Neste Capítulo Geral estamos vivendo uma realidade muito próxima aquela de Pentecostes. Há gente de tudo que é cor, lingua, povo e nação. Na primeira semana fizemos grupos linguísticos. Neste segunda semana tudo foi misturado. Deu certo graças à dinâmica de interatividade aplicada. A palavra mais repetida esta semana foi cultura da INTERNACIONALIDADE. Parece que esta espécie de globalização cultural veio pra ficar. Falou-se até de “vocações internacionais”. Um brasileiro imigrante faz caminho vocacional na França. Apesar disso, nosso refeitório ainda mantêm a tendência de grupos de afinidade cultural e linguística. Isto se verificou fortemente também nas votações. Ainda não somos tão internacionais assim. Alguém até denunciou um certo “tribalismo”. O Espírito Santo ainda terá muito trabalho até que se verifique a sonhada comunhão internacional em nível de congregação.