Ela tem uma dúvida que pode ser a de muitos. Quem sabe os estudiosos de plantão (e graças a Deus ultimamente temos muitos e de todas as linhas) possam ajudar esta irmã:

Tenho uma dúvida, seguinte: A transfiguração de Jesus se deu diante os tres apóstolos e apareceram também, Moises e Elias.Nesta ocasião, os dois profetas já haviam morrido.Os espíritas se apoiam neste acontecimento para fortalecerem a sua doutrina.Nós os católicos não acreditamos na volta ou aparição dos mortos. Fala pra mim sobre essa passagem.

Ana

8 Comentários

  1. Pingback: RCC Brasil

  2. A transfiguração de Jesus, não se reduz a um a fenômeno esplendoroso, mas temos de meditá-la como uma caminhada de fé, de esperança de que um dia estaremos junto ao Pai, como se encontram Moises e Elias.
    No texto do Evangelho de Marcos 9, 2-10 podemos sentir a garantia daquilo que o próprio Jesus nos ensinou. Na transfiguração, Jesus sobe à montanha e leva consigo os três discipulos, testemunhas do fato e que nos dá a garantia de sua veracidade. O Tabor, assim como o Sinai são lugares de encontro com Deus. Moises e Elias representam a Lei e os profetas e Jesus é o símbolo da Nova Aliança.
    É uma Teofania, visão de DEUS.A nuvem representa Deus e “entrarem na nuvem”, representa que Moises e Elias já estão na esfera de Deus. Jesus ao se transfigurar mostra aquilo que Ele representa, a presença viva de Deus glorificada no próprio Filho. Da nuvem sai uma voz que diz: “ESTE é meu Filho Amado, no qual pus todo o meu agrado. Escutai-o!” Moises e Elias, representam a Lei e as profecias e Jesus, o símbolo da Nova Aliança. Como no Batismo, Jesus é apresentado pelo Pai, que indica sua missão de profeta. Ele é a Palavra viva do Pai e esta é nossa verdade de Fé.

  3. Querida Ana,

    O encontro de Moisés e Elias com Jesus no Monte, na Transfiguração, de maneira tem a ver com a doutrina da reencarnação. O autor deste evangelho quer em seu anúncio, enfatizar a natureza divina de Jesus e a condição de Messias, Salvador da humanidade. Moisés foi aquele que “falou face a face” com Deus no Sinai, e para os judeus, aquele que transmitiu a Lei (Pentatêuco – Gn, Ex, Nm, Lv, Dt) e que no Monte do Sinai, intercedia e falava à Deus pelo povo. Elias foi um grande profeta, homem santo, que fez grandes sinais e que representa os profetas enviados por Deus nas Escrituras. O encontro da Transfiguração vem dizer que Jesus não veio revogar a Lei ou os Profetas, mas sim dar-lhes pleno cumprimento, pois ele mesmo é a Plenitude da Revelação e agora completa toda a Escritura e cumpre, em sua pessoa, todas as profecias messiânicas. Assim como no Sinai ouviam Deus conversando com Moisés (trovóes, trombetas), assim o Pai apresenta Jesus como o filho amado e pede para que ouçam a suas palavras. Agora, uma curiosidade. As tradições farisaicas creem na ressurreição dos mortos, e não na reencarnação e segundo as Escrituras, tanto Moisés quanto Elias são um prenúncio da ressurreição – segundo Dt 34, não acharam a sepultura de Moisés. E Elias, em 2Rs 2 foi arrebatado…

    Espero ter ajudado um pouquinho…

    Um abraço,

    Taís

  4. A transfiguração de Jesus, não se reduz a um a fenômeno esplendoroso, mas temos de meditá-la como uma caminhada de fé, de esperança de que um dia estaremos junto ao Pai, como se encontram Moises e Elias.
    No texto do Evangelho de Marcos 9, 2-10 podemos sentir a garantia daquilo que o próprio Jesus nos ensinou. Na transfiguração, Jesus sobe à montanha e leva consigo os três discipulos, testemunhas do fato e que nos dá a garantia de sua veracidade. O Tabor, assim como o Sinai são lugares de encontro com Deus. Moises e Elias representam a Lei e os profetas e Jesus é o símbolo da Nova Aliança.
    É uma Teofania, visão de DEUS.A nuvem representa Deus e “entrarem na nuvem”, representa que Moises e Elias já estão na esfera de Deus. Jesus ao se transfigurar mostra aquilo que Ele representa, a presença viva de Deus glorificada no próprio Filho. Da nuvem sai uma voz que diz: “ESTE é meu Filho Amado, no qual pus todo o meu agrado. Escutai-o!” Como no Batismo, Jesus é apresentado pelo Pai, que indica sua missão de profeta. Ele é a Palavra viva do Pai e esta é nossa verdade de Fé.

  5. Querida Ana,

    O encontro de Moisés e Elias com Jesus no Monte, na Transfiguração, de maneira nenhuma tem a ver com a doutrina da reencarnação. O autor deste evangelho quer em seu anúncio, enfatizar a natureza divina de Jesus e a condição de Messias, Salvador da humanidade. Moisés foi aquele que “falou face a face” com Deus no Sinai, e para os judeus, aquele que transmitiu a Lei (Pentatêuco – Gn, Ex, Nm, Lv, Dt) e que no Monte do Sinai, intercedia e falava à Deus pelo povo. Elias foi um grande profeta, homem santo, que fez grandes sinais e que representa os profetas enviados por Deus nas Escrituras. O encontro da Transfiguração vem dizer que Jesus não veio revogar a Lei ou os Profetas, mas sim dar-lhes pleno cumprimento, pois ele mesmo é a Plenitude da Revelação e agora completa toda a Escritura e cumpre, em sua pessoa, todas as profecias messiânicas. Assim como no Sinai ouviam Deus conversando com Moisés (trovóes, trombetas), assim o Pai apresenta Jesus como o filho amado e pede para que ouçam a suas palavras. Agora, uma curiosidade. As tradições farisaicas creem na ressurreição dos mortos, e não na reencarnação e segundo as Escrituras, tanto Moisés quanto Elias são um prenúncio da ressurreição – segundo Dt 34, não acharam a sepultura de Moisés. E Elias, em 2Rs 2 foi arrebatado… E o grande anúncio que o evangelista faz, para a Igreja que nascia, representados aqui pelas colunas, Pedro, Tiago e João era o da Ressurreição do Senhor…

    Espero ter ajudado um pouquinho…

    Um abraço,

    Taís

    Aluna do Centro de Estudos Cristão-Judaicos, mantido pelos Religiosos de Nossa Senhora de Sion – S. Paulo/SP

  6. Ana,

    o AT, proibia a Necromância, porque existe sim a possibilidade das aparições. Samuel profetizou depois de morto. Quanto há Moisés e a Elias, a transfiguração aponta para a consumação da lei (Moisés) e dos Profetas (Elias), em Cristo.

    Elias não morreu, ele há de vir na carne, como precussor do juiz (Segunda vinda de Cristo).E não é porque Moisés e Elias apareceram, a Cristo, que se autoriza a invocação dos mortos (Ele, é Cristo, os espíritas, não são iguais a ele). É fato que Moisés e Elias apareceram, eles não “encarnaram” em algum(a) médium. Além disso, na Epístola de Judas, se lê que o arcanjo Gabriel lutou com o demônio pelo corpo de Moisés (Algo misterioso).

    Quanto aos Espíritas, a citação das proibições a necromância do AT, é o suficiente, pois não foram revogadas. Fique com Deus.

    Abraços

  7. ESTA PASSAGEM NOS DEIXA CLARO UMA COISA: QUANDO MORREMOS NÃO FICAMOS DORMINDO, MAS ASSIM COMO MOISÉS E ELIAS, ESTAMOS NA GLÓRIA DE DEUS.
    QUANTO AOS ESPÍRITAS, ESTA PASSAGEM NÃO JUSTIFICA NADA, POIS MOISÉS E ELIAS SÃO OS MESMOS QUE ESTIVERAM VIVOS E REAPARECERAM NA GLÓRIA DE DEUS. PORTANTO NÃO EXISTE REENCARNAÇÃO. SÓ TEMOS UMA VIDA E PRECISAMOS VIVER BEM JUNTO DE DEUS.

  8. Ricardo Ferreira

    Prezada Ana, gostaria, mas não posso contribuir teologicamente contigo, somente com minha fé.
    Na liturgia de ontem (quarta-feira – 12/ago), DT 34,1-12, mostrou que a “morte” de Moisés ainda é um mistério; o mesmo para o arrebatamento de Elias (2Rs 2, 1-13).
    No episódio da Transfiguração, outro mistério.
    Quanto aos apóstolos, sabemos das dificuldades de compreenderem todas aquelas “coisas” que presenciaram nas atividades de Jesus. E foi o prórpio Jesus quem disse que o Espírito Santo revelaria tudo a eles. Pediu muitas vezes que guardassem “segredo”.
    Pelos olhos da fé, principalmente os meus, creio que os apóstolos tiveram os mesmos olhares que os enfermos, leprosos, aleijados, “possuídos”, Zaqueu que subiu na árvore para apenas “ver” o Mestre. Aquela mulher que apenas queria tocar o manto de Jesus. Os apóstolos viram Jesus como Ele realmente era: glorioso.
    Alegria e paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.