21. abril 2008 · 6 comments · Categories: Artigos

Neste final de semana, em Barretos, estive meditando sobre a “prece” mais conhecida e bela que alguém já rezou, o pai-nosso, a oração que Jesus nos ensinou. Percebi que muitos segredos de salvação estão contidos nesta prece e começam com a letra “P”. Não que isso seja muito importante ou que esconda grandes segredos. Mas pode ser uma forma “prática” de gravar algumas lições que o Mestre de Nazaré nos deixou. A primeira parte fala do “Pai”, que é nosso, e a segunda parte fala do “pão”, que também é nosso. Uma parte aponta para o “paraíso” e a outra para a “planície”, ou seja, para a nossa terra, ou se preferir, com “p”, nosso “planeta”. Contei sete “pês” na oração do pai-nosso. Certamente uma leitura atenta vai encontrar muito mais. Deixo isso para a sua criatividade. Veja os que encontrei.

1. PAI – “Pai nosso…” Ao rezar esta oração partimos da certeza de que Deus é mais do que uma personalidade famosa, importante e distante. Ele é “Pai”, mora conosco e gosta de nos pegar no colo.

2. PARAÍSO – “…que estais no céu”  O paraíso pode parecer um lugar distante, mas na verdade habita dentro do nosso coração. Deus plantou em nós uma semente de esperança. Podemos e devemos esperar contra toda esperança. Buscamos as coisas do alto, do céu, do paraíso. Temos certeza de que caminhamos para uma dimensão eterna. Por isso somos felizes mesmo na dor e no sofrimento.

3. PRECE – “…santificado seja o vosso nome” Santificar o nome de Deus é louvá-lo com palavras e gestos. Somos gente que reza, que conversa com Deus. Ele é o nosso pastor e não nos deixa faltar nada. Jesus nos ensinou a rezar sempre. Pedimos, louvamos, adoramos, meditamos, conversamos com nosso Pai do Paraíso com a intimidade de filhos e filhas.

4. PREPARAR-SE “venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu” Não basta rezar. É preciso agir. Precisamos fazer a nossa parte e apressar o Reino do Amor, da justiça do perdão e da solidariedade. Deus fez o mundo em seis dias, descansou no sétimo e no oitavo nos deixou a tarefa de completar a obra da criação com nosso trabalho. Somos colaboradores de Deus nesta obra de cuidar da criação. Uma das formas de nos prepararmos é a “promoção” humana, principalmente para os “pobres”, “pequenos”, pecadores”, para todo o “povo de Deus”.

5. PÃO – “o pão nosso de cada dia nos dai hoje” Jesus inaugurou uma religião que não despreza a matéria. O Pai é nosso, mas o pão também é! Por isso lutamos para que ninguém tenha fome. Nosso Deus permanece conosco presente em uma migalha de pão, a Eucaristia. Valorizamos o corpo, a saúde, o lazer, a alimentação saudável, os exercícios físicos. Cuidar das coisas materiais é também uma forma de ser santo.

6. PERDÃO – “…perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido…” Uma as grandes lições que Jesus nos deixou é o perdão. Antes dele se falava de “olho por olho e dente por dente”. Isso gerava o círculo vicioso da vingança e da violência. Quem ama perdoa e quebra esta maldição. O perdão inaugura o círculo virtuoso da paz.

7. PAZ – “e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal” O último “pê” é a grande busca da humanidade em toda a sua história: a paz! Ela não é apenas ausência de guerras e conflitos. É presença  de comunhão e solidariedade de todos com Deus, de cada um com seu próximo e também com a natureza. Hoje precisamos tanto fazer as pazes com as florestas e com os animais. A paz é até mesmo harmonia consigo mesmo. Precisamos de paz interior.

Se você tiver alguma sugestão para este artigo, fique a vontade e faça seu comentário, quem sabe não me empolgo e faço desta idéia tão simples um livro. Desde já, muito obrigado.

6 Comentários

  1. Simone Teixeira

    Para pronunciarmos a palavra PAI em prece, precisamos primeiro partilhar o pão, pedir perdão, perdoar… Porque o paraíso, a paz provêm principalmente da prática que permite perceber a presença do Pai-Pastor no profundo do povo.
    Pai do povo, partilha do pão, promessa, procura, presente, presença, paciência, provação, pedidos, participação, perseverança, processo, purificação, paz, perdão, ponte, passos, passagem, paraíso… tudo parte da premissa de que Deus é Pai-Nosso e permanece conosco no Filho, Palavra que se fez Pão.
    Grande abraço,

    Simone.

  2. Simone Teixeira

    Pensei melhor e achei que não tinha conseguido que fizesse sentido. Vê se fica melhor assim?

    Para pronunciarmos a palavra PAI em prece, precisamos primeiro partilhar o pão, pedir perdão, perdoar… Porque o paraíso, a paz e o perdão provêm principalmente da prática que permite perceber o Pai presente no povo pobre, pequeno, perdido, pecador. Para preparar seu povo, o Pai se torna pastor que procura e protege profundamente.
    Pai do povo, partilha do pão, procura permanente, presente, promessa, presença plena. Preparar-se exige passar com paciência, pela provação, com participação, perseverança num processo de purificação. Pedir paz, perdão, fazer-se ponte, dar passos, enfrentar a passagem para o paraíso… tudo parte da premissa de que Deus é Pai-Nosso e permanece conosco no Filho, Palavra que se faz Pão, Pão que também é nosso.

  3. Simone Teixeira

    O seu livro “O Pai-Nosso tim tim por tim tim” já é tão lindo e esclarecedor! Por que você não escreve sobre o “S” do SIM de Maria?

    Silêncio,
    Saudação,
    Surpresa,
    Simplicidade,
    Serenidade,
    SIM,
    Serva,
    Solidariedade,
    Serviço,
    Santidade,
    Superação,
    Sacrifício,
    Sofrimento,
    Saudade,
    Salvação,
    Sepulcro,
    Segredo,
    Sagrado,
    Santíssimo,
    Senhor.

    Salve Rainha,
    Senhora Nossa!

    Abraço grande,

    Simone.

  4. Claudia de Freitas Gomes

    Padre,
    Sinceramente abri esse artigo para comentar algo como pequena sugestão, embora estivesse ao meu ver mais do que completo seu artigo…mas ao ler o que sua assídua leitora e “comentarista”, Simone escreveu…me reservo a simplesmente, ler e guardar no coração!
    Parabéns, Simone! Parabéns padre!
    Perfeito!
    Abraços!

  5. Muito bom! Enquanto eu lia esse maravilhoso artigo e também os comentários, o Espírito Santo me recordava que na infância brincávamos muito da língua do “P” vocês também devem lembrar disso! Colocávamos um “P” antes de cada PALAVRA para que as PESSOAS não entendessem muito bem o que estávamos falando. Será que nessa brincadeira simples de criança cheia de PUREZA, a PUREZA que Jesus nos PEDE para que POSSAMOS entrar no reino do PAI, não se esconde um POUCO da sede que existe dentro de cada um de nós do “P”, do PAI NOSSO que trazemos desde o ventre MATERNO com “M” de Mãe, de Maria? Acho que SIM com “S”.

    Esse é o nosso Deus, que com o seu Espírito Santo nos alegra e nos faz brincar como crianças na língua dos anjos.

    A PAZ do PAI!

  6. Querido Padre Joãozinho,

    Já estou contando com este livro, alegre, divertido, intrutivo e formador.
    Parabéns! à Simone também, com a sua criatividade.

    Um Abraço em “Cristo Inspiração” dos homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.