«

»

nov
08

As faces da Fé

Nada te perturbe nada te espante tudo passa!  Só Deus não muda. A paciência, por fim, tudo alcança. Quem a Deus tem nada lhe falta, pois só Deus basta.

Escrito há 500 anos, essa poesia de Santa Teresa de Jesus continua a ensinar o essencial: Só Deus basta! Mas, o que isso significa concretamente?

Vivemos sobressaltados, preocupados. Inquietos, passamos o dia tentando resolver mil coisas. Ansiosos, não conseguimos dormir bem. Preocupados, acabamos por meter os pés pelas mãos no desejo de evitar que aconteça o que nós consideramos “o pior”. Estressados, acabamos por nos irritar contra tudo e todos. Gritamos no trânsito, gritamos em casa, desmoronamos de cansaço.

O problema está, entre outras coisas, em achar que sabemos o que é o “melhor”  e o “pior” para nós. Uma vez estabelecido o que nos convém ou não, tomamos as rédeas para determinar o que consideramos “melhor”. Ocorre que tudo passa e o que ontem nos parecia “o melhor”, hoje é, visivelmente, “o pior”.

A raiz da inquietação, estresse, preocupação e ansiedade que aos poucos nos matam, contudo, reside além do fato de tudo passar, reside na fé.

Há a fé  que acredita em Deus e reza contrita, o “Creio em Deus Pai”. Acreditar desse jeito, afirma São Tiago, até os demônios crêem e tremem. Nós, até cremos, quanto a tremer…

Há aquela “fé” que pede a Deus o que acha “necessário”, “imprescindível”,  “melhor” e fica ressentida com Deus se ele não atende seu pedido por mais que peça através de todos os meios – diga-se de passagem, nem sempre lícitos. É a fé infantil, diria, até, “birrenta”. Essa fé, “contrariada”, muda de igreja quando não é atendida, assim como criança birrenta põe cara feia e diz aos pais que não é mais filho deles.

Há a fé  madura, que crê no Evangelho e na Igreja e vive seus ensinamentos, custe o que custar. É a fé dos santos.

Há a fé  que confia em Deus e a ele se entrega inteiramente, tranqüilo, pois sabe que ele é Pai e sempre providencia o melhor para nós. E, para Deus, o melhor para nós é a santidade.

É essa fé madura e inteiramente confiante no amor de Deus que não se perturba com nada. Sabe ser fiel a Deus e ao Evangelho na penúria e na fartura, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença.

Essa fé madura e confiante que é amada por Deus, não se espanta com nada. Nada a escandaliza, ainda que seja grande tristeza. Seus olhos não estão aqui na terra, mas fixos no céu. Sabe que, aqui na terra, tudo passa tudo muda. Sabe que tudo pode nos enganar e iludir. Sabe, sobretudo, que Só Deus é o mesmo sempre. Só Deus não muda. Só o amor de Deus é sempre o mesmo, pois ele é amor em ato. Essa fé não vive para a terra nem valoriza o que à terra pertence. Vive para o céu, usando as coisas da terra para alcançá-lo.

Por isso nada te perturbes seja fiel, e com os olhos fixos no essencial que é o Céu!

Deus abençoe! Kenedy Silva

Link permanente para este artigo: https://blog.cancaonova.com/padrebruno/2011/11/08/as-face-da-fe/

1 comentário

2 menções

  1. ANA MARIA disse:

    AS VEZES TEMOS OS TRES TIPOS DE FÉ.MAS QUE DEIXEMOS PREVALECER A MADURA E CONFIEMOS QUE DEUS É NOSSO PAI E CUIDA DE NÓS .E COM ESTA FÉ BUSQUEMOS A SANTIDADE PR UM DIA ESTARMOS C ELE NA MORADA ETERNA.

  1. Pe Bruno Canção Nova disse:

    RT @PadreBrunocn: As face da Fé # http://t.co/vifc8w7f

  2. Laurinete Costa disse:

    RT @PadreBrunocn: As faces da Fé # http://t.co/SGAYpKZ0

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>