Por uma questão de justiça posto mais uma explicação do Bruno, porém ele ainda não aceita os termos de minha postagem de ontem.

Digo e Repito:
Em nenhum momento eu neguei que o Cristão seja chamado a “ser Cristo” ou a “ser um outro Cristo”, enquanto essas expressões signifiquem estar em profunda união com Cristo ou “ser presença de Cristo” no mundo, pela prática das virtudes cristãs, etc… Jamais neguei que Cristo esteja presente no Cristão (através da Graça que conforma-nos com a vontade e o amor divinos)ou ainda que, de forma especial durante a comunhão, o comungante torne-se “um” com Cristo (unidade por comunhão espiritual, por comunicação da Graça). Só neguei que esta “unidade” se dê substancialmente, por identificação, com o cristão literalmente tornando-se “o próprio Cristo”, como que “divinizando-se” – que é o que parece sugerir o trecho: “Se nós os recebemos bem, somos Aquele que recebemos. Assim, nos tornamos não apenas cristãos, mas o próprio Cristo!!!”
Uma coisa é dizer que o cristão torna-se “um” com Cristo mediante uma profunda e inefável união com seu Senhor, sem deixar, contudo, de ser o que é, cristão, criatura. Nada contra isso! Mas outra, bem diversa, é insinuar que, mediante essa comunhão, o cristão já não seja “apenas” cristão, mas o “próprio Cristo”, como que sofrendo uma “transubstanciação” semelhante à que ocorre com o pão e o vinho consagrados…
O motivo de meu comentário foi tão somente esclarecer tal afirmativa ( uma vez que tenha sido isso mesmo que o texto quis dizer), que eu – baseado no que aprendi de Doutrina Católica, e no que jugo ser bom-senso – considero francamente errônea por motivos já expostos neste e em outros comentários…

Panis Angelorum, Miserere Nobis!

Bruno

3 Comentários

  1. Pingback: rcc_br

  2. Pode enrolar a vontade Pe. Joãozinho. Ou o Sr. volta atrás no que errou ou vai ser desmascarado.

  3. Ameaçadorzinho hein irmão? hehehee
    Só tem nome de anjo..mas…..ihihihhi

  4. Michelli Brainer

    Ah, não! Essa do Rafael fechou com chave de ouro!!!!
    “Ameaçando” um sacerdote da Santa Igreja???
    Não sei se rio, se me enervo ou se seguro o queixo….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.