«

»

jan
04

Comentário ao filme FATIMA

FATIMA é um fascinante filme de Frabricio Costa, que relata a impressionante história das aparições de nossa senhora em Fátima, Portugal, aos três pastorinhos Lúcia, Jacinta e Francisco; seu gênero é estórico-religioso com produção da Itália/Portugal e foi estreado no dia 13 de Outubro de 1997.

Ao assisti-lo, naqueles cento e cinco minutos, fiquei completamente envolvido pela sua mística. Não é por menos, o filme é baseado em uma história real, relatada nos escritos de irmã Lúcia e da historiografia de Portugal e, também foi acompanhado por responsáveis pelo Santuário.

Realizado em terras portuguesas e com um leque de atores onde se destacam os nomes de Catarina Furtado, Diogo Infante, Randi Ingerman e Joaquim de Almeida. O autor, cineasta Frabício Costa, também é autor de outras obras histórico-religiosas importantes como: Maria filha do seu filho (1999), Madre Teresa (2003), Clara e Francisco (2007) e Paulo VI (2008).

O filme, contribui para o conhecimento histórico e desperta o público para reflexão de temas como: a fé, a religiosidade popular, liberdade religiosa e lutas sociais; é também uma denúncia ao sistema politico opressor, ao desrespeito ao ser humano, à intolerância religiosa e uma análise das relações familiares; destaca também a força do jornalismo social e a luta pelos direitos da mulher.

Vemos que é um bom filme para os grupos de catequese, cinema paroquial e para as famílias; nele história, fé e arte são inseparáveis. É sensacional para quem é devoto de nossa senhora e também para quem não é, queira você também assisti-lo, experimente essa explosão de arte e fé.

……..

Janeiro, 2009.

………..

Link permanente para este artigo: https://blog.cancaonova.com/padregeraldinho/2010/01/04/comentario-ao-filme-fatima/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>