O dia hoje no 22º Capítulo Geral é de debate sobre os relatórios e considerações feitos pela Equipe Econômica ontem. Em nosso grupo percebemos claramente que a autonomia de algumas províncias anciãs caminha rapidamente para a dependência, pela mudança no quadro religioso do velho mundo. Ao contrário o novo mundo, especialmente África e Ásia, não têm perspectivas de alcançar a sonhada autonomia. Diminuem os missionários estrangeiros (que buscavam recursos) e isso torna o quadro ainda mais instável. Podemos chegar a um ponto crítico de falta de autonomia da Congregação como um todo o que inviabilizaria nossa missão. No outro ponto da corda, cresce uma certa mentalidade de autonomia (autosuficiência) financeira pessoal, bem ao gosto da cultura pós-moderna. É preciso reagir a esta contradição já na formação inicial. Mas como? Eis a questão.