamentos, e em obediência a Santa Mãe Igreja? Faça sempre em modo que a sua vida seja o mais possivel unida ao Espírito Santo, sem deixar brexas para que o outro…, outros ou até mesmo você, possam interferir, pois o Espírito Santo faz novas todas as coisas, e o faz novo a cada instante se o deixar.

Invoque-o sempre e seja um guerriero! Um guerreiro para lutar contra estes tres inimigos, quando eles se apresentarem. Somente “ousando” no caminho da perfeição, em vista da santidade por meio da ajuda do Espirito, é que você pode chegar lá. Coragem!

Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis” (Romanos 8,26).

Não faça de sua vida de fé um sonho irrealizável, nem ame o que é de Deus somente com o sentimento, pois este, náo o ajuda bem, a chegar onde você tanto quer: o Céu!

“Porque assim diz o Senhor: Este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim” (Isaias 29,13).

“Viva”, “realize” a sua fé, clame todos os dias o Espirito Santo: em seu viver, em seu falar, em seu andar, em seu vestir, em olhar, em seu pensar, em seu relacionar-se com as pessoas, sem julga-las, em sua generosidade, em sua misericórdia, em suas orações, em sua compreensão e assim por diante.
Para isso, precisa dedicar se o faz ainda só na vontade e não o realiza, algum tempo do seu dia antes que este termine. Escolha uma hora em sua casa mesmo, se não for possivel estar diante do Senhor, para adora-lo, para clamar o Espirito Santo, para louvar, e para escutar sua Palavra, tendo-a ali juntinho de você.

Não fique só na vontade, nem ame a Deus só de palavra e de vontade. Lute contra o seu golias e viva de fé, viva à presença do Espirito Santo.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

 

A covardia do ego fecha sempre os caminhos da paz interior

Jesus disse: “Vos deixo a paz, vos dos a minha paz, não como aquela que o mundo oferece eu vos dou, não seja perturbado vosssos corações e não se amedrontem” (Jo 14,27).

A paz da alma é um tesoro inestimável sempre mais raro entre os homens e mulheres modernos, o mundo no qual se vive hoje tornou-se artificial, disarmonioso, superficial, materialista, consumista, egoista.

É o mundo do “aparecer” e não mais do “ser”, da pressa e não da espera tenaz e paciente, do successo imediato e obitido, sacrificando o correto e a honestidade…

A paz da alma é uma arte espiritual a ser ainda conhecida.

A beberei e a saborearei até o fim, e nunca me completará porque esta é infinita; é graça divina, não alcansada facilmente pelo homem “material”, “mundano”, leigo ou religioso que seja.
Percebo sempre mais o “no sense” intenso, do vazio, do absurdo e do interesse puramente humano e pessoal presentes na prioridade de tantos irmãos e irmãs. A paz não passa por aqui! encontre-a e encha-se de paz e bem.

Não carreguem nos ombros, frustrações, angustias, ansias, nervosismos, depressões… estes, estão sempre mais em aumento. A solução esiste: ir a Deus ou voltar a Deus, fazendo do Filho Jesus a fonte da paz da propria alma, que ao fim encontra-se com a paz e com o Bem. O contrario é falta de Deus.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Seu Irmao, Padre Antonio Lima.

Batizados e consagrados pelo mesmo sacramento

Pelo Batismo somos novas novas criaturas e participamos da vida de graça que o Sacramento do Batismo nos introduz, e assim, somos um povo de consagrados.

Somos de Cristo, e a ele pertencemos. Nascemos e vivemos com uma vocaçao, isto é, um chamado a sermos propriedade sua. Pertencemos a ele e o mal não nos atinge porque ele está presente na sua Igreja e quer que sejamos todos uma so familia.

Os Apóstolos deram provas da presença do Senhor Jesus na Igreja, após a ressurreição: Em seu nome faziam muitos milagres e sinais sensiveis de sua presença aconteciam.

Isto é ser consagrados: fazemos parte de uma mesma Igreja, e somos em Cristo irmãos e irmãs, cada um, exercendo o carisma que lhe foi dado, como fala S. Paulo na carta aos Corintios.

A vida de Nossa Senhora, seu testemunho e sua differença, fez della “A Mãe”, o espelho todos, consagrados ao Reino pelo Sacramento do Batismo único e irrepetivel.

Precisamos tomar posse dessa graça.
Precisamos tomar posse e sermos diferentes.
Precisamos fazer a diferença, por sermos de Cristo.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

 

Resistir em Deus na hora da provação

Foram essas as palavras de Jesus em um dos tantos dias de convivência com os Apóstolos.
O que contradiz a fé e a coloca em contraposição não é tanto a incredulidade mas o medo. “Porque são assim tão medrosos?” Porque não vivem de fé?”

Crer e ter fé, na linguagem biblica denota a idea da segurança, da solidez, da estabilidade e da firmeza. Em outras palavras, seria o apoiar-se em alguém de quem sentir-se seguros. A fé é uma realidade que provém de Deus, é força para resistir na hora da provação.

Quem crê de verdade não teme, na hora de amedrontar-se, confia, pois é certo de que NADA o separará do amor de Cristo.

Homens de pouca fé, porque têm assim tanto medo? E levantandose, repreendeu o vento e as ondas; a tempestade abrandou e tudo ficou calmo!” (Mt 8,26-29).

Mesmo diante do mal, da morte, e da desgraça, que chegam, nao teme o homem e a mulher de fé e enfrenta! e vence! E’ hora de nos convencemos que a fé não é um “crer a” mas um por toda a nossa confiança em uma pessoa: Jesus.

O que significa para voce confiar em Deus? Qual é o medo que o domina, que domina a sua vida e que quase a paralisa?

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

O projeto divino de nossa salvação

Este projeto divino nos ensina que a salvação é um ver, um escutar e um toccar a Palavra da vida (1 jo 1,1-3).

E un reconhecer o Senhor resuscitado eternamente vivo, o Messias e Senhor que introduz o homem na experiencia de Deus Pai, Filho e Espirito Santo.

O Antigo e Primeiro Testamento nos apresenta momentos e aspéctos da revelelação , nos chama a ter confiança, a confiar e a esperar na salvação. Esperar, como um tempo de esperança, naquela confiança que o Senhor mantém sua aliança de amor.

As dificuldades e sacrificios da vida aqui na terra, precisam ser inseridos neste projeto divino de sua aliança eterna. pela qual o homem se realizza quando glonfica ncondiciionalmente a Deus no que Ele fala e diz.

“Eu sou o Senhor teu Deus, fora de mim não existe salvação” (Is 43,43,11).

Esta espera confiante nos é apresentada e é quasi encarnada, nas pressoas que aparecem desde o inizio do Primeiro Testamento.
Deus age no mundo suscitando eventos e propostas novas, neutralizzando o mal e mostrando sempre mais a sua vontade e sua salvação.

São todos estes o motivo do nosso louvor, e da nossa fidelidade ao Senhor, vivendo nós por primeiro, dentro desta aliança. Somente assim, seremos um sinal de aliança nova, da Nova Aliança, que pode fazer de nós, testemunhas do Senhor Deus na terra.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Necessitamos do Reino de Jesus

Quando éramos pequenos nossos pais nos ensinavam que entre irmãos precisava estar sempre unidos e o que era de um, era também de todos, e assim crescemos com esta mentalidade boa vivida em familia.

A generosidade e a partilha são ensinamentos que tem sua origem na Palavra de Deus.

Jesus ensinava a viver com generosidade e gratuidade, pois estas são os sinais sensives onde o amor se manifesta em nossa vida. E aqui que chamamos de “testemunho cristão. De fato, diz Jesus,

“Dai e vos será dado” (Lc 6,38).

O Espirito Santo de Deus nos orienta interiormente, que não podemos, eu por primeiro, como cristãos, viver uma vida baseada no egoismo e no fechamento.

Hoje em dia somos muito sensiveis quando vemos alguém que está sofrendo com doença grave, por um pai ou uma Mãe que não tem o que dar aos filhos para comer, e corremos, e apelamos aos vizinhos para fazer algo junto por aquela familia, quando vemos um cego sem direção, quando vemos alguém caida na rua e assim por diante.

Precisamos aprender um outro lado da generosidade e da partillha que geralmente o nosso ego faz esquecer:

Quero dizer do amor vivido também lá, onde as situações não são gritantes. E o amor ao próximo nos pequenas coisas, nos pequenos atos de generosidade, nas pequenas partilhas.

O amor vem de Deus e o amor é Deus, diz a Palavra de Deus.

“Deus nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê.
Temos de Deus este mandamento: o que amar a Deus, ame também a seu irmão.Todo o que crê que Jesus é o Cristo, nasceu de Deus; e todo o que ama aquele que o gerou, ama também aquele que dele foi gerado. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: se amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Eis o amor de Deus: que guardemos seus mandamentos. E seus mandamentos não são penosos, porque todo o que nasceu de Deus vence o mundo. E esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (1 Jo 4,19- 5,4).

Amar, é uma necessidade da nossa alma para a nossa própria salvação. Amar é servir, é escutar, é visitar alguém que esta sozinho ou que vive sozinho, é encontar um amigo, é por-se a disposição para aconselhar, para orientar, para ” dar”  o que o próximo necessita materialmente, estando em nossas condições.

Sem mesquinhes nem mentiras, pois não poucas vezes escutamos alguem que nos pede algo ou sem pedir mesmo, sabemos de sua necessidade e o bate aquele pensamento egoistico e racional… Como é dificil por a mão no bolso não é meus amigos, ate mesmo para amar! não é mesmo? Em suma, amar é servir sem julgar.

E aqui, precisamos realmente tomar muito, mas muito cuidado mesmo! Pois o inimigo está sempre querendo nos sugerir mais o “julgamento” do que o “ dar ”, para não obedecermos aos ensinamentos do Senhor Jesus. E ele, sabemos, é o pai da codardia.

O grande obstáculo ao amor ao próximo é o julgamento. Tomemos cuidado. “Dai e vos será dado” (Lc 6,38).

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

 

A esperiência renovadora do primeiro amor

Voltar à esperiência do primeiro amor significa redescobrir definitivamente Jesus Cristo e sua importãncia para a nossa vida. Como? Deixar-se envolver mais uma vez de sua pessoa. Não existe nada de mais simples do que isso e ao mesmo tempo exigente.

Recomeçar em Cristo é re-encontrar aquile primeiro amor que um dia nos fez apaixonar por ele, pela igreja, pelo poder da oração, por nossa Comunidade de oração e por ai vai. Lembra?

Em outras palavras, lembre aquela “faisca” inspiradora, de onde iniciou o seu seguimento de Jesus.

Pois, é de Deus a primazia do amor. Seguir os passos do Filho é semente um corresponder com amor ao amor infinito do Pai. Se voce o ama e se um dia se apaixonou por Jesus é por que ele antes lhe amou infinitamente por primeiro (1Jo 4,10,19).

O ponto de partita será sempre a propria pessoa de Jesus, e para que seja madura e cosciente e nunca mais inocente… o recomeço não deve dar espaço a subterfúgios nel concessões.

Não se tratta de imitar semente a Cristo, ben sim, de uma “identificação profunda com ele, partindo do amor (caridade), da perseverança e da humildade viscerais, que preenchem todos os espaços do nosso viver de todos os dias, desde quando acordamos à alba do primeiro brillo do sol.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

O Espírito Santo e a simplicidade

O que vem do Espirito Santo de Deus, ou é simples ou do contrário é “humano demais”.

Eu estava lendo nestes dias que as coisas de Deus são simples, elas não são somente humanas ou somente divinas, elas são, segundo a vontade de Deus, ou segundo sua permissão; entram em uma única categoria: tudo o que é de Deus, (e portanto, cada um de nos), é umano e divino ao mesmo tempo. É Assim que o grande Teologo de todos os tempos da Igreja, se expressa em sua “Summa Teologica”, S. Tomas de Aquino.

Onde então o Espirito Santo de Deus age, age sempre na simplicidade, pessoalmente acredito sempre que o que tem cheiro de simplicidade, posso confiar que entra nesta categoria do “humano-divino”.

Veja, a vida e as obras de Francisco de Assis, e Clara, era assim tão simples que manifestava-se em suas vidas, nas vestes, da mais extrema pobreza. Ele pregava, com simplicidade e na simplicidade; pregava até mesmo para a natureza, falava com os animais, com as aves, com as plantas, vestia com extrema simplicidade uma túnica feita de tre buracos: um para a cabeça, e dos para os braços.

Porque estas pessoas ficaram na história e ficarão, eles que não tinham todos os meios que hoje temos para falar, para pregar, para expressar a nossa fé e nosso amor por Deus? E porque tantos outros não santos, referencia em seus tempos, não permaneceram como ponto de referencia da fé até os nossos dias de hoje? Não são perguntas inquietantes?

Encontro em S. Teresa de Jesus uma resposta a tantos pensamentos e tantos propósitos de vida dos Santos: Tudo passa, Deus, Deus “somente”, (com toda a forma de significado desta palavra “SOMENTE”) permanece, o resto passa.

O Espirito Santo que sara toda ferida, e que faz novas todas as coisas possar fazer voce e eu entendermos a cada dia mais a nobre de tudo o que é humano e divino ao mesmo tempo!

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima

 

 

Refletindo bem sobre os primeiros chamados e o seguimento dos primeiros Discipulos de Jesus

Me surpreende muito a resposta dos Discipulos ao Senhor.

Encontravam o Senhor e se abriam a graça do convite do Espirito Santo a Segui-lo. Jesus chamava pessoalmente e com suas palavras, mostrando o caminho a seguir. Ele é a o caminho, é a verdade, a vida!

A resposta de todo homem ao Senhor é aceitar e acolher na liberdade de escolha. O Senhor nos criou livres.
O chamado de Jesus, é algo que acontece na vida de fé, que envolve o mistério mais profundo do nosso ser: A grande sede do homem chama-se sede de infinito. Do que não passa. Quem não passa é somente Deus!
Eis porque não podemos confundir o seguir Jesus, viver em sua vontade, com o viver a nossa vontade e desejos passageiros.

Tudo precisa ter esta base: a Sua vontade! Assim nenhuma tempestade… ou melhor dificuldade de algum tipo… vivendo assim, pode abalar a fé ou fazer-nos distanciar: nem coisas, nem situações…, nem pessoas.

Com os olhos elevados ao céu, e confiantes na intercessão da Mãe, continuamos com nosso SIM ao Senhor, como ela mesma nos ensina com sua vida a dizer sempre “Estou aqui”. Como o fizeram os apostolos, e os discipulos do Senhor.

O Senhor te abençoe e te guarde!
Padre Antonio Lima.