A décima segunda das doze invocações de Maria como “Rainha” saúda a Mãe de Deus como “Rainha da Paz”, em latim Regina Pacis. Não poderia ser diferente, já que ela é a mãe do “príncipe da paz” (cf. Is 9,5).

Ela experimentou na própria carne a violência que o pecado provoca no mundo. Quando apresentou seu filho no tempo ouviu a profecia do velho Simeão: “Este menino será causa de queda e de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição e a ti, uma espada traspassará tua alma! — e assim serão revelados os pensamentos de muitos corações” (Lc 2,34-35). Esta espada tocou o fundo da alma de Maria no momento em que viu seu filho na cruz. Não é difícil imaginar sua dor no momento em que recebeu no colo seu filho já sem vida. Mas qual teria sido a sua reação? Desespero? Com certeza que não! Foi de uma dolorosa serenidade.

A genialidade de Michelangelo Buonarroti – artista do renascimento italiano – soube representar esta atitude na clássica imagem da Pietà. O que chama a atenção para quem observa bem esta escultura, conservada no Vaticano, é que o rosto não tem nada a ver com uma mulher de quarenta e cinco anos. Parece mais uma menina de 16 anos. Isto contrastou com o gênero próprio da época que costumava retratar a dor de Jesus e de Maria com cores bastante fortes e expressivas da crueldade. Michelangelo mostrou com sua arte que, mesmo na dor maior, Maria permaneceu sendo Rainha da Paz.

            Por meio de Maria recebemos a Paz que nossos primeiros pais perderam no início da criação por causa do pecado. Santo Irineu dizia que o nó da desobediência de Eva foi desfeita pela obediência de Maria. Se o salário do pecado foi a dor, a violência e a morte, por meio do sim de Maria chegou até nós, em Jesus, a salvação e a paz.

            A imagem do Apocalipse retrata bastante bem a Rainha da Paz: “Então apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida com o sol, tendo a lua debaixo dos pés e, sobre a cabeça, uma coroa de doze estrelas. Estava grávida e gritava em dores de parto, atormentada para dar à luz. Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, avermelhado como fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete diademas. Com a cauda, varreu a terça parte das estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que ela o desse à luz. E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as nações com cetro de ferro. Mas o filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. A mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar, para que aí fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.” (Ap 12, 1-6). Estas imagens fortes mostram que nossa vida é um combate espiritual. Maria e a Igreja se confundem na figura desta “mulher do apocalipse”. Na verdade Maria é um ícone no qual vemos a própria imagem da nossa humanidade redimida e da Igreja que busca vencer com a força do Espírito.

A devoção recente à Nossa Senhora Rainha da Paz parece ter sua origem em 1085, na cidade de Toledo, libertada das mãos dos Mouros. Vivemos, hoje, em um mundo muito violento. A segurança é um dos maiores desejos de nossas famílias. Toda criança sabe muito bem onde encontrará um refúgio seguro: no colo da mãe. Ao invocarmos Maria como “Rainha da Paz”, na verdade pedimos seu colo, intercessão e exemplo. Aquela que viveu até o drama da morte do seu filho sem perder a paz vai nos ensinar o caminho para garantir paz entre marido e mulher, entre jovens e idosos, paz na ruas e praças, paz nas cidades e nos campos.

Se o seu coração anda agitado e impaciente; se o stress tomou conta de seus dias e de suas noites, peça a intercessão da mãe: Rainha da Paz, rogai por nós!

14 Comentários

  1. Maria Inês

    Padre Joãozinho,

    …estava na Missa hoje de manhã, veio uma idéia: pedir ao senhor trazer aqui para o Blog, um post sobre a nova Encíclica de Bento XVI
    “Encíclica Caritas in Veritate” que esta no coração da doutrina social da Igreja.

    “Com a intercessão da mãe: Rainha da Paz,rogai por nós!”
    Maria Inês

  2. ana valeska

    “Toda criança sabe muito bem onde encontrará um refúgio seguro: no colo da mãe. Ao invocarmos Maria como “Rainha da Paz”, na verdade pedimos seu colo, intercessão e exemplo. Aquela que viveu até o drama da morte do seu filho sem perder a paz vai nos ensinar o caminho para garantir paz entre marido e mulher, entre jovens e idosos, paz na ruas e praças, paz nas cidades e nos campos.”

    Bom dia Pe. João Almeida, esse trecho me faz recorda a intercesão da nossa MÃE RAINHA quando Bianca minha sobrinha se afogou, já relatei aqui posts anteriores.E me sinto feliz o carinho que Bianca tem com a maezinha do céu…hehehhhe
    um abraço fraterno!!!
    ANA VALEKSA – FORTALEZA

  3. ana valeska

    Pe. Joãozinho…bom dia!!!

    Eu se possível gostaria de tirar uma dúvida ou quem puder me responder!
    Uma canção evangélica virou uma febre em nossos meios ano passado e até hoje.Eu tbm cantava.Sei que na ética da igreja católica as músicas são analisadas por uma autoridade (da igreja) para ter autorização de acordo com a normas(se é assim que se diz)dos evangelhos e da doutrina cristã.
    Um refrão da música diz:

    “Entra na minha casa, entra na minha vida
    Mexe com minha estrutura, sara todas as feridas
    Me ensina a ter santidade,
    QUERO AMAR SOMENTE A TI (é aí minha dúvida)
    Teu amor é meu bem maior
    Faz um milagre em mim”

    Minha dúvida: QUERO AMAR SOMENTE A TI
    Claro em primeiro amamos a Deuse e o nosso irmão?
    Pe. pode até ser que eu ñ tenha compreendido a música e a mensagem…mas estou confusa!

    Um abraço fraterno a todos!
    ANA VALESKA – FORTALEZA

  4. Sua benção Padre Joãozinho,
    aqui na Grande Florianópolis e São José – SC, temos alguns Grupos de Oração da RCC, que levam esse nome, dado a Maria.
    Esse título realmente merece uma atenção e invocação toda especial, visto necessitarmos mais do que nunca, da Paz e da nossa amada Rainha Paz.
    Amei essa sua inspirada reflexão…
    Conte, sempre com minhas orações, ou melhor, com as orações de todo o nosso povo do sul, e é claro do Brasil inteiro.
    Pedimos também vossas orações…

    Forte abraço,
    Equipe Cultivando Corações Homenagens ao Vivo
    Tânia Fraga
    José A. Paganini
    Paróquia Nossa Senhora do Rosário
    RCC de São José – Arquidiocese de Florianópolis – SC
    email: locutorpaganini@yahoo.com.br
    msn: locutorpaganini@hotmail.com
    skype: locutor.paganini
    orkut: Locutor Paganini
    Sites: http://profiles.yahoo.com/locutorpaganini
    http://www.locutores.com.br/locutorpaganini
    Blog:. http://locutorpaganini.blogspot.com
    http://cultivandocoracoes.blogspot.com

  5. salene leite

    Sua benção Pe.Joãozinho,acessar seu blog diariamente tornou-se um lugar de refúgio, onde sempre encontro as palavras certas, de conforto, de sabedoria,de conhecimento, enfim, venho beber da água do seu sacerdócio,tão profundo…estou em casa de licença médica, e a melhor forma de espantar a solidão é orando e lendo suas palavras constantes de sabedoria.Obrigada.DEUS O ABENÇOE SEMPRE.

  6. RAINHA DA PAZ, ROGAI POR MINHA FAMÍLIA…AJUDA-NOS A ALIVIAR O PESO DAS NOSSAS PROVAÇÕES E ADMINISTRAR MELHOR O STRESS.ROGAI POR MEUS AMIGOS E COLEGAS DE TRABALHO PARA QUE DIMINUAM O RITMO,AJUDA-NOS A RETIRAR A OBRIGAÇÃO DE SERMOS PERFEITOS, DE DARMOS CONTA DE TUDO…
    QUE NOSSA PAZ DO NOSSO CORAÇÃO NÃO ESTEJA NA COLEÇÃO DE DIPLOMAS, DE CARGOS, DE NEGÓCIOS BEM FEITOS…
    TE PEÇO A GRAÇA DE SER MAIS “SIMPLES” EM TODOS OS SETORES DE MINHA VIDA…
    RAINHA DA PAZ, ROGAI POR NÓS!

  7. Elaine Mendes

    Realmente vivemos um combate espiritual tremendo.

    Confesso que fico assustada com minhas fraquezas e às vezes penso que aqueles que buscam intimidade com Deus são os mais fracos e incapacitados. Não gostaria de me comparar com ninguém, mas às vezes percebo em pessoas que não ligam para a religião uma força e um destemor tão grande para aquilo que elas se propõem enquanto que eu, mesmo sendo tão religiosa, me considero tão morna, tão medíocre.

    Fico feliz pelo Pe. Fábio e pelo sr. por serem exemplos de perseverança, inteligência e equilíbrio. Vocês passam para nós que vale a pena realmente ser um católico sério, que podemos realizar grandes coisas, que podemos ser grandes homens e mulheres. Se eu ainda não sou uma mulher plenamente realizada, o problema está em mim e não com minha religião, sei que ela tem tudo para me tornar uma mulher plena e se eu não sou é porque estou bobiando ou dormindo no combate espiritual que vivemos.

    Sim, peço muito a intercessão de Maria para ser como ela, forte e equilibrada, nas várias batalhas que temos que enfrentar.

    Sua benção.

  8. ana valeska

    Salene Leite Deus te abençoe na sua saúde!!1
    Pe Joãozinho com sua licença:
    O Milagre de Santa Luzia

    http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?rl=fr&uid=9122951369373664313

    http://www.youtube.com/watch?v=jlP0wqLlY1I

  9. Simone Teixeira

    Pe. Joãozinho,

    Conto com suas preces e peço a intercessão de Maria junto a seu filho Jesus. Sinto-me bastante fortalecida e amparada: encontro refúgio porque perdi o medo de deixar-me amar por Deus e de confiar nas promessas que Jesus fez a Santa Margarida Maria. Estou conseguindo reagir e me superar olhando para além do momento presente!
    Um grande abraço,

    Simone.

  10. Pe Joãozinho,
    Gostaria de saber qual é a orientação da igreja com relação
    consulta do bio-energético (popular “araminho”). Aqui no interior do MT é muito utilizado, e sei que em alguns cidades o atendimento é feito dentro da pastoral da saúde. Confesso que não acredito e acho muito perigoso,mas as pessoas testemunham curas impressionantes…
    Quando eu era criança presenciei a prática de benzedeiras de forma muito corriqueira…lembro-me que eram senhoras muito necessitadas, que não sei como, nem porque, tinham a fama de terem um poder de oração grande para curas…as mães levavam os filhos por x dias na casa da pessoa, ela fazia orações e pronto. Hoje entendo essa prática uma mistura de candomblé com espiritismo, pois utilizavam ramos para benzer, chá para tomar banho, sempre falavam de olho-gordo, mal-olhado, coisas que nunca “fizeram minha cabeça”…
    Creio que cresci num ambiente de muita ignorância religiosa.
    Sua benção,

  11. Padre Joaozinho,

    Gostaria muito da sua opinião sobre este video sobre o Padre Fabio de Melo, que tem dividido a classe de Filosofia, onde o Gabriel Ferreira é professor ( ele é mestrado em Filosofia pela PUC )

    OBRIGADA !

    http://www.gabrielferreira.com.br/index.php/naturalmente-ecumnico-ou-naturalmente-hertico/

  12. Um mestre de filosofia deveria ao menos saber como se dirigir a uma autoridade eclesiástica…não me lembro da expressão “dito cujo” estar na lista das formas de tratamento…não vejo menos heresia nos comentários do caro prof. A soberba é uma ameaça à unidade e tb contrária à Verdade ensinada por Jesus Cristo.
    Rezemos, neste ano sacerdotal, para que todos padres sejam bem orientados por seus bispos, para que estejamos longe do espírito inquisitor de desejarmos a condenação e penalização de nosso irmão.
    Sua benção,

  13. DALVIMAR GALLO

    QUEM MERGULHA VERDADEIRAMENTE NO EVANGELHO DE JESUS CRISTO, JAMAIS IRÁ QUESTIONAR QUALQUER COISA A RESPEITO DA IGREJA CATÓLICA…

  14. Boa noite, pe. Joãozinho
    Gente, ao invés de entrarmos nesses sites que questionam com radicalismo e sátiras os religiosos católicos,deveríamos não dar atenção.Se ninguém aparecer lá para “engrossar” essa lista, eles se destruirão.
    Já li críticas terríveis ao pe. Jonas, Filipe Aquino, Dom Orani, pe. Marcelo,etc em alguns sites.O que eu fiz? Nunca mais entrei..
    Imaginem se o padre Jonas tivesse desistido devido às críticas?
    Penso que o pe. Fábio tem superior e quando cometer algum equívoco, este saberá corrigi-lo.
    Nenhum padre deve ser como gostaríamos que ele fosse.Deve sim, seguir a doutrina da igreja e para orientá-los existem os bispos…
    Se todo mundo for em algum site atrás de comentários sobre os padres,não faltarão polêmicas…
    Antes, era o padre Marcelo, hoje é o padre Fábio, afinal “ninguém atira pedras em cachorro morto…”
    Podem existir até algumas críticas onstrutivas, mas penso que muitas advém da frustração de alguns que gostariam de ter o seu carisma e acima de tudo, espiritualidade,sem falar em seu talento como escritor…Esse cidadão que se diz “professor” deve ser um escritor frustrado e se diz religioso a fim de denegrir a imagem dos outros e diminuir a sensação de fracasso…
    A cada dia que leio essas coisas afasto-me cada vez mais da igreja católica…
    Que decepção!!!
    Respeitosamente,um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.