Alguns espertos já perceberam que o meu Post do dia 10.08, sobre a constituição eucarística da Igreja e de cada batizado, na verdade era uma citação do nosso querido papa Bento XVI em sua SACRAMENTUM CARITATIS. Diante da postura de alguns comentaristas deste BLOG fiquei curioso em saber qual seria a sua apreciação a respeito do pensamento oficial da Igreja. É claro que se eles soubessem o nome do autor do texto teriam mais escrúpulos. Não sabendo mostraram toda a sua ignorância e pressa mental em condenar. Na obsessiva busca por hereges acabaram condenando o pensamento oficial do papa teólogo.

E agora, Bruno??? E agora Maria Cristina??? E agora, Leonelson??? E agora, Jaime: você afirmou categoraricamente que o papa é panteísta!!!

Meus amigos, vamos manter o debate em bom clima, sem pressa nem afetos desordenados. Caritas Christi urget nos!!!

Quanto aos que observaram a autoria do texto, faltou algum que defendesse o pensamento do papa. Afinal povo do Monfort, o que vocês pensar a respeito dos documentos atuais do Papa Bento XVI? Apesar da foto na primeira página do vosso site, tenho razões para acreditar que alguns dos vossos frequentadores não estão em comunhoa com atual Magistério (infalível) do Santo Padre.

Roma locuta, causa finita est!

Passemos para outras questões!

Com Ternura

Dr. Pe. João Carlos Almeida, scj

37 Comentários

  1. Pois é como diz um ditado:

    “O apressado come quente queima a língua e dói o dente”

    Um abraço fraterno…vou trabalhar!!
    ANA VALESKA

  2. Bem que Jesus falou para termos cuidado com o fermento dos fariseus…
    “Adverti e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.”(Mateus, cap.16, v.6).
    Por essa ninguem (ou pouca gente) esperava!
    Felicidades, padre!
    Que Deus o abencoe!
    Minha admiracao pela sua postura so aumenta!
    Felicidades!
    Katia.

  3. Querido Pde,

    Sua benção, para mim e minha família.

    Quero dizer que sou sua admiradora, e dizer que muitas vezes, ouvindo ou lendo seus escritos, Deus tem me iluminado sobre as verdades de fé e tenho aprendido e enriquecido muito meu parco conhecimento das escrituras. Tenho deixado de ser “uma mocinha de 17 anos vestindo a sainha de uma criança de 10.”

    Li, já na madrugada de ontem alguns dos posts, diga-se de passagem, bem exaltados, não? Vou expressar minha opinião simples e em concordância ao post do dia 10. Não porque foi nosso Papa quem o disse, mas porque assim eu entendo.

    Somos o que recebemos, nos tornamos um Cristo, simplesmente porque a partir do momento que nos tornamos cristãos e recebemos o Senhor em nosso ser, através da Eucaristia, como disse Paulo, não somos mais nós que vivemos, sim Cristo que vive em nós (Gl 2. 20). Nos tornamos Cristo para outras pessoas, pois através de nós, o evangelho é lido. As pessoas conhecem a Cristo, não só de ouvir falar, mas também através da minha vida. Dependendo do Cristo que eu sou, alguém pode ou não querer esse Cristo para sua vida.

    Através dessa frase, o Papa mostra uma sensibilidade e uma inteligência profunda do que é estar em Cristo e viver Cristo. Como o pde disse no programa “Direção Espiritual” da semana passada, o Papa Bento é o terror dos extremos.

    Esse é minha humilde opinião, esteja a vontade para me corrigir, pois quero crescer mais e mais na graça e no conhecimento do nosso Senhor Jesus.

    Paz.

  4. Somente para complementar meu comentario acima…

    Isso tudo me fez lembrar de uma historinha que escutei um dia.

    Nao sei se e verdadeira… mas ensina muita verdade sobre o ser humano.

    Aqui vai ela:

    Um dia um padre ao final da missa de domingo chamou a atencao do povo para um aviso.

    Ele disse que estava para chegar na cidade uma famila constituida de um rapaz que vinha para uma entrevista de emprego e sua esposa prestes a dar a luz ao primeiro filho.

    O caso e que este casal era muito pobre e nao tinha como pagar um hotel ou pousada.

    Ele, o padre, nao poderia abriga-los em sua casa que so tinha um comodo. Ele (padre) era tambem muito pobre.

    O sacerdote entao perguntou se alguem ali poderia abrigar aquela gente. Boa gente, honesta. Nao precisava ter medo.

    Bem, uns fingiram que nao ouviram, outros tossiram e olharam para os lados…

    Total e visivel desconforto entre os presentes.

    Na cabeca das pessoas estavam saltitando os mais variados pensamentos.

    “Sera que essa gente e honesta mesmo?”

    “Uma mulher prestes a dar a luz? Melhor nao me meter nisso..”

    “Veja so! Eu ja tenho meus problemas! Cada um que resolva os seus!”

    Enfim, ninguem se habilitou.

    Ai o padre quebrou o silencio dizendo que todos ali haviam acabado de negar abrigo a Sagrada Familia…

    Surpresa!!!

    Cuidado com julgamentos apressados.

    Uma licao para todos nos.

    Temos dois ouvidos e uma boca apenas. Deveriamos entao ouvir mais e falar menos…

    Felicidades!!!

    Padre, que Deus o abencoe muito e sempre!

    Katia.

  5. no meu comentário das 14h54 que o senhor não quis publicar, além de mostrar algumas contradições que o senhor escreveu, eu defendi o pensamento do Papa Bento XVI contra o seu pensamento, Pe. Joãozinho. Portanto não procede a sua afirmação de que ninguém defendeu o pensamento do Papa.

    novamente digo:

    Pe. Joãozinho disse: “A constituição da Igreja é essencialmente eucarística”.

    Essa afirmação do senhor é que gerou todo o equívoco, e as críticas das pessoas citadas acima não são contra o Papa, mas contra essa sua frase. O senhor fez colcha de retalhos com o texto do papa e induziu os leitores a lerem essa colcha de retalhos como consequência lógica e direta dessa sua primeira frase, que em momento algum foi proferida pelo Papa nesses documentos. Que coisa feia de se fazer com um documento do Papa!!!! Que falta de caridade para com os leitores!

    Papa Bento XVI disse: “A Eucaristia é constitutiva do ser e do agir da Igreja”.

    Há uma enorme distinção entre as duas frases: o senhor tentou colocá-las como sinônimos. Que esforço mais malabarista de “hermenêutica” foi esse ?!?

    Por caridade, novamente peço ao senhor: Explique agora para todos o que o senhor (e não o Papa Bento XVI) quis realmente dizer com “A constituição da Igreja é essencialmente Eucarística”.

    AMDG
    Fernando

  6. Padre Joãozinho, Parabéns o senhor deu uma “bela lição neles” eu também não tenho tanto conhecimento Teológico, mas tudo o que o senhor e o Padre Fabio colocaram nos últimos programas vai de encontro com o que o Papa escreveu.
    Mas não adianta ! estava olhando alguns blogs dos “fundamentalistas” e muitos deixaram claro que o que eles querem é denegrir a imagem do senhor e do Padre Fabio e farão todo possível para “derruba-los” tem lugares que esta escrito isso.
    Então, na verdade, eles não querem um debate sadio que esclareça de verdade as questões teológicas, mas usar de argumentações sobre as mesmas para conseguir o seu propósito maior, infelizmente… Por isso agüenta firme porque vem muito chumbo grosso ainda por aí… Um beijo e um abraço…

  7. Daniela Zambarda

    Sua benção.
    Estava achando estranho o Sr. não se manifestar com os absurdos que estavão escrevendo aqui, mas agora entendi perfeitamente.
    Muito bem, muito obrigada por sua retidão e por seus estudos, pois temos padres sábios e muito inteligentes.
    Boa Noite
    Daniela

  8. Simone Teixeira

    Pe.Joãozinho,

    Você sempre me surpreende! Pensei que esse jeito de “derrubar portas fracas” fosse usado apenas para conversas particulares…
    Você daria um ótimo advogado, sabia? Eu o contrataria sem dúvida para me defender diante de qualquer tribunal.
    Cada dia aprendo mais com você e sua forma de conduzir e criar polêmicas para alcançar um objetivo bem maior!
    Continue contando com minhas preces e hoje peço suas orações por uma intenção especial que tenho que conduzir e não sei como. Peço sua bênção e agradeço sua amizade,
    Grande abraço,

    Simone.

  9. Hilário esse Dr. na assinatura…
    (Pensei que o Pe. viria antes de Dr. numa assinatura…)

  10. Muito prezado padre João
    Salve Maria, salve o glorioso São José o terror dos demônios.
    Então agora o senhor canta vitória.
    Será que agora o senhor a coragem de postar o meu comentário que revelava a sua armadilha. Vamos padre só peço um pouquinho de coragem, a coragem é uma virtude que evidencia que agimos coerentemente com a Verdade, sem temer quem nos conteste, Deus lhe pague.
    Aí estão meus dois comentários que o senhor se recusou publicar:

    mauro
    agosto 10th, 2009 at 21:36
    Your comment is awaiting moderation.
    Muito prezado padre João Carlos
    meus parabéns,vemos que o senhor está lendo a SACREMENTUM CARITATIS, do Papa bento XVI, visto que o senhor copiou longos trechos desse documento. veremos se o senhor analizou todo o contexto…
    In baculo cruce et in Virga Virgine.

    2.
    mauro
    agosto 11th, 2009 at 04:25
    Your comment is awaiting moderation.
    Muito prezado Padre João Carlos,
    Quanta malícia da sua parte, colocando um texto do Papa bento XVI sem revelar o nome do autor, querendo insinuar que esse texto em algum momento ratifica suas posições errônes e heréticas, o que o senhor queria ? que alguns desavizados lessem esse texto e acusassem-no de heresia, aí o senhor diria, “então vcs acusam o papa de herege, então vcs são anti-papa, cismáticos” era esse o seu plano não era padre?que armadilha mais maliciosa padre, garanto que seus mais coerentes defensores ficam extremamente envergonhados com uma atitude tão baixa, tão indigna do seu estado sacerdotal.
    Por que será que o Papa em sua afirmação não disse “o ser e o agir da Igreja são Eucarísticos”, não ficaria mais condizente com as suas afirmações padre?mais aí seriam afirmações erradas, por isso ele usa o termo “constitutiva” para não corroborar com as falácias heréticas. Não faça das palavras do Papa um joguete de suas malícias padre. E na frase “somos aquele que recebemos”será que aí ele ratificou a sua frase “nós somos eucarístcos”, claro que não padre! Pois o termo ser é um termo análogo , possuindo vários sentidos, porém a Eucaristia só possui um único sentido, o sentido de corpo, sangue, alma e divindade de Nosso senhor Jesus Cristo, ou seja, não se pode fazer analogias com a Eucristia pois se se diz “nós somos Eucarísticos” estou afirmando, num único e possível sentido ,que “nós somos corpo, sangue, alma e divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo”, erro em que o senhor caiu e recusa se retratar.
    Conclusão, o nosso Papa Bento XVI é um dos maiores combatedores de heresias dos últimos tempos, mas o senhor caiu numa heresia escandalosa.
    Que Nossa Senhora de Fátima lhe resgate desse abismo, pelo bem de suas ovelhas

  11. Olá, Padre Joãozinho!

    Comentário do Bruno: “Integrar o Corpo Místico significa passar a ser “por Cristo, com Cristo e em Cristo”, jamais em “ser Cristo”, ou em ser parte substancial do próprio Cristo… Afinal, o Cristão é chamado a ser um “outro cristo”, por imitação ao modelo que é Cristo, e não o “próprio Cristo”, verbo de Deus feito carne! (…) A Igreja é “Corpo de Cristo” em sentido místico e moral, por analogia, pois Cristo está para a Igreja como a cabeça está para o corpo, mas o Verbo nela não encarnou-se nem “habita substancialmente”, como ocorre com o corpo e a alma de Jesus.”

    Creio que ele se expressou corretamente, mesmo porque o Papa fala que: “a fé da Igreja é essencialmente fé eucarística e alimenta-se, de modo particular, à mesa da Eucaristia.” (Sacramentum Caritatis, 6)

    Repare que suas palavras Padre Joãozinho: “se nós os recebemos bem, somos Aquele que recebemos”, estavam em consonância com o que dissera santo Agostinho, diferentemente da primeira vez que você citou no singular, sem dar a dimensão da unidade da Igreja. Como lembrara o Papa João Paulo II: “encontramos um válido eco desta exigência em S. Agostinho quando, depois de recordar a afirmação do Apóstolo « vós sois corpo de Cristo e seus membros » (1 Cor 12, 27), observava: « Se sois o corpo de Cristo e seus membros, é o vosso sacramento que está colocado sobre a mesa do Senhor; é o vosso sacramento que recebeis ».” (Ecclesia de Eucharistia, 40)

    No entanto essa afirmação sua: “assim, nos tornamos não apenas cristãos, mas o próprio Cristo!!!” precisa ser melhor explicada. Nos tornamos Cristo como? Por analogia? Por univocidade? De forma unívoca é impossível, pois realmente seria panteísmo – gnosticismo se elevada a afirmação às últimas consequências – e partircularmente acredito que o Papa não referiu-se em nenhum momento de forma panteísta em sua Exortação Apostólica, pois ele demonstra condenar isso em sua nova encíclica: “mas é preciso sublinhar também que é contrário ao verdadeiro desenvolvimento considerar a natureza mais importante do que a própria pessoa humana. Esta posição induz a comportamentos neopagãos ou a um novo panteísmo: só da natureza, entendida em sentido puramente naturalista, não pode derivar a salvação para o homem.” (Caritas in Veritate, 48)

    Padre, o sr. está mudando o foco de suas afirmações para provocar o pessoal… coisas daquele que gosta de dividir, rs.

    Sua benção Pe.,
    Att!

  12. Michelli Brainer

    kkkkkkkkkkk

    É, padre… acho que (finalmente) as coisas vão se acalmar por aqui….

    Salve Maria!!! kkkkkk

    Sua bênção!

  13. Dani Paiva

    óooootima Padre!

    É por essas e outras que eu te admiro profundamente. Inteligência, sabedoria, dedicação e humor.

    Sua benção Pe.

    Daniela

  14. Fernando Firmino

    Rev. Pe. Joãozinho,

    Peço desculpas se pareci rude em meu post anterior. De coração humilde lhe peço desculpas.

    Sobre defender seu post do dia 10-08-09, não haveria qualquer embargo. Basta incluir as citações que V. Rev. fez, no contexto da Encíclica Sacramentum Caritatis.

    Parte do texto final citado em V. post está em subcapítulo intitulado: .

    O Papa cita S. Angostinho e quer dizer que a “unidade profunda entre nós e o Senhor” que se dá através da Eucaristia que comungamos, nos faz parte do corpo de Cristo – corpo místico de Cristo, sua Igreja.

    Cristo não pode ser só cabeça (da Igreja), mas também é corpo inteiro.

    Deste modo, quem faz parte do corpo – através da Eucaristia – faz parte de Cristo, que é corpo inteiro. Com este entendimento o Santo Bispo Hipona conclui que através da Eucaristia somos parte de Cristo: Somos Cristo.

    Em nenhum momento houve desejo, seja de S. Agostinho, seja do Papa em sua encíclica de divinizar o homem, ou nos tornar iguais a Deus.

    Com efeito, em V. Post as citações dão a entender que o homem se divinivizava pela Eucaristia: se tornava Deus.

    PAX!

    Fernando Firmino

  15. Pingback: Marcus Vinicius

  16. Seria bom responder Pe. Joãozinho, para que as coisas fiquem claras.

    1. O homem que comunga se torna Deus?

  17. Donizeti-Ribeirão Preto

    Padre João, sua fraterna Benção!
    Nem tudo é o que parece não é verdade Padre?
    Quanto postei meu comentário escrevi, e não foi publicado: “o Padre João deve ter esquecido de colocar algumas aspas, citando quem e de onde ele retirou grande parte do texto de ontem, né Padre!” e agora me aparece essa postagem?!
    V. Revmª, me perdoe caso eu esteja errado, mas parece ter sido intencional de sua parte tentar fazer suscitar rivalidade entre seus leitores assíduos e seus novos (e críticos) leitores, os chamados de “Tradicionais”, rótulo que não nos agrada muito(independente de ser da Montfort, Fraternidade S. Pio X, ou aqueles não adeptos à RCC) e que não deveria existir pois causa uma certa separação na Igreja. Somos (ou deveríamos ser) a Igreja UNA, e por isso mesmo CATÓLICA (no seu sentido mais amplo como UNIVERSAL). Os egos feridos devem ser deixados de lado em nome de um bem maior a Verdade. E a Verdade está em Cristo e na sua Igreja, Corpo Mistico de Cristo, a qual tentamos defender. Se alguém errou, peça perdão, levante a cabeça (ou abaixe-a atrás de um bom livro) e procure estudar mais.
    O Padre deve ter percebido, e sabe, que a maioria das críticas surgiram quanto à forma que a frase de Santo Agostinho foi colocada (“Se nós os recebemos bem, somos Aquele que recebemos. Assim, nos tornamos não apenas cristãos, mas o próprio Cristo!!!”) e seu verdadeiro sentido, qual seja, fazer parte da Graça e estar recebendo a Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo.
    Lembro que intenção pelo menos minha, e penso falar pela maioria, nunca foi ofendê-lo Padre, mas procurar um entendimento (e esclarecimentos) sobre seu post e a forma como foi colocado para não gerar dúbias e errôneas interpretações como acabou acontecendo.

    Sua fraterna benção e que a Virgem Maria sempre nos proteja.

  18. Não emiti minha opinião a respeito, mas muitas vezes me perguntava o por que do Padre Joãozinho, não acabar logo com estes comentários, que para dizer a verdade, muitas vezes foram até ofensivos e exagerados. Muitas vezes tive vontade de opinar, mas meus conhecimentos a respeito da Enciclica Sacramentum Caritatis, são muito pequenos, pois embora já tenha lido-a, confesso a preguiça de consulta-la. Mas tinha quase certeza de que o Padre nos surpreenderia. Padre Joãozinho, meus parabéns. Tu és realmente um sacerdote de Deus.

  19. Prezado Pe Joãozinho,
    Salve Maria!

    Se o Sr. quer estudar para melhor debater com os tradicionalistas, tudo que de alguma forma se liga, ao Novus Ordo Missae, recomendo-lhe a seção do site da FSSPX (que disponibiliza vários textos):

    http://www.fsspx-brasil.com.br/page%2003-2.htm

    Recomendo também a seção de Apologética do site Permanência:

    http://www.permanencia.org.br/revista/atualidades.htm

    Onde poderá estudar e ler (se desejar) análises do problema em si. Fique com Deus.

    Respeitosamente,

  20. “Desta maneira a Sagrada liturgia segundo a maneira romana fez fértil não só a fé e a piedade, mas a cultura de muitos povos. Mais ainda é evidente que a Liturgia Latina em suas diversas formas estimulou a vida espiritual de muitíssimos Santos em cada século da Era Cristã e fortalecido na virtude da religião a tantos povos e fazendo fértil sua piedade”.
    “Em paróquias onde um grupo de fiéis aderidos à prévia tradição litúrgica existe de maneira estável, que o pároco aceite seus pedidos para a celebração da Santa Missa de acordo ao rito do Missal Romano publicado em 1962”.(Motu proprio Summorum Pontificum, Dado em Roma, junto a São Pedro, em 7 de julho no Ano do Senhor de 2007, Terceiro de nosso Pontificado.Bento XVI).

    Muito prezado padre João, o senhor que é tão coerente, e obediente aos documentos do nosso Santo Padre o Papa Bento XVI, o senhor se lembra desse documento acima citado, ou ele simplesmente passou despercebido. Por acaso o senhor, passados esses dois anos, já colocou em prática esse pedido feito pelo Papa para que se rezasse a Missa Tridentina? Quantas Missas Tridentinas o senhor já rezou desde então? E nas paróquias dos dehonianos no mundo inteiro, quantas Missas Tridentinas são realizadas? e os seminários dehonianos já comessaram a ensinar esse rito que nunca foi ab-rogado? E na gigantesca canção nova, quantas Missas Tridentinas são realizadas toda semana? Quantas vezes se trocou as Missas shows pelo rito recatado e silenciosamente rezado da Missa de sempre?
    E o senhor, padre, tão preocupado com os documentos do nosso atual Papa já tentou ardorosamente persuadir sua congregação, a canção nova a rezarem esse rito? Quantas vezes o senhor disse a um amigo sacerdote: “a maior satisfação para nós deve ser obedecer com generosidade este pedido do Papa e rezarmos todos os dias pelo menos uma Missa Tridentina”, ou será que sua agenda de shows não lhe permite essa generosidade?
    Ou será que o senhor vai me dizer que nessa grande extenção que abrangem pelo mundo os dehonianos e a canção nova o senhor nunca encontrou um grupo ávido de partcipar de uma Missa assim? é um pouco difícil de acreditar hein! eu, por exemplo, conheço muitos que gostariam de tê-la mais não podem por que falta à eles um sacerdote tão coerente(e muito corajoso) à vontades do Papa como o senhor, se o senhor quiser eu passo o telefone deles para o.
    Ou o senhor vai dizer como tantos que esse rito é um rito incompreencível e retrogrado.
    Conto com essa sua generosidade padre, teria muito gosto em acolitar para o senhor numa Missa Tridentina, vamos nos unir generosamente nessa vontade do Papa, desde já Deus lhe pague.
    Que Nossa Senhora de Fátima, a medianeira de todas as graças, vele pelo seu sacerdócio a fim de pronunciar, logo e sempre, aquelas sacratíssimas palavras: “In troibo ad altare Dei”.

    In baculo cruce et in virga Virgine
    Mauro

    Si la Iglesia verdadera,
    la mi vida me pidiera,
    yo mil vidas yo las diera
    por la Iglesia y su bandera.
    Diez mil vidas yo las diera,
    por guardar la Fe entera.

  21. Ave Maria purissina!
    +Sine labe origináli concépta+

    Reverendo padre João,
    O senhor escreveu: “…não estão em comunhão com o Magistério (infalível) do Santo Padre”. Talvez aqui o senhor se apressou e realmente a pressa em condensar em uma só frase para impressionar almas a que ‘roma locuta causa finita est’. Porém me pergunto será que o senhor bem sabe quando funciona esse adágio? Me pergunto será que o senhor admite que até um espirro ou mero discurso protocolar do Papa é um ato infalivel de magistérial?. Enfim isso renderia um longo discurso no que tange a Infabilidade Papal definida no Vaticano I e que poucos católicos sabem devidamente como funciona essa doutrina. Mas para que o senhor não venha dizer o que não foi dito do que escrevi, pois que é muito comum aos amantes da ‘nova teologia’ ou aqueles que ‘pensam que venceram’ – esse tipo extrações do texto-. Digo ao senhor francamente que como católico apostólico romano os documentos atuais do Papa são aproveitaveis em medida tal para com a Verdade Católica pois que “o importante é o que foi dito com razão e verdade”. E o que é comunhão com o Papa? O que é aceitar o Magistério? Escolher aquilo que melhor lhe apraz? O senhor aceita e promove -por exemplo- o Motu proprio Summorum pontificum de sua santidade o Papa Bento XVI? O senhor é afavor da comunhão na boca e de joelhos? (também pedido por Bento XVI -desde seu exemplo na prática-)? O senhor é afavor dos confessionários tal qual deveriam ser? (Algo já pedido desde João Paulo II).

    Pax in Nomine Domini!

  22. Padre Joaozinho, Bom Dia!

    pessoas inteligentes como o senhor não precisam se preocupar com comentários “polêmicos”…

    Sua benção

  23. Padre “Little Jonh” e Joaninhas de Plantão

    Muitos de nós já sabiamos de sua cilada Pe.

    Claro que um texto daquele não podia ser obra do senhor… e então procuramos seu verdadeiro dono…rs! Já sabiamos que se tratava na enciclica do Santo Padre…

    E usa isso para desviar o assunto e fugir de suas afirmações anteriores… isso mostra que o Senhor Pe. Litlle Jonh está totalmente perdido com esta sua teologia barata…

    Estude a Suma Teologica de São Tomas e os escritos de outros Santos Doutores ao invés destas que o senhor usa… provavelmente aprendeu no seminario…

    E para as Joaninhas de Plantão largem de ser tapadas e vão estudar… quem sabe um dia vocês consigam enxergar o CANCER que é a Renovação Carismatica dentro da Igreja e estes padrecos que a defendem…

    Padre há tempo… Converta-se!!!

    MP

  24. UAAUUUUUUUUUUU!
    eu não disse que são comentários ofensivos e exagerados. Alem do mais, porque não se identifica e fica sómente na sigla MP?

  25. Cara Edna,

    Faz alguma diferença para você se eu disser meu nome?

    Não acho que tenha nada de ofensivo e exagerado em meu comentário…

    Padre Little Jonh… ele não gosta de ser chamado de Pe.Joazinho? Pe.Little Jonh só foi algo mais moderno… ele vai adorar… ele adora o modernismo… pelo menos demostra com suas palavras…

    Agora quando ele der um de “espertinho” de novo, tentando enganar alguém com as Enciclicas do Santo Padre ou distorcendo os escritos dos Santos… ele pode assinar DR. Pe. Little Jonh Almeida, scj…

    Fica mais engraçado… vai combinar mais com a brincadeira…

    As Joaninhas, foi uma expressão que achei muito engraçada se referindo a vocês “fãs”, que fazem o que for para defender o Pe Little Jonh… mesmo não tendo conhecimento algum no assunto… usam palavrinhas de consolo… e sem lógica nenhuma! Ah, não posso deixar de ressaltar que algumas até bem afiadas na Teologia herética que o Pe.Little ensina…

  26. Maria Inês

    Padre,

    …a paciência é uma virtude que tem mesmo de ser construida dia após dia!
    e até com nós mesmos…pois vejo que tenho sempre que recomeçar!
    …interessante como terminou o post ” Com Ternura”
    o SIM ou um NÂO precisa ser dito com ” firmesa” sempre, e pode ser construido na “Ternura…” isto não é fácil, é um contracorrente, pois parece que quando temos que dizer um NÃO até a expressão facial se apresenta feia…não é assim que imagino Jesus Cristo!!!!!

    Ginetta Calliari uma cristã que já tem sua vida estudada pela Igreja( causa de beatificação e canonização) http://ginettacalliari.blogspot.com/
    eu a ouvi muitas vezes falando que deveriamos “ser um espelho ao irmão” se percebemos um erro …deveriamos fazer resplandecer em nós a virtude( a virtude contrária aquele erro). De tal forma que nos olhando o irmão entendesse e corrigisse!!!!!!!! ( )

    Maria Inês

  27. Pingback: Deus lo Vult! » A Eucaristia, a Igreja e eu

  28. Engraçado demais esse MP…..hahahahahahahaha
    Ele fala de estudos mas parece que o estudo dele não faz efeito nele mesmo….hahahahaahh

    Palavras de ordem, ofensivas,ameaçadoras….hahahaha
    Misericórdia de vc meu irmão…kkkk esses seus estudos servem de que? Só pra isso! Já escrevi uma vez e volto a dizer:

    “Se ficares culpando demais os outros, de repente eles se salvam e vc acaba ficando pelo caminho”
    Eu imagino vc diante do Pe. João Almeida falaria com ele com o dedo no rosto dele…Nãnnnn

    Sou leiga sim,aprendiz de pregador GLÓRIA A Deus, e não me interessa aprofundamentos demansiados,não quero ser mestra e nem Doutora da teologia mas tenho que ser leitora E graças a Deus queo catecismo não é só p/ Pe. e sim para leigos. Ser feliz me consome! Tenho mais ações a serem feitas pelos que sofrem do que FICAR SÓ NO PAPEL.Tente ao menos unir o útil ao agradável desse seu “TAL ESTUDO” pare de dar mais ordens e seja mais ágil.

    ANA VALESKA

  29. Ahhh vc disse as Joaninhas? fUI ESTUDAR….KKKKKKKKKKKKK
    Olha que coisa linda:

    “É um inseto muito útil para manter o nosso jardim bonito e saudável, porque adora comer os pulgões que se alimentam das plantas e as danificam.”

    Obrigada pelo elogio….heheheheeh

    ANA VALESKA

  30. Oi Pe. Joãozinho, tudo bem?

    Sempre acompanho o seu blog. De certa forma, é um modo pelo qual continuo acompanhando a sua trajetória e sabendo o que acontece com os dehonianos.
    Nos últimos dias, pudemos acompanhar “debates acalorados”, sobre teologia. Sinceramente, gostaria de lhe dar os parabéns por estar, como professor, dando a chance para os alunos buscarem o aprendizado. É fato, que muitos discípulos, pensam que o mestre sabe tudo. Mas não é verdade! O mestre é mais um que procura o saber. Será mesmo que somos capazes de “pasoterear” realmente as pessoas? Se cada um pessoalmente não se dispor a fazê-lo me parece, que a “libertação” não é possível. Este caminho de salvação que se faz “só”, é angustiante sim. Por isso, pode ser vivido na “comunhão”. Assim, o Outro é mestre. No caso da religião, é Deus, na filosofia a razão, na educação é o saber. Assim, definitivamente o Mestre não sabe tudo. Mas busca, luta e procura a cada dia.
    Tomara que as tuas provocações levem as pessoas a esclarecer a sua fé. Ter uma “fé inteligente”, não é simplesmente ser relativista, ou “moderninho” como alguns te acusam. Usar de algumas palavras, como alguns têm feito, para justificar seus radicalismos, não me parece atitude inteligente. O teólogo não dogmatisa as verdades. As ajuda esclarecer, nos “experimentar” o dogma (e não experiência no sentido ‘experimental’. Mas no sentido de algo que “nos acontece” “nos toca”).
    A teologia se torna ainda mais bela, quando nos leva a dobrar os joelhos. “Rezar a teologia”, nos afirmava nosso professor de Liturgia I, em alguma manhã de 2003.
    O próprio Catecismo da Igreja Católica a partir do seu n. 1368 afirma que A Eucaristia é também sacrifíco da Igreja. Desta forma, ela Igreja corpo, participa do do sacrifício da Sua cabeça, Cristo. Diz ainda, que na Eucaristia, “o sacrificio de Cristo se torna também o sacrificio dos membros do seu Corpo”. Isso não significa tornar-se como Cristo? Vivendo o seu sacrifício.
    Povo, vamos orar e estudar, sem nos preocuparmos em decidir qual destas ações seria a melhor. O equilibrio é a melhor saída. Esse “ultra-conservadorismo”, pode ser prejudicial.

    Herege!!!!!!!!! Você dever ter adorado isso hein Joãozinho!? Parabéns professor, promoveu o debate, valorizou as discussões. Como afirmava Freire a “libertação se dá por ações, não só por palavras”.

    Continue firme como Pastor e Mestre, não sendo o “motivo da salvação”, mas como parceiro da busca, de quem aceita o desafio e o limite, ao reconhecer que nem todos querem e são capazes de aprender.

    Um abraço, Paulo Becher Júnior

  31. Michelli Brainer

    Ana Valeska

    Então, acabemos com os pulgões, amada! kkkkkkkkk

    MP
    Não acha q já está estrapolando não?
    Falta de respeito com um sacerdote tb faz parte de seu catecismo?
    Estranho é não ser igual ao meu… o da Igreja Católica Apostólica Romana.

    PADRE JOÃOZINHO, sua bênção!

  32. Padre Joãozinho permita-me fazer uma critica: OS COMENTARIOS DO SEU BLOG, JA ESTÃO SE TORNANDO CHATOS E CANSATIVOS, pois passaram a ser uma extensão da Monfort. No fim só estamos vendo a opinião deles. Acho que o negócio esta indo longe demais…..

  33. MP VOCÊ SE DIZ UM GRANDE CONHECEDOR DA SÃ DOUTRINA,MAIS É ANALFABETO DO SERMÃO DA MONTANHA.SE LIGA CARA!

  34. PADRE JOÃZINHO OBRIGADO POR ESTÁ AO LADO DO PADRE FÁBIO,EU AMO VOCÊS!

  35. Oi Michelle tudo bem irmã?

    kkkkkk..pois é menina, aliás aremos por ele e vamos manter o que sempre aprendemos na Igreja Católica Apostólica Romana saber discodar e continuar a amarrrrr…
    um bj na sua lama querida e muito prazer!!!

    um abraço fraterno!!
    ANA VALESKA

  36. OPS NA SUA ALMA QUERIDA…KKKKKKK

  37. Quão pouca importância damos à heresia! Fitamo-la e permanecemos calmos.. Tocâmo-la e não trememos. Misturamo-nos com ela e não temos medo. Vêmo-la tocar nas coisas sagradas e não temos nenhum sentido do sacrilégio. Inalamos o seu odor e não mostramos qualquer sinal de abominação ou de nojo. De entre nós, alguns simpatizam com ela e alguns até atenuam a sua culpa. Não amamos a Deus o suficiente para nos enraivecermos por causa da Sua glória. Não amamos os homens o suficiente para sermos caridosamente verdadeiros por causa das suas almas.

    Tendo perdido o tacto, o paladar, a visão e todos os sentidos das coisas celestiais, somos capazes de morar no meio desta praga odiosa, impertubavelmente tranquilos, reconciliados com a sua repulsividade, e não sem proferirmos declarações em que nos gabamos de uma admiração liberal, talvez até com uma demonstração solícita de simpatia tolerante [para com os seus promotores].

    “Senhor, por misericórdia,
    não permitas – – Ah! Não! jamais!- que eu faça um
    ato mau por covardia. Que eu tenha a audácia de
    proclamar com voz clara a verdade. Por mais sozinho
    que eu esteja, que eu tenha a graça de testemunhar a
    verdadeira Fé sem hesitar Dai-me, se for preciso
    desagradar um poderoso senhor, para fazê-lo bem,
    dai-me uma linguagem franca para maldizê-lo, sem
    falso respeito. Que eu prefira mais que o prazer um
    coração sincero. Antes sofrer uma vida amarga do
    que mentir”

    In baculo cruce et in virga Virgine
    Mauro

  38. Ave Maria purissima!
    +Sine labe origináli concépta+

    Reverendo padre João,
    Gostaria de explicar um pouco o que o senhor parece -digo parece-propor no que o senhor escreveu: “alguns dos vossos frequentadores não estão em comunhão com atual Magistério (infalível) do Santo Padre.” Referente ao site montfort.
    Quem seriam os frequentadores? Leitores fiéis, constantes ou meros leitores esporádicos? Quem seriam os frequentadores? Frequentadores esporádicos -por exemplo- não resumem o pensamento integral da associação. Depois gostaria de perguntar ao senhor. O senhor padre leu só o superficial do site ou se atentou bem em ver que existe trabalhos de algum valor? As seções cartas -por exemplo- polêmicas não são um fim. O site é polemista, porém ainda que isso escandalize os sentimentais, românticos e melosos não é um fim. É apenas um exemplo. O senhor viu o trabalho sobre a Caritas in Veritates publicado atualmente?. Trabalho que tem algum valor. Se o senhor puder leia-o. O senhor viu o trabalho sobre o Vaticano 2 e sua Fenomenologia? Trabalho sobre Jean-Guitton amicissimo de Paulo VI e o que ele disse dos documentos do Vaticano II?. Se o senhor puder leia-o. O senhor leu o trabalho sobre Romantismo e Modernismo? Se puder leia-o. O senhor já leu o trabalho: A liturgia em agonia..? E dentre outros. Se puder leia. É licito sim fazer um julgamento das coisas em contrário de almas viradas para o mundo da lua que crem ser isso um absurdo. Mas antes tomesse uma posição coerente e lógica. Se é para se criticar que se faça com conhecimento do que o adversário pensa. E que se prove não com argumentos ou frases de efeito, para impressionar incautos. Que não se use de artimanhas, manobras e malabarismo, táticas muito comum por parte de apeladores. Esses ‘frequentadores’ que o senhor cita espero que não se tenha resumido portanto a leitores que estão tentando digerir o que tem de informação no site, porque tem uma enchurrada de material de algum valor. O senhor não deixe de examinar bem atentamente que a associação além esquadrinhar a ação do vírus modernista com auxílio daquilo que a Igreja já declarou e definiu e portanto combate esse vírus, bem como o liberalismo. Ela também desmistifica a noção de falsos tradicionalismos. Como um dos exemplos. Seu presidente desmascara quem foi o pseudo-profeta de higienópolis (tfp). Mas ratifico não se fique só em ver seção cartas da parte polemista -que tem algum valor- mas se se digeriu só isso é porque não se passou nem 1% do conteúdo do site. Com a Montfort se aprende que o importante antes de tudo é ser: católico apostólico romano. Isso é o mais dificil em ser nesse século de “luzes”. E é claro para logo responder aos inquietantes. O óbvio se condensa nas 3 mais importantes terminologias. Sobre o apostolado como o da montfort seu principio é ser um meio e não O FIM. O site tem como príncipio auxíliar almas em meio a essa “civilização” e faze-las compreender onde está o Norte. Que é obviamente a Igreja Una, Santa, Católica, Apostólica e Romana; fora da qual não há salvação. (Ainda que isso escandalize a muitos impugnantes e ainda que isso seja de rasgar as vestes a almas de má vontade e subversivas). Dizia o bem-aventurado S. Inácio de Loyola: ‘Tudo seja para a Maior Glória de Deus’. Defender a Verdade Católica custe o que custe, a Cristo Rei e a sua Esposa quando hoje é ultrajada, vilependiada tanto mais e pior pelos que estão entrincheirados dentro dela mesma. S. Pio X já dizia e alertava sobre isso que leiam a Pascendi Dominici Gregis do qual é o horror para os liberais. Por fim digo que A Virgem Gloriosa, Mãe do Grande Rei há de ser sempre nosso auxílio nessas tormentas e tempestades do mundo moderno. Sua benção reverendo padre.
    Ad Majorem Dei Gloriam!
    Adeus…

  39. Olá Padre,

    Com todo o respeito por sua pessoa e ministério presbiteral, permita-me lhe fazer uma humilde sugestão.
    Fiquei muito chocado com a maneira de alguns fiéis, aqui nesse blog, tratar um sacerdote católico. Fossem eles, ateus, não católicos ou coisa assim, não era de se admirar. Mas confessando-se claramente cristãos católicos não deveriam se expressar assim, como se estivessem em guerra contra o padre. Achei muito desrespeitoso e sugiro vivamente, que esse espaço não seja mais aberto à participação dos internautas, pois isso está expondo demasiadamente a sua pessoa, ao deboche e ao ridículo. Não estou defendendo que se deva aceitar tudo o que um padre fala de cabeça baixa. Claro que podemos questionar, a fim de que possamos crer com o coração e também o intelecto. Mas a maneira de um católico expor suas dúvidas diante de um representante de Jesus, precisa ser mais respeitosa e humilde. Não gostei de ler algumas colocações feitas aqui de modo prepotente e arrogante. Receio que você possa estar (com a mais reta intenção) favorecendo isso. E muitos não cristãos, ao lerem essa gente (católica, ou que se diz católica) provocando o padre de modo tão prepotente, podem ficar chocados e descrentes. Por favor, não se exponha mais desse modo. Sou a favor do debate e do questionamento livre como parte da catequese e do crescimento na fé. Mas aqui a coisa já tá indo para outro lado, para a falta de caridade e delicadeza, tanto daqueles que o atacam, como daqueles que o defendem, sendo irônicos e debochados com seus atacantes. Tá feio, tá leviano, tá pegando mal. Tá passando a impressão de que o padre está estimulando o bate boca (nele incluídos, o deboche, a ironia, o desprezo do outro) e se enfiando no meio do bate boca. Isso rebaixa a nossa fé publicamente. Cristo usou uma expressão meio dura acerca disso ao dizer “não lancem pérolas aos porcos”.A palavra de Deus, pode ser objeto de discussões e questionamentos sim. Sem dúvida. Mas numa ambiência mais digna e respeitosa. Me perdoe se eu estiver errado. Mas estou sendo sincero e confesso que a minha primeira reação ao conhecer (hoje) esse blog e o nível dos comentários, minha primeira impressão foi de choque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.